Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 10/Dec/2015 às 10:50
8
Comentários

16 governadores lançam apoio à Dilma contra o impeachment

Dezesseis governadores divulgam documento intitulado "Carta pela Legalidade" em apoio ao mandato de Dilma Rousseff e contra o acolhimento de Eduardo Cunha ao pedido de impeachment

governadores dilma iimpeachment

Dezesseis governadores que se reuniram com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, divulgaram nesta terça-feira, 8, documento intitulado “Carta pela Legalidade”, em apoio ao seu mandato e “contra o acolhimento do pedido de abertura de processo de impeachment”.

Antes da divulgação do texto, 15 dos governadores participaram de encontro com Dilma, no Planalto, durante uma hora e meia.

Na saída, endossaram que “o processo de impeachment, aberto na última quarta-feira, carece desta fundamentação” porque “não está configurado qualquer ato da Presidenta da República que possa ser tipificado como crime de responsabilidade”.

No encontro, estavam presentes governadores do PT e de partidos da base aliada, como PMDB, PCdoB e PSD. Os três governadores do PSB, cuja bancada do partido na Câmara dos deputados se diz independente e tem adotado uma postura favorável ao afastamento da presidente, também participaram da reunião de apoio à Dilma.

Ao condenarem o processo de impedimento, os governadores que apoiam Dilma disseram que “o mecanismo de impeachment, previsto no nosso ordenamento jurídico, é um recurso de extrema gravidade que só deve ser empregado quando houver comprovação clara e inquestionável de atos praticados dolosamente pelo chefe de governo que atentem contra a Constituição”.

“Acreditamos que as saídas para a crise não podem passar ao largo das nossas instituições e do respeito à legalidade”, afirmaram.

“Por isso, ciosos do nosso papel institucional, conclamamos o país ao diálogo e à construção conjunta de alternativas para que o Brasil possa retomar o crescimento econômico com distribuição de renda”, prosseguem.

Abaixo, a íntegra da carta.

CARTA PELA LEGALIDADE

Os Governadores estaduais vêm, por meio desta nota, manifestar-se contrariamente ao acolhimento do pedido de abertura de processo de impeachment contra a Presidenta da República.

A história brasileira ressente-se das diversas rupturas autoritárias e golpes de estado que impediram a consolidação da nossa democracia de forma mais duradoura. Tanto é assim que este é o período mais longo de normalidade institucional de nossa história, conquistado após a luta de amplos setores da sociedade. Nesse sentido, é dever de todos zelar pelo respeito à Constituição e ao Estado Democrático de Direito.

Entendemos que o mecanismo de impeachment, previsto no nosso ordenamento jurídico, é um recurso de extrema gravidade que só deve ser empregado quando houver comprovação clara e inquestionável de atos praticados dolosamente pelo chefe de governo que atentem contra a Constituição.

O processo de impeachment, aberto na última quarta-feira, 02/12, carece desta fundamentação. Não está configurado qualquer ato da Presidenta da República que possa ser tipificado como crime de responsabilidade.

Compreendemos as dificuldades pelas quais o país atravessa e lutamos para superá-las. Todavia, acreditamos que as saídas para a crise não podem passar ao largo das nossas instituições e do respeito à legalidade. Por isso, ciosos do nosso papel institucional, conclamamos o país ao diálogo e à construção conjunta de alternativas para que o Brasil possa retomar o crescimento econômico com distribuição de renda.

Brasília, 08 de dezembro de 2015.

Distrito Federal
Estado do Acre
Estado das Alagoas
Estado do Amapá
Estado da Bahia
Estado do Ceará
Estado do Maranhão
Estado das Minas Gerais
Estado da Paraíba
Estado de Pernambuco
Estado do Piauí
Estado do Rio Grande do Norte
Estado do Rio de Janeiro
Estado de Roraima
Estado de Santa Catarina
Estado do Sergipe

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Denisbaldo Postado em 10/Dec/2015 às 11:28

    Xiiiii, essa marmita requentada do "impitim" está cada vez mais estragada. Só coxinha pra engolir essa mesmo.

  2. Trajano Postado em 10/Dec/2015 às 12:26

    Gente, vocês viram a baixaria de manhã cedo? O UOL colocou como notícia principal: Rombo de R$ 5 bilhões na Petrobrás: Usinas contratadas por Delcídio sob FHC deram mais prejuízo que Pasadena (referência à matéria da Folha “Usinas da gestão de Delcídio deram mais prejuízo que compra de Pasadena”). Pouco tempo depois, mudaram o nome da matéria! Olha a diferença de como ficou: Rombo de R$ 5 bilhões na Petrobrás: Usinas contratadas por Delcídio deram prejuízo e aproveitaram e colocaram uma foto do Delcídio do lado, retirando toda a referência FHC e do tamanho do rombo. Gente, é tão escroto que chega a ser engraçado. Que baixaria! É o “podemos tirar se você achar melhor” posto em prática em nível descarado!

    • leonardo Postado em 10/Dec/2015 às 13:18

      Então agora esta tudo certo, ne?

    • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Dec/2015 às 15:29

      Nosso jornalismo é um lixo. Se é um evento ocorrido a partir de 2003 - data do "nascimento do Brasil", de acordo com a coxinhada - , a chamada teria foto de Lula e da familia inteira dele, o mundo estaria acabando hoje com Lula preso, Dilma impichada e incendiada, a tucanada fazendo o diabo, galera da Veja e Globonews ejaculando aos rios...mas foi na gestão do Doutor Sorbonne. Prejuizo de aproximadamente 70% acima do esquema lá de Pasadena. Ora...uma chamada que associe diretamente o nome FHC a um absurdo desse aí não dura 5 minutos no ar. Foi inclusive uma falha terrível dos envolvidos, ao permitirem que uma chamada associando um rombo na PetrobraX de 5 BI ao governo FHC fosse veiculada. As ordens baixam rapidinho, "mudem imediatamente esse título aí"...para quem passar os olhos na chamada não ver, a não ser que pare de rolar a tela freneticamente e leia a matéria integralmente - o que uma minoria pífia faz, especialmente quando "é tão mais interessante" ler o que está em voga, tantas outras matérias bombásticas empurradas pelo massacre midiático que Dilma sofre - , que ali reside mais uma canalhice perpetrada pelo maior traidor da história deste país. E outra: hoje é quinta, final de semana chegando, sabadão o povo já dá uma desencanada, domingo é dia de espairecer a cabeça, sem falar que tem manifestação pró-golpe....ou seja: a partir de amanhã o assunto congela, ninguém vai ficar sabendo e em 3 dias isso será assunto morto e enterrado. É pra vomitar, eu sei.

  3. Trajano Postado em 10/Dec/2015 às 13:47

    Isso, Pereira/Maria/André/etc, bem lembrado. Até de manhã cedo, a notícia original que estampava o UOL logo de cara era Contratações na era FHC deram rombo de R$ 5 bi: Usinas contratadas por Delcídio deram mais prejuízo à Petrobras que Pasadena, conforme histórico recuperado (http://web.archive.org/web/20151210092119/http://www.uol.com.br). Quando eu acessei o UOL pelo celular, estava assim: Rombo de R$ 5 bilhões na Petrobrás: Usinas contratadas por Delcídio sob FHC deram mais prejuízo que Pasadena. Resolvi olhar de novo para compartilhar o link, só que rapidamente já estava tudo alterado, se transformando em Rombo de R$ 5 bilhões na Petrobrás: Usinas contratadas por Delcídio deram prejuízo. Com o link que você trouxe, resolvi verificar a página do UOL novamente e olha que surpresa: a notícia do Lula SUBSTITUIU a notícia sobre o rombo na Petrobrás durante governo FHC. Ou seja, para o UOL é mais importante noticiar o que o Lula fala em entrevista para jornal espanhol do que os escândalos do governo tucano. E me parece que eles estão certos, né, ao considerarmos o nível do seu público alvo e o interesse dos seus prováveis patrocinadores.

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 10/Dec/2015 às 15:47

    Ele não disse isso. A Falha de SP corrigiu o texto, há uma errata ao final. A Falha "errou" de novo mas agora corrigiu rapidinho. Lulão disse que não tem medo de que aqueles que ele tirou da miséria absoluta voltem a miséria absoluta durante este momento turbulento. Porém, ajustes provavelmente terão que ser feitos, como em qualquer família afetada pela turbulência. De modo que É COMO SE DISSÉSSEMOS que ao invés de comer carne todo dia, eles comerão arroz. O que ele quer dizer com É COMO SE DISSÉSSEMOS? Quer dizer que alguns ajustes e algumas perdas realmente acontecerão, haverá um retrocesso para essas famílias como haverá para todas que não são parte da elite branca umbiguista, mas não será a tragédia da fome que era antes dele, nem o retorno a miséria desumana pré-2003. Ou seja: É COMO SE DISSÉSSEMOS que comer carne é melhor que comer arroz, mas comer arroz é infinitamente melhor que comer nada e ver filhos morrendo de fome. É COMO SE DISSÉSSEMOS, porra. É tão metafórico o que ele disse que é ridículo...dois segundos de raciocinio nos levaria a pergunta: que família viveu algum dia APENAS de comer carne, porra??? É interpretação de texto nível terceiro ano primário, eu fico puto quando sou obrigado a "traduzir do português para o portugues" alguma coisa que vocês, coxinhas destrambelhadas que fugiram da escola "doutrinadora marxista" pra ser alfabetizadas pelo bruxão, distorcem pra engabelar incautos que passam os olhos no link e já saem espalhando essa bosta mentirosa que você escreveu. Isso é desonestidade e canalhice. Isso é coxinhice. Isso é a direita brasileira e seu nível rastejante de diálogo político.

    • Trajano Postado em 10/Dec/2015 às 17:35

      Eduardo, você tem toda razão! Colocaram lá uma errata muito da mixuruca, como já é de praxe. Espalham um factoide e depois, “ERRATA”, aff! É muita canastrice! O que me conforta é saber que nem todos os jornalistas da Folha de São Paulo são assim, mas eles não conseguirão impedir que estes métodos grotesco de fazer jornalismo mentiroso continue por muito tempo, dada a mentalidade dos coxinhas que, até hoje, bradam sobre a mentira do raio do tripléx e da Friboi. E fora que a própria notícia da errata é ambígua: “Errata: Fala de Lula estava errada”. Pelo menos agora deixaram de descaramento e colocaram novamente a notícia, mesmo que lá embaixo, sobre o rombo da Petrobrás durante o governo FHC. Mas não me espanta que os canastrões paulistas façam cara de paisagem para isso, afinal, um lugar que tem chacina de inocentes da PM durante a semana e no domingo cidadãos vão para as ruas tirar selfie com PM sem dar um “ai”, uma palavra de indignação, uma cobrança ao executivo estadual, enfim, é porque já chegou no fundo do posso da moral e indignação seletiva. Conforme dito por Eliane Brum, “o moralista sem moral é o farsante que atingiu a perfeição”, em sua coluna no El País “Eduardo Cunha, o nosso vilão do Batman”. Nada mais verdadeiro e que reflete o cenário atual de grande parte da mídia nativa e dos bandidos do Congresso.

  5. Edward Antonio Lanza Postado em 22/Mar/2016 às 11:14

    A cada dia que passa, aparece uma denuncia contra os santos do pau oco da oposição. Quando é que os juizes tendenciosos vão começar a investigar tambem esta curriola adepta do quanto pior, melhor.