Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 24/Nov/2015 às 12:15
16
Comentários

Turquia abate avião militar russo e Putin promete 'consequências significativas'

Turquia abate avião militar russo no que já é considerado o incidente mais grave desde o início da intervenção da Rússia no conflito sírio. Otan convoca reunião de emergência de seus 28 representantes permanentes. Vladimir Putin classifica episódio como "facada nas costas" e fala em "consequências significativas"

avião rússia turquia abatido
Avião da Rússia é abatido pela Força Aérea da Turquia (Imagem: Divulgação)

A presidência da Turquia confirmou ter abatido nesta terça-feira (24) um avião militar russo Su-24, que caiu em território sírio perto da fronteira com o país. O governo turco afirma que a aeronave violou seu espaço aéreo e não respondeu a diversas advertências, tendo sido derrubado por um caça F-16. As informações são do The New York Times e The Guardian.

Os pilotos da aeronave se ejetaram durante a queda. Segundo a emissora CNN-Türk, um deles morreu e o outro foi capturado por rebeldes sírios turcomanos. Os rebeldes lutam contra o regime do presidente Bashar al-Assad nas montanhas da fronteira turca, perto da província de Hatay (sul da Turquia), e são um dos alvos dos bombardeios russos no país.

Os turcomanos, uma minoria síria que fala turco, recebem apoio da Turquia, enquanto os aviões russos respaldam o regime de Assad, o que acrescenta complicações diplomáticas ao incidente.

O Ministério de Defesa da Rússia informou que o avião de guerra abatido era da Força Aérea do país, mas não violou o espaço aéreo turco.

“Durante o voo, o avião permaneceu todo o tempo sobre o território da Síria, como ficou registrado nos radares. O avião voava a 6 mil metros de altitude. Estamos esclarecendo o que ocorreu com os pilotos que, segundo dados preliminares, conseguiram abandonar a aeronave”, informou o ministério.

O Exército turco alegou que o avião foi informado mais de dez vezes durante cinco minutos sobre a violação.

Mais tarde, o porta-voz do governo da Rússia, Dmitri Peskov, afirmou que a queda do SU-24 é “muito grave”.

As televisões difundiram imagens da queda do avião em chamas nas montanhas perto da fronteira turca, na província de Hatay. Imagens da agência turca Anadolu mostraram os dois pilotos deixando a aeronave derrubada utilizando paraquedas.

A Otan convocou uma reunião extraordinária de seus 28 representantes permanentes. A Aliança Atlântica afirmou anteriormente que estava em contato com a Turquia a respeito do incidente.

Trata-se do primeiro avião perdido pela Força Aérea russa que bombardeia posições de organizações terroristas na Síria desde o último dia 30 de setembro.

A Turquia, que se opõe à intervenção militar russa na Síria, pediu o estabelecimento de uma área de exclusão aérea na fronteira entre os dois países.

A Rússia inicialmente se concentrou em atingir rebeldes oposicionistas ao governo de Assad, mas passou a mirar o Estado Islâmico depois da bomba que derrubou um avião russo da Metrojet e deixou mais de 200 mortos no Egito – o atentado foi reivindicado pelos extremistas.

‘FACADA NAS COSTAS’

O presidente Vladimir Putin classificou como “facada nas costas” a derrubada do avião militar russo realizada pela Força Aérea da Turquia, próximo à fronteira com a Síria.

“Esse evento está além da luta contra o terrorismo. Nossos militares estão fazendo um trabalho heroico contra o terrorismo, mas a perda de hoje é uma facada nas costas, protagonizada por cúmplices dos terroristas. Não consigo descrever de outra forma”, afirmou Putin em coletiva de imprensa na presença do rei da Jordânia, Abdullah II.

“Estamos analisando tudo, e o evento trágico de hoje terá consequências significativas, incluindo nas relações entre Rússia e Turquia. Sempre tratamos a Turquia como um Estado amigável. Não sei quem estava interessado no que aconteceu hoje, mas a gente certamente não. E em vez de entrarem em contato imediatamente com a gente, a Turquia se virou para seus parceiros na Otan para discutir o incidente, como se tivéssemos abatido um avião deles, e não o contrário”, afirmou o presidente russo.

Vídeo:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 24/Nov/2015 às 14:21

    Que chorão! Deve estar Putin da vida!

  2. Alessandro Postado em 24/Nov/2015 às 15:32

    A razão de a Turquia ter feito isso foi a Russia ter começado a atacar não só os acampamentos e instalações controladas pelo Estado Islâmico, mas também os comboios de petróleo e combustível que passam todos os dias das regiões da Síria controladas pelo EI para a Turquia e que são dirigidos e escoltados por milícias turcas. Uma guerra aberta contra um membro da OTAN vai totalmente contra os interesses russo, mas simultaneamente a Rússia não pode ficar passiva diante de uma agressão desse nível ou a OTAN certamente continuará a escalar suas agressões perante a impressão de uma Rússia "fraca e medrosa". O melhor meio de punir a Turquia por essa agressão é a Rússia começar a apoiar o Curdistão na sua luta contra o Estado Islâmico e a Turquia.

    • Leonardo Postado em 24/Nov/2015 às 18:08

      Nossa você leu a minha mente! Tirei a mesma conclusão. E é possível que EUA e Rússia se aliem para a formação do Curdistão a partir de Rojava e assim diminuir a tensão no oriente médio. Os EUA deseja focar no leste asiático, precisa esfriar o oriente médio pra isso.

    • Lucas Postado em 25/Nov/2015 às 00:41

      O comentário mais lucido que lí por aqui. A Turquia foi um covarde cão adestrado. Ainda acrescento que esta trama teria sido articulada pelos EUA para desmoralizar os russos que estão praticamente sozinhos na empreita a favor de Assad. Acho que os russos agora sim deveriam acabar de uma vez com este trafico de petróleo Sirio escoado para a Turquia doa a quem doer.

  3. José Ferreira Postado em 24/Nov/2015 às 15:43

    O Putin ficou "Putin".

  4. Douglas Postado em 24/Nov/2015 às 15:59

    Aparentemente, um do helicópteros que foram em missão para resgatar os pilotos russos foi abatido por rebeldes sírios, computando mais mortes. A princípio, coisa boa não vem por aí.

  5. Malvino Postado em 24/Nov/2015 às 16:50

    Que invadir o que rapaz, tá por fora. com certeza um direitista perdido aqui.

  6. Paulo Roberto Galliac Postado em 24/Nov/2015 às 17:05

    Vai se tratar TROLL psicopata. Quem armou e treinou ISIS não foram os russos. Quem agrediu não foram os russos. E as consequências disso é sua própria morte idiota. Uma guerra termo nuclear de proporções da extinção planetária inclusive de idiotas tendências suicidas como você, que baba ovo para essa direita radical desse sistema autodestrutivo.

  7. Helicóptero russo que procurava pilotos é derrubado por rebeldes sírios Postado em 24/Nov/2015 às 18:30

    […] Turquia abate avião militar russo e Putin promete 'consequências significativas' […]

  8. Anne k Postado em 24/Nov/2015 às 18:35

    Sabe nada vc! Ele eh o unico que esta atacando terroristas. Ao contrario da turquia, que so os financia

  9. eu mess Postado em 24/Nov/2015 às 18:35

    zzzZZZzzZZZZzZZzzz

  10. Ricardo Postado em 24/Nov/2015 às 19:28

    Sim, alguns vão ser ovelhinhas yankees...

  11. giovana Postado em 24/Nov/2015 às 21:35

    Olha um vira-lata retardatário Macartista...Vai lá lamber o patrão vai capacho...

  12. hellder Postado em 24/Nov/2015 às 23:57

    idiota

  13. DarkAlex Postado em 25/Nov/2015 às 05:21

    Estou torcendo para que a Russia seja prudente em não deixar isso barato. A Turquia acabou assinando um termo de sua própria morte.

  14. Denisbaldo Postado em 25/Nov/2015 às 21:27

    Os carros do EI são todos Toyota. Nem por isso o Japão financia o EI. Pra você qualquer roteiro serve para explicar algo contra a Rússia e a favor dos EUA/Israel. Você só inventa merda constantemente e vem bostejar aqui. Velho, você é um CHORUMÃO. http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/toyota-apoia-investigacao-sobre-uso-de-seus-carros-pelo-ei