Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 25/Nov/2015 às 11:54
1
Comentário

Rússia deslocará mísseis S-400 para arredores da fronteira turca

Rússia anuncia medidas após avião abatido pela Turquia. O S-400, complexo de defesa antiaérea de última geração, garante a derrubada de alvos aéreos a uma distância de até 250 quilômetros e de mísseis balísticos não estratégicos a 60 quilômetros

Rússia s-400 Turquia
Avançado sistema de defesa russo será posicionado a 30 quilômetros da fronteira entre Síria e Turquia (Pragmatismo Político)

A Rússia desdobrará sistemas de mísseis antiaéreos S-400 na base aérea síria de Hmeimim, a 30 quilômetros da fronteira com a Turquia, onde tem posicionados os aviões que participam da missão antiterrorista na Síria, anunciou nesta quarta-feira (25) o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu.

“Enviaremos à base Hmeimim síria um sistema de mísseis antiaéreos S-400”, disse Shoigu em reunião do Estado-maior.

O S-400, complexo de defesa antiaérea de última geração, garante a derrubada de alvos aéreos a uma distância de até 250 quilômetros e de mísseis balísticos não estratégicos a 60 quilômetros.

O complexo é capaz de derrubar simultaneamente 36 alvos e pode apontar para 72.

O Estado-maior russo anunciou ontem que também seus caças acompanharão a partir de agora os aviões russos nas missões de bombardeio no território sírio, depois de dois F-16 turcos derrubarem um Su-24 russo na fronteira turco-síria.

Além disso, o encouraçado Moskva, embarcação símbolo da frota russa do Mar Negro, navegará no litoral de Latakia para apoiar com suas baterias antiaéreas Fort, similares aos S-400, as missões do grupo aéreo russo que atua na Síria.

O presidente russo, Vladimir Putin, acusou ontem a Turquia de ser “cúmplice do terrorismo” e advertiu que a derrubada do Su-24 “terá graves consequências para as relações russo-turcas”.

Já a Turquia insistiu que o avião de guerra russo violou seu espaço aéreo e que os pilotos ignoraram as advertências.

EFE

Recomendados para você

Comentários

  1. Denisbaldo Postado em 25/Nov/2015 às 14:17

    Ah se tivessem derrubado um avião dos EUA, França, Inglaterra, Alemanha, Israel, etc...Hoje seria feriado mundial obrigatório.