Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 10/Nov/2015 às 11:35
12
Comentários

As 10 capitais brasileiras mais violentas para mulheres

Estudo 'Mapa da Violência 2015 - Homicídios de Mulheres', produzido pela Flacso (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais), revela quais são as 10 capitais brasileiras mais violentas para mulheres

violência contra a mulher Brasil

A taxa de homicídios contra mulheres no país aumentou 8,8% entre 2003 e 2013, segundo o estudo Mapa da Violência 2015 – Homicídios de Mulheres, produzido pela Flacso (Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais) e divulgado nesta segunda-feira (9).

De acordo com o relatório, o Brasil é o quinto país mais violento para mulheres em um ranking de 83 nações que usa dados da OMS (Organização Mundial de Saúde). No período, em média, 11 mulheres foram assassinadas no Brasil todos os dias. Mais da metade delas, 55%, eram negras.

A pesquisa indica que, em 2003, a taxa de homicídios de mulheres era de 4,4 para cada 100 mil habitantes. Em 2013, ano com os dados mais recentes disponíveis, esse índice chegou a 4,8/100 mil habitantes, mesmo patamar de 2012 e o mais elevado da série histórica registrada.

Entre 2003 e 2013, a taxa chegou a registrar queda entre 2006 e 2007, quando o índice passou de 4,2/100 mil habitantes para 3,9/100 mil habitantes. A queda aconteceu no período após a entrada em em vigor da Lei Maria da Penha, que prevê punições mais rigorosas a agressores de mulheres.

Confira abaixo quais são as 10 capitais mais violentas do Brasil para mulheres, de acordo com o Mapa da Violência 2015 – Homicídios de Mulheres.

1º – Vitória-ES. Segundo o estudo, a capital capixaba registrou uma taxa de 11,8 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é quase seis vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil habitantes.

2º – Maceió-AL. Segundo o estudo, a capital alagoana registrou uma taxa de 10,7 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de cinco vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

3º – João Pessoa-PB. Segundo o estudo, a capital paraibana registrou uma taxa de 10,5 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de cinco vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

4º – Fortaleza-CE. Segundo o estudo, a capital do Ceará registrou uma taxa de 10,4 homicídios de. mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de cinco vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

5º – Goiânia-GO. Segundo o estudo, a capital de Goiás registrou uma taxa de 9,6 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é quase cinco vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

6º – Palmas-TO. Segundo o levantamento, a capital do Tocantins registrou uma taxa de 9,5 homicídios de mulheres para 100 mil habitantes. A taxa é mais de quatro vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

7º – Porto Velho-RO. De acordo com o estudo, a cidade registrou uma taxa de 9,5 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de quatro vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

8º – Boa Vista-RR. De acordo com o estudo, a cidade registrou uma taxa de 9,1 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de quatro vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

9º – Rio Branco-AC. De acordo com o estudo, a cidade registrou uma taxa de 8,8 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é mais de quatro vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil.

10º – Salvador-BA. De acordo com o estudo, a cidade registrou uma taxa de 7,9 homicídios de mulheres para cada 100 mil habitantes. A taxa é quase quatro vezes maior que a média mundial, que é de 2/100 mil

informações de Mapa da Violência 2015 e Agência Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Lopes Postado em 10/Nov/2015 às 13:13

    Entre as vítimas de crimes violentos, 84% são homens. Desse número, a maior parte deve ser de pretos, jovens e pobres.

    • Heloisa Postado em 10/Nov/2015 às 16:34

      Entre as vítimas de estupro, 89% são mulheres, estima-se que são mais de meio milhão de estupros por ano no Brasil, mais de 70% das vítimas são menores de idade. Violência não é só morte, parça.

      • gustavo0 Postado em 10/Nov/2015 às 17:55

        Entre as vítimas de estupidez ideológica, 100% são pessoas, que não aguentam mais tantas discussões infrutíferas. Não só a violência física é contra-producente, parça.

      • Lopes Postado em 11/Nov/2015 às 08:38

        Você quer comparar a gravidade de um estupro com a morte??? Eu preferiria encontrar minha esposa ou filha estupradas do que mortas! Dos males, o menor!

      • Flora Postado em 11/Nov/2015 às 21:51

        já perguntou o que elas preferem, lopes? eu perguntei pra minha irmã e ela já diz que prefere morrer. sua opinião importa muito pouco, mané, não é contigo que acontece, não é disso que você tem medo quando sai na rua. pimenta no dos outros é refresco.

    • gustavo0 Postado em 10/Nov/2015 às 18:03

      Esses dados desconstroem o argumento da teoria de uma suposta matança sistemática de mulheres, o famigerado feminicídio. No Brasil mata-se muito, e proporcionalmente mata-se menos mulheres aqui do que na Alemanha. A Alemanha é um país feminicida? Não. Os números são frios e não mentem, mas me parece que a militância não quer saber.

      • eu daqui Postado em 11/Nov/2015 às 11:53

        que militancia? a feminicida?

    • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Nov/2015 às 16:40

      Da série "Estatísticas aplicadas de forma desonesta com a intenção de distorcer a realidade.". Vagabundo vive no "fantastico mundo de bob" e quer se apoiar em estatística pra provar que o mundinho paralelo dele é o verdadeiro, e nele não há feminicidio, não há misoginia, violência contra a mulher não é nada digno de atenção...antes de vir aqui relinchar tem que voltar pra escola, aprender a fazer umas contas, aritimetica básica, depois com uns anos avançar na estatística, que já é um estudo mais aprofundado e que exige dois pré-requisitos fundamentais na MESMA medida: destreza com números e HONESTIDADE. Aí sim, vai estar apto a aprender (não apto a conversar, apto apenas a aprender) sobre "violência contra a mulher".

  2. eu daqui Postado em 11/Nov/2015 às 11:53

    A violencia cresceu no país todo pra todo mundo mesmo com a redução da desigualdade e com o crescimento economico, o que corrobora um dos pontos da direita em apontar outros fatores além do social. O governo do PT foi quem deu a faca e o queijo pra a direita ratificar seus argumentos. Isso também devemos aos petralha: a justificação dos tucanalhas.

  3. Alice Postado em 11/Nov/2015 às 14:05

    "O fato de morrerem muito mais homens do que mulheres é devido ao fato destes se envolverem muito mais com crimes ou arriscarem suas vidas do que as mulheres... qual a proporção de PMs mulheres? Qual a proporção de seguranças particulares mulheres? Qual a proporção de assaltantes mulheres? É bem óbvio que morram muito mais homens assassinados. A estatística alarmante é que mais da metade das mulheres são assassinadas não por cracudos ou traficantes aleatórios na rua, mas sim por quem deveria lhes proteger: seus familiares. E uma boa parte destas pelos seus próprios companheiros. Esses assassinatos acontecem muitas vezes dentro de casa, mas podem muito bem serem no meio da rua ou em qualquer outro lugar. O importante é que mais da metade das mulheres são mortas por familiares." Se LIGUEM, 50,3% dos homicídios de mulheres no Brasil são cometidos por familiares.

    • Lopes Postado em 11/Nov/2015 às 16:12

      Tá bom então! Que morram os homens e as mulheres que se virem na siririca.

      • Flora Postado em 11/Nov/2015 às 21:48

        Você então afirma que a única serventia do homem é servir a mulher sexualmente? Porque foi isso que eu li. Que merda, hein, cumpadi.