André Falcão
Colunista
Compartilhar
Corrupção 28/Oct/2015 às 13:57
0
Comentários

Os verdadeiros males: ignorância e hipocrisia

ódio corrupção hipocrisia direita

André Falcão*

Hoje, como nunca, são correntes expressões de estupefação com a corrupção no país e com os políticos, como se caminhássemos para a completa degradação moral e ética do país, por conduto dos governos Lula e Dilma.

Ora, das duas uma: ou a ignorância política e histórica alcançou níveis que nem Paulo Freire, aqui, ou José Martí, na ilha caribenha, ousariam prever, ou a hipocrisia, em que a indignação seletiva é uma horrenda fotografia, está mais disseminada por estas terras do que a tão atacada corrupção, que seria endêmica e presente apenas no vizinho, ainda assim se este for político ou ligado ao partido dos referidos presidentes.

Leia aqui todos os textos de André Falcão

Não são devaneios, mas fatos. Quais os governos que mais combatem(ram) a corrupção na história do Brasil? Os de Dilma e Lula. Registre-se que o combate seria, para muitos, seletivo; as investigações seriam direcionadas à desconstrução do governo, de Lula e Dilma, e do PT. Se for correta essa compreensão, como parece ser, só demonstra a autonomia que os órgãos policiais e de persecução criminal desfrutaram e desfrutam nesses governos. Para se ter uma ideia, enquanto a polícia federal, no governo do FHC, não realizou, durante seus oito anos de governo, 50 operações, e o procurador-geral da república, nomeado e reconduzido por ele ao cargo contra a vontade da maioria dos procuradores federais, ficasse conhecido como engavetador-geral da república, por arquivar todas as investigações contra o governo de então, a polícia federal nos governos agora atacados já realizou quase 2.300 operações, e os respectivos procuradores-gerais desse período podem ser acusados de tudo, menos de que engavetam processos contra políticos ligados à presidenta.

Não é só! Pode acrescentar-se, também, que a Controladoria-Geral da União foi criada no governo Lula, e as leis de acesso à informação, contra a lavagem de dinheiro, anticorrupção e contra as organizações criminosas (onde inserida a festejada delação premiada) o foram no governo Dilma. Enquanto isto, no governo do FHC, foi criada a lei do petróleo, que afastou a submissão da PETROBRÁS à lei de licitações, em 1997. E antes, em 1996, o próprio cidadão confessa em seu recente livro de memórias ter sido avisado de que havia uma “bandalheira” na companhia. Além de nenhuma providência adotar (prevaricou?), então, ainda afrouxou-lhe a fiscalização. Mas corruptos são onde a corrupção é combatida.

Quer dizer, cai-se no mesmo minifúndio de alternativas: que vai da ignorância à descarada hipocrisia.

*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários