Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 01/Oct/2015 às 15:38
18
Comentários

Mulher se esconde em loja após ofender funcionários negros em shopping

Mulher se recusa a ser atendida por vendedor negro em shopping de Salvador, chama segurança de "macaco", é repudiada por testemunhas indignadas, foge para dentro de outra loja e só sai de lá presa aos gritos de "racista"

Racismo shopping Salvador
Mulher sai escoltada pela policia após cometer injúria racial em shopping de Salvador (Pragmatismo Político)

BrasilPost

Uma mulher identificada como Núzia Santos de Aquino, de 49 anos, está presa em Salvador (BA) após ser envolver em um episódio de racismo em um shopping da capital baiana. Ela se recusou a ser atendida por um vendedor negro e acabou tendo de ser escoltada para fora do estabelecimento, aos gritos de “racista, racista”.

Segundo informações do jornal A Tarde, o tumulto começou quando Núzia entrou em uma loja da rede Fast Shop. Ao ser abordada por um vendedor negro, ela recusou o atendimento e disse que ele deveria “ser motorista de traficante”. Outro funcionário tentou intermediar a discussão e acabou agredido com um tapa.

Um segurança do shopping seguiu a mulher assim que ela deixou a loja e acabou sendo chamado de “macaco” por ela. Diante da confusão, ela se abrigou em outro estabelecimento e de lá só saiu escoltada por policiais militares, que foram acionados e a levaram para a delegacia. Lojistas e consumidores ficaram revoltados.

De acordo com a Polícia Civil, a acusada de racismo estaria ‘fora de si’, tendo inclusive ameaçado se matar. Ironicamente, Núzia estava afastada da Delegacia de Atendimento ao Idoso de Salvador, onde trabalhava, justamente por problemas psicológicos. Um processo administrativo também foi aberto contra ela, que segue detida na Corregedoria da corporação.

Ao jornal Correio 24 Horas, a assessoria do shopping disse não ter detalhes do teor do desentendimento entre a mulher e o funcionário da Fast Shop, mas destacou que repudia qualquer manifestação racista. Na delegacia, Núzia ainda teria batido boca mais uma vez com todos os envolvidos, que não esconderam a revolta.

“Eu me senti ofendido por ele (pelo colega). Ele é o melhor vendedor da loja. Nosso melhor vendedor é negro. Moramos na cidade mais negra do mundo fora da África. Esse tipo de atitude é um absurdo. Não dá para acreditar que no século 21 as pessoas pensem isso ainda”, disse o segundo funcionário agredido pela mulher.

De acordo com a Polícia Civil, a acusada de racismo estaria ‘fora de si’, tendo inclusive ameaçado se matar. Ironicamente, Núzia estava afastada da Delegacia de Atendimento ao Idoso de Salvador, onde trabalhava, justamente por problemas psicológicos. Um processo administrativo também foi aberto contra ela, que segue detida na Corregedoria da corporação.

Vídeos:

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Accioli Postado em 01/Oct/2015 às 16:56

    Teve o que mereceu, coxinha otária!

    • poliana Postado em 01/Oct/2015 às 17:07

      existem coxinhas e racistasaki na minha bahia tb, pedro, infelizmente! como baiana, sinto-me envergonhada por essa situação...realmente, lamentável!

    • Douglas Postado em 01/Oct/2015 às 17:42

      Não ouve menção da posição política da demente citada no texto. Então, por que "coxinha"?

      • Daniel Postado em 01/Oct/2015 às 18:08

        Coxinha não é posição política. É uma forma de comportamento e de se pensar.

      • Douglas Postado em 01/Oct/2015 às 18:17

        Daniel, poderia me esclarecer melhor? Sds.

      • poliana Postado em 01/Oct/2015 às 22:05

        pq esse é o exato comportamento dos coxinhas em todo o brasil!

      • Cesar Postado em 01/Oct/2015 às 23:53

        Douglas, o radicalismo dos coxinhas são todos semelhantes, todos pensam que são ricos e podem tudo, inclusive tirar e colocar governo. A atitude não é só politica, são as pessoas sem noção e esqueceram o que é e se existe a civilização, é como se estivem no habitat natural de Xita e tarzan, viu a inversão de valores nos nomes, o animal é o senhor e o homem é o desprezível animal.

      • Gilgamesh Postado em 03/Oct/2015 às 08:52

        Terrivel o uso do nome de um salgado tão delicioso, com ou sem catupiry, para fins politicos.

      • Thiago Teixeira Postado em 03/Oct/2015 às 11:02

        Coxinha = Brancus racisticus esnobis tucanus eliticus estrelisticus acéfalus globus.

  2. poliana Postado em 01/Oct/2015 às 17:06

    mais um caso isolado, tá vendo, pereira!!!????

    • Pereira Postado em 02/Oct/2015 às 11:53

      E é isolado ! Todos os casos de Injúria racial do Brasil desse mês passaram por aqui...todos ! O site é praticamente só sobre injúria racial. Ora !!!!! Não sei porque eu perco tempo com essa gente !

  3. julia Postado em 01/Oct/2015 às 17:39

    (Mode ironic on) Gente, mas, que eu saiba, racismo não existe no Brasil e eu acho que este foi mais um caso pontual.......(Mode ironic off)

  4. marc Postado em 01/Oct/2015 às 18:22

    mas alguém sabe quantos negros tem trabalhando nesse shopping? Eu aposto q é uma cotinha bem baixa só pra não se dizerem racista, porra shopping só tem negro varrendo e de segurança no brasil um ou outro vendedor, o racismo do brasil é dos mais filhos da p..

    • Maria de Lourdes Cardoso Postado em 01/Oct/2015 às 22:12

      Percebo que não há desemprego no RS. Hoje vemos mulheres negras empregadas em lojas aqui em Porto Alegre e mulheres feias ou de mais de 45 anos trabalhando em relojoarias e óticas. Esta é a prova do preconceito até com a idade. Uma jovem senhora de 40 anos, a exatos 15 anos, após se formar em Enfermagem não foi aceita em nenhum lugar em Porto Alegre por ter muita idade, lamentava o filho.

  5. Robson Postado em 01/Oct/2015 às 18:58

    RACISMO EM SALVADOR, A CIDADE MAIS NEGRA DO BRASIL??? OU ESSA MALUCA TEM PROBLEMAS MENTAIS OU QUER SEUS CINCO MINUTOS DE FAMA VIRTUAL!!!!

    • Thiago Teixeira Postado em 03/Oct/2015 às 10:59

      Se a elite branca pratica racismo em Salvador e não aceitam negros em lojas de luxo, imagine no resto do país?

    • eu daqui Postado em 05/Oct/2015 às 08:21

      Um maior contingente de negros nunca evitou racismo em nenhum lugar do mundo. Não sei pq nem onde as pessoas veem essa relação entre coisa e outra...........

  6. velhos baianos Postado em 02/Oct/2015 às 21:53

    Essas coisas são comuns em Salvador, rapaz... Especialmente em shoppings de luxo. A elite branca e sua classe-média jagunça são assim...