Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mídia desonesta 28/Oct/2015 às 13:15
19
Comentários

Entrevistas de Haddad na CBN e FHC no Roda Viva expõem partidarismo da mídia

As entrevistas de Fernando Haddad na CBN e a de Fernando Henrique Cardoso no Roda Viva revelam o grau de partidarismo que alcançou a imprensa brasileira. Enquanto um lidou com entrevistadores dispostos a matá-lo, o outro recebeu tratamento VIP

Haddad FHC CBN Roda Viva

Paulo Nogueira, DCM

Fosse a imprensa brasileira boa, ou ao menos média, e a manchete dos jornais hoje seria a seguinte.

“FHC admite pela primeira vez que pode ter havido compra de votos na emenda da reeleição.”

Foi o fato principal da entrevista – a oitava – concedida por ele ao Roda Viva.

Claro que ele procurou edulcorar.

Disse que, caso tenha havido compra, não se deu no âmbito do PSDB.

Mas aí é preciso invocar Wellington: quem acredita nisso acredita em tudo.

Nenhum dos entrevistadores apertou FHC, naturalmente.

Augusto Nunes, o apresentador, é um caso extraordinário. Ele transportou para a tevê o que tem de pior como blogueiro.

Ele se verga diante de pessoas como FHC, numa abjeta bajulação. E é grotescamente agressivo com qualquer coisa que diga respeito ao PT.

Em nenhuma das duas situações ele tem o que se poderia definir como classe.

O que se viu no Roda Viva é um retrato do que se viu nos oito anos de sua presidência, uma proteção completa da mídia.

Ninguém o questionou quando ele disse, orgulhoso, que um dos traços vitais do PSDB é o apreço pela democracia.

Ora. Há um ano o PSDB vem golpeando a democracia. Nada difere o que o PSFB faz do que, no passado, fez a UDN de Lacerda.

Desde o primeiro momento o PSDB, com argumentos que foram variando conforme as conveniências, se dedicou a tentar cassar 54 milhões de votos.

Até a lisura das urnas eletrônicas foi colocada na mesa, como se os votos que elegeram Alckmin tivessem vindo do papel.

Ninguém apertou FHC também na questão das palestras.

Quem inaugurou no Brasil a onda das palestras milionárias foi exatamente FHC. Num perfil feito pela Piauí, ele apareceu contando que comprara uma mala vermelha para localizar com mais facilidade nos aeroportos em suas viagens para dar palestras.

De novo há aí um símbolo da iniquidade nacional. Palestra para Lula é um horror segundo a mídia. Para FHC, um reconhecimento.

FHC disse que pretendia lançar seus Diários depois da morte, mas por razões que ele não explicou direito antecipou.

Não é tão difícil assim entender a antecipação.

Primeiro, há uma questão de dinheiro.

Depois de vaidade.

Finalmente, há o fator humano. Aos 83 anos, FHC tem uma namorada que poderia ser sua neta.

É natural que ele queira aparecer aos olhos dela.

O ser humano é o menos imprevisível entre os animais.

No plano das comparações, me impressionou a diferença entre a entrevista de FHC e a de Haddad na Livraria Cultura.

FHC recebeu tratamento VIP.

Haddad lidou não apenas com entrevistadores dispostos a matá-lo, mas com uma plateia de ruminantes que zurravam.

A audiência interrompia, erguia bonecos de Lula, vaiava. Me impressionou o estoicismo de Haddad, calmo sempre num ambiente de extrema hostilidade.

SAIBA MAIS: Eduardo Suplicy reage às ofensas que sofreu em livraria de São Paulo

Como a CBN não zelou por condições decentes para a sabatina?

Ali, nas duas entrevistas, estava um microcosmo do grau de partidarismo da imprensa brasileira.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Augusto Postado em 28/Oct/2015 às 15:49

    Ótima análise! Existe um tipo de PSDB no céu vê PT no inferno na sociedade brasileira. Acho péssima a forma do PT gerir a economia, entre outros defeitos, porém a sede pelo poder do PSDB vai acabar bagunçando o país sem necessidade. Esta claro as manobras que o PT usou para vencer as eleições, mas anular a eleição é algo assustador. Vejo Haddad como Rui Costa aqui na Bahia. Bons gestores, mas atacados por uma direita desencontrada sem falar do PMDB. Aliás, acho que PT e PSDB seriam melhores caso este partido dito de centro não existisse.

    • Denisbaldo Postado em 28/Oct/2015 às 19:38

      Você acha péssimo a maneira do PT gerir a economia, mas foi o partido que obteve os melhores resultados na história do país. Mas mesmo assim você não dá o braço a torcer, é realmente patético. Depois você cita as "manobras" do PT para vencer as eleições, como se nenhum outro partido ainda fizesse isso para vencê-las em outros âmbitos, como se isso não importasse nem um pouco. Meu amigo, o seu comentário cheira BOSTA. Enfie suas desculpas no rabo e vá passear na Avenida Paulista junto com seus reaças de merda.

      • Denisbaldo Postado em 29/Oct/2015 às 13:07

        Tá sumido cabeça de cocô de frango! Qual foi? Perdeu a fala de repente? Acabou o repertório de groselha e abobrinha? Ou está cansado de ser constantemente humilhado por aqui? Só não vale apagar os comentário heim valentão!

    • Eduardo Ribeiro Postado em 29/Oct/2015 às 10:28

      "utopias bolivarianas"....chego a me arrepender de ter sido alfabetizado depois de ler certas coisas...

  2. Salomon Postado em 28/Oct/2015 às 18:25

    " (...) FHC recebeu tratamento VIP. Haddad lidou não apenas com entrevistadores dispostos a matá-lo, mas com uma plateia de ruminantes que zurravam (...).". Essa é a suma síntese. Precisa dizer mais?

  3. Denisbaldo Postado em 28/Oct/2015 às 19:30

    O que era implícito tornou-se explícito. O vale tudo está estabelecido e irão até as últimas consequências. Ser de esquerda hoje em dia em São Paulo está se tornando um risco para sua vida. A qualquer momento um troglodita imbecil pode te julgar e te atacar e ainda ser protegido pela polícia e pela justiça. Quem conhece a história do traidor Tancredo Neves consegue compreender o que o PSDB e sua turma estão construindo. Veremos qual será o resultado desta vez. A partir de agora não teremos mais eleições e sim guerras midiáticas comandadas pela direita. O Brasil voltou às trevas.

  4. Marcos Postado em 29/Oct/2015 às 06:29

    Uma mídia composta por Canalhas.

  5. Marcos Postado em 29/Oct/2015 às 06:34

    A chamada grande mídia, composta por jornalistas Besouro Rola Bosta, põe a nação em risco.

  6. Thiago Teixeira Postado em 29/Oct/2015 às 07:40

    São os únicos veículos de comunicação entre população e os 3 poderes. Se dependermos da sua mídia .....

  7. ademar Postado em 29/Oct/2015 às 08:15

    Ainda bem que existe o Pragmatismo Político, mídia sem partidarismo, sem tendencias , isenção....Estamos salvos...

    • Renan Postado em 03/Nov/2015 às 14:14

      Ri disso porque vi sarcasmo... hahaha

  8. ODECIO Postado em 29/Oct/2015 às 08:22

    O PSDB NÃO COMPROU VOTOS?E OS VOTOS DA MARINA PARA O TRAFICANTE ?

  9. Zenio Silva Postado em 29/Oct/2015 às 09:38

    Imprensa isenta NÃO existe! Ainda mais quando é um empreendimento com interesses como qualquer outro. O problema é de ser ou não ser honesta. A mercadoria da imprensa é a informação, que pode ser tratada com 'honestidade' ou não! O que dizer disso: https://www.youtube.com/watch?v=WCXI0dZwp6I

  10. Lopes Postado em 29/Oct/2015 às 10:10

    Não assisto esse programa. Perguntaram sobre a compra da reeleição?

  11. Eduardo Ribeiro Postado em 29/Oct/2015 às 10:37

    ""FHC recebeu tratamento VIP. Haddad lidou não apenas com entrevistadores dispostos a matá-lo, mas com uma plateia de ruminantes que zurravam."". Mas este é um carbono da realidade paulistana hoje. FHC é sabidamente o maior traidor do Brasil, o "pateta da Sorbonne" que deixou terra arrasada para as gestões vindouras. Mas onde for terá tapete vermelho e bajulação. Em especial na TV Cultura, o playground dos tucanos. A Cultura é um dos últimos lugares que fariam uma sabatina pesada contra o "principe da privataria". Já Haddad, que em qualquer lugar civilizado do mundo estaria já hoje reeleito, é vítima de uma escandalosa propaganda contrária, violenta, mentirosa, desinformadora, odiosa, em especial das rádios, onde a tolerância com a agressividade midiatica parece ser maior e onde os "jornalistas" sequer medem palavras para desqualificar o prefeito. E o povo paulistano, zumbis, boças, fascistas e egoistas, embarcam nesse ódio, reverberam e amplificam esse sentimento. Resultado: Haddad, por ser petista, é o inimigo numero 1 da mídia paulistana e do povo paulistano boçal. Enquanto FHC, que quebrou o Brasil 3x, se bobear tem até um whiskezinho esperando ele em cada entrevista concedida. O fato é que quem tem olhos e se surpreende com o partidarismo da mídia é um completo idiota.

  12. Fernando Brito Postado em 29/Oct/2015 às 21:53

    Quando essa mídia dava voz à oposição e ao povo em 92 contra o Collor era uma mídia democrática, isenta e ética. Agora é golpista. Aquele mesmo congresso cheio de canalhas como os anões do orçamento e figuras como o Renan, Ibsen e tals era o braço do povo fazendo a justiça e esse é um congresso golpista, retrógrado e ladrão. Resumindo: Quando é para os outros é justiça, quando é contra nós é golpe. FHC já teve seu tempo e sua chance. Se ele fez algo errado e não foi punido é culpa dos opositores incompetentes. O que não exime os erros e roubalheira dos atuais. Patético essa defesa de que só posso ser condenado se pegarem todos os outros. Nessa tese ninguém nunca seria punido

    • Thiago Teixeira Postado em 30/Oct/2015 às 11:20

      Ahhhh, então hoje a oposição é muito competente? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Lopes Postado em 30/Oct/2015 às 18:18

        A oposição está no mesmo nível do governo: duas desgraças!

  13. Thiago Postado em 03/Nov/2015 às 16:52

    O PP poderia analisar o partidarismo da mídia brasileira por si próprio. Existem matérias relevantes e bacanas, mas outras são absolutamente grotescas na tentativa de defender o PT do indefensável. Poderia citar vários exemplos, mas fico com uma desse texto mesmo: "Finalmente, há o fator humano. Aos 83 anos, FHC tem uma namorada que poderia ser sua neta. É natural que ele queira aparecer aos olhos dela". Foi a análise mais estúpida que eu já vi dos motivos pelos quais um ex-presidente possa querer escrever suas memórias políticas. Pelo visto não é só os blogueiros da Veja que não têm classe nem dignidade jornalistica...