Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 13/Oct/2015 às 10:56
6
Comentários

Colegas de trabalho cedem dias de férias para pai cuidar da filha com câncer

Na França, colegas de trabalho dão 350 dias de suas férias para pai cuidar da filha de 5 anos que tem câncer no rim. Lei francesa de 2014 permite a trabalhadores cederem seus dias de férias a colegas em casos como esse

férias filha câncer frança
Jonathan, ao lado da pequena Naelle, de cinco anos: graças à generosidade dos amigos, pai terá tempo e disposição para lutar contra o câncer da garotinha (reprodução)

Revista Fórum

Jonathan Dupré, desde que descobriu que sua filha Naelle, de cinco anos de idade, tinha câncer no rim, teve sua rotina totalmente alterada. Morador de Neufchâtel-en-Bray, no nordeste da França, ele, junto com sua companheira Marine, passou a acompanhar o longo tratamento da filha, que exige acompanhamento quase integral. As informações são do 20 minutos e do jornal francês “Le Réveil“.

No entanto, em casos como o da família Dupré, uma lei francesa que entrou em vigor em 2014 passou a permitir que colegas de trabalho possam ceder seus dias de férias entre si, com o consentimento dos chefes. Assim, trabalhadores da fábrica de cristais em que trabalha Dupré se reuniram com o diretor da empresa e o departamento de Recursos Humanos e cederam seus dias para que Jonathan pudesse estar com Naelle.

No total, foram 350 dias, que servirão para que o pai possa acompanhar o restante do tratamento quimioterápico da menina. “Com os exames e as sessões de quimioterapia, havia consumido todo tempo de férias a que tinha direito”, relata ao diario Le Réveil. “Me emocionei muito. Era um peso para nós. Agora não temos mais problemas, nem para cuidar dela nem para nos deslocarmos para os exames e tratamentos”, disse Dupré.

“Estou muito feliz que ele fique em casa comigo”, disse a pequena Naëlle, cujo câncer hoje está em remissão.

Recomendados para você

Comentários

  1. Isabel Thees Postado em 13/Oct/2015 às 11:35

    Não é estranho que ele não tenha direito de acompanhar a filha e precise que seus colegas cedam dias de férias?! Mundo cão.

  2. Ronaldo Dias Duarte Postado em 13/Oct/2015 às 12:15

    Casos assim nos mostram que nem tudo está perdido. Ainda existem seres humanos nesse planeta.

  3. Man11 Postado em 13/Oct/2015 às 12:28

    Pragmatismo, ótima matéria mas, não foram doadas férias, foram doadas as chamadas RTTs (redução do tempo de trabalho), é o equivalente ao Banco de horas daí. Normalmente aqui o funcionário já começa o ano com 9 dias da chamada RTT. Ele pode usar esses dias se, precisa ir amo médico, levar alguém da família ao medico, pra usar como folga nos dias em q o feriado cai numa terca/ quinta, etc. O número de dias varia de empresa/setor. O trabalhador francês tem direito a 5 semanas de férias. Se tivessem doado as ferias, ele não trabalharia por vários anos. É proibido doar férias e a Leu foi feita pq no ano passado, funcionários de uma outra empresa tiveram essa iniciativa por conta de uma mesma situação. Valeu!

  4. Tadeu Brandão Postado em 13/Oct/2015 às 12:56

    Gesto maravilhoso dos colegas, coisas assim tornam possível crer na humanidade. O que não é possível é crer numa empresa que, diante de uma situação tão específica, não cedeu "um centavo" de suas horas, deixando para os funcionários o sacrifício em nome do colega. Empresa que lembra do lucro e esquece a imagem acaba ficando sem os dois. Capitalismo humanizado o meu ovo!

  5. julia Postado em 13/Oct/2015 às 21:44

    Nem tudo está perdido...

  6. Marcos Postado em 13/Oct/2015 às 22:34

    Lei de murphy, Júlia... Lei de Murphy