Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 16/Sep/2015 às 09:27
28
Comentários

Polícia prende mulher por duvidar que ela seja dona de BMW

Uma mulher negra foi mantida contra sua vontade em um hospital psiquiátrico (onde foi desnuda e sedada com remédios) por oito dias porque um policial não acreditou que a BMW que ela dirigia era de sua propriedade

mulher negra bmw racismo eua
Kamilah Brock chora ao relembrar episódio em entrevista a rede de TV dos EUA (reprodução)

Uma mulher negra está processando a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, após ser vítima de preconceito. Kamilah Brock foi mantida oito dias em um hospital psiquiátrico depois que um policial não acreditou que o carro de luxo que ela dirigia era seu.

A banqueira de 32 anos foi abordada no bairro do Harlem no início deste ano. O policial, que não quis se identificar, questionou a mulher sobre o porquê de ela não estar com as mãos nos volante de sua BMW. As informações são do Huffington Post

Em resposta, ela justificou que ouvia música enquanto o veículo estava parado em um sinal vermelho. Mesmo assim, Kamilah foi levada à uma delegacia, onde ficou horas detida sem ser acusada de qualquer crime.

Em seguida, a banqueira foi transferida para a ala psiquiátrica de um hospital na região contra sua vontade, onde foi desnuda e sedada com remédios. Os médicos diziam que ela sofria de Transtorno Bipolar por afirmar constantemente que o carro era dela e que trabalhava em um banco.

Kamilah Brock
Kamilah Brock

Segundo seu advogado, Kamilah não mentiu em nenhum momento e disse não ter sido ouvida por ninguém por ser negra. “Senti como se eu tivesse em um pesadelo. Eu não entendia por que aquilo estava acontecendo comigo”, afirmou Kamilah em entrevista ao canal PIX 11.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 16/Sep/2015 às 09:31

    Tomara que ela ganhe uma fortuna de indenização. Uma fortuna mesmo. Afinal, era bem fácil ela provar que o que dizia era verdade, mas parece que a polícia nem quis ouvir, apenas decidiu que ela mentia. Que merda hein. Isso sim foi preconceito.,

    • Eduardo Postado em 16/Sep/2015 às 11:22

      TOMARA QUE ELA NÃO ACEITE DESCULPINHAS. ESTOU COM VOCE QUE ELA GANHE UMA INDENIZAÇÃO EXEMPLAR PARA QUE ESSA VERGONHA ACABE, O PRECONCEITO DE CIDADÃO PARA CIDADÃO É VERGONHOSO E INACEITÁVEL, AQUI TEMOS O PRECONCEITO INSTITUCIONAL, ESTE É INADIMISSÍVEL, VERGONHOSO, INACEITÁVEL E ACIMA DE TUDO IRRESPONSÁVEL.

    • ricardo Postado em 17/Sep/2015 às 05:37

      se for ver ,aposto que deve ter sido um policial negro também.

      • Cecimila Calc Postado em 20/Nov/2015 às 11:16

        Ricardo, não sei exatamente o por quê da sua afirmação. Mas vou aproveita-la pra dizer que a pessoa que sofre o preconceito é quem mais recebe a carga pesada do preconceito. Então, natural que ela reproduza aquilo que sofre. Negros muitas vezes são racistas. Mulheres muitas vezes são machistas. Nordestinos muitas vezes são xenofóbicos. E isso é natural. Não deve ser alvo de julgamento ou critica, porque isso é culpabilizar a vítima ao invés do opressor.

  2. Denisbaldo Postado em 16/Sep/2015 às 09:48

    Engraçado que isso já acontecia com o Miles Davis na mesma Nova York dos anos 60/70. Algumas coisas não mudam nunca.

  3. Rodrigo Postado em 16/Sep/2015 às 10:13

    (Outro Rodrigo) É surreal, mas é real, assemelhando-se ao "O Processo", de Kafka: difere não quanto a ser submetido a "processo incompreensível", mas por o "crime" ser conhecido pelo acusado e declarado pelo acusador, a saber, ser negro. No Brasil, recentemente, seguranças de um mercado espancaram um homem por não acreditarem que alguém com a mesma quantidade de melanina que eles (quiçá um pouco mais, um pouco menos) poderia ser dono do carro em questão. P.S.: hoje ouvi pregação sobre os olhos serem a lâmpada da alma (Mt 6, 22-23) e enquanto nossas lâmpadas seguirem vendo iluminando nosso espírito a ver cores, opção política, orientação sexual, origem, credo ou ausência dele etc., seguiremos não vendo o ser humano, nem em nós, nem no outro.

  4. Juniperos Postado em 16/Sep/2015 às 10:18

    As vezes se mostram pessoas simplesmente insanas nos EUA. E o pior são elas que poem pessoas em sanatórios... Eventos bem semelhantes acontecem aqui no brasil também.

  5. Trajano Postado em 16/Sep/2015 às 10:45

    Os médicos diziam que ela sofria de Transtorno Bipolar por afirmar constantemente que o carro era dela e que trabalhava em um banco. Gente, isso é sério mesmo? E olha que foi em Nova York, nem adianta comentar que aconteceu em um cantão daqueles que existem nos Estados Unidos. Racismo enraizado na vigilância social, policial e médica. Nossa, é um absurdo tão grande que é difícil de acreditar.

    • Guilhermo Postado em 16/Sep/2015 às 11:16

      Foi nesse mesma tecla que eu demorei pra acreditar... Parece que eles simplesmente se recusaram a buscar investigar se o fato era verdade. Uma simples ligação para o banco e bingo, já saberiam a verdade.

      • Denisbaldo Postado em 16/Sep/2015 às 16:17

        Se a história está mal contada, está sendo mal contada pelo mundo todo. http://www.dailymail.co.uk/news/article-3232178/Outrage-black-woman-forced-spend-8-days-psych-ward-cops-not-believe-BMW-driving-hers.html

      • Guilhermo Postado em 16/Sep/2015 às 17:39

        Eu acredito na notícia. Só não pensei que a polícia gringa pudesse ser tão incompetente e não investigar se o que a mulher dizia era verdade.

      • Denisbaldo Postado em 16/Sep/2015 às 17:58

        A minha resposta foi para o Naro na verdade, mas o comentário dele sumiu e daí o meu perdeu o sentido. Pelo jeito ele está apagando os próprios comentários quando entra em uma enrasacada.

  6. João Batista Postado em 16/Sep/2015 às 13:21

    Esse é o país exemplo de democracia, justiça, igualdade, respeito às leis e à ordem.. que os burraldos do nosso país adoram lamber as botas... Nisso e em várias questões sociais, religiosas, de saúde, educação...parece mais é um retrato do inferno!

  7. enganado Postado em 16/Sep/2015 às 14:24

    Pensei que o ocorrido tinha acontecido na Avenida Paulista, capital dos ""Estados Unidos de São Paulo"", e que o policial fosse da guarda pretoriana do PSDB, ou seja, PM-SP. Isto porque: PM-SP só bate/mata/leva grana de cidadãos que se encaixam nos 5P´s; se a banqueira fosse de pele branca/PSDB/ladra/... com certeza bateriam até continência para a DONA juntariam os cascos. Mas como o fato ocorreu na Matriz dos Coxinha, como diz o PHA, ___"""Não vem ao caso"""___. Preta? Banqueira? Bem asseada e de banho tomado! Pra a AIPAC, isto não existe! Só na África e olhe lá! Isto já chegou aqui desde a 1ª leva de escravos. Desmintam-me!

    • Spectro Postado em 20/Sep/2015 às 09:15

      Kkkkkkkkkkkkkkkk

    • André Postado em 20/Sep/2015 às 19:48

      Quem tá falando de partido aqui? Doente!

  8. Eduardo Ribeiro Postado em 16/Sep/2015 às 14:29

    Os envolvidos nisso aí são a escória e o mínimo que merecem, sendo extremamente benevolente, é prisão. Nem há muito o que comentar. Me limito a aguardar os comentários abalizados dos racistinhas do PP.

  9. sergio ribeiro Postado em 16/Sep/2015 às 17:00

    Esses dias também, na mesma cidade, um jogador de tênis americano, negro, também foi algemado na rua confundido com um ladrão de jóias. A impressão é que os policiais de lá são burros mesmo.

    • Pedro Accioli Postado em 16/Sep/2015 às 17:29

      A polícia no mundo inteiro é racista com negros, mesmo se a pessoa é de bem já duvidam que seja bandido e parte para abordagem em uma blitz!

    • André Postado em 20/Sep/2015 às 19:49

      Mas essa não é a polícia desmilitarizada que vcs tanto sonham?

  10. Sérgio Postado em 18/Sep/2015 às 02:37

    Deve ser muito ruim morar num país onde existe tamanho racismo. Que bom não termos isso por aqui. e antes que re-comentem, digo: É IRONIA!!!!!!

    • Onda Vermelha Postado em 19/Sep/2015 às 11:46

      Kkkkk. Boa, Sérgio! Aqui a Polícia do Tucanistao não a mandaria para a psiquiatria, mas para o quinto dos infernos... Oxente! Onde já se viu essa "empregadinha", digo "mucama" dirigir um BMW? Em que raios de mundo injusto estamos? Assim não pode, assim não dá!

  11. Cassiano Postado em 20/Sep/2015 às 10:59

    Que absurdo que pessoas ainda passem por esse tipo de situação por conta da cor da sua pele, absurdo!

  12. CLÁUDIO LUIZ PESSUTI Postado em 20/Sep/2015 às 12:30

    Democracia estadunidense. vale se você não for negro, nem hispânico...

  13. Joaquim Postado em 20/Sep/2015 às 12:31

    Bancária, não banqueira

  14. Marco Postado em 21/Sep/2015 às 02:36

    Bancária com BMW ?

    • Amauri Postado em 21/Sep/2015 às 04:31

      Só achei estranho uma banqueira que TRABALHA no banco. Banqueiros não trabalham, rsrsrsrs... Será que não quiseram dizer BANCÁRIA? Bom, mas daí, uma BANCÁRIA com uma BMW de luxo? Ai, Deus, minha cabeça vai fundir, rs...

    • Amauri Postado em 21/Sep/2015 às 04:39

      PRagmatismo, vocês pisam na bola de vez em quando: Ela provavelmente não era BANQUEIRA, e sim BANÁCRIA. Em inglês, "BANKER" serve tanto pra um como para o outro. Contudo, dava pra ter percebido o que ela era lendo a matéria em inglês. Segundo, nas matérias em inglês, não diz que ela dirigia um carro DE LUXO, mas sim uma BMW. Claro que no Brasil, BMW é um carro importado e de luxo, mas nos EUA e Europa, é até comum ver pessoas dirigindo BMW. Terceiro, ela não disse que estava OUVINDO música, mas sim que estava DANÇANDO ao volante enquanto o semáforo estava vermelho. Isto faz mais sentido, porque ninguém precisa tirar as mãos do volante pra ouvir música. Acho que vocÊs estão lendo muita Veja e Estadão. Apesar que o tom da notícia ficou bem "Sensacionalista", rs http://www.dailymail.co.uk/news/article-3232178/Outrage-black-woman-forced-spend-8-days-psych-ward-cops-not-believe-BMW-driving-hers.html