Redação Pragmatismo
Compartilhar
Esporte 21/Sep/2015 às 19:34
3
Comentários

Menino chutado por jornalista húngara entra em campo com Cristiano Ronaldo

Depois da imagem que rodou o mundo, quando caiu chorando no chão após seu pai ser chutado por uma cinegrafista húngara, o pequeno Zaid realizou um sonho neste fim de semana ao entrar em campo com o Real Madrid, junto de Cristiano Ronaldo

menino sírio Cristiano Ronaldo
Menino sírio entra em campo com Cristiano Ronaldo, principal estrela do Real Madrid (divulgação)

A família Abdul Mohsen busca vida nova na Espanha. Depois da imagem que rodou o mundo, em que pai e filho são chutados por uma cinegrafista enquanto fugiam da polícia na Hungria, eles tiveram as portas abertas pelas autoridades espanholas.

Ex-técnico de um time de primeira divisão na Síria, Osama Abdul Mohsen conseguiu um emprego no Centro Nacional de Formação de Treinadores. Enquanto isso, seu filho mais novo, Zaid, pôde realizar o sonho da maioria dos meninos de sete anos. Ele entrou em campo com o Real Madrid neste sábado, ao lado de Cristiano Ronaldo, antes da vitória por 1 a 0 sobre o Granada.

A atitude do Real Madrid é simbólica. Os merengues têm se empenhado bastante em ajudar os refugiados que fogem da Ásia e da África para a Europa. Há algumas semanas, a diretoria anunciou a doação de € 1 milhão, além de oferecer as suas instalações e roupas para os desabrigados. A presença de Zaid em campo enfatiza esta postura. E também há uma coincidência na ocasião: Granada era uma das principais cidades durante a ocupação muçulmana na Península Ibérica. Identificação cultural que permanece sobre a região da Andaluzia e sobre o adversário da tarde.

No dia anterior, Zaid já tinha visitado o centro de treinamentos do Real Madrid junto com seus familiares e conhecido os jogadores do clube. Aos poucos, recupera a simples chance viver com dignidade.

Em meio às misérias e aos conflitos ideológicos, dos quais não tem culpa alguma, o garoto terá a chance de crescer em paz no novo país. Quem sabe, para um dia de cumprir seu desejo de se tornar um jogador de futebol. Agora Zaid pode sonhar. Um direito que lhe tinham suprimido em seu país de origem, e que é usurpado de tantos outros inocentes em meio ao caos que se estabelece.

Leandro Stein, Trivela

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. junior maia Postado em 22/Sep/2015 às 08:53

    Em meio a irresponsabilidade das nações desenvolvidas para com os refugiados, um belo exemplo do Real Madrid. E que outros times repitam esse gesto do clube espanhol. :)

  2. Thiago Teixeira Postado em 22/Sep/2015 às 11:47

    Ronaldo "Fenômeno (pelo menos para o Galvão)" entraria de mãos dadas com a Repórter Húngara.

  3. Hélio Postado em 22/Sep/2015 às 12:05

    Thiago, se quem tivesse chutado fosse um norte americano, o próprio Galvão entrava de mãos dadas...