Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 11/Sep/2015 às 23:22
28
Comentários

Massificação da ideologia dominante

O discurso vulgar e despolitizado “contra a corrupção” é meramente um artifício ideológico para instituir um projeto político com uma determinada visão sobre a sociedade e sobre a economia. Uma visão falaciosa que generaliza casos pontuais e ignora a ação estatal na distribuição da renda

corrupção ideologia dominante

por Róber Iturriet Avila*, Brasil Debate

O período vivenciado entre 2004 e 2011 foi de ganhos econômicos e sociais para o Brasil. Houve crescimento econômico superior à média das duas décadas pregressas, redução das desigualdades, elevação das reservas internacionais, aumento do emprego, elevação da renda média etc.

No final de 2011 e ao longo de 2012, frente à popularidade elevada da presidente Dilma e das oscilações na economia internacional, houve uma tentativa de alterar a política econômica, particularmente a política monetária. Nesse período, a sensação de “bem- estar” estava relativamente bem sedimentada.

Inesperadamente, uma ruptura no clima social se estabelece com as jornadas de junho de 2013. O movimento popular buscava melhorias nos serviços públicos. Mesmo que em seu surgimento as manifestações tenham sido organizadas por grupos de esquerda, os setores liberais e conservadores foram perspicazes em cooptar o sentimento que o movimento de rua trazia.

Desde então, é transpassado nas entrelinhas que as circunstâncias são negativas, ainda que concretamente nada tivesse se alterado de forma substancial até então, a não ser a redução do ritmo da atividade econômica. Nos principais meios de imprensa, o enfoque em problemas pontuais era destacado sem uma análise ampla sobre as questões.

Em linha semelhante, a organização da Copa do Mundo no Brasil em 2014 obteve uma crítica sistemática, seja de grupos sociais, seja dos veículos de comunicação. Ainda que os custos da Copa fossem ínfimos ao lado do que se gasta com serviços públicos, a lógica de senso comum, ou seja, sem base em elementos científicos, afirmava a existência de ineficiência na gestão pública, desperdício e, adjacentemente, descrédito com os políticos. Cumpre frisar que a organização da Copa foi bem-sucedida.

Esses dois momentos marcaram inflexões na percepção pública: as jornadas de junho de 2013 e a realização da Copa do Mundo em 2014. Tais situações foram sucedidas por uma enxurrada de análises pobres, desqualificadas e de senso comum. A despeito do baixo nível analítico, esse prisma se torna majoritário e se dissemina.

Há, assim, uma difusão de pessimismo sobre a situação do País, pouco baseada em evidências quantitativas, mas que hegemoniza a “opinião pública”. Paralelamente a essas ocorrências, o julgamento do “mensalão” (2012) e a “Operação Lava Jato” (2014) cristalizam a perspectiva equivocada de que os impostos são majoritariamente desviados e a saída para tal problema está na redução das atividades estatais.

O discurso vulgar e despolitizado “contra a corrupção” é meramente um artifício ideológico para instituir um projeto político com uma determinada visão sobre a sociedade e sobre a economia. Trata-se de uma visão falaciosa que generaliza casos pontuais, ignora e/ou naturaliza a ação estatal na distribuição da renda, sobretudo por meio de serviços públicos.

Ao contrário do que se imagina corriqueiramente, serviços públicos como educação, saúde e previdência são recentes em termos históricos, custam caro e trazem benefícios não tão visíveis como a redução da mortalidade infantil e a ampliação da expectativa de vida.

Do total da carga tributária do Brasil, 35,8% em 2012, por exemplo, 3,84 pontos percentuais foram destinados para a saúde (BRASIL, 2015a), 6,0 pontos percentuais foram para educação (INEP, 2015).

A previdência é centralizada no Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), porém existem também organismos estaduais e municipais. Considerando apenas o INSS, o gasto em percentual do PIB é de 7,7 (BRASIL, 2015b). A soma dessas três rubricas perfaz 17,54% do PIB, o que representa 49,0% da arrecadação. Os juros nominais despendidos pelo setor público, em 2012, foram de 4,9% do PIB.

Ao lado dos argumentos vulgares acerca da carga tributária brasileira, há comparações com os serviços públicos de outros países com renda per capita muito superior à brasileira. Ou seja, o discurso de senso comum que visa a deslegitimar o Estado ignora a história do país e a realidade socioeconômica.

A história mostra que a redução da ação estatal aprofunda desigualdades, amplifica conflitos e tenciona a sociedade. Piketty (2014) explicitou sobretudo o primeiro ponto. Ao mesmo tempo, um Estado menor atende a interesses específicos, vale citar, há um segmento social que não precisa de saúde, educação e previdência públicas.

Parece ser um dos desafios do campo progressista atualmente desnaturalizar a ação do Estado por meio do resgate histórico de sua configuração, desobscurecer seus benefícios e qualificar o rebaixado debate de “ineficiência generalizada”.

*Róber Iturriet Avila é economista, pesquisador da Fundação de Economia e Estatística (FEE) e professor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Financiamento Público de saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/financiamento_publico_saude_eixo_1.pdf. Acesso em 01 jul. 2015a.

BRASIL. Ministério da Previdência Social. Dados Abertos – Previdência Social – http://www.previdencia.gov.br/wp-content/uploads/2015/03/AEPS-2013-v.-26.02.pdf. Acesso em 24 ago. 2015b.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP). Investimentos públicos em educação. Disponível em http://portal.inep.gov.br/web/guest/estatisticas-gastoseducacao-indicadores_financeiros-p.t.i._nivel_ensino.htm. Acesso em 01 jul 2015.

PIKETTY, Thomas. Capital in the twenty-first century.Londres:  The Belknap press of Harvard University press, 2014.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 12/Sep/2015 às 00:23

    (Outro Rodrigo) Ahhhh, é tipo aquele discurso de antes de 2002, então? Contra os "ratos da corrupção" e tal, né? Da bandeira do "xô, corrupção"... É só pra inglês ver... E eu achei que era sério...

    • Denisbaldo Postado em 13/Sep/2015 às 23:02

      Verdade Rodrigo, mentiras nos discursos políticos e corrupção é um absurdo nunca antes visto da história deste país. Isso é inaceitável!!! Onde já se viu um político prometer tudo isso em um discurso e não cumprir??? Onde é que nós vamos parar meu Deus!?!?! SOMOS TODOS CUNHA! FORA CORRUPÇÃO! IMPEACHMENT JÁ! PELA DECÊNCIA E HONESTIDADE NO BRASIL! AÉCIO PRESIDENTE! INTERVENÇÃO MILITAR! VOLTA SARNEY! Vocês estão certíssimos mesmo! Estou convencido!

      • Rodrigo Postado em 13/Sep/2015 às 23:32

        (Outro Rodrigo) Denisbaldo, suas respostas são sempre as mesmas. Partem do "nós e eles", imputa ao interlocutor frases, teorias não ditas, estabelecendo um arbitrário arquétipo de inimigo a ser combatido. Em momento anterior, o Sr. já imputou inverdades a mim, bem como mostrou sua agressividade - quiçá sua verdadeira e lamentável face. Então, já que torna a fazê-lo, fico feliz em demonstrar todo o seu "pré-conceito", sua arbitrária imposição de pechas e digo: não votei em Aécio e não sou Cunha. Fique com seu binarismo, seu duplipensar e maniqueísmo, cuidando para que o efeito espelho não mais te leve a ver nos demais pessoa que raciocina como você. Sou contra intervenção militar (nem as de direita, nem as de esquerda). Já quanto a Sarney e remontando novamente ao duplipensar, veja quem é que hoje critica, mas em v[ideo no Youtube, chega ao ponto de dizer quem critica Sarney é por ser preconceituoso e necessitar de tratamento - o Sr. Luís Inácio Lula da Silva (em qual categoria você se enquadraria, pois, a partir do diagnóstico do grande líder?). Então, (com toda a cordialidade e ainda ironia) prezasíssimo Denisbaldo, trago à luz mais uma vez seu apreço por tudo aquilo que o distancia do debate racional. E torno a desejar dias melhores a você. Boa semana! P.S.: é engraçado como expor frases tão comemoradas em um passado recente pode levar pessoas a tanto desespero.

      • Denisbaldo Postado em 13/Sep/2015 às 23:58

        Verdade, esqueci que você é neutro, votou nulo, mas é a favor do impeachment, ironiza todos os simpatizantes de esquerda, sempre questiona o PT, nunca critica outros partidos. E eu que sou o irracional da história. Mas os seus comentários estão cada vez mais babacas mesmo, basta ver este que você escreveu acima. Ironia pobre, sem criatividade, digno destes indivíduos que se fantasiam aos domingos com a camisa da CBF. Pois é, parece que finalmente você está saindo do armário.

      • enganado Postado em 14/Sep/2015 às 01:00

        Caro Denisbaldo, pergunte ao energúmeno porque então foi nomeado o fdp do Geraldo Brindeiro-"" Engavetador Geral da República "" . Por que este cara? Pra fazer o que? A PF_DB se investigou 150 casos foi muito! Agora já tem investigado mais de 2.500 casos de corrupção, então fazer o que? Chamar de volta o Brindeiro e dizer que o BRASIL já está saneado porque o PT está na cadeia? Denisbaldo manda este cara tomar vergonha na cara e ter postura de homem e não destas ratazanas da Direita.

      • Rodrigo Postado em 14/Sep/2015 às 10:39

        (Outro Rodrigo) Ué, não gostou da remessa a Sarney? Você quis impô-lo a mim e eu demonstro que, você pode até dele não gostar, ter críticas devidas, mas o grupo político por você apoiado buscou nele sustentação e grande defesa. Assim, você vai de mal a pior nos seus comentários e, como demonstrei antes, recorreu à agressividade em um momento e, agora reiteradamente, recorre à inverdade, mas não aceita a exposição de tanto. E torna a tentar "colar" em mim a sua alegoria de camisa da CBF como símbolo de patriotismo, mas prontamente rejeito mais esse discurso falacioso teu. E, indo além, distorce meu entendimento sobre impeachment - serei a favor ou contra caso demonstrado o cumprimento dos requisitos constitucionais (requisitos para os quais você "dá de ombros"), razão pela qual não assinei qualquer petição no sentido do impeachment. Por fim, fique também com sua fantasia de Nárnia e armários, pois eu prefiro a realidade.

      • Rodrigo Postado em 14/Sep/2015 às 10:42

        (Outro Rodrigo) "Energúmeno"? Ora ora, o enganado está mostrando também sua agressividade? Justo aquele com o qual troquei palavras cordiais e até convite para um papo entre choppes no Rio houve... Então, "Enganado", para que você não siga "enganado" e, como agora, agressivo, justamente por todas as críticas que você faz, por mim já conhecidas desde há muito, eu votei em Lula em 2002. Justamente pelos engavetamentos, Sivam, Sudam e Sudene, apoio a Fujimori (desta, quase ninguém lembra), base de Alcântara, o preço vil nas privatizações etc. etc. etc. Não cole Brindeiro em mim, pois, sob pena de incorrer em recurso à falsidade, o que creio não combinar contigo.

  2. Vera Lucia Postado em 12/Sep/2015 às 01:29

    Texto excelente e impar. Infelizmente tudo o que se lê, sem falar na mídia golpista, desconstrói o governo e faz coro com a oposição. Este texto resgata o esforço insano e isolado da Presidente Dilma em tentar demonstrar para a sociedade que tudo não passa de uma grande armação e o que ela não diz é que isto vem de longe, vem de 2005, com o mensalão.

  3. Aristóteles Postado em 12/Sep/2015 às 13:20

    Vagner de Freitas: a você, nossa solidariedade, sempre!

  4. Wesley Postado em 12/Sep/2015 às 19:31

    Texto ruim e falacioso vindo de um economista. Quem sustenta a maior parte da carga tributário no Brasil são justamente os mais pobres, que tem uma boa parcela da sua renda surrupiada para sustentar o mamute estatal dos burocratas e dos funcionários públicos. Esse dinheiro que poderia estar sendo investido para outros fins como poupança, investimento e melhorias na qualidade de vida dos mais pobres, são desviados para o governo financiar suas benesses e maracutaias. Além do mais, acreditar que mais Estado é algo positivo sem levar em consideração que a concentração de renda e desigualdade social é mantida nesse país justamente pelo crescimento do Estado, que separa aqueles que trabalham para o governo e os empresários amigos do rei, em detrimento da população em geral. Além do mais, para quem acha que o Estado é bonzinho e maravilhoso, responda as seguintes perguntas: Quem imprime dinheiro e gera inflação, prejudicando o poder de compra dos mais pobres? Quem proíbe ou dificulta as importações, desvaloriza o câmbio, destruindo o poder de compra da moeda, condenando os mais pobres a ter um padrão de vida baixo, em benefício do baronato nacional? Quem protege o baronato nacional com proibição da importações e os ajudando financeiramente, desviando dinheiro dos mais pobres via BNDES, fazendo distribuição de renda às avessas? Quem surrupia o dinheiro dos mais pobres via impostos para beneficiar a mamata do serviço público, inviabilizando a população de baixa renda a fazer investimentos e melhorar sua qualidade de vida? Quem proíbe a população de adquirir armas, a deixando a mercê do crime organizado sem poder fazer nada para se proteger? Quem cria encargos trabalhistas e encarece artificialmente a mão de obra, gerando desemprego e dificultando a contratação de empregados? Quem nas últimas décadas imprimiu dinheiro descaradamente para financiar sua mamata e gerou a maior concentração de renda que até hoje condena o país a pobreza? É o neoliberalismo? O imperialismo ianque?

    • Denisbaldo Postado em 12/Sep/2015 às 21:51

      Eu respondo, foi o PT. Ele que inventou a pobreza e a miséria neste país. Afinal antes deles o Brasil era muito melhor e é por isso que eles têm que sair do governo, para que possamos voltar a ser aquela nação desenvolvida, rica, justa e solidária que sempre foi antes destes bandidos. Os neoliberais só querem o nosso bem, afinal a "mão invisível" de Adam Smith irá resolver todos os problemas da sociedade sem a necessidade de cuidar dos mais pobres. É só você perceber que todos os países desenvolvidos do mundo não desvalorizam seu próprio câmbio para estimular suas exportações e assim fortalecer sua indústria e empregos em épocas de crise e crescimento necessário (na crise americana de 2008 e 2009 foi só uma coincidência o dólar chegar a valer R$1,65), não protegem seus mercados com tarifas de importação para também proteger suas exportações e sua balança comercial, não administram programas sociais para os menos favorecidos. Não, eles deixam seus mercados inteiramente livres, sem nenhuma intervenção e proteção e são muito bondosos com os países mais pobres. Viva o neoliberalismo! Só me diga em qual país desenvolvido do mundo ele está em ação, porque eu adoraria saber. Adam Smith mais ainda. O único problema dos neoliberais atuais é que eles adoram o estado mínimo para o povo, mas para eles o estado é máximo mesmo (subsídios, isenções fiscais, verbas governamentais, etc).

      • Wesley Postado em 13/Sep/2015 às 17:36

        "Eu respondo, foi o PT. Ele que inventou a pobreza e a miséria neste país. Afinal antes deles o Brasil era muito melhor e é por isso que eles têm que sair do governo, para que possamos voltar a ser aquela nação desenvolvida, rica, justa e solidária que sempre foi antes destes bandidos." Onde eu citei o PT? Falei da burocracia estatal que você deve adorar, que é o maior concentrador de renda que já houve na história desse país. O Brasil sempre foi governado por governos perdulário que surrupiou a renda dos cidadãos ou via impostos ou inflação, ou endividamento público. Os "neoliberais" antes do PT são tão perdulários quanto o partido que está no poder. "Os neoliberais só querem o nosso bem, afinal a "mão invisível" de Adam Smith irá resolver todos os problemas da sociedade sem a necessidade de cuidar dos mais pobres." Ninguém criou mais pobreza nesse país do que o Estado, que é o maior concentrador de renda que já existiu por aqui. Afinal, quem sustenta a maior parte da carga tributária são justamente aqueles que o governo diz "proteger". "É só você perceber que todos os países desenvolvidos do mundo não desvalorizam seu próprio câmbio para estimular suas exportações e assim fortalecer sua indústria e empregos em épocas de crise e crescimento necessário (na crise americana de 2008 e 2009 foi só uma coincidência o dólar chegar a valer R$1,65), não protegem seus mercados com tarifas de importação para também proteger suas exportações e sua balança comercial, não administram programas sociais para os menos favorecidos." Se desvalorizar o câmbio e proibir importações fosse bom, os maiores exportadores do mundo jamais chegariam onde estão, afinal, por exemplo, a Suíça e a Alemanha têm moedas fortes e produzem produtos de altíssima qualidade, além de permitir as importações de produtos de alta qualidade. Se destruir o poder de compra da moeda e proibir importações fosse bom, o Brasil já deveria ser o país mais rico do mundo. Mas como é um país dominado por teorias e ideologias fracassadas, como as que você defende, nunca sairá da lama. Além do mais o governo surrupia boa parcela da renda dos mais pobres via impostos e inflação e dá uma pequena esmola e para você isso é "distribuição de renda"? Então se um ladrão entrar na sua casa, roubar uma boa parcela do seu dinheiro como "favor" deixar 3% do que roubou, você irá agradece-lo? Se os pobres ficassem com o dinheiro surrupiado via impostos e inflação, eles fariam um proveito muito melhor do que o governo, que ao invés de melhorar o padrão e a qualidade de vida dos mais pobres (o que eles fariam se ficassem com a grana), vai gastar com mensalão, petrolão, e financiar a vida boa dos políticos e funcionários públicos. "Não, eles deixam seus mercados inteiramente livres, sem nenhuma intervenção e proteção e são muito bondosos com os países mais pobres. Viva o neoliberalismo! Só me diga em qual país desenvolvido do mundo ele está em ação, porque eu adoraria saber. Adam Smith mais ainda." Alguém defender países e governos é totalmente diferente de alguém que defende a liberdade de mercado e individual. Quem invade outros países são os governos, portanto a burocracia estatal, e não o livre mercado. Quem defende livre mercado não defende governo de nenhum tipo, pois o que os governos fazem é apenas surrupiar o dinheiro das pessoas para financias a mamata deles. É como um parasita, que suga as forças do seu hospedeiro para se manter vivo. Sobre o "neoliberalismo", ele nunca existiu, mas há países que a despeito de existir uma burocracia estatal, ainda assim há um elevado nível de liberdade (são bem liberais e não "neoliberais"). Esses países são Honk Kong, Singapura, Nova Zelância, Austrália e Suíça e diversos outros. Esses países foram os que mais chegaram perto de Adam Smith, Mises, Hayek. Mas para você deve ser países fracassados, pois para você o que importa não são dados reais e sim aquilo que agrada sua ideologia. Países desenvolvidos para você é Cuba, Venezuela e países Africanos e do Oriente Médio dominados por ditadores, pois eles adoram reprimir seus cidadãos. "O único problema dos neoliberais atuais é que eles adoram o estado mínimo para o povo, mas para eles o estado é máximo mesmo (subsídios, isenções fiscais, verbas governamentais, etc)." Essa parte da sua resposta é de dar pena. Quem mais enriquece o baronato é o governo, que os protege proibindo importações e desvalorizando o câmbio. Além do mais o governo dá subsídios via BNDES, que nada mais é uma redistribuição de renda às avessas. Ele pega o dinheiro dos mais pobres, no qual você acredita que ele protege, e dá emprestado ao baronato nacional a juros baixos. Isso se chama corporativismo (o Mussolini chamava de "fascismo"), que é a política econômica do PT e dos governos anteriores (até mesmo dos militares). Quem defende livre mercado odeia oligopólios, cartéis e corporativismo, patrimonialismo e demais modelos econômicos que são financiados e protegidos pelo Estado (se o Estado não protegesse o baronato, não existiria esses modelos econômicos que vocês erroneamente chamam de "neoliberais", que não tem nada de liberais). Você defende protecionismo, desvalorização cambial e várias políticas concentradoras de renda e ainda acredita que está defendendo os pobres? A esquerda defende todas essas políticas que protege a elite e empobrece a população? É nisso que a esquerda acredita?Além do mais chamam os outros de elitistas? Quando vejo o que vocês defendem é difícil não acreditar que a esquerda é elitista.

      • Denisbaldo Postado em 13/Sep/2015 às 21:28

        Não, eu acredito que a direita ainda está no comando mesmo a esquerda estando no "poder". Só um neném de 2 anos de idade acreditaria que qualquer um dos nossos "donos de engenho" deixaria um certo partidinho originário de trabalhadores humildes tomarem o poder de verdade através de uma eleição democrática e quebrarem todas as barreiras corruptas que vêm travando o Brasil por séculos. Qualquer um que venha a exercer a Chefia do Executivo deve favorecer muitos daqueles que sempre foram favorecidos. Também não acho que o PT seja um milagre bem intencionado da natureza humana, especialmente porque no Brasil a corrupção é regra e honestidade é exceção, em praticamente todos os níveis da sociedade. Mas acho sim que demos uma boa evoluída nestes últimos 13 anos e temo que estejamos prestes a retroceder diante de uma crise política criada pela mídia encomendada pelos "donos de engenho". Os indicadores econômicos de hoje ainda são muito superiores do que antes do PT, a corrupção não é exclusiva dele, portanto, por raciocínio lógico seria uma grande besteira esse impeachment, especialmente baseado em todas as sua perguntas IDIOTAS. De dar pena são as suas explicações baratas sobre estes países que citou. Você é um neoliberal que não sabe que isso não existe até hoje em nenhum lugar do mundo. O agronegócio da Europa e dos EUA são protegidos a sete chaves e coincidentemente é um dos nossos únicos grandes mercados exportadores. Os tigres asiáticos só conseguiram seu salto tecnológico protegendo sua indústria no início dos anos 60. Muito antes disso a Alemanha (que você mesmo citou!) fez o mesmo no século XIX para se proteger das indústrias da Inglaterra e da França que estavam muito à frente deles. Vai estudar Friedrich List antes de falar comigo. A China vem desvalorizando seu câmbio pelos últimos 50 anos para deixar seu produto mais barato no mercado internacional, aliás essa sempre foi a grande reclamação dos países desenvolvidos com relação a ela. A própria China acabou de super desvalorizar sua moeda recentemente para enfrentar a crise. É verdade, tudo isso é só um devaneio meu, ninguém faz nada disso. Todos os países são puros, honestos e não usam de artifícios cambiais, tarifas, dumping, subsídios, etc, etc, etc. VOCÊ NÃO SABE NADA DE PORRA NENHUMA. E continue sonhando com seu neoliberalismo digno do Rodrigo Constantino e do Reinaldo Azevedo, vai continuar quebrando a fuça em qualquer discussão decente. Aliás, deixe seu email para eu depois te mandar a fatura da aula que acabou de tomar.

      • Wesley Postado em 13/Sep/2015 às 23:49

        Você é um pobre coitado. Além do mais não respondeu nada que eu disse. Ou você não sabe interpretar um texto ou foge do assunto porque não têm capacidade de enxergar nada que não agrade sua ideologia. Não falei nada do PT, mas ao contrário de você e sendo intelectualmente honesto, a boa política econômica do primeiro mandato do Lula e o boom das commodities que permitiram o bom desempenho econômico da década passada. A política econômica "neoliberal" do Lula no primeiro mandato que permitiu o aumento dos gastos do governo e o aumento do crédito para as pessoas mais pobres. Isso que explica a popularidade dele na época. Só um coitado como você e outros para achar que a crise é causada pela mídia. "Os senhores do engenho?" Não me faz rir com essa interpretação delirante sua (só faltou acrescentar os rentistas e o imperialismo ianque). Somente pessoas cegas que pensam assim. A mídia é uma empresa como qualquer outra - eles só se importam com dinheiro da audiência, venda, publicidade e com as verbas estatais. Além do mais graças a política econômica desenvolvimentista fracassada (que você deve adorar, por ser intervencionista e fracassada - curiosamente similar do governo Geisel do regime militar) do primeiro governo Dilma, estamos voltando a década perdida de 80, com inflação, destruição da indústria e da moeda. Se isso não é "retrocesso", é o que? Além do mais, como você acha que a população vai reagir a isso? Vai dizer que a Dilma é maravilhosa? Agradecer por ela ter destruído a economia do país? Mas para sua interpretação delirante a Dilma (e o Mantega) não destruiu a economia e sim a mídia (ou qualquer outra coisa que não seja o PT). "especialmente porque no Brasil a corrupção é regra e honestidade é exceção, em praticamente todos os níveis da sociedade." Faltou citar você, que faz parte da regra. "Os indicadores econômicos de hoje ainda são muito superiores do que antes do PT, a corrupção não é exclusiva dele, portanto, por raciocínio lógico seria uma grande besteira esse impeachment, especialmente baseado em todas as sua perguntas IDIOTAS." Os indicadores econômicos conquistados pelo plano Real (que apesar de ter resolvido o problema da hiperinflação, não foi a melhor escolha) e o tripé econômico do "neoliberal" FHC (neoliberal no linguajar esquerdista - que aumentou a carga tributária e fortaleceu o corporativismo como modelo econômico) que o Lula espertamente manteve e aprimorou como eu disse anteriormente, e a Dilma tratou de destruir no seu primeiro governo. O que eu falei de corrupção e impedimento? Corrupção que é mantida graças ao Estado que você adora. Perguntas idiotas que você não é capaz de responder (que reforça que você é só um coitado). Agronegócio é uma das poucas coisas que os empresários brasileiro são competentes em fazer (no resto depende do protecionismo do governo), além do mais EUA e Europa têm economias livres para importar e exportar (são "neoliberais", portanto não existem ou deveriam ter quebrado, segundo você). Tigres asiáticos têm altíssimos níveis de liberdade econômicas segundo a Herritage Foundation e produzem produtos de alta qualidade e permitem importações, portanto são segundo seu vocabulário, "neoliberais". A Alemanha seguia as políticas mercantilistas, e olha como ela acabou até a metade do século XX, ao contrário da Inglaterra e EUA (países livres). A Alemanha é outro país depois do pós-guerra e antes era tomada por regimes estatistas (ao menos eles aprenderam, ao contrário da América Latina, com exceção do Chile - a um custo alto, mas aprenderam). No pós-guerra, as políticas econômicas dos liberais seguidores do Mises, tornou a Alemanha Ocidental no país que ela é hoje (segundo suas teorias, deveria ser a Alemanha Oriental a mais desenvolvida, pois ela seguia sua receita). Hoje a Alemanha têm altíssimo nível de liberdade econômica e uma economia aberta (apesar de ter um Estado grande, que sabem que sem a liberdade econômica que possuem, o país não duraria uma semana) a ao contrário do que alega os protecionistas, não teve a indústria nacional quebrada e produz produtos de alta qualidade desejados em todo o mundo. A Inglaterra também tem uma economia relativamente livre e a Suíça também. Se esses são os países mais ricos e poderosos da Europa, não é mera coincidência (ao contrário de Portugal, Grécia e Estanha, que seguem políticas protecionistas que você adora e olha como estão - a Grécia nem se fala). A China é uma ditadura com uma economia planificada (não é exemplo para ninguém, excerto você). Os pobres chineses não podem consumir o que produzem, portanto são escravos. Desvalorizando o câmbio nesse caso é bom para nós ocidentais, que compramos produtos baratos produzidos com mão de obra escrava. Somente a casta do baronato chinês e do partido comunista se beneficiam disso, enquanto a população é escrava do regime (no Brasil é similar, já que o baronato daqui também é sócio do governo, portanto fazem o que você adora, desvalorizando o câmbio e proibindo importações - com isso os países ricos se dão bem e compram nossos produtos a preço de banana e nós sofremos porque não podemos importar produtos decentes e somos obrigados a comprar as porcarias caras com selo nacional, como ocorre com automóveis; algo que você adora, ver o baronato nacional e o governo encher o bolso explorando o povo, que sofre para manter a mamata deles). Não defendo país ou governo nenhum, pois o que há são países que seguem uma política econômica liberal e por isso são desenvolvidos com um alto padrão de vida, ao contrário dos países que seguem sua receita. Os países que citei são exemplo disso (apesar de alguns ter um Estado parasita gigante). Mas para você países desenvolvidos é a Venezuela, Coréia do Norte, países africanos, do oriente médio - pois eles seguem a sua receita ao máximo. Um coitado como você vem dizer que eu não sei de nada. Você não respondeu minhas perguntas (idiotas segundo você) e vêm dizer que eu não sei de nada? Não é uma questão de sonho, países que são economicamente livres são mais desenvolvidos (não defendo países, mas apenas a política econômica liberal), isso é um fato. Discussão decente com uma pessoa que além de incapaz de responder minhas perguntas usa palavrões é algo inviável, pois você é incapaz de debater seriamente comigo. Aula? Eu destrocei seus argumentos e você sequer respondeu minhas perguntas, só sabe fugir das questões a atribuir racionalizações ridículas. É alguém digno de pena que acha que é inteligente. É só mais um robozinho que foi condicionado por condicionamento operante a seguir incondicionalmente o que o a ideologia diz.

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 00:13

        Cara, você vive em outro planeta! Não é possível! Em primeiro lugar o FHC pegou o país com o dólar a R$0,85 e entregou com R$4,00 quase. 500% de desvalorização em 8 anos! Isso é estabilidade!?!?! Outra coisa, você já ouviu falar da multa sofrida pelos EUA pela OMC a respeito do subsídio do algodão contra o Brasil??? EUA e Europa são neoliberais nos seus livrinhos de economia, converse com um auditor da receita federal ou qualquer analista do comércio exterior do MDIC, ou mesmo alguém da OMC. O mundo é inteiro coberto de barreiras de todas as mais diversas formas. Você vive na teoria, na prática o comércio internacional é brutal, desonesto, fechado. Países desenvolvidos em tecnologia estão abertos hoje para a tecnologia, afinal seus mercados não temem ninguém. Mas para conseguirem se desenvolver tiveram que proteger suas indústrias nascentes. Isso aconteceu com todos eles no passado, em um ou outro período. A Dilma destruiu a economia? A inflação, desemprego, dólar, crescimento do PIB, estão todos em níveis melhores ou iguais ao seu ídolo FHC. Velho, vai bater bronha pra esse merdas. VOCÊ VIVE EM MUNDO INEXISTENTE. Os países que você baba um ovo são protecionistas, assistencialistas e intervencionistas. Não é à toa que uma bolha estourou outro dia nos EUA. Isso é artificialismo de mercado. O resto é conversa de vira-latas chupa pinto de gringo. Vá até s EUA e tente vender umproduto seu e verá o quão neoliberais eles são. Existem dezenas de barreiras não-tarifárias exigidas por todos esses países rico só para proteger seus mercados. Neoliberailsmo!?!?! Hahahaha! Vai cagar moleque.

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 00:25

        Aí grande "jênio". Uma matéria da realidade do seu neoliberalismo. Parece que arrumaram um novo nome pra ele já: Neoprotecionismo! Hahahaha. http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,barreiras-ao-comercio-continuam-fortes-imp-,1060168

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 00:26

        Mais uma matéria do seu neoliberalismo. http://br.reuters.com/article/topNews/idBRSPE90105R20130102

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 00:36

        Mais uma: http://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2014/05/08/senadores-querem-rigor-contra-protecionismo-americano-ao-algodao

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 00:39

        Hahaha! Que perguntas meu irmão? "Países desenvolvidos pra você são Venezuela, Coreia do Norte, etc". Velho, sua conversa é de um coxinha idiota. Jé respondi tudo e mais um pouco. Adeus, e vai estudar, por favor. Tá pagando mico demais.

      • Wesley Postado em 14/Sep/2015 às 01:45

        "Em primeiro lugar o FHC pegou o país com o dólar a R$0,85 e entregou com R$4,00 quase. 500% de desvalorização em 8 anos! Isso é estabilidade!?!?! " O primeiro mandato a política econômica dele foi boa, mas o segundo foi péssimo. Além do efeito Lula (que levou do dólar a 4 reais na época). Mas o Lula manteve a política macroeconômica dele (tripé econômico) e fez uma boa política no primeiro mandato. De qualquer forma não apoio governo ou Estado nenhum e sim apenas liberdade econômica. Se você diz que sou baba ovo de países ou governos, mostra sua incapacidade de interpretar um texto. "O mundo é inteiro coberto de barreiras de todas as mais diversas formas." Alguns países mais e alguns menos. Por isso sou contra qualquer tipo de governo ou burocracia estatal. Os governos que geram guerras e proíbem a circulação de pessoas e produtos. O Estado moderno é a nova praga moderna, pois está tão sofisticado e intervencionista que virou inimigo da liberdade. Além do mais, se você fosse capaz de interpretar um texto, veria que em um dos comentários eu disse que a Alemanha a despeito da liberdade econômica, tem um Estado gigante, pois como os Estados modernos desenvolvidos sabem que a liberdade econômica é importante, eles a mantém a medida que possam impor algum tipo de controle, como um parasita faz, sugando via impostos dinheiro da iniciativa privada. "Mas para conseguirem se desenvolver tiveram que proteger suas indústrias nascentes. Isso aconteceu com todos eles no passado, em um ou outro período." No século XIX e início do século XX ara uma política mercantilista, que depois foi abandonada nos países desenvolvidos, mas continua a todo vigor em países atrasados como o nosso. E não gerou nada de bom. "A Dilma destruiu a economia? A inflação, desemprego, dólar, crescimento do PIB, estão todos em níveis melhores ou iguais ao seu ídolo FHC. Velho, vai bater bronha pra esse merdas." Faltou acrescentar que sou baba ovo do Lula, pois elogiei a política econômica dele. A Dilma adotou a política econômica desenvolvimentista (ao invés do tripé antigo, que não era uma maravilha, mas ao menos funcionava) e o resultado é esse aí. E vejo que que você é analfabeto mesmo ou não leu direito, pois não entendeu nada que eu escrevi. Eu disse que não defendo governo ou país, qualquer pessoa alfabetizada entenderá que escrevi isso. Só o fato de dizer que sou fã de político ou governo, mostra sua incapacidade de interpretar um texto. "Não é à toa que uma bolha estourou outro dia nos EUA. Isso é artificialismo de mercado." Bolha gerada pelo governo americano (o Estado), que estimulou a expensão de crédito para pessoas que não poderiam pagar por um imóvel, o que gerou a crise imobiliária. "Uma matéria da realidade do seu neoliberalismo. Parece que arrumaram um novo nome pra ele já: Neoprotecionismo!" É verdade, os governos são protecionistas, mas como você não entendeu o que escrevi, disse que não defendo governos - é perfeitamente possível haver um Estado gigante e pouco intervencionista e uma certa liberdade de mercado. Além do mais outros países como Honk Kong e Cingapura não são tão protecionistas como a UE e os EUA (que o intervencionismo aumentou muito graças ao governo Obama, um político de esquerda). "Que perguntas meu irmão? Jé respondi tudo e mais um pouco." Responder minhas perguntas com piadinhas não é o mesmo que respondê-las. Além do mais, ainda me chama de moleque, sendo que você nem sabe interpretar um texto. Você estuda? Em que série você está? Na quinta série do ensino fundamental? Para alguém que não sabe interpretar um texto não há outra justificativa. Não vou mais perder tempo comentando com um analfabeto. Vá se alfabetizar. Moleque analfabeto e mal educado.

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 09:54

        Vai lá coxinha, os países desenvolvidos são neoliberais e bonzinhos. O FHC é muito legal. O Brasil do PT é mau. E aí, gostou das matérias VERDADEIRAS E ATUAIS do seu "neoliberalismo"??? Me mande algumas matérias para me provar que o mundo é "neoliberal"!!! Mas eu quero dados reais e não teorias sonhadoras, não quero liçãozinha de história distorcida e fantasiosa. Quero saber como seus países símbolo estão sendo "neoliberais" HOJE EM DIA. Pare de falar suas ideias e coloque artigos de dados reais para me convencer que esses países são neoliberais de verdade. A Rodada Doha da OMC que iniciou em 2003 e até agora está inacabada que o diga. Esses países mão de vaca não abrem mão de nada de seus mercados. NA PRÁTICA A TEORIA É OUTRA. Vai estudar neném, vai estudar, senão vai passar fome no seu mundinho neoliberal da Disneylandia.

      • Denisbaldo Postado em 14/Sep/2015 às 18:21

        Mais uma meu amigo "jênio"! Essa é de hoje! É sobre a desvalorização da moeda que pra você é um erro econômico! http://economia.uol.com.br/noticias/efe/2015/09/14/para-economistas-aumento-do-dolar-melhorara-competitividade-do-brasil.htm

      • Wesley Postado em 15/Sep/2015 às 00:12

        Esse Carlos Bresser Pereira foi criador do fracassado plano Bresser, que não conseguiu conter a inflação no governo Sarney. A mídia têm tradição de buscar opinião de economistas fracassados como esse que você citou - só porque já foram ministros da fazenda. É ruim igual o Mantega e o Delfim Neto, sendo que o último criou duas décadas perdidas (a de 80 e a de agora em conjunto com o Mantega). Ainda impressiona como insistem em pedir opinião de pessoas que só fizeram besteira. Para saber sobre o câmbio: http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=2175

      • Eduardo Ribeiro Postado em 15/Sep/2015 às 07:59

        "mises"

    • João Paulo Postado em 13/Sep/2015 às 03:34

      Quem só pergunta besteira? Quem desconhece o que é um livro de História e não sabe o que foi a Revolução Industrial? Quem veio com um discurso fajuto de quem se acha empresário e deve estar quebrado por incompetência? Quem não sabe qual o motivo de proteger o mercado nacional? Quem acha que armar o cidadão reduzirá a violência? Quem nunca parou para pensar que caso o "pobre" se arme, o mundo de faz de conta dos coxinhas pode sumir? Quem? Pelo amor de Deus, quem??!!!

  5. Sérgio Postado em 12/Sep/2015 às 23:22

    Antes que voltemos a ser A Grande República das Bananas! Assine: https://www.change.org/p/pela-manuten%C3%A7%C3%A3o-da-legalidade-democr%C3%A1tica-e-o-respeito-ao-voto-em-nosso-pa%C3%ADs?recruiter=289296085&utm_source=share_petition&utm_medium=copylink

  6. Rodrigo Postado em 13/Sep/2015 às 18:15

    (Outro Rodrigo) E aí você se pergunta: que armas, companheiro? Armas ilegais e ilegalmente portadas? Mas a esquerda não tem aquele discurso lindo sobre o desarmamento? Ele não vale para todos? Só vale quando conveniente for, não? Ah, o duplipensar...

  7. Trajano Postado em 14/Sep/2015 às 02:37

    Emanaku Brasil, sério que você foi em no blog de um cara que posta somente pautas contra o governo, que acha digno praticamente comemorar o rebaixamento do Brasil pela S&P, deu Ctrl + C, Ctrl + V em uma das pérolas do tal jornalista-blogueiro-desconhecido e colou aqui totalmente fora de contexto, sem sequer alterar uma vírgula do original e PÁ! Colocou um link para o site do dito cujo? Tenha vergonha na cara, moleque!