Redação Pragmatismo
Compartilhar
Protestos 19/Aug/2015 às 23:03
47
Comentários

Por que não mataram todos em 1964? (porquê não mataram todos em 1964)

mataram todos 1964 cartaz

por Gilberto Amendola

E pensar que aquela senhora deve ter acordado cedo, feito um café delicioso, como só algumas senhoras de certa idade sabem fazer, e depois do café deve ter descido do prédio com o seu cachorro, que deve ter um nome engraçado, um nome carinhoso, e aquele cachorro deve achar que ela é a melhor pessoa do mundo, e, de fato, o cachorro tem que achar isso mesmo, e ela deve ter passeado uns 40 minutos com o seu cachorro, dado bom dia para aquelas pessoas que ela sempre encontra nesta caminhada matinal, e parado para comprar um pão doce que só tem naquela padaria.

E parado para conversar com o jornaleiro, e contado para o jornaleiro que iria participar da manifestação contra o governo, e contado também que iria fazer um cartaz, que ainda tinha energia para lutar pelo Brasil, que iria passar na papelaria, e se ele sabia quanto custava uma cartolina, coisa que o jornaleiro não saberia, e a senhora iria mesmo assim na papelaria, e sairia de lá com aquela cartolina enrolada, e seria uma cena até engraçada, aquela senhora com uma cartolina embaixo de um braço e levando o cachorro e o pão doce com outra mão, e o porteiro perguntando se ela precisaria de ajuda, ela dizendo que não, que estava tudo bem, e lembrando que ele tinha ficado de passar no apartamento pra olhar aquele vazamento, ele, o porteiro, o Zé, dizendo que segunda-feira sem falta, ela respondendo, brincando, “olha lá”, o Zé rindo, ela rindo, o cachorro latindo, o Zé abrindo a porta do elevador de serviço pra ela, apertando o andar dela, antes da porta fechar ela perguntando se ele iria no protesto, ele dizendo que vai ser bem no horário do jogo do Corinthians.

A porta fecha e o Zé não ouvindo a reprovação da moradora, e ela chegando no apartamento, colocando a cartolina na mesa da sala, ligando pro filho, o telefone tocando, ninguém atendendo, a saudade da netinha, que ela já não vê há uns 5 meses, ela comendo um pedaço de pão doce, o melhor pão doce de São Paulo, e quando ela come esse pão doce ela lembra do marido, e ele gostava tanto desse pão doce, e eles comiam juntos, e era um ritual, e depois que ele morreu ficou tão triste comer esse pão doce, e ela sempre sente um frio no peito quando lembra do marido, sente vontade de chorar, pega a cartolina para se distrair e vira a chave do pensamento, ou não vira, matutando o que vai escrever ali.

Tenta ligar para o filho outra vez, o filho é bom pra essas coisas, sempre tem boas ideias, todo mundo diz que é um gênio, mas ele não é bom de atender telefone, não atende de novo, ela vai ter que escrever da cabeça dela, e ela pensando no que vai escrever, ela pegando o canetão e batendo na mesa, a ideia que não vem, o marido morto, o pão doce, o Lula, a Dilma, o Zé Dirceu, o pai militar, o ano em que ainda mocinha, novinha de tudo, conheceu o marido, o primeiro cinema, as mãos dadas, o beijo roubado, o pai militar, orgulhoso de uniforme cintilante, e como ela foi feliz naquele ano, o pai tinha lá suas preocupações, chegava tarde em casa, cansado do trabalho, exausto, morto, mortos todos, e ela pensando que nunca soube exatamente o que o pai fazia no exército, e ela com quase 20 anos já planejava seu casamento, casaria depois de um ano, mas já tinha feito amor com seu futuro marido, e tinha sido bom, se o pai soubesse mataria todos, mataria os dois, seu pai saberia como matar os dois, disso ela tem certeza

Mas aquele tinha sido um ano bom, ela era novinha, estava apaixonada, e tudo parecia nos eixos, e ela pensando em escolher aquele ano para viver pra sempre, não sair do colo quente de 1964, e foi então que ela escreveu, com o português que ela conhece: “porquê não mataram todos em 1964”.

(…)

E ao erguer o cartaz na avenida Paulista, com aquela convicção de quem escreveu “porquê”, a senhora que faz um café delicioso, e que passeia com o cachorro, e que brinca com o porteiro e que come pão doce lembrando do marido, matou todos nós. Um por um, o País inteiro, gente que estava lá, que assistiu de casa ou só viu a foto na internet. Em uma chacina semiótica, matou todos nós, os filhos de 64, os netos, os enteados e os próprios viventes daquele ano, todos mortos, zumbis, terra arrasada, fantasmas de lençóis encardidos gritando buuuuuu.

Nos assustamos todos com o anúncio da nossa morte. Nós, que já morremos faz tanto tempo, morremos outra vez.

VEJA TAMBÉM: As imagens mais chocantes do protesto do dia 16 de agosto

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 19/Aug/2015 às 23:17

    o melhor desse cartaz foi a cara de espanto do gato. rsrs..até ele tem mais juízo q essa senhora. rs

    • Thiago Teixeira Postado em 19/Aug/2015 às 23:33

      É o POVO que está nas ruas Poli. Repare na carteira profissional (cor azul) nas mãos da pobre senhora a esquerda, além de segurar junto a CP um cartão de ponto, provavelmente de empacotadeira nas Casas Bahia. A senhora do lado direito é uma típica cortadora de cana, basta ver as mãos cortadas, calejadas e unhas totalmente mal cuidadas, sem contar o aspecto magro proveniente da boia fria e pele queimada do sol escaldante de Araras-SP.

      • Denisbaldo Postado em 19/Aug/2015 às 23:53

        Seguindo a sua linha Thiago: São também pessoas meigas, de bem, solidárias e que se preocupam com o futuro do país e de seu povo. Cristãos acima de tudo, que estão cansados de serem injustiçados e mal tratados por esse governo corrupto. Pessoas de bem que amam Geraldo Alckmin e o PSDB, partido exemplo de honestidade, fraternidade e competência. Exemplos a serem seguidos pela humanidade. O Papa Francisco deveria observá-los e divulgar seus trabalhos pelo mundo afora. Hahahaha!

      • André A. Postado em 20/Aug/2015 às 08:28

        (...) e seguindo a lógica do amigo: nas próximas manifestações também irei, pois agora só posso comer meu salmão três vezes por semana; quando vou ao mercado (quase sempre) compro minha geléia caseira light de amora, meus shitakis, minha quinoa gourmet faço uma cara de insatisfação que dura de três a quatro segundos, logo abafada pela minha vodca importada, meu queijo de búfala e minha cerva gelada.

  2. enganado Postado em 20/Aug/2015 às 00:02

    " ... Por que não mataram?... " Mataram? Manda seu filho/filha/pai marido matarem pois ainda dá tempo! O LULA, DILMA, DIRCEU, GENUÍNO, ... estão VIVOS e atrapalhando muito o BRASIL. Vamos lá, não MATARAM, mate vcs mesmo! O que está faltando? São frouxos? Olha mate também: GARIS/GARÇONS/EMPREGADAS DOMÉSTICAS/PESSOAL DA FAXINA/PORTEIROS/MOTO BOY/ENTREGADOR DE PIZZA/MAQUINISTAS/MOTORISTAS/DESCARREGADORES/BILHETEIROS/BABÁS ... esse pessoal e os POBRES/PROSTITUTAS/PRETOS/PETISTAS/PROFESSORES e ainda o PAPA, esse Comunista-Argentino instalado em Roma pelas ordens do Putin. Então, esse pessoal está atrapalhando a Roubalheira/Patifaria/Putaria/Bandidagem/ ... o PSDB/DEM a governarem o BRASIL e pior ainda dando muito trabalho ao juiz-fdp-ordinário-tucano MORO, comandante do Campo de Concentração do PSDB/DEM=Guantânamo a prender todos os PETISTA da face da Terra e executá-los como os EUA/iSSraHell fazem com seus Prisioneiros=forca, mesmo sem acusação. Olha "Miss Coxinha" tem um ditado da CIA que diz o seguinte: "Qdo uma pessoa está causando muitos problemas aos seus negócios, elimina-o porque assim os problemas deixam de existir". Gostou? Vá lá e mande o BOÇALNARO puxar o gatilho, vamos matem o LULA! Vamos, matem! Passeata pela DEMOCRACIA! Olha seu fdp de Aópio=FHC =... desejo isso tudo em dobro pra mãe de vcs.

    • Marco Antonio Rodrigues Postado em 20/Aug/2015 às 00:19

      Bravo, falou tudo...

    • gabriel Postado em 20/Aug/2015 às 00:31

      que post confuso de se ler

    • Ale Rocha Postado em 20/Aug/2015 às 09:18

      Ódio disfarçado de ironia, e oque eu vejo nestas palavras.

      • enganado Postado em 21/Aug/2015 às 07:39

        Ódio é pouco, pois isto vem desde a época do Imperador Pedro II qdo uma fragata da "USNavy" dos EUA subiu o rio Amazonas e foi até o Peru ao seu bel prazer. O nome disso chama-se INVASÃO! Isto sem contar a negativa de nos fornecer pólvora e canhões para TIRADENTES proclamar nosso Independência de Portugal. Isto está nos anais do Itamarati. Adoro americanos!

  3. Felipe Postado em 20/Aug/2015 às 00:14

    Até o gato se assustou com o cartaz...kkkk mas digo mais uma vez, eu sou contra esse governo não quero o impeachment e essa senhora não me representa, mas jamais veremos aqui as boas pessoas que foram protestar seria um tiro no próprio peito do PP

    • Roberto Pedroso Postado em 20/Aug/2015 às 10:09

      Mas então chegamos a questão caro sr Felipe será que a maioria dos manifestantes contra o governo compartilham da sua visão coerente e legalista?ou a amioria dos manifestantes contra o governo são compostas por pessoas saudosas da ditadura contrarias a democracia?maldita corja que defende as atrocidades cometidas pela ditadura corja sem estofo intelectual.Vergonha desta gente desprovida de conhecimento e inteligencia.

      • felipe Postado em 20/Aug/2015 às 10:39

        Roberto ainda acho que a maioria pensam de forma coerente, o que falta são pessoas para abominar tais atos nessas manifestações, tipo se eu vejo uma pessoa com um cartaz desse eu repreenderia (eu como manifestante tb) acho que dos dois lados falta esse bom senso de repudiar aqueles que passam dos limites, digo isso porque se ver nos comentário aqui em geral, verá que o ódio e o extremismo partem dos dois lados.

      • Roberto Pedroso Postado em 20/Aug/2015 às 23:31

        "ou a maioria " *desculpe minha falha

    • Tammy Postado em 20/Aug/2015 às 13:43

      Ser contra o governo, pode. Na verdade, Felipe, acho que deve ter uma lei por aí garantindo o nosso direito constitucional de falar mal de presidentes. Eu era novinha mas lembro do meu vô esculhambando Sarney, meu pai escrachando com FHC, meus amigos xingando a Dilma. É da cultura brasileira devolver a sua (nossa) incapacidade de evoluir colocando a culpa em qualquer terceiro que não seja ele mesmo. Partindo daí, digo: protestar é legítimo. O protesto de domingo é legítimo sim. A situação está boa? Não. Nunca esteve na verdade. Mas as pessoas acham que há 20 anos atrás estava melhor, então tá. Reclamem. Gritem. Protestem. Ninguém pode tirar esse seu e meu direito. Agora o que eu não entendo de maneira nenhuma é por que vocês escorraçam aos gritos as pessoas que ousam passar ao lado destas manifestações usando uma blusa vermelha e não são capazes de se sentirem profundamente ofendidos com um cartaz desse??? E tantos outros infames que tinham nesses protestos? Sabe por quê? Porque intimamente concordam. Os que não se ofenderam com os pedidos de volta da ditadura, tortura, assassinatos concordam com todos estes pedidos absurdos, só não tem coragem de os declarar aos quatro ventos.

      • Roberto Pedroso Postado em 22/Aug/2015 às 22:16

        Respondendo ao senhor Felipe eu ainda creio que muitos dos manifestantes que comparecem de bom grado para cerrar fileiras contra o governo ,ao contrario do que certos articulistas afirmam em veículos de imprensa, estão imbuídos de um sentimento de raiva e rancor não estão abertos ao debate e também não estão dispostos a dialogar com aqueles que discordem de seus argumentos,é temerário até a tentativa de se iniciar um debate com certas figuras que parecem transtornadas pelo ódio.

  4. Guilhermo Postado em 20/Aug/2015 às 00:34

    Tenho que admitir que esse texto foi muito bem escrito. Deu pra imaginar direitinho toda a cena! Quanto ao cartaz, não precisava disso...

    • Samael Postado em 20/Aug/2015 às 02:13

      Eu imaginei um livro...Clarice?! Cadê a continuação?!!!!!

      • Newton Postado em 20/Aug/2015 às 08:55

        Me lembrou mais Moacyr Scliar.

      • Flávio Postado em 20/Aug/2015 às 09:20

        Me lembrou Saramago.

  5. nayanna Postado em 20/Aug/2015 às 00:37

    Que texto maravilhoso! A forma, a estética dele...Quem é o jornalista? Não vi o nome...

    • Fernanda Rangel Postado em 20/Aug/2015 às 08:41

      Gilberto Amendola.

  6. João Paulo Postado em 20/Aug/2015 às 00:40

    Depois, não sabe por que o filhão não atende o telefone ...

    • Andrea Postado em 20/Aug/2015 às 10:07

      Hahaha! Pois é...

  7. Emilio Postado em 20/Aug/2015 às 08:35

    O ser humano cada vez mais criativo

  8. Heloisa Valle Postado em 20/Aug/2015 às 08:58

    !Stabiskw Ponte Pretal( para quem se lembra) teria material para muitos '"Festival de besteora que assola o país".

    • ALFREDO DE VITA Postado em 23/Oct/2015 às 11:27

      Heloisa, era pseudônimo, ele chamava SERGIO PORTO a frase é a seguinte : ! FESTIVAL DE BESTEIROL QUE ASSOLA ESTE PAÍS "

  9. wilma Postado em 20/Aug/2015 às 09:01

    Se é filha de militar e o marido não era militar, com certeza só casou na igreja para poder herdar a pensão generosa do pai.

  10. Humberto Postado em 20/Aug/2015 às 09:32

    nada! gente como ela é ruim mesmo, chuta o cachorro, cospe no porteiro, põe veneno na comida do marido, dá pão embolorado pra mãe, fala mal do vizinho e esculacha a empregada ... tem nada de boazinha não.

    • Bianca C. Postado em 20/Aug/2015 às 10:56

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • felipe Postado em 21/Aug/2015 às 13:50

      Dona Maxima da voadora na empregada Jaqueline

  11. Cristina Postado em 20/Aug/2015 às 09:35

    Essa senhora nem sabia porque estava lá. Se perguntarem pra ela; Por que a senhora está aqui hoje protestando? A resposta dela vai ser assustadora, mas assustadora que o cartaz.

  12. Maria Marta Postado em 20/Aug/2015 às 09:37

    Magnífica crônica! O texto mais belo que eu li sobre essa cartaz pavoroso.

  13. Denise Postado em 20/Aug/2015 às 09:37

    Só uma correção: ela não falou do Corinthians porque é de Belo Horizonte. E deve ter comido um pão de queijo no café... E me deixa ainda mais triste pensar que alguém da minha cidade tem essa opinião...

  14. Ricardo Postado em 20/Aug/2015 às 10:30

    Na verdade ela faz uma afirmação. Ela diz "Porquê" respondendo uma pergunta, e completa com "não mataram todos em 1964", dizendo exatamente que ela é uma sobrevivente da ditadura, e por isso mesmo está ali lutando por direitos. Ela não está com um cartaz a favor da ditadura, mas um cartaz contra. Pelo menos de acordo com a língua portuguesa. Não dá pra saber o que ela pensou ao escrever, mas dá pra ler o que está literalmente escrito. E o que está literalmente escrito é o que expliquei. Aprendam mais sobre a diferença entre "por quê" e "porquê", e sobre o uso do "?". Por isso só vou em passeatas pela alfabetização. Até a imprensa não sabe ler!

    • felipe Postado em 20/Aug/2015 às 10:43

      Bem interessante esse ponto de vista

    • poliana Postado em 20/Aug/2015 às 13:00

      hahahahahahahaha! é muita cara de pau! tenho certeza q ela usou nesse sentido mesmo q vc falou. pelo nível do português usado nas faixas e do pensamento dessas pessoas, tenho certeza q foi isso. tá "sertinho"! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • poliana Postado em 20/Aug/2015 às 13:01

      mais cara de pau ainda é alguém concordar com vc. santa relativização! tá"sertinhu".

    • poliana Postado em 20/Aug/2015 às 13:24

      e outra coisa: o porquê, junto e acentuado, tem função substantiva na frase. no caso da faixa, esse porque, se fosse uma resposta como vc afirma, deveria vir junto, porém,sem o acento circunflexo. estudar a gramática antes de falar besteira ajuda.

      • Ricardo Postado em 21/Aug/2015 às 10:27

        (outro Ricardo) Exatamente. Agora, há uma certa "relativização" das palavras, isto é, as palavras têm o sentido que damos a elas (não são "enlatados"). Analisando o contexto, parece-me claro que a sra. lamentou o não extermínio (!!!!) em 64 (um exemplo de "banalização do mal", como escreveu Hannah Arendt), como me parece que o comentário do Ricardo foi irônico...

    • Tammy Postado em 20/Aug/2015 às 14:18

      Se ela estivesse respondendo uma pergunta teria usado "porque", meu caro Ricardo. Não vamos ser desonestos, ok? No mais, concordo que você vá a passeatas por mais alfabetização. É uma causa nobre. E necessária. Para ambos.

      • poliana Postado em 20/Aug/2015 às 14:51

        exatamente, tammy. foi o q eu disse aí em cima. mas a pessoa quer dar uma de sabichão, sem nem ao menos consultar uma gramática. e ainda critica o jornalista q escreveu a matéria e o pessoal q "n conhece"as funções da palavra "porque". só passou atestado de ignorante e analfabeto.

    • Mauro Postado em 20/Aug/2015 às 16:54

      E mesmo assim está errado, porque o acento só se usa no final da oração, não importa se é afirmação ou indagação.

  15. Bianca C. Postado em 20/Aug/2015 às 10:57

    Parabéns ao autor, observação perfeita!

  16. Daniel Santana Postado em 20/Aug/2015 às 11:39

    Ainda estou esperando a matéria sobre o episódio da chacina em Osasco/Barueri no que tange o esquecimento dos manifestantes do dia 16/08.

  17. Éder Postado em 20/Aug/2015 às 12:10

    Gente como ela não gosta de pobre. É maldosa, é daquelas que se por algum acaso, o seu Valdo, o porteiro do condomínio vier dizer que a neta entrou na medicina, pelo Prouni, ela vai desejar-lhe felicidade. Mas no intimo, com os seus, dirá: onde já se viu uma pobretona, na medicina?, isso é para as famílias de bem, ou não sera assim?

  18. Joana Paula Postado em 22/Aug/2015 às 19:58

    Onde já se viu protestar assim?! Quer dizer que se deveria ter matado todos em 64. Bacana isso!

  19. Mary Postado em 24/Aug/2015 às 01:04

    Deve ser mais uma patricinha que recebe pensão de seu falecido pai ou marido militar se pai não poderia se casar, mas muitas delas o faz, e ainda se acham corretas, não corrupta, está gente e criminosa e igual a um pedófilo.