Redação Pragmatismo
Compartilhar
opinião 19/Aug/2015 às 16:18
21
Comentários

O pensamento binário é uma característica dos idiotas

Você é daqueles que acham que criticar a polícia é defender bandido? O pensamento binário é fascinante. Para algumas pessoas, a vida é simples: é céu ou inferno. Não existe outra coisa entre um polo e outro, nenhuma área cinzenta, nenhuma dúvida, nada. Para elas, o mundo não é complexo

chacina osasco polícia militar

Leonardo Sakamoto

O pensamento binário é fascinante. Para algumas pessoas, a vida é simples: é céu ou inferno. Não existe outra coisa entre um polo e outro, nenhuma área cinzenta, nenhuma dúvida, nada. Para elas, o mundo não é complexo. As pessoas idiotas é que tentam turvar aquilo que é certo, confundindo a certeza que deus nos deu.

Daí, para a vida fazer sentido, dizem que todos têm que abraçar uma ideia e simplificar o mundo ao máximo. Se você acha que isso é impossível, sem problema: eles te dão uma mãozinha, taxando você.

Por exemplo, para esse tipo, se você critica a atuação da polícia em um operação realizada em uma comunidade pobre ou afirma que há suspeitas de envolvimento de policiais em uma chacina, é um defensor de bandidos, quer a morte de policiais e deseja beber o sangue de crianças sacrificadas em nome de algum demônio. O mais feio deles.

Como já disse aqui várias vezes, independentemente de policiais estarem ou não envolvidos na chacina de 18 pessoas em Osasco e Barueri (SP), precisamos debater profundamente nossa polícia. E isso não se resume a dar bônus a quem matar menos ou aulas de direitos humanos na academia. Passa por revisão sobre o papel, os métodos e o seu caráter em nossa sociedade. Porque o sistema se reproduz no dia a dia.

Alguns setores da corporação estão impregnados com a ideia de que nada acontecerá com eles caso não cumpram as regras.

Agem à margem da lei em nome do cumprimento da mesma lei – ao torturar para obter respostas, por exemplo. Ou passar por cima dela em proveito próprio – o que pode ser provado pela ação de milícias e grupos de extermínio integrados, muitas vezes, pela banda podre da polícia.

Outra parte, reunindo a maioria dos policiais, segue as regras, mas sabe que a mesma sociedade está pouco se lixando para eles e suas famílias. Pagamos salários ridículos, de fome, e exigimos que se sacrifiquem em nome do nosso patrimônio.

Mudanças incluem um processo de desmilitarização da polícia. As Forças Armadas são formadas para a guerra. Em última instância, militares são treinados para matar. A polícia, por outro lado, não está em guerra com seu próprio povo. Ao menos, não deveria.

Parte da população apoia esse tipo de comportamento policial. Gosta de se enganar e acha que se sente mais segura com o Estado agindo “em guerra” contra a violência – como se isso não fosse, em si, um contrassenso. Essas pessoas são seguidoras da doutrina: “se você apanhou da polícia é porque alguma culpa tem”.

E se não se importam com inocentes, imagine então com quem, posteriormente, é considerado culpado. Para eles, é pena de morte e depois derrubar a casa e salgar o terreno onde a pessoa nasceu, além de esterilizar a mãe para que não gere outro meliante.

Enfim, reforço a ideia do último texto: mais do que um país sem memória e sem Justiça, temos diante de nós um Brasil conivente com o terror como principal ferramenta de ação policial. Os métodos eram os mesmos incorporados pela polícia na ditadura? Ah, se for em nome da minha (pretensa e frágil) segurança, não importa. Tiro até selfie.

E como também disse aqui, a polícia é um instrumento. O instrumento de uma parcela da sociedade com um grupo de poder econômico para a qual os domínios fora de seu castelo são terra de ninguém. O que acontece lá, fica por lá, desde que as coisas continuem como sempre foram.

Afinal de contas, na maior parte das vezes os que morrem são pretos e pobres, inocentes, culpados, moradores, policiais.

*Leonardo Sakamoto é professor, jornalista e doutor em Ciência Política

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 19/Aug/2015 às 16:36

    (Outro Rodrigo) Acho curioso quando quem cobre a política fala em binarismo e maniqueísmo... De toda sorte, o caso é de homicídio, envolve formação de quadrilha, hediondo por envolver grupo de extermínio e, pior ainda, ao que tudo indica e já quase resta cabalmente demonstrado, envolve integrants de forças de segurança pública, sendo assim ainda mais grave. E, como outro bem lembrou, basta cruzar os dados de antena de telefonia celular, a fim de constatar quais celulares estiveram no local, quando adentraram a área da respectiva antena e quando passara à de outra antena etc. Não está nada difícil de descobrir quem são os autores da chacina, assim identificando-os para as devidas punições judiciais e administrativas.

    • poliana Postado em 19/Aug/2015 às 17:11

      (outro) rodrigo..e vc duvida q a polícia militar esteja envolvida nessa chacina em osasco?

      • Rodrigo Postado em 19/Aug/2015 às 17:23

        (Outro Rodrigo) Poliana, em função de minha profissão é que eu preciso falar dessa forma ("ao que tudo indica e já quase resta cabalmente demonstrado, envolve integrantes de forças de segurança pública, sendo assim ainda mais grave"). Os calibres usados já dizem muito, bem como o questionamento por "quem tinha passagem", antes dos homicídios...

      • poliana Postado em 19/Aug/2015 às 20:43

        em qq lugar do país, bastou morrer um policial, q a corporação revida com uma chacina na periferia. NOJO!

      • Rodrigo Postado em 20/Aug/2015 às 16:18

        (Outro Rodrigo) Poliana, eu tenho muita resistência em aceitar "a corporação", mas não os indivíduos em si, porque isso me levaria a uma generalização, tal qual a feita quanto a apoiadores ou integrantes deste ou daquele partidos, quando um dos partidários é acusado ou condenado. Claro, os casos de abuso de autoridade, agressões, homicídios e outras barbaridades são muitos, mas também o são os de nossos políticos e, novamente, eu evito a generalização. E, ainda, não generalizar não significa que estou relativizando, nem mesmo defendendo a ausência de punição, muito pelo contrário.

  2. Brunno Marxx Postado em 19/Aug/2015 às 17:30

    Infelizmente não posso provar: mas tenho alguns trechos dessa coversa guardadas... Na epoca em que coronel telhada começou como vereador conversa dele junto com conte lopes outro ex:policial assassino e politico..." tem que invadir esses lugares,mesmo que for privado,publico, e meter bala em todo mundo acabar com essa baianada e matar tudo esses petista" qual local que se concentra muitos petista periferia isso ja faz mais de 5 anos olha quantas pessoas ja foram assassinadas o funk é apenas um bode espiatorio para se iniciar a repressão na periferia qual local publico que eles queriam dominar a usp ja conseguiram...de 10 crimes na usp 9 são forjados pela propria policia "atraves de seus simpatizantes" e ate figurantes, eu provo; igual fizeram no metro colocando as atrizes para marcar encoxadas pelo zap e fazer o flagrante igualzinho.....tudo que é forjado não tem valor juridico sabe quando vão pegar o suposto estuprador de uma garota de 17 anos na usp nunca porque ele é fecticio, ela é filha de militar e foi orientada a fazer a farsa do estupro,para a policia conseguir um posto na usp... GOVERNO DE SAO PAULO ENTREGOU A POLICIA NA MÃOS DE PROGRAMAS SENSACIONALISTAS ...A POLICIA COMETE AS CHACINAS,ASSASSINATOS,FORJAM FLAGRANTE...OS PROGRAMAS SENSACIONALISTA COMANDADO POR DATENA E MARCELO REZENDE DIZEM: " BRIGA DE QUADRILHA,TROCOU TIRO COM A POLICIA" PARA ABAFAR O CASO É TUDO COMBINADO A POLICIA MATA E ELES ALIVIAM A POLICIA...

  3. André Nelson Postado em 19/Aug/2015 às 18:59

    O militarismo é um problema porque baseia-se na hierarquia, logo quem pode questionar? me refiro ao soldado raso a priori. E a prova de sua falência é que para entrar nessa corporação se tem a vida vasculhada. Antecedentes criminais? nem pensar, mas porque existem policiais maus? porque a polícia os cria. Isso eu li de um ex-policial (Rio de Janeiro)que escreveu um livro a respeito. Se houver interesse pesquisem.

  4. Bruno Ferreira Postado em 19/Aug/2015 às 20:44

    Belíssima análise, Saka!

  5. Márcio Ferreira Postado em 19/Aug/2015 às 22:39

    Já que a crítica à atuação da polícia é apenas um exemplo, como explicitado no começo do terceiro parágrafo, e o tema é a idiotice do pensamento binário, é pertinente destacar como esse comportamento é abundantemente exercido por aqui. Muitos se orgulham de estabelecer um "muro", uma "cerca", uma divisão "nós e eles". Ao ler sequer uma mísera crítica ao governo, ainda que pertinente, legítima ou simplesmente "democrática", já tacham o autor de golpista, facista, coxinha e o diabo a quatro. É como dito pelo autor: "Para algumas pessoas, a vida é simples: é céu ou inferno". E reitero o título: o pensamento binário é uma característica dos idiotas.

    • felipe Postado em 20/Aug/2015 às 08:44

      hahaha boa!!

  6. João Paulo Postado em 19/Aug/2015 às 23:53

    Direito sem sanção não é Direito. A Polícia mal treinada, mal remunerada, sem inteligência e corrupta decorre de um sistema falho, no qual também há ampla liberdade para furtar, roubar, matar, extorquir (bandido pobre), corromper, fraudar o fisco/legislação trabalhista, fisco, organizações criminosas, estelionato, uso de testas-de-ferro, etc (bandido rico). Criminosos imunes à lei "fundamentam" a existência de policiais imunes à lei. A desmilitarização da PM deve acompanhar uma série de outras medidas: celeridade do Judiciário, punição mais severa para os crimes de "colarinho branco", mudança na prescrição criminal, total reformulação da lei de execuções penais, imposição de trabalhos forçados, mecanismos para combater a blindagem patrimonial (ocultamento de bens), etc. A dicotomia é criada por aqueles que defendem bobagens o tipo "pobre é vítima da sociedade" e "bandido bom é bandido morto".

  7. Thiago Teixeira Postado em 20/Aug/2015 às 00:01

    Não concordo com a desmilitarização da polícia e não acho que a corporação deva ser discutida. Profissionais ruins existe em todas as categorias do trabalho, policial pode ser civil, afim, simpatizante, militar, ecológico, municipal, bonzinhos da comunidade, não interessa, sempre haverá um espírito de porco. A polícia deve ser temida, respeitada e acima de tudo disciplinada. Toda sociedade precisa de ORDEM, caso contrário, se cada um fazer as suas leis e ridicularizar a figura de uma autoridade, é cada um por si. (pesquisem o que acontece quando a policia militar entra em greve).

    • Rodrigo Postado em 20/Aug/2015 às 10:35

      (Outro Rodrigo) Concordo com você. Ser contra a generalização não significa ser contra a punição de todos os culpados. O respeito quanto às instituições de nosso país vem sendo a cada dia mais vilipendiado, seja pelos demais cidadãos, seja pelos integrantes das próprias instituições.

    • Bosco Postado em 27/Jun/2016 às 14:06

      Concordo com a desmilitarização da polícia e acho que a corporação policial militar bem como a justiça, o policia precisam ser rediscutidos democraticamente. Não se trata apenas de profissionais ruins, essas instituições é que não funcionam mais como instituições democráticas. Não obedecem mais as leis e se tornaram muito perigosas para a democracia e para os cidadãos desse país.

  8. Luis Guilherme Postado em 20/Aug/2015 às 18:02

    Engraçadíssimo o Sakamoto dizer isso já que o pensamento dele ( todos que não estão com a esquerda e com o PT são coxinhas despolitizadora manipulados pela grande mídia e odiadores de pobres) é totalmente maniqueísta

    • Luís Guilherme Postado em 20/Aug/2015 às 20:17

      *despolitizados

    • eu daqui Postado em 28/Aug/2015 às 15:00

      Isso mesmo: nada mais "binario" do que a peseudoesquerda brazuca contemporanea.

  9. Tuvia Bielski Postado em 30/Aug/2015 às 11:49

    Conclamo os colegas a votarem na enquete da Câmara sobre a desmilitarização e unificação das Polícias. Militarismo em polícia apenas propicia abusos, assédio moral contra subordinados e violência sistemática contra a população. Só quem se beneficia desse modelo são alguns oficiais (em postos maiores), que tratam a corporação como meio de obtenção de vantagens junto a comerciantes e administradores públicos. Aproveitem e votem também nas outras pautas. www2.camara.leg.br/enquetes

    • Bosco Postado em 27/Jun/2016 às 14:11

      A imprensa não deixa chegar ao povo a informação de que muitos oficiais e praças mais jovens, cultos,, preferem uma policia desmilitarizada mesmo que com farda. Eles terão mais direitos trabalhistas e menos carga horário de trabalho.

  10. wladimir teixeira Postado em 30/Aug/2015 às 12:32

    Outros exemplos de pensamento binario (idiota): "quem não está comigo está contra mim" ; "atire primeiro, pergunte depois"; "corrupto é você " ; "ou dá ou desce "; "pau que dá em Chico dá em Francisco" : etc ...

  11. Lopes Postado em 29/Oct/2015 às 10:12

    Uma observação: o autor do texto está apresentando um ponto de vista binário!