Redação Pragmatismo
Compartilhar
Revista Veja 14/Aug/2015 às 11:37
17
Comentários

MPF pede R$ 1 milhão da Abril por reportagem preconceituosa da revista Veja

Ministério Público Federal processa a Editora Abril por matéria da revista Veja considerada discriminatória contra minorias étnicas

revista Veja MPF preconceito

por Ministério Público Federal

A 26ª Vara Cível Federal, na capital paulista, terá que dar prosseguimento à ação civil pública que o Ministério Público Federal ajuizou contra a Editora Abril por danos morais coletivos. O processo se deve a uma reportagem discriminatória contra minorias étnicas publicada em maio de 2010 na revista Veja. A decisão é do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que acolheu um recurso do MPF e reverteu a sentença de primeira instância que declarava prescrita a ação.

O MPF propôs a ação em agosto de 2014, quatro anos após a publicação da reportagem “A farra da antropologia oportunista”. O texto da revista Veja baseou-se em informações distorcidas e expressões injuriosas para criticar o processo de demarcação de reservas destinadas a grupos indígenas e quilombolas. A Procuradoria pede que a Abril, responsável pelo semanário, seja condenada ao pagamento de indenização mínima de R$ 1 milhão por danos morais, valor que deve ser destinado aos povos tradicionais do Estado de São Paulo.

A sentença que extinguia o processo se baseou no prazo prescricional de três anos previsto no Código Civil para pedidos de reparação civil. No entanto, o desembargador federal Carlos Muta, do TRF-3, afirmou que o período máximo para o ajuizamento de ação civil pública em matérias que envolvem direitos coletivos é de cinco anos, conforme a Lei 4.717/65. “No caso dos autos, a ação para indenização pelos danos morais, supostamente ocorridos com a reportagem publicada na revista Veja do dia 05/05/2010, foi ajuizada em 21/08/2014. Portanto, não se encontra atingida pela prescrição”, escreveu o magistrado.

Reportagem

O texto da revista procurou caracterizar a criação de novas reservas como fruto do conchavo entre ativistas que sobreviveriam dos sucessos das demarcações, agentes públicos e antropólogos cujo trabalho não teria nenhum rigor científico, mas simplesmente viés ideológico de esquerda. Veja relata ter descoberto “uma verdadeira fauna de espertalhões” e utiliza vários termos depreciativos que incitam o preconceito contra as comunidades indígenas e outras minorias étnicas. Exemplo é a definição de Tupinambás como “os novos canibais”, associando-os a invasões, saques e outras práticas delituosas.

Com o objetivo de embasar a crítica às demarcações, a reportagem também distorceu as declarações de dois renomados antropólogos que se dedicam ao estudo das questões indígenas. O professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai) Márcio Pereira Gomes e o pesquisador da UFF Eduardo Viveiros de Castro teriam, segundo o texto, emitido opiniões contrárias à criação de novas reservas e aos critérios adotados. Após a publicação, ambos escreveram aos editores da revista, indignados com o fato de que as frases a eles atribuídas eram opostas ao que realmente pensam sobre o tema.

Para a procuradora da República Suzana Fairbanks Oliveira Schnitzlein, autora da ação e do recurso interposto, declarações de cunho racista e que promovem a discriminação contra minorias étnicas não podem ser toleradas a pretexto de liberdade de expressão/imprensa, direito fundamental que não se confunde com “o puro e simples discurso de ódio camuflado de reportagem jornalística”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Lucas Oliveira Silva Postado em 14/Aug/2015 às 11:48

    Quando eu falo que essa revista é um câncer para o país, ninguém acredita

    • eu daqui Postado em 18/Aug/2015 às 09:39

      Esse é o país dos canceres: não esqueçamos de todos os outros: vitimopatas, golpistas, corporativistas, parasitas e mídia em geral.

  2. junior lobato Postado em 14/Aug/2015 às 11:52

    75 milhões... não, pera. Coloca mais um ae só de zoas :\/

  3. Armando Divan Postado em 14/Aug/2015 às 12:23

    O caso da Veja é típico daquele tipo de sociopata que, por julgar que seu comportamento é típico de todo e qualquer cidadão, atribui aos outros aquilo que reconhece em si próprio. Tipo o cara que acusa o outro de corrupto porque acredita que todo mundo é corrupto igual a ele.

  4. poliana Postado em 14/Aug/2015 às 13:23

    mais um processo nas costas. q vergonha! é tanto dinheiro q ela vai ter q desembolsar pra pagar indenizações, q logo mais vai a falência. e ainda tem gente q se diz leitora dessa merda de revista! lamentável!

    • enganado Postado em 15/Aug/2015 às 23:40

      Cara poliana.___Os judeuSS da AIPAC e HASBARA pagam com pé nas costas, o dinheiro deles não se acabam nunca! Rodam a maquininha em Fort Knox e no dia seguinte tá tudo resolvido! Falir a revista "O Esgoto" só qdo a facção do PSDB/DEM tiver o poder nas mãos.

  5. Eduardo Ribeiro Postado em 14/Aug/2015 às 14:04

    VEJA tá parecendo um lutador tonto, caindo pelas cordas, apanhando mais que bife de carne de segunda...é porrada de tudo que é lado, sem defesa. Nesse ritmo aí não chega nem a 2017...vão fazer muita falta pra 2018. Afinal, quem vai liderar o golpismo no Brasil? Quem vai fazer capa enchendo a bola do candidato do PSDB? Quem vai fazer matéria mentirosa anti-Lula na semana da eleição? Vai ficar um espaço em aberto no coração dos brasileiros.

    • Pedro Accioli Postado em 14/Aug/2015 às 15:08

      Mas ainda vai ter as redes de televisão, Revista Época, Istoé, Folha e Estadão cara!

  6. Deisi Postado em 14/Aug/2015 às 15:04

    A cada dia que passa minhas esperanças aumentam, com tantos processos, em breve, não se encontrará nem uma nas bancas. Só restarão velhas edições, nas escolas do estado de São Paulo, salas de espera dos consultórios médicos, nas casa dos reaças. Esse dia comemorarei muito!

  7. Eduardo Postado em 14/Aug/2015 às 21:06

    vou ter o prazer de ver esta coisa ter o mesmo destino da Play Boy, as cucuias.... e o esquecimento, outras muito mais importantes que ela sumiram... quem se lembra de O CRUZEIRO, ou MANCHETE.... ela também sucumbirá por tanta maldade que faz contra o povo que alardeia que defende....

  8. Duarte Postado em 14/Aug/2015 às 21:40

    Fico triste pois logo meus passarinhas nao terao mais revista veja no fundo da gaila, eles usam um bom papel.

    • poliana Postado em 15/Aug/2015 às 18:26

      putz. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Karina Postado em 16/Aug/2015 às 09:23

      Lugar de passarinho é na liberdade, fora da gaiola. 😊

    • Jonas Schlesinger Postado em 17/Aug/2015 às 22:30

      putz, que ortografia chula kkkkkkk

  9. deisi Postado em 15/Aug/2015 às 14:34

    Duarte, não fique triste, ainda restará a folha! Eu uso para forrar gaiola, o estadão doada pelo meu vizinho, não serve para outra coisa.

    • poliana Postado em 15/Aug/2015 às 18:26

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. John J. Postado em 16/Aug/2015 às 17:57

    . Coxinha que se preza não tem absolutamente nada no cerebro. Veja quem são os eleitores do Aécio e de outros tucanos. http://sensacionalista.uol.com.br/2015/08/16/dez-cartazes-das-manifestacoes-anti-governo-em-que-voce-nao-vai-acreditar/ .