Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 26/Aug/2015 às 15:42
14
Comentários

Está morto o homem que assassinou jornalistas durante transmissão ao vivo

Homem que matou jornalistas durante transmissão ao vivo é ex-colega de trabalho das vítimas. Assassino postou mensagem nas redes sociais após cometer o crime e divulgou um vídeo do assassinato gravado por ele mesmo

jornalistas assassinados ao vivo eua
Imagem: à esquerda, trecho congelado do vídeo filmado pelo próprio assassino; à direita, mensagens publicadas por ele no Twitter após cometer o crime (Pragmatismo Político)

O responsável pela morte de dois jornalistas americanos a tiros durante uma entrevista ao vivo, nesta quarta-feira, foi capturado com vida em uma rodovia interestadual no Estado de Virgínia, de acordo com a polícia estadual, mas morreu em seguida em um hospital. As informações são do xerife local.

“Aproximadamente às 13h30, o suspeito morreu no Hospital Fairfax, no norte da Virgina, como resultado de feridas de bala auto-infligidas”, disse.

O homem havia atirado em si mesmo enquanto era perseguido e foi transportado para o hospital em uma ambulância. O atirador foi apontado como Vester Lee Flanigan, 41 anos, um ex-empregado da emissora que utilizava na mídia o nome de Bryce Williams.

A repórter Alison Parker, de 24 anos, e o cinegrafista, Adam Ward, de 27 anos, do canal WDBJ-TV, foram atingidos na cidade de Moneta por volta das 6h45 (no horário local) quando estavam no ar.

Filmou o assassinato

Flanagan publicou nas redes sociais um vídeo que mostra o incidente do ponto de vista do atirador. Por conter imagens muito fortes, a gravação não será exibida em Pragmatismo Político.

Ele escreveu também que Alison Parker havia feito comentários racistas e que Adam Ward fez uma reclamação contra ele no setor de recursos humanos do canal

As contas no Twitter e no Facebook associadas a esse nome foram suspensas logo em seguida.

Bryce Williams Vester Lee Flanigan
Vester Lee Flanigan, na mídia conhecido como Bryce Williams

Entrevistada se recupera

Também foi ferida no tiroteio a entrevistada Vicki Gardner, integrante da Câmera de Comércio da região. Ela conversava com a repórter no momento do crime. Ela foi atingida nas costas, passou por cirurgia e está em condição estável, segundo disse um porta-voz do hospital citada por um jornal local.

Atirador havia sido demitido

Em transmissão ao vivo sobre a repercussão do assassinato de seus dois funcionários, o gerente geral da emissora WDBJ7, Jeff Marks, esclareceu que Vester Flanigan, usando profissionalmente o nome Bryce Williams, trabalhou na empresa e foi demitido há dois anos por problemas relacionados a sua raiva no ambiente de trabalho.

“Depois de muitos incidentes em que ele reagiu com muita raiva, nós o demitimos. Ele não aceitou bem [a demissão], nós tivemos que chamar a polícia para escoltá-lo para fora do prédio”, afirmou Marks no ar.

Casa Branca

A Casa Branca afirmou após o crime que o tiroreio foi mais um exemplo de violência armada que “está se tornando comum demais”.

O secretário de imprensa da casa Branca, Josh Earnest, disse a jornalistas que o Congresso deveria aprovar uma legislação que tivesse um “impacto tangível na redução da violência por armas no país”.

com agências internacionais

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Lucas Postado em 26/Aug/2015 às 16:32

    Enquanto isso, no Brasil, querem acabar com a lei do desarmamento.

    • Guillermo Postado em 26/Aug/2015 às 16:57

      Enquanto isso nos Estados Unidos qualquer um com ataque de raiva compra uma arma e sai atirando nas pessoas. Comentário nem um pouco inteligente o seu, Lucas.

      • Jairo Postado em 26/Aug/2015 às 17:05

        Acho q vc é q está enganado, Guillermo, o comentário do Lucas é A FAVOR do desarmamento... Eu sou a favor do desarmamento, começando pelos criminosos.

      • Diogo Postado em 26/Aug/2015 às 17:17

        Guilermo, o comentário do Lucas foi super coerente. O Brasileiro, nem nenhum povo, pode andar armado para que não exista casos como esse.

      • Eduardo Postado em 26/Aug/2015 às 17:19

        Acho que o Lucas compartilha da sua mesma opinião, Guillermo.

      • Glauber Postado em 26/Aug/2015 às 17:21

        Você tem certeza que leu o comentário do Lucas direito, Guillermo?

      • Felipe Postado em 26/Aug/2015 às 17:49

        Foi justamente o que ele disse Guillermo. No Brasil há uma política (provavelmente vinda de militares) armamentística. E ele bateu no ponto em que essa política tenta acabar com o desarmamento no Brasil.

      • Thales Postado em 26/Aug/2015 às 17:56

        Interpretação de texto e captação de ironias não são seus pontos fortes, Guilermo.

      • Douglas Postado em 27/Aug/2015 às 12:18

        Até porque as armas que os bandidos usam são todas legalizadas né?

  2. Zé Wilson Postado em 26/Aug/2015 às 16:43

    Que sirva de aviso para os Coxinhas que querem morar nos EUA. Melhor ser compatriota do Marcelo Odebrech que do Vester Lee Flanigan.

  3. Pedro Postado em 26/Aug/2015 às 17:20

    Como se aqui fosse super difícil comprar uma arma. Comentário nem um pouco inteligente o seu, Guillermo.

  4. Pedro Postado em 26/Aug/2015 às 17:35

    Guillermo, leia novamente o comentário do Lucas. Acho que você não entendeu que vocês concordaram.

  5. Luís Guilherme Postado em 26/Aug/2015 às 17:53

    Só porque os EUA estão adotando uma política, quer dizer que ela é correta? E depois é a direita quem é vira-latista. O desarmamento ser a modinha do momento dos políticos americanos não a torna mais nem menos correta.

  6. enganado Postado em 27/Aug/2015 às 00:21

    Quem planta rosa colhe rosas, quem planta espinho colhe espinhos.