Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 04/Aug/2015 às 17:16
64
Comentários

Apresentadora é chamada de 'racista' após publicar foto de babás

Fernanda Lima, apresentadora da Rede Globo, discutiu com seguidores após ter sido chamada de racista por conta da publicação de uma foto das babás de seus filhos seguida de legenda. A postagem, aparentemente despretensiosa, foi considerada ofensiva por alguns internautas

Fernanda Lima foto babás
Fernanda Lima e as babás Ângela e Tayane Dias (Pragmatismo Político)

Fernanda Lima, apresentadora de Rede Globo, decidiu rebater alguns comentários nas redes sociais nesta segunda-feira após publicar uma foto das babás Ângela e Tayane Dias, duas jovens que cuidam dos seus filhos. “Aqui em casa não tem essa de babá vestida de branco! Ó o grau das mina!”, escreveu na legenda.

Uma internauta enxergou racismo na postagem. “O mais triste desse país não é o fato de estarem vestidas de branco ou não, é o fato de sempre vermos pelo passado escravocrata esse tipo de foto, a Sinhá branca falando ‘Olha minhas negras não vivem na senzala, são da casa’. Pode até tratar bem, mas infelizmente elas sempre serão as babás e a sinhá sempre será a boazinha, tipo Princesa Isabel. Um dia, neste país, ainda vamos ver os negros no poder e não só subalternos como essa foto, #prontofalei”, escreveu.

SAIBA MAIS: Estudante de Medicina sofre racismo por não ser ‘branquinha de cabelos lisos’

Fernanda Lima respondeu pontualmente: “Querida, essas meninas são filhas de uma grande amiga e não trabalhavam. Quando tive meus meninos, liguei pra ela perguntando se elas queriam uma oportunidade de trabalho porque eu estava disposta a ensinar, já que saquei que, apesar de difícil, a profissão de babá pode ser muito rentável. Desde então elas convivem com a nossa família, comemos na mesma mesa, conversamos e trocamos confidências como amigas. E ainda as remunero muito bem”.

A seguidora de Fernanda se explicou. “Como sou uma pessoa educada e antes que os seguidores da Sinhá Fernanda comecem a me xingar (…), não vão entender nunca mesmo, passando 127 anos da abolição, que vemos a mesma cena: brancos patrões e negros empregados. Tenho certeza que vocês não vão querer que esse quadro mude. Afinal, quem vai servir, né?”.

Exagero?

A discussão entre a apresentadora e a internauta provocou opiniões divergentes nas redes sociais. “Então negro não pode ser empregado? Só pode ser chefe? Não vi problema algum no post”, afirmou Valério Souza, concordando com Fernanda.

“Chamar alguém de Sinhá e afirmar que os negros só “servem” é de uma tristeza. Enfim, desejo a essa menina muita luz em seu coração, deve ter sofrido muito nessa vida”, escreveu outra jovem que também saiu em defesa da apresentadora.

“Se fosse duas babás de pele branca não causaria tanta discussão, o preconceito está nos olhos daquele que olha a foto e interpreta de maneira totalmente equivocada, para pessoas sem preconceito, simplesmente são duas mulheres lindas e estilosas que tem o carinho da patroa e seu trabalho reconhecido!”, postou outra.

“Detalhe, as babás da Fernanda têm nomes, ao contrário das babás dos filhos de Angélica”, destacou uma internauta, referindo-se à polêmica em torno do acidente aéreo envolvendo Luciano Huck, Angélica, seus filhos e as babás há três meses.

Mas nem todos concordaram com a apresentadora.

Para o internauta Gabriel Sales, que ressaltou que Fernanda não teve intenção de agredir ninguém com sua publicação, racismo ‘é coisa de que quem sofre’. “Lá vem a camada de ‘branco’ latino americano falando ‘racismo é coisa de quem vê’. Queridos, racismo é coisa de quem sofre. A Fernanda Lima pode não ter agredido intencionalmente ninguém, mas a postura é sintomática, principalmente pelo aporte publicitário que famosos como ela tem com sua rede social: todos bem sucedidos, estilosos, e brancos do bem, vendendo a grife de si mesmo, só que com uma forcinha da imagem alheia. Cada postagem deve ser pensada, pois ela mesma fez questão de carimbar a profissão das babás-amigas, que chegam até a comer na mesa e recebem muito bem, vejam só! Parabéns pelo luxo e mimo com a funcionárias Fernanda, quem iria pensar em tratar como gente um ser humano?”, publicou

VEJA TAMBÉM: Rede Globo rebate acusações de racismo em foto sobre ‘diversidade’

“Tampouco creio que a Fernanda Lima teve má intenção, mas infelizmente, há uma mensagem subliminar nesta foto com a legenda em referência”, completou Leila Rosa.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Matheus Koslosky Postado em 04/Aug/2015 às 17:40

    Eu concordo em partes com o que disse o Gabriel Sales. Não acho que a resposta da Fernanda Lima tenha sido racista, mas sim classista (o que não deixa de ser um problema). Me parece que, no discurso da Fernanda, comer na mesa e receber muito bem é um diferencial entre essas babás e outras babás, e não entre essas negras e outras negras.

    • Eleandra Machado Postado em 04/Aug/2015 às 19:08

      Concordo

    • Roger Postado em 04/Aug/2015 às 20:40

      Finalmente um comentário lúcido. Mas infelizmente, são raras as pessoas que entendem certo e expõem uma opinião bem formada em vez de ficar mumuzando com um texto enorme que fala muito e diz nada.

      • Rogerio Postado em 05/Aug/2015 às 01:39

        Ela se referiu a uniforme!!!

    • Juliana Postado em 04/Aug/2015 às 21:24

      OI! Também não acho que a postagem da Fernanda tenha cunho racista. É simplesmente um reflexo, como um "espasmo cultural", praticamente incontrolável e adquirido na infância, que é quando percebemos o mundo à nossa volta. Eu sou negra, e estava numa academia de classe alta onde malho. E no vestiário, uma menina de uns 7 anos chegou perto e perguntou "Você é babá?", Eu disse não. A menina fez uma tremenda cara de confusão, pois algo naquele cenário não fazia sentido para ela. Duvido que essa menina seja racista, e, ao perceber o mundo à sua volta, aos sete anos, ela sabe que negros limpam o chão, cuidam das casas e das crianças, mas não compartilham da mesmos espaços nem da mesma qualidade de vida. OBS: Eu não estava de branco!

    • Roberto Pedroso Postado em 13/Aug/2015 às 23:02

      Mais uma questão delicada em um pais de passado escravocrata como o nosso o preconceito social e racial se amalgamam e convergem para um mesmo fim, a questão é onde começa o preconceito racial e em que medida ele se confunde(devido a nossa herança histórica já conhecida)e se mistura ao preconceito racial?onde começa um preconceito e termina outro e vice versa?

  2. Luxiana Postado em 04/Aug/2015 às 18:06

    Concordo que a postagem retrata a diferença de classes no Brasil. Mas me pergunto qual deveria ser a atitude da Fernando Lima? Não contratar negras para babá? Não citar as babas por serem negras? Para mim essas alternativas parece muito mais racistas.

    • Caio Postado em 04/Aug/2015 às 19:17

      Exatamente.

    • Carlo Rodovalho Postado em 05/Aug/2015 às 09:37

      A postura correta está bem clara no contexto. Essa postura seria não ser Sinhá.

  3. Trajano Postado em 04/Aug/2015 às 18:07

    Não acho que esta moça tenha postado a foto com intenções racistas. Sinceramente. Até porque o pior tipo de racismo não é o explícito, intencional, barulhento, mas, sim, o silencioso, implícito, "sem intenção": é aquele racismo em que colocamos indivíduos em castas; aquele que damos toda a sorte de características que queremos, como se fossem corpos manipuláveis, e achamos isso não somente “normal”, como também digno, puritano; é aquele que se retroalimenta apenas por estar de acordo com uma dita ordem social, cultural, tradicional; é aquele que busca consolidar o discurso do poder travestido “de branco”. "Aqui não tem babá vestida de branco"...Ok, mas e se elas estivessem uniformizadas, qual diferença faria? Aquele racismo explícito do tipo "Babá 1" e "Babá 2" não tem diferença entre o "Aqui não tem babá vestida de branco". Nos dois casos, sublimamos os indivíduos, os classificamos, "vestimos" os seus corpos e suas subjetividades, manipulamos como queremos. O problema é que no primeiro caso, o branco da "Babá 1" é inaceitável, politicamente incorreto, enquanto no segundo, a ausência do branco é uma coisa linda, tal como a moça que as empregou. Só que os negros continuam excluídos e a única coisa que se tem a capacidade de fazer é analisar a cor dos seus uniformes.

    • Juliana Postado em 04/Aug/2015 às 21:11

      Arrasou!!!

  4. Daniel Postado em 04/Aug/2015 às 18:07

    A nossa sociedade é desigual e racista, e isso resulta em termos negros em condições piores do que brancos, de maneira sistemática. O caso da Fernanda Lima ILUSTRA bem isso. Todavia, ilustrar bem não significa que a própria Fernanda Lima esteja perpetuando isso. Ela é apenas uma pessoa bem sucedida contratando pessoas que precisam e oferendo as estas pessoas um salários justo e respeito. Não vai ser criticando pessoas inocentes que vamos resolver as mazelas da nossa sociedade. Para ser racista você precisa ter praticado racismo. Pessoas brancas já nascem em situação de privilégio (embora uma série de outras características possa lhes colocar em situações de desvantagem), mas isso não quer dizer que elas sejam culpadas disso. Ninguém pediu pra nascer e ninguém escolheu a cor. Devemos culpar apenas os culpados, aqueles que fazem de tudo para que a situação continue a mesma. Os verdadeiros racistas da nossa sociedade e os políticos corruptos agradecem essa histeria.

    • B. Ferreira Postado em 05/Aug/2015 às 08:34

      Boa, cara!

  5. Rodrigo Postado em 04/Aug/2015 às 18:18

    (Outro Rodrigo) Sendo bem irônico, então ela não pode mais contratar pessoas negras? Vai ter de (ressuscitando o algo análogo ao famigerado requisito de "boa aparência") especificar que, por medo de ser chamada de racista, ela só poderá contratar pessoas brancas (e ainda assim será chamada de racista)? Vai ter de checar cor para ver se a contratação resultará em "linchamento" virtual? Ao contrário de tantos que desmerecem os funcionário do lar, a apresentadora expõe o tratamento igualitário, como devido, dando exemplo, mas muitos apenas se ligam à aparência da mesma e à vontade de acusar.

    • Trajano Postado em 04/Aug/2015 às 18:47

      Sério, Rodrigo, que a única interpretação suficientemente relevante que o seu cérebro conseguiu processar foi essa? Sério que a única coisa que você foi capaz de fazer é criar uma fantasia em que algumas pessoas terão medo de contratar determinados trabalhadores para não serem acusadas de racismo (Rodrigo, é pra rir)? Sério que, após essa sua manobra delirante, você se sentiu na liberdade de classificar outras pessoas como “os desmerecedores dos funcionários do lar”? Sério que você reduziu os discursos em “vontade de acusar”? Ô, que vontade, você não tem nem ideia. Eu não sei qual é o seu limite do ridículo, mas, ao que parece, o fundo do poço pra você não é uma barreira intransponível.

      • Rodrigo Postado em 04/Aug/2015 às 22:10

        (Outro Rodrigo) Trajano, como sempre parto do princípio de que o interlocutor é uma pessoa racional, lúcida, apenas vou ressaltar de novo o que já havia ressaltado desde o início do meu comentário: usei a figura de linguagem da ironia. Assim, levá-la ao "pé-da-letra" é uma interpretação equivocada, a compreensão errada do sentido da frase. Mais, quando falo do receio da contratação, uso nova figura de linguagem, qual seja, a hipérbole. Levo, pois, a questão ao exagero, a fim de que a reflexão possa ser vislumbrada de forma mais ampla, sendo percebido o, no popular, "mimimi", "nhémnhémnhém" ao qual a simples foto e comentário absolutamente comum levaram. Então, prezado(a), apenas lamento que você tenha transcendido os limites da falta de conhecimento da Estilística da língua portuguesa, da interpretação textual, tendo mesmo de partir para a ofensa de seu interlocutor e tentativa de ridicularização do mesmo. Ao fim, lamentável a postura de quem não compreende a fala alheia e arvora-se à condição de bufão da corte. Melhor sorte para você.

    • poliana Postado em 04/Aug/2015 às 18:49

      (outro) rodrigo, pensei o mesmo q vc. daki a pouco n poderemos mais contratar babás negras por sermos taxados de racistas. babás agora só brancas. eu n vi intenção racista nessa foto. até achei q ela tentou entrar na polêmica em torno do fato de as babás terem q usar uniforme branco pra todos saberem q ela é uma empregada e dar status à patroa. essa discussão é antiga. acredito piamente q a fernanda lima postou essa foto meio pra apoiar a causa, por ela ser contra o uso do uniforme e assim tentar usar sua imagem pra deixar claro sua opinião a respeito. mas juro q n vi racismo nessa atitude dela.

      • Trajano Postado em 04/Aug/2015 às 19:03

        Poliana, se contrata trabalhadores, independentemente da cor da pele, querida. Se você sabe o que é e o que não é racismo, qual o seu receio de ser acusada disso ao contratar uma babá? Se “daki a pouco n poderemos mais contratar babás negras por sermos taxados de racistas”, isso não vai ser problema, afinal, estaremos em uma sociedade repleta de idiotas. Ou já estamos?

      • Daiane Postado em 04/Aug/2015 às 19:21

        Perfeito, perfeito, faço minhas as tuas palavras!

      • poliana Postado em 04/Aug/2015 às 19:36

        trajano, vc tem razão, n contratamos um profissional pela cor de sua pele, mas se vc n percebeu, ela disse q essas moças são filhas de uma amiga dela. vc precisando de uma profissional em casa, nesse caso, uma babá pros seus filhos, sabendo q uma conhecida da família está precisando de trabalho, e vc já asconhecendo, n as contrataria? então vc acha q o fator crucial pra fernanda lima tê-las contratado, foi por elas serem negras e q em seu subcosciente as pessoas negras foram feitas pra esse tipo de trabalho? aí já é uma questão de interpretação. eu, realmente n vi racismo nessa atitude dela, mas......creio q para trazer um profissional pra dentro de sua casa, pra cuidar de seus filhos e conviver com a família diariamente, a cor da pele é o q menos importa nessa situação, mas sim a confiança q temos na profissional a ser contratada.

      • Trajano Postado em 04/Aug/2015 às 21:38

        Poliana, percebi e entendo que é importante termos confiança em quem cuidará dos nossos filhos quando necessário. Entendo também que confiança é um pré-requisito em qualquer profissão, para qualquer empregador e para qualquer trabalhador, em suma, para qualquer relação saudável com o outro. Quanto às escolhas das “Fernandas”, então, são apenas escolhas. Particularmente, eu jamais escolheria empregar filhos de amigos em empregos terceirizados, ainda mais se eu fosse uma pessoa de alto status social, muito menos terceirizar a atenção parental a um profissional, uma vez que, em minha concepção, se trata de minha irrestrita atribuição. Mas cada um possui necessidades diferentes; isso não é um julgamento criminal assim como não chega nem a ser uma questão moral. É uma questão social. Social, já que podemos colocar babás em um patamar de segunda categoria ao considerarmos que os profissionais do mercado não são de confiança e é melhor empregarmos os filhos de amigos, já que entendemos que estes, sim, são de confiança, além de não considerarmos experiência como importante neste ramo, contrariando o mercado de trabalho e diferindo do conceito de competitividade de ampla gama de profissões reconhecidas cuja experiência e/ou preparo são fundamentais no negócio. São apenas babás, né? É crime pensar como as mentes das Fernandas? Não. É imoral agir como os discernimentos das Fernandas? Não. Agora, junta tudo isso em um país em que determinadas pessoas (na ordem dos milhões...) são segregadas pela cor de sua pele, por sua origem, por sua aparência e junta com o conceito de que as babás não são profissionais como os demais. Claro que as Fernandas não são racistas. Só não me venha dizer que elas são diferentes das Angélicas “Babá 1” que pintam por aí porque não são. É a mesma coisa, com uniforme ou sem uniforme. Sobre o que você disse, “então vc acha q o fator crucial pra fernanda lima tê-las contratado, foi por elas serem negras e q em seu subcosciente as pessoas negras foram feitas pra esse tipo de trabalho?” Bom, Poliana, eu jamais disse qualquer coisa parecida, até porque confundir subconsciente com inconsciente não é do meu feitio. Esta é uma interpretação sua, não minha. E por falar em inconsciente, talvez até um ato falho seu. Quem se importa. Estou pouco me lixando se existe ou não um fator crucial nessa história toda, uma vez que não existe nada crucial nessa história (graças a deus!), apenas o famoso mais do mesmo: Angélicas e Fernandas cumprindo seus papéis de Angélicas e Fernandas em uma sociedade que procura no facebook a solução para os mistérios da vida e só encontram uma repetição do que já foi contato incontáveis vezes. Nada mais do que isso. "Aqui não tem babá vestida de branco": e daí? Dentro das inúmeras possibilidades que o seu poder aquisitivo pode lhe prover para contribuir com a transformação da sociedade, a única coisa foi empregar as filhas da amiga e não colocar nas meninas os temidos uniformes brancos? Tá bom. Não existe nada de errado nisso. NEM CERTO.

      • Rodrigo Postado em 04/Aug/2015 às 22:23

        (Outro Rodrigo) Pois é, Poliana. Claro que há episódios claros de racismo, discriminação, que devem ser devidamente criticados, reprimidos, mas esse não é o caso. Ela contratou pessoas para exercerem um trabalho, as remunera e então resolve propor uma discussão, demonstrando que o funcionário do lar é uma pessoa como qualquer outra, digno destinatário de bom e igualitário tratamento. Mas muitos apenas preferem taxar de "sinhazinha querendo pagar de boazinha". Na casa de meus pais, minha mãe insistia para que as funcionárias contratadas dessem prosseguimento ao estudo (normalmente em cursos para adultos) e as estimulava a seguir adiante na vida, não estagnando. O bom tratamento era comum a todos, bem como a mesma alimentação, como deveria se dar em todos os lares. De outro lado, na casa de conhecidos eu via o que a apresentadora criticou, a saber, a diferenciação de tratamento, de alimentação etc. Minha interpretação, pois, é a mesma que a sua. P.S.: podemos discordar quanto a determinados pontos, quanto à intensidade de determinadas críticas, mas saiba que mesmo sem a conhecer pessoalmente tenho a feliz constatação respeitá-la a cada dia mais, ante o fundamento de suas opiniões, sua reflexão e crítica - eu sempre insisto sobre a cobrança e vejo que você a faz. Abraços e boa noite.

  6. marc Postado em 04/Aug/2015 às 18:20

    A questão não é o racismo q vc pratica, e sim os estereótipos q vc reforça, mesmo sem intenção reforçando o racismo. Mas essa fernanda é daquele estado q chamam jogadores negros de macacos e a q subistituiu a camila pitanga e o lazaro ramos no sorteio daquela organização criminosa, a fifa ? "Em meio aos protestos contra os gastos de dinheiro público com a realização da Copa do Mundo no Brasil, a Fifa acabou gerando uma nova polêmica nos últimas dias. A entidade máximo do futebol vetou a dupla de atores Lázaro Ramos e Camila Pitanga para a apresentação do sorteio das chaves da Copa do Mundo de 2014, que vai acontecer no dia 6 de dezembro, na Costa do Sauípe, na Bahia. Para o lugar da dupla, o casal Fernanda Lima e Rodrigo Hilbert" Então com todo respeito vsf Fernanda alguma coisa, racista do crl.

    • Eduardo Postado em 04/Aug/2015 às 18:31

      mimimi """Mas essa fernanda é daquele estado q chamam jogadores negros de macacos""" que belo argumento.. todo gaúcho é racista entao, até a Daiane dos Santos.

      • Rosalino Postado em 04/Aug/2015 às 20:56

        Vai te catar seu ignorante filho da p... fala de que estado de merda que você foi cagado.

      • Rodrigo Postado em 04/Aug/2015 às 22:25

        (Outro Rodrigo) Ele foi irônico, Rosalino.

    • Eduardo Postado em 04/Aug/2015 às 18:54

      "estereótipos que voce reforça" Se contrata negro, reforça estereótipo, se nao contrata, é racista. Escreve uma cartilha pros não negros poderem saber o que fazer sem parecer racista por favor.

    • Fernanda Postado em 04/Aug/2015 às 19:07

      Você, seu branco, amarelo, pardo, negro, azul com bolinhas ou seja lá qual for a sua cor, nunca aceite uma oportunidade de trabalho se a pessoa que foi desligada não seja branca, certo??

  7. Rubens Postado em 04/Aug/2015 às 19:02

    Uma coisa é lutar contra o racismo. Outra, bem diferente - e contraproducente - é procurar racismo em tudo. Se um branco contrata negros ele é racista!? Então, para não ser racista, devo contratar apenas brancos!? Uai... Pra mim, isso sim (não contratar negros) era racismo... Não entendo mais nada, viu? E se a história favoreceu mais aos brancos que aos negros, o que é fato cabal, tratemos de mudar a realidade presente para que essa mudança tenha frutos no futuro bem próximo, o mais imediato possível, mas parem de achar que todo branco é racista por ser branco. Em tempo: sou branco e meu superior imediato tem, fenotipicamente, origem africana (genotipicamente falando eu também tenho). Isso é racismo às avessas? E o fato de eu querer galgar degraus na minha profissão é racismo, então, já que isso "demonstra" que eu não aceito estar hierarquicamente abaixo de um negro!? Tenham dó, pelo amor de Deus!!!

    • samara Postado em 04/Aug/2015 às 20:16

      concordo plenamente, acredito que ao envés de ficarmos nos colocando sempre como vitimas, o Brasil assumir as nossas cores nos somos uma raça colorida, todo mundo tem um pouco de negro nas veias. #ficaadica

  8. fany Postado em 04/Aug/2015 às 19:08

    Alguém ja parou para pensar que talvez essas garotas estejam estudando paralelamente ao emprego de babà e este é um excelente emprego? Sou estudante e adoraria poder cuidar de duas crianças lindas e ganhar muito bem por isso enquanto termino meu curso. Obvio que o racismo no Brasil é latente e obvio que os negros têm uma herança historica dificilima, mas cada vez mais negros entram na universidade e, embora sigam sofrendo preconceito, as coisas estão melhorando. Foquemos nos assuntos realmente relevantes ao invés de xingar uma mulher que emprega as filhas de duas amigas pagando um bom salario para cuidarem de seus filhos, sua maior preciosidade.

  9. Daiane Postado em 04/Aug/2015 às 19:11

    É sério isso? Essa pessoa que comentou na postagem da Fernanda, deve ser muito amargurada, só enxerga racismo, preconceito, de fato é uma pessoa preconceituosa e o pior de tudo, não enxerga isso. Eu vi na foto duas mulheres, de bem com a vida e resolvidas, a cor da pele, bom tem gente que só enxerga o que lhe convém. Li também que alguém falou em mensagem subliminar, eu ri, mas depois até me bateu uma deprê.. o que será de nós? porque as pessoas resolveram adotar a dualidade, a separação? sabemos da história, mas devemos seguir o baile, seguir a vida, se todos os negros resolverem posar de vítimas e todos os brancos forem taxados de preconceituosos, pode esquecer a igualdade, pois assim, ela nunca virá!

  10. Wanderson Postado em 04/Aug/2015 às 19:22

    Como eu dizia em outro artigo,a melhor coisa que há na internet é perder tempo vasculhando a vida alheia das celebridades a procura de alguma "falha de conduta"que eles não podem ter,por que são famosos horas.Tais quais super-heróis,não podem se dar ao luxo de serem hipócritas e falhos como qualquer ser-humano. Para muitas pessoas,o vacilo qualquer dos famosos é um gozo,pois assim eles podem esquecer suas vidas fracassadas e dizer:É.Mesmo ele sendo uma celebridade,ele é tão misserável quanto eu. No mais,tudo faz parte do circo de entretenimento.

    • João Paulo Postado em 04/Aug/2015 às 19:52

      Concordo. O que leva alguém a ficar olhando o Facebook da Fernanda Lima e de tantas outras "celebridades"? No mais, não há racismo ou classismo, etc. Só há um "ismo": o idiotismo.

  11. Val Ferraz Postado em 04/Aug/2015 às 19:32

    Leiam até o final antes de pensarem que eu sou uma elitista burguesa de merda. Eu não suporto a Fernanda Lima. Mas o povo tá louco, vendo tudo de uma forma muito unilateral, querendo desconstruir tudo sem filtro algum e generalizando situações. Garis têm menos dignidade que outras profissões, para você? Domésticas têm menos dignidade porque não estudaram e você tá num doutorado? A pessoa que afirmou que Fernanda seria racista por postar a foto das babás (leiam a matéria inteira antes de opinar), pra mim, está sendo desrespeitosa em relação à profissão de babá em si, que é digna assim como das empregadas domésticas ou qualquer outra. Imagina o quanto essas meninas se sentiram humilhadas ao lerem que alguém pensa assim, que a profissão delas é "menor"? E se elas gostarem do que fazem? Conheço pessoas que gostam muito do que fazem, trabalhar em casas, o que não gostam é da remuneração às vezes, mas da profissão em si, sim. Assim como muitos gostam de ser manicures, pedreiros, etc. O que precisa melhorar são os salários, as desigualdades salariais entre as diversas profissões. O velho intelectual (vale mais) versus braçal (vale menos). ~~Quem não são dignos muitas vezes são os patrões~~, que tratam seus empregados como escravos; mas não vamos generalizar os casos por favor. TODA profissão é digna, a diferença entre elas e você é que seu chefe tá no escritório. Babás são super necessárias em uma sociedade moderna sim, e se bem remuneradas e respeitadas, são tão dignas quanto você e seus Phd da vida.

  12. Thiago Teixeira Postado em 04/Aug/2015 às 19:37

    Não há racismo neste caso. Lógico que não. Se aparecesse um loiro na porta da casa dela, certamente o contrataria como assessor, jamais ofereceria um cargo de segurança ou chofer. Racismo no Brasil não existe, temos é contratar bastante babás negras mesmo (afinal, sobra as vagas melhores para os arianos).

  13. Juniperos Postado em 04/Aug/2015 às 19:39

    Acho que seria demais pedir refinamento por parte de apresentadores de um canal que exibe versões caricatas de brasileiros como autenticas, enfadonhos programas dominicais, novelas chulas e insossas, telejornais meticulosamente manipulados, o hediondo BBB, e tenta sessionar a sociedade com seus parâmetros televisivos que visam unicamente o lucro. mas para dizer a verdade, estamos vivendo uma paranoia de racismo generalizado, e agora eu pergunto: certas pessoas não tem sequer vocabulário para se referir a alguém de etnias de origem africana...sim, vamos nos lembrar disso: o negro brasileiro foi trazido da Africa, e mesmo muitos negros brasileiros dos dias de hoje, se referem ao negro Africano como alguém de outra espécie, fato que já presenciei numa cena bizarra entre negros brasileiro e nigerianos... (triste). Acho que isso é o máximo, da apresentadora pessoal. não que eu entenda por que as pessoas tem que ficar mostrando quem cuida dos filhos... mas vejam só: a nossa internet é boa? Não, é a pior do mundo, atras até de países que estão em conflitos e é também a mais cara. mais cara que a norte americana e outros países de primeiro mundo, no entanto as provedoras se veem no direito de anunciar com homens azuis uma internet que não existe... e está tudo bem... tudo bem.. é assim que a barca toca... a justiça considerou que não tinham o direito de bloquear os créditos se você os deixassem guardadinhos, sendo econômico, mas todo mundo continua recebendo aquelas malditas mensagens as duas da manhã, dizendo que se não for feito uma recarga seus créditos serão bloqueados... ai você se sente um lixo por estar juntando dinheiro para pagar as contas e a operadora te liga as duas da manhã para te lembrar que você é pobre!!!! Nosso problema não é só racismo, NOSSO PROBLEMA É QUE NOSSO PAÍS ESTÁ UM CAOS, UMA PIADA DE MAL GOSTO, E NÃO TEMOS UM POLITICO DESCENTE PARA FAZER NADA PELO POVO, E AÍ FICAMOS DEBATENDO SOBRE UMA APRESENTADORA XAROPE QUE POSTA FOTO DAS BABÁS NEGRAS QUE TRABALHAM PARA ELA!!!!

    • Eddie Postado em 06/Aug/2015 às 03:18

      Politico de(s)cente??! Quem sabe faz a hora, nao espera acontecer!

  14. Lygia Postado em 04/Aug/2015 às 19:41

    O mundo está ificando muito. Qualquer atitude é julgada. O preconceito está na cabecinha vazia de qu incentiva esse tipo de conversa. I Brasil nunca foi taonoreconceigyoso e vazio como no tempo de hoje. Que vazio essas pessoas tem no coração ! Quem diz que essas meninas não estão felizes com a vida que levam? Vai arrumar roupa pra lavar, gente vazia!

  15. samara Postado em 04/Aug/2015 às 20:14

    É bem dificil entender a sociedade, se no lugar da Fernanda Lima a Gloria Maria tivesse ostado uma foto de uma funcionaria branca seria racismo? Nosso pais e de maioria de cor de pele escura, e devemos lembrar que nem todo branco e rico e nem todo pobre e preto. Em pleno seculo XXI as pessoas ainda estao mais preocupadas com a cor da pele e nao com o trabalho, negritude brasileira vamos almentar nossa auto-estima e crescer nao so no tamanho dos quadris mais tambem o nosso potencial, todos somos iguais e nem toda branca e bem sucedida ou apresentadora de telejornal. Se todo mundo se colocar sempre como vitimas e se lamentar por causa de problemas sociais, bao vai fazer o Brasil um pais de uma cor só, quer queira quer nao nos somos sim coloridos.#ficadica

  16. Danielle Postado em 04/Aug/2015 às 20:18

    Fernanda, estamos do seu lado, tudo agora virou racismo na cabeça dos maldosos, você é linda e tem luz própria, o mal se destrui por ele mesmo. Beijos no coração.

  17. Vanilda Carneiro Postado em 04/Aug/2015 às 20:41

    Ai meu saquinho.

  18. Samael Postado em 04/Aug/2015 às 21:12

    Pra quem tem duvidas, pesquisa ai a mesma coisa no TUD. Acho q vai mudar a opinião de muita gente.

  19. André Postado em 04/Aug/2015 às 21:19

    Isso é fácil de se resolver: basta esse povo - que tá vendo racismo nisso - chegar nas babás, cobrir a oferta da Fernanda Lima e contratá-las para qualquer outra coisa.

  20. Eduardo Ribeiro Postado em 04/Aug/2015 às 21:20

    Eu gostei da postagem da internauta. Pena que foi bem desvirtuado. A coisa poderia ter caminhado para boas reflexões e uma boa discussão sobre desigualdade, sobre a subvalorização do trabalho das domésticas, sobre o quanto são exploradas - algumas delas "full time" - , sobre o porque do universo das empregadas domésticas ser majoritariamente "negro", sobre o fato da roupa não ser branca e almoçarem na mesma mesa já ser um avanço mas que é bem pouco, além de soar como o bom e velho "eu até tenho amigos negros/gays", alem do que, espera-se que este não seja um ato isolado, que seja acompanhado de ações mais concretas...mas chegou já na voadora contra a artista e conseguiu o prodígio de, mesmo estando certissima, perder a razão. Ainda assim tem meu apoio.

    • Trajano Postado em 04/Aug/2015 às 22:08

      Que comentário sóbrio. Ótimo, ou melhor, puta que pariu. Já estava ficando bêbado com as viagens “subconscientes” de Poliana & trupe. Sim, Eduardo Ribeiro, sim! “...além de soar como o bom e velho "eu até tenho amigos negros/gays", alem do que, espera-se que este não seja um ato isolado, que seja acompanhado de ações mais concretas...”. Exatamente, é o mais do mesmo explorado até a exaustão facebookiana, mas sem nenhum retorno concreto para a sociedade. Apenas um “vestir ou não vestir uniforme”, quando a questão é: por que diabos estamos falando disso? Babás são profissionais, mas temos que contratar as filhas da amiga que “comem até com a gente”, olha que coisa. Ora essa, qual a novidade nisso? Por outro lado, novidade seria se tirassem fotos dos altos executivos globais e, na parte da legenda, inserir: “aqui não tem Zelotes” ou então tirar fotos dos jornalistas e legendar “aqui não tem mentira”, ou, quem sabe, tirar fotos dos grandes empresários e dizer “aqui não tem Suíça”. Claro que isso não vai acontecer, são profissionais, não iriam se submeter ao constrangimento. Mas como são babás, vamos tirar fotos e colocar um “Aqui não tem babá vestida de branco” ou então legendar como “Babá 1” e “Babá 2”, afinal, não vamos comparar as profissões, né? Por que será, ein? Alguém se arrisca a responder?

  21. Samael Postado em 04/Aug/2015 às 21:22

    Coloquei errado, não sei se pode colocar link mas aqui mostra essas profissionais respeitadas trabalhando e uma postagem dela sobre o caso...http://www.tedouumdado.com.br/2015/08/03/da-serie-a-gente-mente-o-google-desmente/

    • Eduardo Ribeiro Postado em 04/Aug/2015 às 21:54

      Eu acabei de dizer em outro comentario: "o fato da roupa não ser branca é muito pouco mas já é um avanço". Mas eu achava que era verdade que as empregadas não vestiam uniforme branco. Porra...perdeu a moral por completo. Primeiro, porque mentiu, e mentiu feio. Segundo, pouca coisa é mais cafona e elite terceiro-mundista do que ter babá/doméstica e manda-la usar branco em público. Terceiro, que fotos constrangedoras, absolutamente ridiculas.

  22. André Postado em 04/Aug/2015 às 21:22

    Alguém parou pra se perguntar se essas meninas estão satisfeitas com o trabalho delas? Se não, vão procurar o que fazer e parem de procurar tumulto pra tudo. OBS: sou negro tb.

    • Samael Postado em 04/Aug/2015 às 21:43

      Olha o link André.

  23. Felipe Postado em 04/Aug/2015 às 21:42

    Quanta babaquice, se elas fossem brancas ela seria racista por ser negra é racista, se ela coloca foto é racista se não coloca é racista, muitas pessoas não sabem o que querem.l, se a pessoa trabalha de forma digna com salário justo não vejo qq problema nisso.

  24. Leandro Postado em 04/Aug/2015 às 22:15

    Vocês já se esqueceram do outro caso com ela? Que ela disse: "isso não é problema meu" quando a Camila Pitanga foi substituída por ela no evento de sorteio da Copa do Mundo.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 04/Aug/2015 às 22:30

      Na mesma semana desse episódio, dançou e cantou no seu programa "cada macaco no seu galho", acompanhada de dançarinos vestidos de macacos.

  25. Daniel Santana Postado em 04/Aug/2015 às 22:22

    No meu entendimento a questão de classe está historicamente ligada com a questão racial. A postagem da modelo não foi causa de racismo, mas sim efeito histórico de décadas da falta de inclusão dos negros após a abolição.

  26. José Ferreira Postado em 05/Aug/2015 às 00:26

    Realmente existem racistas e práticas racistas, mas não foi esse caso. As pessoas acabam a exagerar e ver racismo onde não existe. O extremismo causa cegueira.

  27. Geraldo Postado em 05/Aug/2015 às 09:10

    Tenho medo de escrever qualquer coisa.

  28. Paulo Postado em 05/Aug/2015 às 09:21

    Putz, aí qualquer postagem já é motivo para uma polêmica, não vi absolutamente nada de mais nisso, apenas a patroa brincando com suas empregadas, que são negras, mas poderiam ser brancas. E outra, pelo oportunidade que tem, elas tem mais é que estudar e evoluir na vida. Que chatice.

  29. thiago Postado em 05/Aug/2015 às 10:28

    por que as babás não falam nada? que história é essa de ficar exibindo babá como trofeu? além de racista e classista, é ridículo, parece uma exposição aqui em casa é assim, olha a foto! é uma reificação total, e acho que o efeito seria, não o mesmo, mas parecido se fossem brancas, todo ser humano exposto dessa forma, perde um pouco da humanidade, vira meio coisa, um negócio, um treco pra ser mostrado. Acho que aí está o mal estar que isso causa, há uma desumanização nisso. As pessoas têm de tomar cuidado com proliferação de imagens ligadas a discursos, pois podem ser traídas pela sua boa vontade. Mas que boa vontade é essa? Isso aí tem muito de racismo sim, as desculpas ainda são piores: minha amiga, precisavam trabalhar, parece aquele papo "não sou racista, tenho amigo negro". Enfim, vale para refletir, não para perseguir.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 05/Aug/2015 às 10:45

      Podem fechar os comentarios. O gabarito está aqui.

  30. sergio ribeiro Postado em 05/Aug/2015 às 11:54

    Querem achar chifre na cabeça de cavalo. Passo longe de ser rico e tenho uma empregada em casa uma vez por semana, branca. Quando estou em casa e/ou minha mulher, almoça na mesa conosco. Diz que as patroas geralmente não lhe deixam nem pão. Em países avançados não existem mais domésticas; somente milionários as têm porque são caras. A apresentadora não fez nada de errado e não se justifica tanto mimimi.

  31. Léo Bold Postado em 05/Aug/2015 às 12:19

    É tão racista que deixa seus dois filhos nas mãos delas...

  32. JH Corvetto Postado em 05/Aug/2015 às 13:53

    Se ela fosse racista, não as contrataria, afinal recebem salário, e o verdadeiro racista de hoje discrimina ao não contratar a raça preta. Um racista somente tem um negro se for em regime de servidão. Sinceramente, o movimento politicamente correto está destruindo a mente de pessoas que passam a negar a vida e o ser humano; passam a discriminar quem não discrimina. Vão catar cocos!

  33. Antonio Palhares Postado em 05/Aug/2015 às 14:02

    O Brasil esta muito chato.É muito melindre. Qualquer coisa é racismo,preconceito e outros quetais.Esta na hora de olharmos comportamentos e não cor da pele e poder aquisitivo.Enfim, educação.Não enxerguei racismo na atitude da apresentadora

  34. Rafael Postado em 05/Aug/2015 às 17:23

    Não achei o comentário racista. Nem classista. Nem nada. Há que se observar o contexto. Como posso julgar pessoas que não conhecemos? A foto, as pessoas, a postagem...o que será que elas pensaram disso? Poruqe "a minha opinião" é a mais adequada? Será que existe algum preconceito exposto ou velado na relação entre a fernanda e a s babas? Para mim foi uma banalidade qualquer, uma foto postada com comentarios sobre roupas e tal...qualquer pessoas faz isso na internet. Pelo comentario da fernanda me parece que elas são bem felizes e impolutas de relações negativas como preconceitos! O fato das profissionais que cuidam de crianças serem negras não significa nada neste episodio. Podia ser amarela, branca, parda, enfim, qual a diferença? Liberdade de expressão morre nos olhos de quem julga por si só.