Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 19/Aug/2015 às 15:17
19
Comentários

614 ossadas de possíveis desaparecidos na ditadura são recebidas pelo MPF

MPF recebe 614 ossadas de possíveis desaparecidos políticos da ditadura militar no Brasil. Os restos mortais estavam em vala clandestina e serão analisados em laboratório da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). A universidade já conta com centenas de ossadas, sendo que, do total já analisado, 85% são do sexo masculino e 5% de crianças

cemitério presos ossadas ditadura políticos
CemitéŽrio Clandestino de Presos Pol’íticos – Dom Bosco. Imagem: Claudio Rossi / Agência O Globo / 1990.

Ministério Público Federal (MPF) recebeu no último sábado (15) as 614 ossadas que estavam em vala clandestina do cemitério de Perus, na zona noroeste da capital paulista. Os restos mortais de possíveis desaparecidos políticos da ditadura ficarão armazenados em sala-cofre no subsolo do MPF em São Paulo até que a reforma no laboratório da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) esteja concluída, e as ossadas possam ser transferidas para a instituição.
No laboratório da universidade, já há 433 ossadas, o que fez atingir a capacidade máxima do local, que só deve ser ampliada após a reforma. O conteúdo de 385 caixas já foi aberto e verificado. Por meio de análise antropológica, arqueólogos estimaram o perfil biológico das ossadas, como sexo, estatura, faixa etária e possíveis traumas.

Do total já verificado, 85% são ossadas do sexo masculino. Existe também um percentual de 5% de crianças. Em 22% das caixas havia mais de um indivíduo, o que significa que o número de pessoas a serem identificadas pode ser maior que o estimado. Participam do trabalho de identificação arqueólogos, médicos, dentistas e geneticistas da Unifesp.

Laboratório

Segundo o ministro da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República Pepe Vargas, o ministério está em processo de contratação de um laboratório internacional que também se dedicará à análise genética das ossadas. O valor a ser gasto gira em torno de R$ 2 milhões.

O Cemitério Público Municipal de Perus foi usado durante a ditadura para enterrar secretamente militantes políticos assassinados e outras vítimas de violência no regime. “O direito à memória é fundamental e deve ser garantido pelo Estado e pela própria sociedade. A busca da verdade é tarefa fundamental de um estado democrático. Isso é fundamental tanto para que a sociedade compreenda a forma como a repressão se estabeleceu, quanto para que isso não se repita”, declarou o ministro.

O cemitério foi inaugurado em abril de 1971. Algumas ossadas foram descobertas na década de 1990 pelo Departamento de Medicina-Legal da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Em 1992, foram identificados dois presos políticos cujos restos mortais estavam na vala clandestina de Perus: Dênis Antônio Casemiro e Frederico Eduardo Mayr. Naquela época, foram encontradas mais de mil ossadas enterradas na vala clandestina, colocadas em 1.049 caixas.

Em 2014, foram transferidas 433 ossadas para o laboratório da Unifesp, mas a permanência das 614 ossadas no cemitério ainda preocupava o Grupo de Trabalho de Perus. Na sala-cofre do MPF, segundo a procuradora regional da República Eugênia Gonzaga, que também é presidente da Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos, as ossadas ficam seguras e armazenadas com a climatização e umidade adequadas.

A estimativa é que a identificação dos restos mortais feita pela Unifesp e pelo órgão internacional a ser contratado termine até o final de 2016.

(Assista abaixo vídeo-documentário sobre as ossadas do cemitério do Perus)

Agência Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 19/Aug/2015 às 15:49

    Não force a barra, tio.

    • José Ferreira Postado em 19/Aug/2015 às 15:49

      Censuraram a maria...

  2. poliana Postado em 19/Aug/2015 às 15:52

    q lindo, hein, pereira?! o q vc tem a dizer sobre isso? e vc, maria cesar souza, filhote da ditadura?e o naro solbo, defensor incondicional dessa corporação medíocre?...apareçam...e ainda tem gente q pede a volta dessa corja novamente! impressionante!

    • Paula Postado em 23/Aug/2015 às 15:21

      Vc é uma excrescência!!

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 19/Aug/2015 às 16:05

    """"ah, mas tem que ver que eram 614 agentes comunistas que queriam implantar o comunismo malvadão no país...subversivos que tramavam contra a nação e a familia brasileira...por isso que morreram....inclusive as 20 crianças mortas eram bolivarianas tambem.....as forças armadas nos salvaram, salvaram a nação...e ainda livraram o país de 20 bandidos comunistas no futuro....nossa bandeira nunca será vermelha""""

  4. Rosendo Postado em 19/Aug/2015 às 16:25

    Seja como for é uma ato desumano e covarde,quem quer que tenha feito isso,com certeza aqui não pagará,mas a justiça vem do alto

  5. Rodrigo Postado em 19/Aug/2015 às 16:39

    (Outro Rodrigo) Quando alguém defender ditaduras ou a sua volta, sejam as ditaduras de direita, sejam as de esquerda, convém refletir sobre imagens tais e tantas outras afins.

  6. poliana Postado em 19/Aug/2015 às 17:04

    ah, claro..até pq nada disso aconteceu. o golpe n existiu e nunca tivemos uma ditadura militar no brasil. vc deveria estudar mais a história do brasil. (veja bem, não é nada pessoal. é só uma sugestão).

    • leonardo Postado em 20/Aug/2015 às 19:42

      Muitos são indigentes, não tem nenhuma relação com a ditadura.

  7. André Nelson Postado em 19/Aug/2015 às 19:35

    É muito triste saber que há quem acredite que uma nação se firmará sem observar os moldes de respeito ao ser humano. Sobre a mentira e injustiça é que pensam que podem garantir um futuro para seus descendentes. Esta ação me diz que cada osso ali é a memória de um individuo digno apenas por ter nascido aqui neste rincão, o Estado lhe tirou os seus mínimos direitos e os direitos de seus familiares. Lei é pra ser respeitada.

  8. Bianca C. Postado em 19/Aug/2015 às 21:51

    Tenho pena de você Maria, procurar defender, uns dos mais lastimáveis episódios que o Brasil vivenciou, só pode advir de pessoas ignorantes, incultas e desinformadas iguais a ti! Faça um favor a humanidade, procure um livro de história para ler!

  9. Giovanni Postado em 23/Aug/2015 às 18:03

    Uma azeitona. È isso que tem em sua cabeça.

  10. Gloria Postado em 23/Aug/2015 às 18:38

    Eu acredito que esses excrementos que defendem a ditadura, só pode ser coronéis trasvestidos de Marias e etc.

  11. André Ribeiro Postado em 23/Aug/2015 às 21:32

    Pobre mulher doente você é Maria.Doente e cínica.Sinceramente você deve ser muito amargurada e sozinha,para querer chamar atenção defendendo criminosos.Não importa sob que regime , qualquer tipo de repressão e violência de estado é crime contra a humanidade.Sua irresponsável.

  12. Mary Postado em 24/Aug/2015 às 00:46

    A constituição de 1988 diz que as forças armadas e pra proteger a nação a sua chefe maior e o poder executivo, aqueles que desejam a volta de qualquer ditadura e principalmente a militar, são pessoas muito burras ou de má fé, são pessoas tão criminosas quanto aos pedófilos, porque de acordo com o estado laico sabem que isto não e possível. São pessoas que não sabem conviver com as diferenças.

  13. Adyneusa Postado em 24/Aug/2015 às 20:33

    Um aumento de 250% da dívida, triplicou a dívida externa( de joelhos para o FMI), a pobreza e miséria aumentou, escolas pobres em conhecimento. No inicio eles conseguiram erguer a economia, mas o estado era mínimo para o social, os ricos ficaram mais ricos e os pobres mais pobres. Arrebentaram o país no final quando entregaram, ainda com o preço da repressão. Se algum professor falasse algo um pouco progressista, era perseguido e terminava sendo torturado e as vezes morto. Eles torturavam os pais na frente dos filhos(crianças), e mataram crianças também. Estupravam as mulheres, enfiavam objetos eletricos nas vaginas, no pênis, e matavam e enterravam escondido para que ninguém soubessem. Muitos militares foram contra a ditadura, o golpe, e esses militares também foram torturados e mortos, pode ser que as ossadas seja deles também. Voce não sabe o que está falando, estamos falando de assassinos, torturadores, estupradores, assassinos de crianças. Estude a história, os depoimentos, pare de defender assassinos. Aposto que se diz contra a corrupção, isso é hipocrisia, pois eles foram os mais corruptos, lesaram a pátria. As vezes é melhor ficar calada, pois contra fatos não há argumentos.

  14. Carlos Postado em 24/Aug/2015 às 21:21

    Em Cuba mataram 100.000 falta muito ainda.

  15. Mauricio de Souza Matos Postado em 25/Aug/2015 às 14:07

    Se gostam tanto de militares, poque nao mudam para a Coreia do Norte.

  16. gustavo Postado em 24/Aug/2016 às 21:50

    Causa-me infinda perplexidade a "angelização" de Fidel e a "satanização" de Pinochet por parte de algumas pessoas. Pinochet foi ditador por 17 anos; Fidel está no poder há 39 anos. Pinochet promoveu a abertura econômica e iniciou a redemocratização do país, retirando-se após ser derrotado em plebiscito e em eleições democráticas como senador vitalício. Fidel Castro considera uma obscenidade a alternância no poder, preferindo submeter a nação cubana à miséria e à fome, para se manter ditador. Pinochet deixou a economia chilena numa trajetória de crescimento sustentado de 6,5% ao ano. Em termos de violência, o número de mortos e desaparecidos no Chile foi estimado em 3.000, enquanto Fidel fuzilou 17 mil!