André Falcão
Colunista
Compartilhar
Direita 05/Jul/2015 às 11:50
0
Comentários

Vá procurá-la, também!

André Falcão*

Caríssima leitora e leitor que me dão a impagável honra de ler essas linhas: faço-o em tom de desabafo, com misto de razoáveis revolta e desalento.Vocês certamente me dirão que não devemos fazê-lo, porque ao assim agir estaremos nos igualando ao que há de pior que vemos neles e que condenamos. Mas, que diabos, perdoem-me: sou assaz pequeno para tanta grandeza.

Leia aqui todos os textos de André Falcão

Uma, talvez mais vez, exercitando minha filosofia de botequim, já disse, em tinta ou voz, que se a eleição de Lula não tivesse servido para nada o teria para desnudar, novamente, o pior que existe na autodenominada cordata e avançada sociedade brasileira. Novamente, porque a de Vargas e a de Goulart já o fizeram, embora com consequências mais nefastas ainda.

E é verdade. A eleição e reeleição de Lula e Dilma provocaram, e continuam a fazê-lo, o emergir do racismo, do fascismo, da homofobia, da xenofobia, do desrespeito, do preconceito, da face mais cruel e ignorante do povo brasileiro de qualquer classe, embora com mais vigor e, por isto mesmo, sem o recurso do perdão aos analfabetos funcionais, das classes média e alta. Fazem-no, não há negar-se, com o auxílio inestimável, fundamental e preponderante dos grandes grupos midiáticos que governavam este país à época em que ministro de estado tirava os sapatos em aeroporto estadunidense, e que sob os governos Lula/Dilma se transformaram no seu principal partido de oposição. O modus operandi midiático envolve, sem eventual titubeio por resquício de moral, que não tem, a mentira, a manipulação, a omissão, e os crimes, entre outros, decalúnia, injúria e difamação.

Não há negar-se, tampouco, que é a presidenta e a mulher, filha, mãe e avó Dilma Rousseff a maior vítima dessa “gente”, com aspas, mais ainda do que Lula. Toda sorte de agressões verbais do mais baixo nível já lhe foram endereçadas, em público e nas redes sociais, com o apoio explícito, ou omissivamente cúmplice, da mídia e dos seus adversários políticos.

A última: um adesivo infame que me recuso a descrever, aqui. Uma internauta o teria recebido de uma ex-amiga, como faz questão de frisar. Resolveu brincar também: fez uma montagem do mesmo adesivo com o rosto da filha dela. Foi xingada, por isto, de tudo quanto é jeito e nome. Como assim? A brincadeira só vale com a mãe, filha, avó, classe social e orientação sexual do outro, indagou? Deu-lhe, então, o conselho que o Boechat deu ao Malafaia: vai procurar uma r…! Dou, também.

*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários