Redação Pragmatismo
Compartilhar
Desigualdade Social 24/Jul/2015 às 15:49
26
Comentários

México: grupo de amigos se diverte com morador de rua 'encoleirado'

Foto de grupo de amigos se divertindo com um morador de rua com uma corda no pescoço gerou revolta e discussões no México. Alguns dos envolvidos já pediram demissão dos seus empregos e um inquérito foi aberto para investigar o caso. Um deles é diretor acadêmico de uma universidade

morador de rua méxico
Foto de morador de rua ‘em coleira’ causa polêmica no México

Uma foto mostrando um grupo de amigos sorridentes e um morador de rua com uma corda no pescoço vem causando revolta no México.

A polêmica está gerando discussões sobre a sociedade mexicana e já fez com que alguns dos envolvidos se demitissem. Um inquérito também foi aberto para investigar o caso.

O grupo que aparece na foto divulgou uma carta à comunidade com um pedido de desculpas, dizendo que o morador de rua se aproximou deles para pedir ajuda, já com a corda amarrada.

Um dos que deixou o emprego após o escândalo foi Pedro Quezada Vázques, que aparece à esquerda da foto. Na quarta-feira, ele apresentou sua renúncia como diretor acadêmico da Universidade Xochicalco, uma faculdade particular na cidade.

Uma petição online publicada no site Change.org reuniu mais de 4 mil assinaturas pedindo sua renúncia.

A imagem apareceu pela primeira vez na terça-feira à noite no portal de notícias Plex.

Segundo Ricardo Meza, responsável pelo site, um conhecido do “ambiente governamental” lhe enviou a foto, mas pediu que seu nome não fosse divulgado para evitar represálias.

“A foto teve um forte impacto; há uma onda de indignação em todos os níveis”, afirmou Meza.

Em Enseada, o caso revoltou os moradores, e muitos disseram que isso é um reflexo de um mal que impera na sociedade mexicana. Casos como esse não são inéditos no país.

Nos últimos anos, histórias que ficaram conhecidas como “Ladies de Polanco”,”Ladies Profeco” e “Lady Chiles” são exemplos de situações que acabaram gerando polêmica em casos registrando abusos a policiais, empregadas domésticas ou estabelecimentos privados.

Desculpas

Na carta de desculpas públicas divulgada pelo grupo, assinam Pedro, Francisco, Verónica, Mary Medina, Carlos Cruz, Minerva Borja, Lupita Guerrero e Verónica Casillas). Eles afirmam que:

“Saindo de um centro noturno havia uma pessoa que já trazia uma corda no pescoço e que estava caminhando pelas ruas e que se aproximou de nós no estado em que se vê na foto, pedindo ajuda. A interpretação que está sendo feita nos meio de comunicação está fora de contexto, já que nunca houve má intenções, muito menos de humilhação, por nenhum dos que aparecem na foto.”

VEJA TAMBÉM: Como o neoliberalismo demoliu a noção de bem comum

informações de Juan Paullier, BBC Mundo

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Dinio Postado em 24/Jul/2015 às 15:55

    Qualquer semelhança com uma certa Raquel da mídia...não será mera coincidência.

  2. Thales Postado em 24/Jul/2015 às 17:30

    Claro, não houve intensão de humilhar o mendigo, até pq ele não é um ser humano e sim um objeto atado a uma coleira. E os risos da galera tb é uma manifestação de alegria em poder ajudar este sujeito/objeto. Faz todo sentido o pedido de desculpas.

  3. Luiz Costa Postado em 24/Jul/2015 às 18:08

    É possível que em breve as fotos sejam publicadas com explicações no rodapé pra evitar interpretações equivocadas. Mas na foto tem alguém segurando a corda. Ou está fora do contexto também?

  4. Deisi Postado em 24/Jul/2015 às 18:49

    Realmente os sorrisos e um dos idiota segurando a corda é equivoco! Meu Deus! Quando penso que vi de tudo, me aparece algo mais repugnante. A humanidade está doente, uma total falta de amor e compaixão, não consigo entender, como pode existir seres tão desprezíveis. O mundo está padecendo e tomado pelo ódio, é assustador, não tem salvação.

    • poliana Postado em 24/Jul/2015 às 23:44

      no méxico tb tem coxinha, deise. essas pragas existem no mundo inteiro, infelizmente!

      • Deisi Postado em 25/Jul/2015 às 09:14

        Infelizmente Poliana, coxinhas sempre coxinhas, são todos iguais, só muda a nacionalidade!

  5. Denisbaldo Postado em 24/Jul/2015 às 19:41

    É só uma brincadeira gente, que é isso! Esses esquerdopatas veem maldade em tudo!!!

    • HiroNakamura Postado em 24/Jul/2015 às 20:20

      Eu não sei se você está sendo irônico. Se sim, nível master de ironia. Se não, Acredito que não seria tão engraçado se fosse um parente seu a vítima da "brincadeira". Brincadeira é você fazer chacota com uma pessoa na mesma condição social e com a mesma possibilidade de retribuir a brincadeira. Isso até poderia ser encarado como brincadeira. Agora, utilizar-se da condição de vulnerabilidade do outro, para fazer chacota, é no mínimo desrespeitoso, mas nesse caso foi cruel, e não deve ser confundido com uma simples brincadeira. Além do fato de que o 'grupo de amigos' não tinha qualquer intimidade com a vítima, para ter tal liberdade. Experimente na próxima festa que for, fazer isso com um desconhecido, veja se ele vai encarar como uma brincadeira.

      • Denisbaldo Postado em 24/Jul/2015 às 20:28

        Não amigo, estou sendo irônico.

    • HiroNakamura Postado em 24/Jul/2015 às 20:57

      É mesmo um mestre... :D

  6. Paulo Postado em 24/Jul/2015 às 19:58

    Sabemos q uma sociedade pautada em valores burgueses é decadente e doente, quando os ricos se divertem com o "espetáculo" da miséria em vive os que não tem nada.

  7. HiroNakamura Postado em 24/Jul/2015 às 20:25

    Lê-se sobre a suposta barbárie da sociedade mexicana, com níveis de violência fora de controle e o narcotráfico comandando o país, mas pelo menos lá a sociedade repudia este tipo de ato. Aqui, boa parte dos que pregam discursos neo fascistas no facebook estariam aplaudindo, com o mesmo ódio que defendem a volta da ditadura e argumentos (coisa rara terem algum) de que a miséria é uma consequência aceitável do capitalismo. Uma sociedade que defende linchamentos e a tortura, ao que me parece, está em situação muito pior que os Mexicanos. Porém só repudiar o ato é ainda sinal do atraso ético ao qual nos apegamos. Uma sociedade verdadeiramente justa, colocaria agressor e agredido juntos, e proporia uma forma de redenção. E que forma melhor do que conhecer o sofrimento do outro e estender-lhe a mão. Mas da forma como estamos procedendo, pode até ser que os agressores pensem duas vezes antes de repetir algo assim em público, por MEDO, mas o agredido e todos nós, continuamos a carregar a mácula da exclusão. Enfim, justiça não se resume em punir. Só seremos justos de verdade, quando aprendermos o poder desse ato: REDENÇÃO. Já estamos aptos a substituir o medo da punição, pela dádiva da Redenção.

  8. enganado Postado em 24/Jul/2015 às 22:18

    O pessoal tem mesmo memória curta. Há tempos atrás a PM-RJ amarrou com corda nos pulsos uma leva de pessoas na Baixada Fluminense, em uma batida policial. Então se os PM´s eram as "otoridades", tá tudo certo! Porque alegaram falta de algemas, da mesma forma que hoje não tem coletes à prova de balas, e qdo tem são de décima categoria. Tão roubando muito! Parece até gente do PSDB/DEM! Mas fiquem calmos (tomem mais gole=Aechaça=Aébrio) que os culpados de tudo são a Presidenta DILMA, Lula e o PT. Tá bom assim! O México é aqui também! rsrsrs... Pois é os plays boys da Barra da Tijuca-RJ, adoram dar porradas em DOMÉSTICAS em pontos de ônibus qdo voltam para casa depois das noitadas de cachaça e tóxicos. Os de Brasílias põem fogos em Índios.

  9. Thiago Teixeira Postado em 25/Jul/2015 às 09:10

    Coxinha são todos iguais em qualquer parte do mundo: Ostentam seus sobrenomes europeus, são esnobes, preconceituosos, conservadores, covardes e adeptos ao discurso fácil da mídia.

    • Felipe Postado em 25/Jul/2015 às 10:43

      Eu só queira entender como as pessoas a estes tipo de conclusão política de um fato que simplesmente é ato de pessoas idiotas não tendo relação nenhuma com a posição política ou social, pra quem mora em periferia ou favela ou estudou em escola pública de periferia sabe que tanto pobre quanto rico ou nesse caso classe media comete estes atos idiotas, e isso não tem nada a ver com posição política.

      • Thiago Teixeira Postado em 25/Jul/2015 às 13:28

        Nada a ver com a posição política? OK. Vai num ponto de ônibus de qualquer periferia do mundo e repare se algum trabalhador faz esse tipo de coisa "idiota". E estas pessoas estão saindo do turno de fábrica? São moradores de periferia? Vestem trajes com faixas refletivas? Estão acorda pra vida e saia desse mundinho Globo - Veja - Folha.

      • Felipe Postado em 25/Jul/2015 às 16:12

        Pessoas idiotas existem em todos os lugares, as pessoas que fizeram justiça com as próprias mãos eram ricos? Amarraram e espancaram uma pessoa, ou aquelas que deixaram um menor pelado preso ao poste, ou mesmo nas escolas públicas a humilhação que alguns u os fazem com seus colegas, não adianta cara, saia VC dos jornais de esquerda e se informe dos dois lados e vera que esse tipo de comentário tem dos dois lados

      • ingrid Postado em 25/Jul/2015 às 18:47

        Otima colocaçao Felipe.

  10. Iran Bayma Postado em 25/Jul/2015 às 12:12

    Pelo menos no México eles pedem desculpas. Aqui, há juizes que diriam " Eles só queriam brincar" (Como no caso em que tocaram fogo no índio Galdino em Brasília).

  11. Eduardo Ribeiro Postado em 25/Jul/2015 às 12:18

    É no México, mas se me dissessem que foi em São Paulo, a Boçalândia, o antro da coxinhada arrogante que não se importa em tripudiar e cagar em cima dos desfavorecidos, eu não duvidaria.

  12. Wanderson Postado em 25/Jul/2015 às 12:30

    Ok.Polêmicas e tudo mais.Atos de repudio e revolta contra os hipócritas.Mas e o "cidadão" com a corda no pescoço?Onde ele está?Procuraram saber como vai ele?Estão tentando ajudá-lo ou a sociedade simplesmente o ignorou novamente,fazendo ele se recolher na sua indigência e desapareceu no meio de tantos outros quanto ele outra vez? Pobre coitado,virou um simbolo involuntário,um alvo sem querer da estupidez de uma sociedade doente.

    • Felipe Postado em 25/Jul/2015 às 16:14

      Certamente deve estar jogado no mesmo canto com a mesma corda pq lá como aqui ta cheio de gente ora se indignar com isso mas poucas pessoas para abraçar esse sujeito e dar um oportunidade para mudar de vida.

  13. Luís Postado em 25/Jul/2015 às 19:01

    HUAHUAHUAHUAA leu a notícia amigo? Mexicanos e votando no aécio? PSDB tá trazendo mexicanos pra contrabalançar os haitianos, né? kkkkk

    • Salomon Postado em 25/Jul/2015 às 22:25

      Tolo. A questão é de ideologia. Uma figura de linguagem que aproxima pensamentos comuns.

  14. Sergio Carneiro Postado em 26/Jul/2015 às 06:44

    Só vejo um grupo de empresários socialistas zombando de um morador de rua.

  15. Luiz Souza Postado em 26/Jul/2015 às 16:30

    Europeus.