Redação Pragmatismo
Compartilhar
Europa 16/Jul/2015 às 15:53
54
Comentários

Menina palestina chora após ouvir resposta indesejada de Angela Merkel

Em debate, menina palestina refugiada na Alemanha fala sobre seu desejo de progredir e cursar uma faculdade. A resposta de Angela Merkel, no entanto, fez a jovem de 13 anos – que está sob risco de deportação – ir às lágrimas

menina palestina angela merkel alemanha
Em debate na Alemanha, menina palestina chora quando a Angela Merkel explica que o país expulsará os refugiados

Um vídeo [ver abaixo] que mostra a chanceler (primeira-ministra) alemã, Angela Merkel, em um debate sobre política de asilo que levou uma adolescente às lágrimas gera polêmica nas redes sociais.

No debate, Merkel ouve a declaração de uma menina palestina, em alemão fluente, sobre seu desejo de ir à universidade e progredir. “Eu tenho metas como qualquer pessoa. Eu quero estudar como eles. É muito desagradável ver como os outros podem aproveitar a vida, e eu não posso”, afirmou a jovem.

Sob risco de ser deportada, Reem, de 13 anos, vive com a família na Alemanha há quatro. Eles vieram do Líbano, onde vivem cerca de 450 mil palestinos em 12 campos de refugiados, segundo a Organização das Nações Unidas.

Merkel diz entendê-la, mas destaca que, no entanto, a política é, muitas vezes, difícil. Merkel acrescenta que, como a menina sabe, há milhares de refugiados palestinos no Líbano. “Se dissermos que todos vocês podem vir, e que todos vocês da África podem vir, que todos podem vir, não daremos conta”, disse.

Ao ouvir a resposta, Reem começa a chorar, sendo, imediatamente, confortada por Merkel. “Você se saiu bem”, disse a chanceler, que foi, em seguida, contestada pelo moderador do debate. Ele diz que a questão não é se a adolescente se saiu bem ao expressar sua visão, mas, sim, a difícil situação em que ela se encontra.

Merkel diz saber disso, mas, que ainda assim, queria ‘fazer um carinho’ na menina. A resposta, considerada desajeitada, chegou a virar trending topic no Twitter da Alemanha, com a hashtag #MerkelStreichelt (Merkel faz carinho, em alemão).

VEJA TAMBÉM: Quem é o covarde que humilha, em vídeo, um imigrante haitiano?

O debate ocorreu em uma escola na cidade de Rostock, no norte da Alemanha, e contou com a participação de adolescentes de 14 a 17.

Muitos usuários de diferentes plataformas de redes sociais apoiaram o conteúdo da resposta e a reação de Merkel. “Realista diante da crise que o país vive”, disse, no Facebook, um alemão. Mas não faltaram críticas. “Toda a crueldade da política de imigração em um clipe”, atacou um jornalista.

O vídeo suscitou ainda discussões sobre a política alemã para o Oriente Médio, com usuários sugerindo que, se Merkel quer menos refugiados palestinos na Alemanha, deveria ter um papel ativo para que a Palestina seja reconhecida internacionalmente e pela retirada de tropas israelenses de territórios palestinos ocupados.

“Um abraço e uma batidinha nas costas antes de deportá-los para uma favela no Oriente Médio não é suficiente”, disse um leitor, em comentário com mais de mil curtidas no Facebook.

Segundo a ONU, os palestinos, que representam cerca de 10% da população do Líbano, não gozam dos mesmos direitos de cidadãos libaneses. Não podem, por exemplo, trabalhar em 20 diferentes profissões. Por não serem formalmente considerados cidadãos de outro país, não têm como requerer direitos como outros estrangeiros. A situação nos campos é precária e muitos vivem em pobreza absoluta.

LEIA MAIS: O fenômeno do pós-consumismo na Alemanha

A crise no sistema de asilo na Alemanha vem sendo provocada, por um lado, por um aumento nos pedidos de vários países (cerca de 4,5 mil pedidos de asilo neste ano, praticamente o dobro de 2014) e, por outro, pela falta de agilidade em lidar com casos específicos que resultem em deportação ou aprovação do pedido.

Vídeo:

BBC Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Tatiana Postado em 16/Jul/2015 às 16:10

    que fofinha!!! eles confortavam assim os judeus que iam para os campos de concentração na segunda guerra?

    • Fabio Marotto Postado em 16/Jul/2015 às 16:36

      Ela esta certa. Eu moro na Alemanha e vejo centenas de asilados chegando todos os dias. A Alemanha faz o que pode pra oferecer pra essas pessoas moradia, integraçao, trabalho, escola. Mas nao tem como receber todo o muindo, mesmo porque a Alemanha, a França e a Inglaterra carrega toda a europa "nas costas". Nao tem como um pais com praticamente o tamanho do Parana suportar e oferecer asilo pra todo o mundo, alem do que ja faz. Seu comentario é preconceituoso. Melhor estudar mais antes de descarregar seu odio na internet.

      • Rodolfo Postado em 16/Jul/2015 às 16:56

        Superficial essa Tatiana hein!? Concordo, Fábio. Já morei lá também e vi como é de perto. Mas acredito se essa garota se destacar nos estudos, tenho certeza que ela ganha uma bolsa de graduação ou mestrado pelo DAAD ou Goethe Institut, e se se destacar na área em que atua, vai ter a chance de trabalhar e morar lá. Fora que ela pode ingressar na universidade depois de fazer um Studienkolleg e o Abitur.

      • John Postado em 16/Jul/2015 às 17:04

        Fabio, já que é tão útil e esclarecido, está convidado a voltar pro Brasil e deixar uma vaga na Alemanha pra quem precisa. Ou só brasileiro "bem nascido" tem direito de migrar praí? E, se vai mandar os outros estudarem, capriche nos estudos em gramática, preconceito, história e economia; seu post está cheio de erros nos quatro.

      • Pedro Postado em 16/Jul/2015 às 17:09

        Meh....foi a bagunça feita na Alemanha que permitiu a criaçao o estado sionista de Israel. A Alemanha vai pagar essa conta moral por milênios ainda....o que a Alemanha fez organizada como Estado reverbera até hoje nas lagrimas de uma pequena palestina. Eles plantaram odio e sangue, as outras potências continuaram o serviço no oriente médio, o mínimo (MINIMO) é acolher refugiado e engolir o racismo. Agruras realistas européias não comovem...eles fizeram muita m....

      • Alexandre Postado em 16/Jul/2015 às 17:12

        Incrível um imigrante defendendo a expulsão de imigrantes. O ápice do egoísmo e do auto-engano. Não se acanhe, querido xenófobo: daqui a pouco chega a ordem de deportação dos latinos.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 16/Jul/2015 às 17:17

        Eu entendi certo? O colega imigrou pra Alemanha e acha ruim com outros imigrantes na mesma Alemanha?

      • Eduardo Ribeiro Postado em 16/Jul/2015 às 17:23

        Ah...a Alemanha tem extensao equivalente a do Mato Grosso do Sul. Digamos que quase cabem 2 Paranás dentro da Alemanha. Melhor estudarmos mais..

      • Salomon Postado em 16/Jul/2015 às 17:41

        Esse Fábio Marotto, está certíssimo. Esses países que ele citou carregam, de fato, a Europa nas costas. Está, portanto, explicado o desmantelo atual do continente, as sucessivas guerras mundiais e massacres ao longo dos séculos. E esse Marotto prova também que brasileiros vira latas como ele existem em todos os cantos.

      • Renato Postado em 16/Jul/2015 às 17:44

        Só acho que Alemanha, Inglaterra e França tem muita culpa pelo contexto que se encontra o Oriente médio, seja pela complacência com os desmandos de Israel ou com a industria automobilistica e petroleira.Absorver os refugiados destes conflitos seria o mínimo que esses paises podem fazer, até porque, quantos anos de exploração já não se passaram?

      • [email protected] Postado em 16/Jul/2015 às 18:15

        Tu é brasileiro? Aqui no Brasil, não todos claro, mas o sábios e os mais experientes costumam ter uma atitude digna ao tratar um semelhante, essa atitude se resume no seguinte dito popular: " Aonde comem três, comem quatro." A ilógica do capital que sega as pessoas com a ganância. Parabéns por viver no seu mundinho chamado Alemanha, alias que não é seu... é de quem banca ele... você deve só ser conveniente a alguem...

      • Salomon Postado em 16/Jul/2015 às 18:37

        O tal que mora na Alemanha fala de centena de asilados (nome dado a idosos que são colocados no asilo). Com o que, a Alemanha virou um asilo mundial? Coitada dessa criança.

      • julia Postado em 16/Jul/2015 às 18:41

        Estou adorando ler esses comentários!! Lembrei automaticamente da minha mãe que viveu na seca do nordeste: "êh, minha filha, sabe porque a gente passou por aquilo porque o pensamento vigente sempre foi "farinha pouca, meu pirão primeiro". Para mim pode, mas a "rafaméia" oriunda do oriente médio vá se lascar para lá.

      • poliana Postado em 16/Jul/2015 às 18:50

        eduardo, com certeza se trata de um gaúcho q acha q é alemão. vc n conhece vários desse tipo aki no brasil?

      • Cássio Postado em 16/Jul/2015 às 20:42

        Você também não passa de um asilado, mas está se achando alguém muito superior...ridículo o seu comentário. Como disseram por aí, nem sendo imigrante o brasileiro com síndrome de vira lata deixa de assim se comportar. Além de tudo é uma anta quanto análises geográficas. O que o tamanho do território da Alemanha comparado ao do Paraná tem a ver com a sua capacidade ou não em receber imigrantes? Pouca ou nenhuma influência.

      • Deisi Postado em 17/Jul/2015 às 08:58

        Comentário tipico de um coxinha, você brasileiro não pode, mas os outros pode. Egoismo é uma virtude para coxinha, não conseguem enxergar outra coisa a não ser seu próprio umbigo.

      • Maria de Lourdes Cardoso Postado em 17/Jul/2015 às 21:32

        Olá Marotto, quando a Primeira Ministra vai te mandar embora? Tu moras na Alemanha e concordas com ela? Troca com a menina, deixa ela ficar e vais morar na Palestina ou voltas para o Brasil.

    • Sergio Postado em 16/Jul/2015 às 21:21

      E quem conforta os palestinos sendo tiro ao alvo de Judeus? E a imprensa chama aquele genocídio de guerra. Os alemães ao que parece aprenderam com a história.

    • enganado Postado em 16/Jul/2015 às 22:32

      Cara Tatiana, todo meu apoio! O problema destes refugiados PALESTINOS começa qdo iSSraHell ocupa a PALESTINA e aí começam a matança/assassinatos/torturas dos PALESTINOS, e a coisa com apoio dos EUA e sua Patota ((principalmente a Inglaterra)) endossam estas matanças desde 1947. Hoje! Hoje! Pergunto porque este apoio a iSSrahell? GRANA! Não será preciso discursar aqui as atrocidades de iSSraHell contra os PALESTINOS. Pergunto: Por que então a eUSropa NÃO resolve o problema da Pátria PALESTINA? Parafraseando, Silvio Berlusconi, quem manda na eUSropa é a Alemanha (ocupada), mas a mesma obedece/se borra/senta no colo dos EUA/iSSraHell. Então na eUSropa como são todos COVARDES, SEM EXCEÇÃO (incluir tbm todos os países do antigo Pacto de Varsóvia) tem por obrigação receber todos os refugiados PALESTINOS como consequência de sua omissão covarde. Medo tbm de iSSraHell? A Alemanha (ocupada) paga dívida de guerra a iSSraHell ATÉ HOJE, sendo que na época não havia iSSraHell. JudeuSS são sem pudor/sem vergonha/ povinho de merda que recebem na calada da noite, GRANA da Alemanha (ocupada), coisa que NENHUM país da eUSropa NUNCA receberam NADA, devido as 1ª e 2ª WW; pois os EUA proibiram tais ações ((Favor incluir o BRASIl em mais essa putaria dos EUA/iSSrahHell, porque os navios nossos afundados e os pracinhas mortos foram sacrificados pelas almas do outro mundo)). Mas iSSraHell, pode! fdp´s! Se os EUA e eUSropa quisessem pôr um fim nesta arruaça que se encontra o Oriente Médio, lógico que NÃO haveriam refugiados PALESTINOS/SÍRIOS/IRAQUIANOS/LÍBIOS/SOMALÍS/AFEGÃOS/UCRANIANOS/CIGANOS/ ... etc. Engraçado que os jornalecos dos EUA/iSSraHell ainda não culparam o PUTIN até hoje, porque aqui a rede gRoubo já deve ter uma matéria pronta culpando o LULA/DILMA/PETISTAS/POBRES/PUTAS/PRETOS/PROFESSORES, e agora a Imprensa Empresa Press_tituta Anglo-Semita já incluíram mis um "P" nas lista dos 5P´s, O PAPA! pois já o tacharam de COMUNISTA e boicotam até suas notícias. O Sapatão=Merkel não quer refugiados na Alemanha (ocupada), porque não interessa no momento devido ao desemprego lá, só aceitam dar emprego ao povinho da terra=os minhocas, mas se situação mudar tem empregos para todos: _limpar a bundas da crianças_varrer ruas_trabalhar nas fornalhas das siderúrgicas_limpar jardim zoológico_limpar fossas_apertar parafusos_faxineiras_cozinheiras_cortar grama_ ... . E o salário, hein! Coisa que não se discute! É esse aí e se reclamar muito, calabouço! A lei da Alemanha (ocupada) não aceita, né! O Merkel, eu quero que vc e o resto da eUSropa, EUA/iSSraHell, vão para a .... , pois pimenta no cx dos outros é refresco! Me engana que eu gosto!

    • Caroline Postado em 17/Jul/2015 às 08:38

      Certíssima? Como que ela está certíssima? Não estamos pedindo para que a Alemanha acolha de braços abertos, mas oportunidades iguais é o mínimo.

  2. José Ferreira Postado em 16/Jul/2015 às 16:10

    É um caso complexo, pois a Merkel está parcialmente certa, pois não dá para dar abrigo para todo mundo. Entretanto, a Alemanha poderia trabalhar mais para o reconhecimento do Estado Palestino como uma nação soberana.

    • Carlos Prado Postado em 16/Jul/2015 às 16:37

      O que ela pode fazer é jogar à esquerda, viver de propaganda, posar de bonitinha e aceitar esta menina, patrocinar-lhe os estudos. Mas quantos poderiam viver o mesmo? Um bom lugar para estes refugiados seria o Brasil. Somos um país muito grande com tantas oportunidades inexploradas. Somos sobretudo agrícolas - fato que pode espantar quem vive nas metrópoles litorâneas - temos por onde chegar a ser uma Alemanha, país que ao invés de proteger industrias básicas abandoná-as para que tenham que agregar valor ao que vem de fora. Assim não perdem tempo fazendo pregos e rolamentos, são inundados por produtos simples e a partir deles constroem mais complexos. E o Brasil mesmo sendo agrícola, ainda nesse ramo é pouco explorado. Seria um bom lugar para estes imigrantes crescerem; se aqui não fosse tão burocrático. Décadas anteriores, quando não eramos ainda tão engessados, imigrantes libaneses podiam chegar aqui sem ter o que comer e onde dormir e depois de uns anos formar um bom patrimônio. Mas hoje seria muito mais difícil.

  3. Marcelo Postado em 16/Jul/2015 às 16:30

    Eurocentrismo demais. Germanocentrismo demais. " ... blá blá blá ... todos querem vir pra cá ... blá blá blá ..." Não Angela, nada disso. Todos preferem viver em paz em suas terras, com boas perspectivas e felizes. Em vez de pensar assim, você deveria trabalhar pela paz no mundo, não apenas pela rentabilidade dos investimentos alemães.

    • Professora Postado em 16/Jul/2015 às 17:13

      Assim penso também Marcelo. Paz, que tão pouca há e tão preciosa é. Solidariedade e bem comum. E deixar o futuro acontecer. Apenas isso!

    • Carlos Morelli Postado em 16/Jul/2015 às 22:38

      Nāo podia se melhor. Está certíssimo. Nāo se deve defender quem agredire os menos favorecidos.

  4. Rodrigo Postado em 16/Jul/2015 às 16:44

    (Outro Rodrigo) É a tênue e nada grata linha divisória entre o caráter humanitário de assistência a imigrantes (refugiados ou não) e a capacidade de um país de prover o mesmo aos seus nacionais e aos estrangeiros (todos, claro, seres humanos da mesma forma). Um momento, pois, em que mesmo um comentário pode ser deliberadamente classificado como xenófobo ou como adequado. Em uma analogia "pobre", podemos pensar a partir de nosso próprio lar, quanto à capacidade que temos de ajudar terceiros (quantas pessoas e como podemos acolhê-las). Em seguida, passemos ao menor dos Entes da Federação, o Município - a capacidade municipal de receber e acolher imigrantes. Após, aos Estados, recentemente sendo visto que o Acre, porta de entrada de cidadãos haitianos, prontamente os remetia ao Estado de São Paulo (alguns falaram em xenofobia, em higienismo, outros dizendo que os Estados do Sul teriam melhor condição de absorver o contingente de pessoas e a elas prover o necessário, na medida do possível). Chegamos, pois, aos países, sendo necessário questionar a capacidade de cada um de absorção de contingente crescente de imigrantes (refugiados ou não) - especificamente países da Europa (incluída a Alemanha), a receber cidadãos africanos e do oriente médio que fogem de guerras. Qual o limite de abertura de fronteiras, pois? Seria o momento de buscar fomentar (para quem não o faz) o desenvolvimento em nações menos favorecidas? Seria adequado o uso, por exemplo, de intervenções via OTAN? E, pensemos ainda, sobre as "forças" que surgem em países, após intervenções. Bom, foi mais um convite à reflexão do que uma opinião, em uma questão tão complexa.

    • João Paulo Postado em 16/Jul/2015 às 21:03

      Comentário mais lúcido. A despeito de estar certa ou não, a chanceler perdeu uma boa oportunidade de ficar calada. Não sei o contexto do programa. Certamente, a ideia não foi confrontar adolescentes imigrantes. No caso do Brasil, creio que nossa capacidade de absorção é ZERO. Conseguimos avanço na diminuição da fome e miséria, mas ainda mal conseguimos lidar com nossa desigualdade social e diversas outras mazelas. Como diz a letra de uma música: "Por mim não devia nem existir fronteira, mas já que existe vamos usar a nossa bandeira".

  5. Edinho Postado em 16/Jul/2015 às 17:37

    Apenas gostaria de saber como uma pessoa faz para "se destacar em seus estudos" em um campo de refugiados, sem sequer ser reconhecido como um cidadão (quiçá poder exercer alguma cidadania e ter acesso a uma escola minimamente decente) para só depois ganhar uma oportunidade na vida. Apenas isso...

    • Luiz Souza Postado em 16/Jul/2015 às 22:55

      É que tem gente que lê Reinaldo Azevedo e acredita em meritocracia e outros bichos...

  6. babi Postado em 16/Jul/2015 às 18:17

    Parei de ler os comentarios ao ver o tal de fabio ali em cima, brasileiro, dizer "Eu moro na Alemanha e vejo centenas de asilados chegando todos os dias. A Alemanha faz o que pode pra oferecer pra essas pessoas moradia, integraçao, trabalho, escola. Mas nao tem como receber todo o mundo, mesmo porque a Alemanha, a França e a Inglaterra carrega toda a europa "nas costas"..." E você, esta fazendo o que na Alemanha então? De acordo com sua logica você deveria voltar para o Brasil, amiguinho. Engraçado os países que são ricos por explorarem outros paises virem com essa desculpa de que "não ha lugar pra todo mundo". Se os paises deles estivessem ricos eles ficariam por la. E por qual motivo sera que eles estão na merda? Tsc, tsc, tsc...

    • julia Postado em 16/Jul/2015 às 18:47

      Por favor, alguém poderia explicar o motivo pelo qual eu senti a nítida sensação de ver a reencarnação de Hitler falando através da senhora Angela Merkel?! >-<

      • Salomon Postado em 16/Jul/2015 às 19:39

        Júlia, o caminho natural do capitalismo sem rédea é produzir Merkels, Buchs, Reagans...As chamadas ditaduras de punhos de renda.

      • julia Postado em 17/Jul/2015 às 13:38

        Obrigada salomon. Vou pesquisar sobre isso.

  7. poliana Postado em 16/Jul/2015 às 18:37

    q velha cruel e desumana, meu deus! absurdo!! n sei como consegue dormira noite sabendo q n tem um mínimo de sensibilidade pra lidar com o sofrimento dos outros. inacreditavelmente egoísta, fria e desumana.

    • Salomon Postado em 16/Jul/2015 às 19:28

      Poliana, o terreno mundial está fértil para semear gente cruel, desumana, fria e egoísta. Estamos de volta aos anos 30 depois da queda da bolsa de noviorque. Duas guerras mundiais se sucederam...

    • Eduardo Ribeiro Postado em 17/Jul/2015 às 10:21

      Tá certinha...faltou sensibilidade, tato...faltou HUMANIDADE. Eu nem entro no óbvio cerne da questão - o capital quer todas as vantagens da globalização mas nenhum ônus - , meu ponto é outro: não se fala assim com uma criança de nove anos de idade. Meu Deus do céu, é uma guria refugiada de 9 anos HUMILDEMENTE dizendo que quer uma chance em outro país...trate com um pingo de delicadeza, de carinho. Não tem como achar bonito isso aí...estou me lixando pras variáveis econômicas, políticas, envolvidas na questão...é uma CRIANÇA. E por favor: chegar numa CRIANÇA e dizer que também tem campo de refugiado no Líbano e na Palestina, como assim...quem ouve pensa a rapaziada em campo de refugiado tem algum futuro. Essa véia tem um tijolo batendo no peito.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 17/Jul/2015 às 10:24

        9 não...13..

    • enganado Postado em 19/Jul/2015 às 01:04

      Cara poliana, não se assuste porque a HILLARIA CLINTON (tia galhada) NUNCA, NUNCA, NUNCA foi a Faixa de GAZA para ver os crimes (mortes de crianças, ... etc) de iSSraHell, que tanto a pilantra apoiou na "última destruição", pois outras ainda estão por vir. Aguarde! Olha a Pilantra Americana não se esqueça, é MÃE! Dá pra perceber calibre do sentimento materno destas duas vagabundas. $$$$$$$$$

  8. Fernando brito Postado em 16/Jul/2015 às 19:43

    Angela Merkek está ali como chefe de estado. Está dando a cara a tapa respondendo a população. Outras presidentes nem põe a cara na rua. A esquerda vai de mal a pior pelos comentários. Ninguém fala das ditaduras que faturam bilhões e não ajudam os palestinos. Países cujas mulheres são tratadas como escravas. Não podem nem dirigir carro. Angela falou a verdade e não se fez de boa mocinha p platéia. Não mentiu. A Alemanha acolhe milhares de refugiados. Só que lá a lei tem de ser cumprida. E não dá p acolher todos. Nem o Brasil faz isso. Xingar não resolve problema algum. Só denota canalhice e despreparo emocional e intelectual.

    • Salomon Postado em 16/Jul/2015 às 20:10

      Fernando brito, sua defesa intransigente e apaixonada da Alemanha de Merkel denota que a Waffen SS está bem, obrigado.

      • Fernando Brito Postado em 16/Jul/2015 às 23:29

        Salomon. Você leu a parte que escrevi sobre xingar ?

    • Sérgio Postado em 16/Jul/2015 às 21:37

      Correto, o resto é bla bla de pessoas que comentam sobre realidades que não conhecem. Não conheço a Alemanha, mas conheço nossos políticos. Dariam um beijinho, prometeriam tudo na frente da imprensa e depois...

  9. Hélio Postado em 16/Jul/2015 às 20:33

    Qualquer "coisa agrícola" no Brasil só não é mais explorado por já haver uma bandeirinha do governo em todo lugar, com um leão acorrentado no mastro, muito bem adestrado para abocanhar qualquer carteira de qualquer um que tente algo mais do que padrão bolsa-família de vida.

  10. Diego Rosa Postado em 16/Jul/2015 às 21:44

    "eduardo, com certeza se trata de um gaúcho q acha q é alemão. vc n conhece vários desse tipo aki no brasil?" O que tem haver "gaúcho que se acha alemão". Porque que deve ser um gaúcho? Sou gaúcho e convivo com luteranos e não vejo nenhum se auto-denominar "Sou Alemão!", pelo contrário, os descendentes dos imigrantes alemães são muito mais tradicionalistas gaúchos que muitos descendentes latinos. Poliana não generalize. Abraço.

  11. Luiz Souza Postado em 17/Jul/2015 às 19:03

    A expressão escarnecedora que os dois coleguinhas germânicos fazem ao fundo traduz toda a história ariana sobre a Terra: pimenta no dos outros (índios, africanos e árabes) é ótimo!

  12. Luís Postado em 17/Jul/2015 às 21:40

    Virei fã da Merkel agora. Ela podia ter sido demagoga e posado de boa moça abrindo uma exceção, sacumé, fazendo todo um espetáculo populista concedendo asilo à garota pra ganhar pontos com a mídia, já que estava na televisão, ao mesmo tempo que por baixo dos panos deportava pobres imigrantes que não tiveram a mesma sorte. Em vez disso, ela não tratou a palestina de modo especial só porque ela estava na mídia; além disso, explicou honestamente a situação para a garota, falando com ela quase como de igual para igual, sem paternalismo ou tentando fazer um espetáculo emocional e piegas na frente do mundo pra ganhar pontos com a galerinha da "paz e amor". Estou absolutamente boquiaberto com a profissionalidade e falta de demagogia da estadista. O fato é que simplesmente NÃO DÁ pra Europa acolher todos os imigrantes, gostem disso ou não os pretensos salvadores da humanidade e guerreiros do mouse e teclado daqui do Pragmatismo.

    • Pedro Postado em 18/Jul/2015 às 14:05

      Porque diabos ela foi então fazer "carinho" na menina? A europa colonizou o mundo, enviou milhões de habitante por 4 séculos mundo afora e não aguenta duas décadas de imigração? E a Palestina é sim um caso muitissimo especial: foi por causa de horrores cometidos na Alemanha que o estado de Isreal, que destruiu o povo palestino foi criado. Ela disse tudo correto, tudo verdade: mas eles tem sim responsabilidade com os refugiados que são a conta do conforto da vida européia.

      • Luís Postado em 18/Jul/2015 às 18:09

        Para consolá-la, óbvio. É por isso que fiquei tão admirado com a conduta da Merkel: Ela não contou mentirinhas bonitas pra menina -dizendo que ela ia ser recebida, por exemplo - só pra ganhar pontos com a mídia e posar de boa moça. Tratou a garota de modo maduro e transparente, mas também não foi insensível aos sentimentos dela.

      • Pedro Postado em 19/Jul/2015 às 04:37

        Nao ha nada de maduro e profissional um líder de estado fazer "carinho" em uma pessoa cujos sentimentos ela acabou de destruir. Isso apos delinear uma metáfora universal da total incapacidade européia de suportar míseras décadas de imigração apos séculos de colonização e emigraçao de massa. Esse é o único problema que se discute na europa: imigrantes. Eles colonizaram o mundo inteiro, infestaram as américas com seus povos, e não aguentam duas décadas de imigração? Discordo completamente do senhor Luis, achei a cena atroz, e merece o hashtag que a Merkel recebeu na Alemanha. Nao houve profissionalismo algum naquilo: um presidente não fala uma coisa dessas a uma criança para depois fazer "carinho" para parecer mais humano. Isso contradiz sua própria opiniao: ela fez carinho para "passar por boazinha na mídia". Ela quis sim, apelar para o constituinte dela, e ao mesmo tempo "passar de boazinha e humana" ao acariciar a jovem que sera enviada para o lar que ela não tem.

  13. Fabio Postado em 18/Jul/2015 às 22:23

    Blz então parem de explorar os países e ficarem ticos as custas desses países que não vai existir mais refugiados

  14. Roberto Pedroso Postado em 19/Jul/2015 às 00:20

    Pergunta incomoda : seria esta atitude de Merkel com a garotinha palestina comparável com a atitude do governo Alemão em relação a Grécia ?

    • Luís Postado em 19/Jul/2015 às 19:15

      Não vejo nada de comum entre (1) dizer que é física e economicamente impossível acomodar todos os imigrantes que querem ir para a Alemanha e (2) dizer que a Grécia deve dar o dinheiro emprestado de volta aos seus credores além do fato de serem duas verdades.

  15. Roberto Pedroso Postado em 25/Jul/2015 às 23:17

    Serei bem didático a Europa se valeu da mão de obra estrangeira dos imigrantes durante décadas ,os bancos e fundos de pensões ganharam muito dinheiro com a venda dos papeis da divida publica grega no terreno da especulação financeira pergunto mais uma vez :a atitude da primeira ministra alemã não tem semelhanças com a forma como a Europa como um todo trata agora a situação de crise financeira da Grécia? o que eu quero dizer é que quando convêm o capitalismo ocidental industrializado europeu se vale dos cidadãos estrangeiros e fazem uso inclusive da condição de inferioridade econômica de outros países para conseguirem obter lucros (mesmo que no terreno da especulação)e quando já sugaram o que queriam dão "um tapinha nas costas"para agradecer .

  16. Mauro Postado em 29/Jul/2015 às 09:56

    http://www.timesofisrael.com/i-hope-israel-disappears-says-palestinian-teen-merkel-brought-to-tears/ Menina fofa, né?