Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 28/Jul/2015 às 12:27
33
Comentários

Eventos de crespos e ruivos provocam comentários completamente opostos

Da série: “não existe racismo no Brasil”. Por que um evento de negros/crespos é desmerecido e atacado enquanto um de brancos/ruivos recebe um caminhão de elogios?

eventos negros crespos ruivos
Eventos de crespos e ruivos provocam comentários distintos na internet (Pragmatismo Político)

Alexandre Orrico, BuzzFeed

É gritante a diferença entre os comentários em notícias de eventos de negros (Marcha do Orgulho Crespo) e de brancos/ruivos (Encontro Nacional de Ruivos — Redhead day Brazil). Nas páginas do G1, o show de horrores é potencializado. Enquanto o primeiro evento é atacado, o segundo é elogiado.

A Marcha do Orgulho Crespo lembra o Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e ocorreu no vão livre do Masp no último domingo.

Em uma notícia no G1, muitas pessoas criticaram o evento. Um deles disse que quer planejar uma “marcha pelo orgulho liso” e desmereceu o ato.

1

 

Outra deu a entender que racismo não existe e que a marcha não “leva a lugar algum”.

2

 

“Não há motivo para alguém declarar orgulho de sua cor, de sua raça, de suas preferências sexuais”, escreveu outro.

3

 

Um dos comentários fez uma comparação: “quando teve encontro dos ruivos não vi um comentário criticando o ato, por que branco ruivo pode e negro crespo não?”. Ele se refere ao Encontro Nacional de Ruivos (ou Redhead day Brazil), que já teve três edições e neste ano vai acontecer em SP, em setembro, durante três dias. A página Desenrolando postou no Facebook duas fotos comparando alguns dos comentários.

Fiz um comparativo dos comentários do G1 entre o ” encontro ruivo” que acontece todo ano no Brasil ( esse foi no Rio…

Posted by Desenrolando on Domingo, 26 de julho de 2015


Dá para ver em outra matéria também no G1 sobre o encontro que os comentários são mesmo bem diferentes.

4

É quase impossível ver alguém reclamando do encontro. Por outro lado, sobram elogios à beleza dos ruivos.

5
6

Recomendados para você

Comentários

  1. Rogerio Postado em 28/Jul/2015 às 12:46

    A Fernanda Zau é ruiva é bonita, além de talentosa.

  2. Guilhermo Postado em 28/Jul/2015 às 12:56

    Realmente... As ruivas no Brasil são sempre elogiadas. Mas o mesmo não se passa com os homens ruivos. Tenho um amigo ruivo e ele é sempre vítima de escárnio por causa da cor do cabelo. Na Inglaterra é ainda pior o preconceito com ginger men... No entanto, ainda concordo que se pusermos na balança, os negros sofrem bem mais no BR.

    • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 14:06

      Também tem a questão de que os ruivos são chamados de "ferrugem". A coisa piora se eles tiverem sardas.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 17:09

      Por favor....se "botar na balança" vai acontecer tipo um pacote de feijão de um lado e 14 baleias orcas do outro. Não há absolutamente nenhum tipo de meio para sequer começar a pensar em sonhar em talvez comparar o sofrimento de um negro com o "sofrimento" de um ruivo. É uma ofensa infame falar em "botar na balança" duas situações assim. Nem vou falar do outro doido aí que tocou no assunto " mimimi tem as sardas e são chamados de ferrugem" porque nem vale a pena.....se eles usassem uma FRANJA que cobrisse as sardas ninguem falaria de ferrugem com os pobres e oprimidos ruivos.

      • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 17:15

        Eu, se fosse ruivo, não ligaria para o apelido de ferrugem. Se fosse negro certamente não me importaria em ser chamado de "negão". Entretanto, tem gente que se ofende com esses termos. Se tivesse foto, perguntaria para você se fico bem de franja, pois você é "paranoico" com isso.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 17:30

        Mas foi voce que sugeriu que uma franja resolveria os problemas de racismo que uma guria, negra, sofreu tempos atrás...claro que fiquei "paranoico", pois me interesso pelo fim do racismo...já pensou se voce estiver certo? Se uma simples franja resolve todos os problemas de um negro com racismo, imagina o que não faria por um ruivo, que não tem problema nenhum?

      • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 17:37

        A franja resolveria aquele caso específico, pois não dá para negar que aquela testa é gigantesca. Isso é por conta da mãe dela. A mestiçagem da menina fez com que ela ficasse com a testa da mãe e a cor do pai. Ainda que herdasse a cor da mãe também, haveria "zoação" do mesmo jeito.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 17:47

        Então...se uma mera franja resolve um caso EXPLÍCITO de racismo, por que não resolveria um caso explícito de "sardismo"?

      • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 17:50

        Me permita relembrar aquele caso "em especifico", porque sua memória, assim como seu julgamento, são seletivos demais, são desonestos, e só dão atenção ao que é conveniente. Voce disse que a guria deveria usar uma franja porque ela tinha que ser mais prática e não dar brecha para as seguintes agressões: “SUA PRETA, TESTA DE BATE BIFE DO CARA******!” “EU SOU RACISTA MESMO, QUANDO EU QUERO SER RACISTA EU SOU RACISTA, ENTENDEU?” “TODA VEZ QUE EU ENCONTRAR ELA NA MINHA FRENTE EU VOU ZUAR ATÉ ELA CHORAR” “VOCÊ VAI FICAR NESTE GRUPO ATÉ VOCÊ CHORAR” “CABELO DE MOVEDIÇA, CABELO DE MIOJO, CABELO DE MACARRÃO”

      • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 17:56

        Os outros pontos são complementares, usados para aumentar o leque de ofensas, mas começou com a testa.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 18:01

        """"""""""Os outros pontos são complementares"""""""""""".....Tome tenência, Zé Ferreira...é tambem por culpa de gente como você, que tem a cara de pau e a falta de ética pra negar um ato de racismo diante dos próprios olhos, que a situação está essa bosta.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 18:07

        Agora racismo é "complementar". Até parece que foi só pra dar uma finalizada, uma complementada na zueira, e não pra DOER E SANGRAR NA ALMA e MARCAR PELO RESTO DA VIDA, que os moleques chamaram a guria de "preta cabelo de miojo". Alem de tudo, joga a culpa do racismo nas costas da guria. É ela que tem que se adaptar ao mundo racista "deixando uma franja" e não dar motivos para que as pessoas a chamem de "preta". A culpa do racismo que a guria sofreu é da própria guria. Vergonha de você. Copiando o que alguem falou nessa matéria pra voce: "Acho que vc é desprovido de qualquer tipo de consciência moral e ética." .

      • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 22:47

        Você, Eduardo Ribeiro, é que não entende o mundo infantil. Crianças sempre encontram motivos para "zoar" umas com as outras, e eles vão pegar uma (ou mais características) de um sujeito "X" para desestabilizá-lo. Tem criança que é xingada de "retardado", "baleia", "mocreia" e, também "testa de bater bife".

  3. Carol Postado em 28/Jul/2015 às 13:26

    Já fui ruiva, loira, morena e tive cabelo verde. já tive cabelo curto e longo. Por 22 anos assumi os cachos e hoje uso lisos. No fim para mim é só cabelo, é só estilo, é minha vontade e nunca me envergonhei das minhas. Orgulho de ter a coragem de ser como que ser.

    • Marco Postado em 31/Jul/2015 às 00:31

      Cabelo é raça e não estilo, sua idiota.

  4. Luís Postado em 28/Jul/2015 às 15:03

    Por serem mais bonitos/bonitas, eu diria.

  5. José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 15:16

    Quando tiver a parada dos "pilotos de autorama", estarei por lá. Hahahaha...

  6. Danila Postado em 28/Jul/2015 às 15:48

    Infelizmente alguns comentários estão corretos quando dizem que o preconceito é algo cultural, e que uma "cabeça fechada" não vai mudar de opinião por causa de uma marcha. Mas acho que toda manifestação é válida. O orgulho crespo quer dizer: "eu sou assim, me amo assim e não vou alisar a porra do meu cabelo só pra me enquadrar no padrão".

  7. Maurício Postado em 28/Jul/2015 às 16:15

    Eu já sabia que ia dar nisso quando vi a reportagem. Acho que essa marcha na verdade é mais para os próprios negros não entrarem na onda da ditadura do alisamento. Pela valorização de sua identidade. Apoio totalmente.

  8. Kbaratinha Postado em 28/Jul/2015 às 16:19

    osImagina... O Brasil não tem preconceito não. É tudo imaginação destes petralhas que não tem nada melhor pra fazer. Só tem um musiquinha que diz "Nega do cabelo duro, qual é o pente que te penteia?". Frase bobinha, nem ofende ninguém, né? (Ironia ligada no volume máximo). Os comentário dos leitores do Pragmatismo político não estão muito melhores que os do G1. Estão preocupados com os preconceitos de homens ros ruivos no Brasil, que pode ser chamados, coitadinhos, de apelidos como "homem tocha". Quase chorei de tanta crueldade...

    • José Ferreira Postado em 28/Jul/2015 às 17:11

      Se é ruim para um, é ruim para o outro também. A reportagem "pinçou" alguns comentários para montar uma situação. Certamente deve ter críticas aos ruivos e elogios aos "crespos" nos comentários.

    • Marco Postado em 31/Jul/2015 às 00:33

      É por isso q ninguém tolera esses movimentos racialistas. Veja o que vc falou de uma música, um clássico da MPB, que justamente exalta a beleza negra.

  9. Kbaratinha Postado em 28/Jul/2015 às 16:35

    O movimento de orgulho de cabelos crespos é super-legítimo e tem todo o meu apoio e mais uma vez me envergonho destes racistas asqueirosos que existem no Brasil. É isso aí, meninas, orgulhem-se do cabelo de vcs, pois ninguém vai fazer isso por vocês. Um beijo no coração.

  10. Eduardo Ribeiro Postado em 28/Jul/2015 às 17:25

    Qual o motivo para um encontro nacional dos ruivos? Sério mesmo. Qual a pauta? O que se debate? Qual o objetivo? Puta que o pariu....é ócio demais, meu irmão. É dificil até de pensar em algo mais vergonhoso e digno de pena. É tipo um dia do orgulho branco, orgulho hetero...graças a Deus no meu círculo social não existe um puto com essas características. O mínimo que merece um sem vergonha que se declare "participante do dia do orgulho ruivo" é bullying pesado, pra começar. Lembrando sempre que "não existe racismo no Brasil" e que "Pai Ali Kamel desmistificou esse assunto".

    • eu daqui Postado em 29/Jul/2015 às 12:22

      ENCONTRO NACIONAL DE RUIVOS? Na Escocia ou Irlanda?

    • Márcio Ferreira Postado em 31/Jul/2015 às 10:39

      "Qual o motivo para um encontro nacional dos ruivos?" Os mesmos motivos para os encontros dos anões, dos gordos, dos torcedores de futebol, dos negros, dos altos, dos narigudos, dos gêmeos, dos colonos, dos gays, dos coxinhas, dos comunas... Unir pessoas com interesses e características em comum para se conhecerem, interagirem, se fortalecerem, trocarem ideias ou apenas rirem de si mesmos e dos outros. Todos esses encontros existem de verdade e, contanto que se restrinjam a promover apenas interação social saudável entre eles, sem hostilidade para com outros grupos, são inofensivos e impertinentes a qualquer pessoa fora deles. Você vai fazer bullying pesado a todos eles? Ou vai selecionar os que você considera que "sofra" mais? Você é que vai avaliar isso? Quem você pensa que é para se julgar capaz disso? Errados estão quem critica esses encontros, por mais bobinhos que sejam, independente do grupo. O problema não é o encontro dos ruivos ou dos negros. É como os babacas de fora reagem a eles. Restrinja-se ao seu grupo de babacas e deixe os outros em paz.

  11. Telmo Postado em 29/Jul/2015 às 10:33

    Como estamos num espaço de liberdade de expressão me "atrevo" a sugerir um outro ângulo para o debate da Discriminação. Nós entendemos a questão como um problema de Saúde Pública. Muitos dos argumentos veiculados na matéria e nos comentários são assim enfocados na categoria "discriminação" no blog Saúde Pública(da) ou não.

  12. Thiago Teixeira Postado em 30/Jul/2015 às 12:14

    Racismo não existe, é tudo mi mi mi da esquerda ...

  13. Sergio Postado em 30/Jul/2015 às 18:27

    Comentários pinçados cirurgicamente para criar uma situação. Típico de esquerdistas. Mas manipulação à parte, a razão pela qual você provavelmente vai ver mais gente elogiando ruivos no Brasil é simples. Cabelo ruivo natural é RARO, e como todo fenótipo raro, fascina e atrai a curiosidade. É como ter pele bronzeada e olhos castanhos na Irlanda, eles acham bonito, num país em que quase todo mundo é pálido, enquanto os asiáticos acham que quanto mais pálido melhor. Já cabelo ruim não é raro, é a regra em praticamente qualquer lugar no Brasil. Não chama a atenção e não é bonito. Passa a aparência de desleixo. Eu mesmo, infelizmente, nasci com cabelo ruim. Fazer o quê... corto bem curto e ando asseado. Ao contrário de vocês, não vou ficar chorando por causa disso. Vão fazer uma progressiva e parem de encher o saco.

    • Marco Postado em 31/Jul/2015 às 00:38

      Cabelo ruim ? Neste calor e sol forte dos trópicos acho que cabelo ruim é o liso bem molinho. Mas como vc é um pobre coitado ignorante só lhe resta o padrão pré-estabelecido pela sociedade eurocêntrica, que pra sua desgraça não corresponde ao teu tipo e tu como um pobre coitado busca fugir raspando a cabeça. Nada mais desprezível como um verme da tua espécie.

    • Stella Postado em 02/Aug/2015 às 10:36

      Nossa, cara, cabelo RUIM foi o fim. Nem você mesmo se aceita. Pobre coitado!

    • Thiago Teixeira Postado em 04/Aug/2015 às 19:40

      "Não chama a atenção e não é bonito" ???????? Cara, você vai viralizar se passar a frequentar o G1.

  14. gabriel Postado em 31/Jul/2015 às 11:02

    Haha. Ruivo vive sofrendo bullying na escola. Mais do que negros