Redação Pragmatismo
Compartilhar
Geral 17/Jul/2015 às 09:19
22
Comentários

Deputado ironiza atriz que chamou Brasil de "País de merda"

Deputado publica história em quadrinhos para ironizar revolta de atriz global que, ao ser barrada na Receita Federal, chamou o Brasil de 'País de merda'

atriz país de merda computador
Imagem publicada pelo deputado Paulo Teixeira para ilustrar revolta de atriz global na Receita Federal

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP) usou sua página do Facebook para ironizar a recente polêmica envolvendo a atriz Thaila Ayala, que, no início da semana, reclamou ao ser parada na Receita Federal de um aeroporto brasileiro (saiba mais sobre o caso aqui).

“Depois de ser obrigada a pagar os impostos sobre o produto não declarado, uma atriz parada na Receita Federal alertou que voltou ao Brasil, mas está ‘desesperada para ir embora porque é um país de muita injustiça!’ Acho que nesse caso ela não fazia referência às injustiças sociais, que vem sendo combatidas”, escreveu o parlamentar sobre o caso.

“É preciso esclarecer que sonegar imposto e fraudar a Receita Federal são graves e também representam formas de corrupção. A estimativa é de que o Brasil deixe de arrecadar 500 bilhões de reais por ano com a sonegação, colocando o país na segunda colocação entre os maiores sonegadores do mundo. Este valor é sete vezes maior que o custo anual médio de corrupção”, completou.

Junto ao depoimento, Teixeira publicou uma história em quadrinhos que estaria ilustrando a situação pela qual Ayala teria passado. “Precisamos combater todas as formas de corrupção para avançarmos na direção de um país melhor que queremos. Corruptos, corruptores e sonegadores fiscais não devem ser tolerados”, finalizou.

A polêmica com a atriz aconteceu quando ela, ao chegar ao Brasil de uma viagem internacional, foi parada por portar um computador que não estava corretamente declarado e, segundo ela, foi obrigada a pagar uma taxa adicional. Na ocasião, usou o Snapchat (aplicativo em que as mensagens publicadas são automaticamente excluídas após algum tempo) para reclamar.

“Parabéns Brasil. Parabéns você que mora nesse país de me*** e é parada na Receita Federal e tem que pagar pela segunda vez seu computador! Em que país você chega e tem que pagar duas vezes pela mesma coisa porque um funcionário escreveu errado a sua declaração? Você chega já desesperada para ir embora porque é um país de muita injustiça! Simplesmente somos assaltados diariamente!”, disse ela. “Toda vez que eu chego no Brasil no percurso aeroporto para minha casa eu coloco o passaporte dentro da minha calça porque se eu for assaltada ele pode roubar tudo, menos o passaporte, para eu vazar”.

Terra Magazine

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Salomon Postado em 17/Jul/2015 às 09:41

    Olha só, se contrariar um(a) coxinha ele(a) morde a fronha ou fala palavrão. E acham que têm idade mental para votar.

    • Rogerio Postado em 17/Jul/2015 às 10:50

      E para vergonha do povo da minha cidade, ela é de Presidente Prudente, interior de SP.

      • Deisi Postado em 17/Jul/2015 às 19:17

        Rogério, também sou de Presidente Prudente, não é novidade, considerando que nossa cidade é um antro de coxinhas.

      • Vinicius Postado em 18/Jul/2015 às 22:58

        *Considerando que todo interior de SP é um antro de coxinhas... Permita-se corrigir, já que moro por essas bandas também e sei bem como é...

      • eu daqui Postado em 20/Jul/2015 às 12:29

        O interior de sp é antro de coxinhas de direita, vc quer dizer...........

  2. Ingrid Postado em 17/Jul/2015 às 09:42

    OK, eu concordo que sonegar imposto é um crime e que não é sonegando que se resolve qualquer problema. Porém as taxas absurdas que o país cobra impulsionam muito essa pratica, nem estou falando em causa própria não , viajo sempre de mochilão e com a grana contada então a mochila volta sempre mais vazia e não mais cheia, porém muitas vezes vejo amigos meus chegando la fora e se deparando com as coisas num preço que as torna possíveis para eles, enquanto aqui isso não é verdade. Acho que esse debate tem que partir de dois caminhos, o primeiro é essa mania do brasileiro querer dar um "jeitinho" em tudo e nem ter culpa e o segundo é se não está na hora de começar a parar de achar que deixar tudo com um preço absurdo vai resolver os problemas do Brasil. ( Só para constar, não estou falando de governo, era assim antes do PT e é assim agora, então guardem as respostas clássicas de vocês e pensem alguma de fato sobre o que foi dito)

    • Carlos Castro Postado em 17/Jul/2015 às 10:29

      É simples Ingrid. No Brasil, historicamente, taxa-se o consumo mais que a renda, o que realmente é injusto, porque ricos e pobres pagam o mesmo imposto sobre, por exemplo, um quilo de arroz. Ao mesmo tempo é bom enfatizar que as nossas classes média e alta querem pouco imposto sobre consumo e sobre a renda. Aí a conta não bate. A gente paga "pouco" por produtos nos EUA porque o cidadão americano paga muito imposto de renda.

      • Silney Postado em 17/Jul/2015 às 18:36

        Perfeito Carlos Castro!

      • Roberto Pedroso Postado em 18/Jul/2015 às 23:31

        corretíssimo senhor Carlos concordo em numero gênero e grau,mas fica a pergunta porque esta "atriz"(perdoem-me pela minha ignorância mas pouco sei sobre a carreira desta moça em quantas peças teatrais ela atuou mesmo?) então retornou ao Brasil?já que a mesma se declara tão decepcionada e desalentada com seu país?

    • Peterson Postado em 17/Jul/2015 às 10:34

      Ingrid, não se trata de "tudo com um preço absurdo vai resolver os problemas do Brasil". Aliás, se você está falando de preços internos, difícil achar alguém que realmente diga isso - e quanto à importação, minha filha, se tudo lá fora for baratíssimo, por que diabos você vai querer comprar alguma coisa aqui dentro? Não se trata de "chantagem" econômica, é uma questão de incentivo ao crescimento: se ninguém compra, não tem como investir e ficar melhor. Enquanto não ficarmos melhor, os de lá fora (China & Co) continuam sendo mais produtivos (nem sempre, aliás, por vantagem tecnológica, mas pela mão de obra barata e sem direitos) e portanto vão continuar oferecendo coisas mais baratas. Investir o rico dinheirinho na economia nacional ao invés de levar ao estrangeiro incentiva uma série de coisas num ciclo que beneficia inclusive seu próprio poder de compra (E o barateamento a longo prazo dos produtos). Portanto, a nível de exportação, existe ALGUMA vantagem em deixar os preços bem caros. Agora, como minha formação em economia não é muito profunda, posso estar deixando de ver algumas desvantagens, que alguém poderia complementar para desenvolver esse debate :)

    • Rodrigo Postado em 17/Jul/2015 às 12:07

      (Outro Rodrigo) Ingrid, há algum tempo um presidente de montadora alegou que, no Brasil, sim, o preço seria justo, ao que representante da Jeep, apresentando o modelo "Renegade", afirmou que o brasileiro acostumou-se a comprar "Ecoesport" caro. Esses dois fatos levam-me a pensar se, em verdade, aliada à altíssima carga tributária sobre produtos (como Carlos lembrou), também não aceitamos margens de lucro maiores do que as existentes em "países desenvolvidos" (e se essa margem maior, paga por alguns, não possibilita margem menor em outros mercados – de outro lado, preços menores também na Argentina, Chile e México, por exemplo, de veículos). Quanto à questão tributária, governo após Governo (como lembrado por você), não há qualquer reforma e seguimos tendo uma produção cara, que acaba por depender da oscilação do dólar (exportações), bem como nos seguidos escândalos vemos que os rombos são sempre de milhões (há, pois, fluxo de dinheiro para o erário). E, aproveitando o gancho da fala de Peterson, seguimos exportando matéria-prima e importando produtos manufaturados (petróleo-gasolina, minério de ferro-aço etc.). Assim, temos produtos caros, tributos mal ou sub aproveitados, não havendo desenvolvimento adequado de nosso parque tecnológico, de nossa educação e ciência (os resultados do ENEM, bem como cortes de até 75% em recursos de programas de apoio à pós-graduação, como PROAP, demonstram o valor dado à educação – a UFBA anunciou paralisação nos programas de pós-graduação). E de tudo isso esquecemos, ou pomos em plano secundário, ao perdermos tempo querendo insistir na picuinha de "pt x psdb", "coxinha x pastel de vento/enroladinho", "petralha x tucanalha"; "batemos palma pra maluco dançar" e vamos empurrando com a barriga. P.S.: o prédio da Prefeitura de Conceição de Almeida-BA, foi invadido por pessoas ciganas a cobrar suposta dívida contraída pelo Prefeito Antônio Armando da Silva Neves (PT – mas poderia ser de qualquer outro P...)... E se cobrássemos promessas como esses ciganos cobram supostas dívida? Se ao menos nos dispuséssemos a não aceitar sempre...

      • Fabio Postado em 18/Jul/2015 às 10:31

        Cara concordo com Vc é mais aqui no Brasil as empresas querem lucrar muito mais do que nos seus países de origem por exemplo um camaro la nos EUA sai por 45 mil dólares aqui no Brasil ele é vendido por 290 mil reais. O Honda city sai daqui do interior de São Paulo e é vendido no México a 40 mil reais aqui no Brasil o mesmo carro não sai por menos de 60mil

      • Junio Postado em 18/Jul/2015 às 23:28

        Muito boa! Mas como contador, eu tomo a liberdade de apontar como a maior causa dos exorbitantes preços dos produtos no Brasil como a margem de lucro das empresas, principalmente as montadoras! Chamo a atenção para dois fatos que vc deve lembrar-se bem. 1º A GM americana abriu concordata e jah vinha mal das pernas há muitos anos, por causa de uma gestão fraudulenta e antiquada, ficou na dependência da GM do Brasil que agora, na atual crise também vem capengando e pedindo ajuda! Outro fato foi quando a Hyundai lançou a produção do HB20 que era comercializado na versão "completa" (sem cambio automático) por cerca de trinta mil reias, hj já incorporou o espírito do comercio brasileiro e não vende mais o veiculo nas mesmas configurações por menos de quarenta e dois mil reias! mesmo com o acumulado inflacionário não se justifica tal absurdo! e o que é pior, montadoras produzem carros no Brasil, pagam o impostos brasileiros, taxas de importação e ainda conseguem vender carros mais baratos no México, Argentina, entre outros! o que poderia explicar este fenômeno senão a margem de lucro... o ICMS paulista também beira o ridículo, por isso os estados do nordeste ano após ano vem despontado como polo produtivo no Brasil.... não vejo muita solução para baratear os preços dos produtos num pais que conta com 81 Senadores, 513 deputados Federais, 27 Governadores, 5.570 Prefeitos, 1059 Deputados Estaduais, 59.764 Vereadores, além de incontáveis Magistrados, e a culpa de tudo é da Dilma e/ou do PT! diante de um sistema político tão corrupto e uma polução onde pessoas que pensam como essa atriz seja maioria, ainda sobre a atriz, todo país cobra taxa de importação, cujo principal motivo é exatamente desencorajar a importação com a finalidade de comercialização informal, e incentivar o consumo de produtores nacionais.

  3. Rodrigo Postado em 17/Jul/2015 às 11:35

    (Outro Rodrigo) Dois pontos: 1- ela foi "retaxada" sobre um produto que havia comprado em viagem anterior ou não? Foi, pois, hipótese de arbítrio estatal ou não?; 2- na minha cidade, o governo estadual baiano e o municipal (ambos do PT), recém inauguraram um shopping de produtos "importados", no qual os comerciantes vendem apenas produtos oriundos de descaminho (no popular, chamado apenas de "contrabando"), igual ao que encontramos em todas as cidades... Devemos coibir, igualmente, o descaminho de Miami e o de Cidade do Leste?

    • Ricardo Postado em 17/Jul/2015 às 14:08

      Sim. Descaminho é descaminho e ponto. Ou é legal para todos ou é ilegal para todos. O que não dá pra aceitar é essa JABUTICABA: desce o sarrafo no camelô e fica com dó da atriz global que viaja ao exterior.

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 17/Jul/2015 às 11:48

    Eu acho que, além de ser uma dondoca mimada, e além da boa e velha revolta seletiva "a corrupçao dos outros é feia, a dos políticos é imperdoável, e a minha é bonita e legal", ela queria era confete. Uma atriz global na cabecinha dela deveria ter alguns tipos de privilégios, imunidades e tal...como a massagem no ego foi negada, ficou descontrolada e deu xilique. É uma coitada. Hipnotizantemente linda, mas uma coitada. Ela já voltou pros USA ou está aqui ainda enchendo o saco nesse país que tanto despreza, tal qual uma mosca voando sobre a merda?

  5. Thiago Teixeira Postado em 17/Jul/2015 às 20:47

    Coxinha roubar ou sonegar é esperteza. Petista, Pobre, Puta e Preto já é crime.

  6. Maurício Taveira Postado em 17/Jul/2015 às 23:40

    Vaza!

  7. Antonio Palhares Postado em 18/Jul/2015 às 08:53

    Esta fulana deve ser amiga do Faustão.

  8. Fábio Postado em 19/Jul/2015 às 12:32

    Ah, por favor... A atriz explicou que houve um erro da Receita e ela teve de pagar DUAS VEZES os impostos pelo computador. Ou seja: Ela JÁ TINHA PAGADO e teve de PAGAR DE NOVO. Ela PODE NÃO SER nada do que os apressados, que desconhecem (ou fingem desconhecer) o que realmente aconteceu. Aos democratas, presunção de inocência é um princípio fundamental. Quem não o reconhece, não sabe o que é democracia.

    • Fábio Postado em 19/Jul/2015 às 12:33

      Do que os apressados dizem*

  9. Generino Postado em 12/Aug/2015 às 18:48

    Qualquer coisa que reduza a arrecadação estará diminuindo a CORRUPÇÃO.