Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 24/Jul/2015 às 10:47
19
Comentários

A intolerância de Donald Trump em 5 atos abomináveis

Popularidade de Donald Trump explodiu nas últimas semanas, em meio a declarações racistas, xenófobas e sexistas em entrevistas e campanhas. Confira 5 provas da intolerância do magnata norte-americano, líder entre os pré-candidatos republicanos

Donald Trump republicano eua candidato
Donald Trump. Magnata é pré-candidato à Presidência dos EUA pelo partido republicano (divulgação)

Patrícia Dichtchekenian, Opera Mundi

Entre maio e julho, o magnata Donald Trump ultrapassou adversários na corrida da pré-candidatura republicana, consolidando-se na liderança do partido conservador pela Casa Branca. Segundo uma pesquisa do Washington Post divulgada na segunda (20/07), a personalidade da TV obteve 24% das intenções de voto — 20 pontos a mais do que há dois meses.

À frente de Scott Walker (13%) e Jeb Bush (12%), Trump conquistou o posto após uma série de declarações polêmicas — racistas, sexistas e xenófobas — que têm sido propagadas em esfera pública. Conheça alguns dos preconceitos e controvérsias que o pré-candidato despejou à imprensa na disputa eleitoral norte-americana:

1) A vida conjugal de Hillary Clinton: A principal pré-candidata democrata (68% das intenções de voto) foi um dos primeiros alvos de Trump, antes mesmo de o magnata do setor imobiliário lançar formalmente candidatura à Presidência, que ocorreu em 16 de junho. Dois meses antes disso, contudo, o republicano escreveu no Twitter: “Se Hillary Clinton não consegue satisfazer seu marido, o que faz ela pensar que conseguiria satisfazer a América?”.

A frase faz alusão ao escândalo sexual que o marido da pré-candidata, o ex-presidente Bill Clinton (1993-2001) se envolveu com Monica Lewinsky, estagiária da Casa Branca, e que veio à tona em 1998. Questionada sobre essa polêmica em entrevista à rádio BBC, em novembro passado, Hillary ressaltou que essa questão “é algo que certamente nós superamos e nosso país também superou. Eu desejo o bem a ela [Monica], mas o importante é permanecer focada no que está acontecendo aqui e agora”.

2) A xenofobia com imigrantes mexicanos: Após a fuga do traficante “El Chapo” em uma prisão de segurança máxima no México, Trump declarou na semana passada que os mexicanos utilizam a fronteira como “um aspirador, levando as drogas e a morte diretamente aos EUA”.

Além das declarações sobre o líder do Cartel de Sinaloa, o bilionário de 69 anos já havia afirmado que o país vizinho “envia sua gente, mas não manda o seu melhor”, acrescentando que os mexicanos que chegam ao território norte-americano são pessoas que trazem “droga e crimes”, além de “estupradores”, caracterizando o sistema judiciário mexicano de “todo corrupto”.

No fim de junho, entretanto, Trump perdeu uma disputa judicial envolvendo 12 milhões de dólares com outros dois empresários mexicanos por conta de um concurso de Miss Universo que ocorreu em 2007.

Segundo a Bloomberg, o presidenciável acusa-os de dever-lhe milhões pelo evento, mas perdeu o caso nos tribunais dos dois lados da fronteira. A polêmica gerou uma onda de boicote por parte de latinos, como a emissora Televisa e o também bilionário Carlos Slim.

No lançamento de sua campanha, Trump também havia proposto levantar um “grande muro” na fronteira sul para evitar a entrada de imigrantes.

No ano passado, contudo, imagens de crianças mexicanas presas em “gaiolas” — chamadas de refúgios temporários pelas autoridades norte-americanas — chocaram senadores, ONGs e a sociedade civil pela crise humanitária na fronteira dos EUA.

3) Casamento gay: Dois dias após a Suprema Corte dos Estados Unidos decidir que casais formados por pessoas do mesmo sexo têm o direito constitucional de se casar em todo o país, Trump afirmou em entrevista à CNN que é a favor “do casamento tradicional”. Questionado pelo jornalista do emissora norte-americana o que há de tradicional em se casar três vezes, o magnata argumenta que teve três ótimas esposas, mas que se culpa por “trabalhar tanto”.

No dia 26 de junho de 2015, a Corte norte-americana concluiu que cabe à Constituição garantir a todos os direitos ao casamento, “pois ele incorpora os mais altos ideais de amor, fidelidade, devoção, sacrifício e família”. Para o presidente norte-americano, o democrata Barack Obama, a histórica decisão é um passo “em direção à igualdade” e, com o decreto, “o amor venceu”.

4) Racismo: Poucas semanas após o ataque à igreja frequentada pela comunidade negra de Charleston, na Carolina do Sul, em que um jovem branco supremacista matou nove afro-americanos, Trump afirmou no fim de junho a jornalistas que a juventude negra do país “não têm espírito” e que assassinatos acontecem quase que a cada hora em diversas cidades do país.

As declarações vêm em meio a uma onda de assassinatos a jovens negros ao redor da nação por parte de policiais brancos, que gerou movimentos como “Black Lives Matter” e revolta da população. De acordo com o Conselho Nacional de Pesquisa norte-americana, homens negros com menos de 25 anos e com nenhum diploma de ensino médio têm mais chances de estar atrás das grades do que no mercado de trabalho. Um estudo de Stanford também aponta nessa mesma direção. Nos EUA, há mais negros encarcerados hoje do que escravos no século XIX.

5) Polêmica com militares e vazamento de dados pessoais: No último fim de semana, o magnata afirmou que o senador republicano John McCain — ex-piloto militar e ex-prisioneiro de guerra no Vietnã — não merecia seu status de “herói”. “Ele não é um herói de guerra. Virou um herói de guerra porque foi capturado”, comentou Trump em um comício político em Iowa no sábado (18/07). “Eu gosto de pessoas que não foram capturadas”, completou.

A declaração gerou fúria de parte da ala republicana, bem como de colegas próximos a McCain. Um deles foi o também pré-candidato republicano e senador Lindsey Graham. Em entrevista à CBS nesta terça-feira (21/07), Graham disse que Trump “deveria parar de ser um “babaca”(“jackass”) e que a atenção em torno do bilionário estava “tornando tudo um circo”. Revoltado, Donald Trump despencou o nível do debate e revelou o telefone pessoal do senador durante uma campanha política televisionada na Carolina do Sul.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Alexandre Postado em 24/Jul/2015 às 12:32

    Apenas a direita sendo direita.

  2. Brenno A. Postado em 24/Jul/2015 às 13:14

    Apenas a direita sendo direita.²

  3. Marcos Silva Postado em 24/Jul/2015 às 13:21

    Lamentável as declarações de Donald Trump! Pelo visto, ele deve ser pior do que o George W. Bush! Como disse o comentarista acima, é apenas a direita estadunidense mostrando sua face.

  4. poliana Postado em 24/Jul/2015 às 13:22

    esse é o partido q o pereira adora!!!! viva os republicanos! só ideais brilhantes (SQN)! e ainda tem a audácia de criticarem o obama!

  5. Carlos Altavista Postado em 24/Jul/2015 às 13:29

    Caralho, aquela primeira da Hillary foi realmente doída. Nível Bolsonaro de chauvinismo.

  6. Denisbaldo Postado em 24/Jul/2015 às 13:35

    Pelo menos não é só aqui que a direita está cada vez mais desesperada. É na verdade o sinal da decadência mundial dessa raça escrota.

    • poliana Postado em 24/Jul/2015 às 15:27

      em pensar q recentemente o josé ferreira teceu lindos comentários acerca da direita. um deles foi q a direita só pensa em pregar bons valores! lindo né? fiquei emocionada qdo li.

    • Denisbaldo Postado em 24/Jul/2015 às 19:50

      Esse aí fala qualquer coisa, ele e mais uns pivetes que começaram a frequentar esse site. Mas uma coisa é clara Poliana, a direita está falindo no mundo todo, e mesmo que tenhamos que suportá-los ainda aqui no Brasil, não será por muito mais tempo. Essa falácia do capitalismo neoliberal está com seus dias contados. E se tem uma coisa que não se pode tirar o crédito dos americanos é a sua criatividade, estou confiante que eles conseguirão dar novos rumos a este sistema antiquado.

  7. sergio Postado em 24/Jul/2015 às 13:52

    Vai tomar no cu,yankee estúpido!

  8. Sandy Postado em 24/Jul/2015 às 14:01

    Todo lugar tem um Bolsobesta! Afff

  9. Dinio Postado em 24/Jul/2015 às 16:10

    Esta besta fera é um câncer que corrói em metástases as entranhas de um mundo mais justo e mais minimamente humano e sociável. Imaginem esta besta mandante do maior poderio bélico/monetário do mundo. Faria Hitler parecer criança no jardim da infância...

    • Vanzye Fargom Postado em 24/Jul/2015 às 19:16

      Exatamente!

  10. Alex Postado em 24/Jul/2015 às 16:18

    Apenas a Direita sendo Direita (3)

  11. Eduardo Ribeiro Postado em 25/Jul/2015 às 12:24

    """"""""""""""""Isso é intolerância com a opinião alheia...é típico de petralha essa censura...ele tem o direito de não gostar de homossexuais, de negros e de imigrantes...ficam chamando ele de misógino e machista só pelo que ele disse sobre a Clinton...que que tem, ele está errado por acaso? Vocês são muito intolerantes e chegados numa ditadura, são contra liberdade de expressão, são bolivarianos, petralhas...lá nos USA é diferente, as pessoas tem liberdade pra dar sua opinião, ok?"""""""""""""""""""

  12. Sergio Carneiro Postado em 26/Jul/2015 às 17:05

    Ainda bem que os EUA tem um candidato que defenda os ideais de muito americanos,pois, como disse a reportagem - ele tem 24% das intenções de votos. "Reaça" ou um "idiota útil" é assim que sobrevive uma democracia: A diversidade de opiniões.

  13. sergio ribeiro Postado em 27/Jul/2015 às 11:53

    É só um personagem querendo chamar a atenção e, por enquanto, está dando certo. A campanha dele não deve ir longe, pois não conseguirá sustentar posições tão estúpidas. Isso pode agradar uma patota retrógrada e de formação ruim, mas não conseguirá segurar o grosso do eleitorado.

  14. vinicius Postado em 01/Oct/2015 às 16:23

    É Donald Trump presidente em 2016!

  15. Pedro Accioli Postado em 13/Jan/2016 às 17:05

    Donald Trump é o Boçalnaro yankee! Sem mais!

  16. Matheus Postado em 12/Jul/2016 às 13:58

    Donald Trump é Ku Klux Klan.