Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 08/Jul/2015 às 18:03
11
Comentários

A capa histórica do jornal Extra de 8 de julho de 2015

Em capa histórica, jornal Extra compara situação atual do País ao período da escravidão e faz dura crítica a grandes contingentes da sociedade brasileira, inclusive da imprensa, que aplaudem justiçamentos com as próprias mãos

justiçamento justiceiros linchamento capa extra
A capa histórica do Jornal Extra retrata o atraso da sociedade brasileira em pleno século XXI (Extra/Reprodução)

Em sua edição desta quarta-feira 8, o jornal Extra, do Rio de Janeiro, fez uma dura crítica à sociedade brasileira, uma na qual vicejam justiçamentos com as próprias mãos, prática apoiada por grandes contingentes da população, inclusive da imprensa. Ao noticiar o linchamento de Cleidenilson da Silva, na periferia da capital do Maranhão, São Luís, o jornal fez uma comparação entre a situação atual do País e a vivida no período da escravidão.

“Os 200 anos entre as duas cenas acima servem de reflexão: evoluímos ou regredimos?”, questionou o Extra, que pertence Grupo Globo, ao exibir a imagem de um escravo sendo açoitado e a deCleidenilson, que foi despido, amarrado a um poste e espancado com socos, chutes, pedradas e garrafadas após uma tentativa de assalto na segunda-feira 6, em São Cristóvão, bairro de São Luís.

“Se antes os escravos eram chamados à praça para verem com os próprios olhos o corretivo que poupava apenas os ‘homens de sangue azul, juízes, clero, oficiais e vereadores’, hoje avançamos para trás. Cleidenilson da Silva, de 29 anos, negro, jovem e favelado como a imensa maioria das vítimas de nossa violência, foi linchado após assaltar um bar em São Luís, no Maranhão. Se em 1815 a multidão assistia, impotente, à barbárie, em 2015 a maciça maioria aplaude a selvageria. Literalmente – como no subúrbio de São Luís – ou pela internet. Dos 1.817 comentários no Facebook do EXTRA, 71% apoiaram os feitores contemporâneos”, escreveu o jornal.

De acordo com o jornal carioca, Cleidenilson e um menor de 16 anos teriam tentado assaltar a mão armada um bar em São Cristóvão, mas foram surpreendidos pela reação dos clientes. Enquanto Cleidenilson foi linchado, o menor foi agredido, mas entregue às autoridades.

A Delegacia de Homicídios da capital maranhense, informa o Extra, identificou dois suspeitos pelo crime e investiga a participação de outras pessoas. Todos devem responder pelo crime de homicídio doloso (com intenção de matar) e qualificado, pois a vítima não teve condições de se defender. Segundo informou um delegado ao portal G1, “várias pessoas” que moram no bairro de São Cristóvão participaram do linchamento.

CartaCapital

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Tunico Postado em 08/Jul/2015 às 19:47

    Li alguns posts de moradores do Maranhão que dizem q o cara ja matou algumas pessoas e chegou a atirar no dono do bar, não defendo justicamentos mas como domar a turba achando q esta fazendo justiça?

    • Evaristo Postado em 10/Jul/2015 às 04:04

      Isso é o retrato do nível de educação que temos no Brasil! Um Estado que ainda deve muito pra sociedade e a Justiça que existe parra pouquíssimos abonados...

    • Luiz Postado em 15/Jul/2015 às 08:42

      Isso é uma crise de representatividade. O poder publico não é capaz de me dar segurança, vou fazer eu mesmo. O problema é que não percebem que isso agrava a situação e impede que uma solução séria seja discutida e apontada para o problema, abrindo caminho pra todo tipo de alienação midiática e especialmente pra que discursos bolsonaristicos tomem conta da cabeça dessa gente e se transforme em uma bancada da bala. Mas maioridade vai, maioridade vem, ROTA mata dez, vinte, lincham dois, três, dez, e a violencia continua aumentando, o tráfico ficando mais rico e a criminalidade mais organizada, porque com o tamanho do mercado da droga não se pode competir usando só gente mal preparada, mal paga e quase nada fiscalizada.

  2. Jonas Schlesinger Postado em 08/Jul/2015 às 21:45

    Não que seja a coisa mais ética ou nobre do mundo, porém isso só ocorre porque o Estado não garante a segurança e o bem estar aos cidadãos, educação nas áreas periféricas das cidades. Ou seja, acabou de. virar um círculo vicioso que será difícil combater. Vão aparecer defensores de direitos humanos que darão o seu suor para defenderem até o Diabo; e aparecerão outros que falarão que eles defendem apenas bandidos e que levarão para a casa. Enfim, mas o que não sabem é que esse círculo já virou a sociedade em si, vivendo numa selva de pedra onde os melhores sobrevivem, como já dizia o senhor Charles Darwin. Portanto, de certa forma, a culpa não é da vítima, mas do sistema fracassado que é o nosso. Agora comparar uma pessoa que sofria num tronco com outra que sofre num poste é confuso, pois a primeira era castigada por ser vítima da escravidão, a segunda porque sofreu uma retaliação de pessoas que podem ter sido vítimas de seu ato infracional. Soa como uma poesia sombria, podre ou hipócrita, contudo deveríamos ser mais racionais e menos emocionais; se deixar levar pela emoção é um erro dos que se dizem progressistas. Resumindo: quem colhe o mal, do mal comerá. Vale tanto para as vítimas do linchado quanto para quem foi linchado. Ele só está no poste porque cometeu outra barbaridade antes desta que o acometeu.

    • Beto Postado em 09/Jul/2015 às 11:46

      Jonas não teve aula de biologia, evolução de Darwin não tem nada haver com melhor ou pior, isso é coisa de darwinismo social um problema decorrente do séc XX (o próprio nazismo usava essas desculpa para elevar a "raça ariana") que ainda temos que ler hoje, triste. Todavia não discordo com o sr.Schlesinger quando se referiu ao problema como um círculo vicioso, as pessoas também são vitimas da impunidade e do descaso com a segurança publica, todos nós nos sentimos assim quando a presenciamos, entretanto não é desculpa para a barbárie. Mas quando discordou da comparação devo lembrar que muitos quando viam um açoitamento pensavam assim como tu expôs para a foto do poste " sofreu uma retaliação de pessoas que podem ter sido vítimas de seu ato infracional " acredito que dono de escravo nao o açoitava por se divertir(ok, pode ter havido, mas acha q entre os linchadores não haviam pessoas q não sabiam do que realmente se tratava? Que nao entraram lá só pela emoçao de da porrada em bandido) sempre justificaram essa tortura e hoje não está se saindo diferente.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 09/Jul/2015 às 14:18

      Não basta bostejar sobre o assunto em pauta, tem que bostejar sobre a teoria darwinista. Sertinho...

    • Luiz Souza Postado em 09/Jul/2015 às 15:08

      O mais interessante da capa: oprimido sendo carrasco do oprimido, ontem e hoje. Roseana dá risada.

  3. Eduardo Postado em 09/Jul/2015 às 00:43

    O Estado não está dentro da cabeça dos seus cidadãos, o problema é o egoismo, a falta de solidariedade, de senso de irmãos, de religião(aquela que religa o homem a Deus, e não a que liga meia dúzia a fortunas), a falta de Jesus Cristo, a falta de discernimento de até onde vai o direito do outro... O Estado a Sociedade não é culpada por que não sabe agir dentro do que chamamos comunidade.... COM UNIDADE E RESPEITO.

  4. Tammy Postado em 09/Jul/2015 às 12:55

    Não aguentamos mais violência!!! Ops, não pera... a gente aguenta mais um pouquinho, mata esse bandido. Pronto, agora sim. Não aguentamos mais violência!!! Pera, bota esse bomba de combustível na "buc.." da presidANTA que ela tem que se fud... mesmo! Sim... aonde estávamos mesmo??? Ah... Não aguentamos mais violência!!! Eita, aquela prostituta safada ali... peraí que eu vou passar com o carro por cima dela! Ééé... é o que mesmo? Ah... Não aguentamos mais violência!! O quê? Minha namorada quer terminar o namoro? Deixa eu postar aquele vídeo dela fazendo sacanagem comigo. Vai acabar mas vai sair como quenga na história. Sem violência! Sem violência! Sem violência!!! Deixa eu dar uma porrada nesse segurançazinha de merda dessa boate, tá pensando que é gente querendo barrar minha entrada. Que bosta! esqueci o que eu tava dizendo... Porrada na violência??? Não, porrada nesse velhote de merda que veio tirar onda comigo pq eu estacionei em vaga de idoso. Né idoso? Tem que ficar em casa! Onde já se viu idoso passeando em shopping por aí? Pra isso ele pode andar!! Sem violência, sem violência!! Mas que macumbeira é essa? Peraí, deixa eu dar umas pedradas nela pra ver se o santo é forte. Sem violência, sem violên... O quê? esse marginalzinho de merda me pedindo esmola de novo? "ô pivete, eu num te dei 2 real ontem? Fizesse o quê? Comprasse pedra foi?". Por isso que essas pragas tem que morrer logo mesmo... Se chegar aos 14 vai matar todo mundo. Bom, mas o importante é que não precisamos de mais violência.

    • Tammy Postado em 09/Jul/2015 às 13:03

      Antes que me questionem. "E a violência do criminoso, vc não fica indignada com ela não?". Sim, fico. Me enraiveço, me iro. Mas do criminoso eu não espero outra coisa. A natureza do criminoso é o crime. O que me choca mesmo são as pessoas comuns gritando por sangue, por ódio, por mortes. Olharem um corpo ensanguentado e quebrado e sentirem uma profunda e inexplicável sensação de prazer e bem estar. O que me choca é a incrível aproximação entre esses sentimentos entre ambos os lados. Meu medo é que cheguemos ao um ponto em que seja impossível identificar um cidadão de um criminoso. Mas quando isso chegar, não haverá mais cidadãos é verdade.

    • Claudia Postado em 09/Jul/2015 às 23:50

      Perfeito.