Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 09/Jun/2015 às 18:14
55
Comentários

Atriz crucificada na Parada LGBT recebe ameaças

Responsável por uma encenação polêmica na Parada Gay, Viviany Beleboni tem recebido ameaças de morte por telefone e internet. De acordo com a atriz, objetivo da cena foi representar o sofrimento de gays, lésbicas, bissexuais, trangêneros, travestis e transexuais que são violentados no Brasil

Desde que realizou uma encenação em que apareceu crucificada do alto de um trio elétrico da 19° edição da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, a modelo transexual Viviany Beleboni, de 26 anos, tem sido constantemente ameaçada por telefone e internet. Em cima da cruz, uma placa foi colocada com o texto: “Basta de homofobia”.

Até o número que usava para negociar trabalhos em eventos teve que ser desligado. Demonstrações de ódio causadas por um ato que, segundo ela, tinha apenas uma mensagem de amor.

Viviany contou que em nenhum momento quis afrontar alguma religião. A atriz, que se define como espírita, revela que também acredita em Deus.

O intuito da cena, de acordo com Viviany, foi representar o sofrimento de gays, lésbicas, bissexuais, trangêneros, travestis e transexuais que são violentados no Brasil.

“Dizem coisas absurdas: que devo morrer, ser crucificada de verdade, contrair câncer. Acordei cedo com uma ligação anônima, dizendo que eu iria morrer. Teve gente dizendo que ano que vem vão colocar fogo na parada”, afirma a atriz.

Viviany revelou que, nos últimos tempos, duas conhecidas foram agredidas. Uma delas teria sido morta com quatro tiros em Porto Alegre. “Eu vejo a parada como um protesto, não como uma festa”, disse. “Usei as marcas de Jesus, que foi humilhado, agredido e morto. Justamente o que tem acontecido com muita gente no meio GLS, mas com isso ninguém se choca”.

Em texto publicado nas redes sociais, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) comentou o episódio da crucificação na parada gay. Leia trecho a seguir:

Não vou aqui interpretar a performance da artista transexual porque seus sentidos me parecem óbvios demais: se Jesus foi marginal em sua época e, por isso, condenado à pena de morte por crucificação, nada mais pertinente do que usar esse episódio como metáfora da pena de morte a que estão condenadas as transexuais e travestis no Brasil, marginais da contemporaneidade.

Até mesmo muitos gays de classe média e média-alta foram incapazes de extrair sentido tão óbvio da performance artística da transexual, o que mostra que as viagens ao exterior, a música eletrônica, as drogas sintéticas consumidas nas baladas, as calças da Diesel e as cuecas da Calvin Klein não os tornam imunes à epidemia de estupidez nem à homofobia internalizada, ao contrário! Leitura, informação, estudo, artes vivas e canja de galinha não fazem mal a ninguém e saem mais em conta que os óculos Gucci e a rave da Skol.

E da próxima vez que forem escrever “Je suis Charlie” em seus perfis no Facebook, lembrem-se de que aqui nós também gozamos da liberdade constitucional de criticar através de expressões artísticas os dogmas e contradições das religiões – e isso está longe de se confundir com intolerância religiosa! Intolerância religiosa é pastor mandar seus fiéis invadirem terreiros de Candomblé para depredar seus orixás ou evangélico fanático urinar sobre a imagem de Nossa Senhora.

Uma sociedade verdadeiramente democrática, se quiser continuar assim, ao mesmo tempo que garanta a liberdade de crença a todos os que creem, deverá cuidar para que quaisquer religiões (em especial as cristãs) e seus porta-vozes não extrapolem a esfera que lhes compete – que é a esfera privada – e deverá impedir que se infiltrem ainda mais no Estado e na esfera pública, tentando cercear, por meio de falácias, manipulações, difamações e desonestidade intelectual, as liberdades civis de artistas e pessoas não crentes.

com informações de Reuters e Folhapress

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Luiz Souza Postado em 09/Jun/2015 às 18:16

    Malafaia lançará uma fatwa?

  2. poliana Postado em 09/Jun/2015 às 18:43

    achei desnecessária essa encenação. a causa gay sempre teve o meu apoio, mas certas coisas são desnecessárias. querem provocar? criar polêmica? atrair mais ainda a ira das pessoas q já os odeiam? n precisava mesmo...desculpa, mas é a minha opinião.

    • Junio Postado em 09/Jun/2015 às 21:24

      Poliana, eu nem vou entrar na questão religiosa, pq não é prático! Religião cada um tem a sua e deve ter liberdade para segui-la! O ato desta senhora, senhor, sei lah o que! deste ser! foi contra o maior bem material e ao mesmo tempo imaterial de uma comunidade! Um símbolo! e todos sabem que símbolos devem ser sempre respeitados, no caso, o símbolos da nossa nação são quatro, a Bandeira, o Hino, o Brasão (Armas Nacionais) e o Selo, sendo o primeiro de tamanha importância que em hipótese alguma pode estar hasteada no escuro, e não é preciso servir o exercito para saber disso! Ao se ouvir o Hino Nacional caso este não esteja sendo interpretado por um artista, é falta de educação aplaudir ao final da execução, e todo mundo sabe! Se os símbolos de um pedaço de terra, delimitado por fronteiras imaginárias merece tanto respeito, o que dizer de um símbolo religioso que reúne pessoas de diversas classes, cores, e localizações geográficas diferentes??? Este ser, e o próprio PP não conhecem a mensagem da cruz, que na verdade, não simboliza sofrimento nenhum, e sim a vitória! Pois Cristo, independentemente de ser um santo, como os cristãos creem ou um grande filósofo como creem os ateus, venceu a morte, venceu todo sofrimento que lhe foi acometido, os outro dois símbolos o pão e o vinho, sim representam seu sofrimento, conforme o próprio Jesus explica na celebração da ceia! Foi uma piada de muitíssimo mal gosto sim! e agora este ser, que não representa a maioria dos gays, pois conheço muitos que também condenaram tal ato, este ser sofrerá as consequências, como aquele pastor sem noção que chutou a santa certa vez! como a Charlie Hebdo com suas charges! agora quer pedir arrego! aguente firme, como aguentou ficar ali humilhando a maior religião da nação! Este ser não é digno(a) de morte, pois é bem capaz de ser transformada em mártir! o desprezo é a melhor resposta que os cristãos podem dar, e certamente Jesus a perdoaria sim, mas assim como o ladrão arrependido, ela não escaparia da punição que a vida a imputaria! Parabéns a ele(a) por ter causado todo este retrocesso na aceitação da comunidade LGBT a quela ele(a) acha que pode representar!

      • Ricardo Postado em 10/Jun/2015 às 13:59

        Não tem nada a ver com piada, não teve nada de humilhação. Se eu, branco, loiro, hétero e protestante, posso encenar as passagens bíblicas, por que alguém que não é hétero não pode?! O que ela não poderia (e não fez) era desrespeitar o sentimento religioso - o que, aliás, ninguém pode fazer (seja em relação a qualquer religião - inclusive a católica e as religiões de matriz africana, constantemente atacadas por fundamentalistas "evangélicos"). Ela simplesmente retratou uma passagem bíblica. Foi um ato simbólico (sei que é difícil entender isso por aqueles que seguem uma interpretação literal da Bíblia, como se isso fosse possível), apenas chamou a atenção: "vcs realmente estão seguindo as palavras de Quem dizem seguir?!". Falta muita humildade a muitos de nós, evangélicos... Não te esquece que Cristo não fundou religião alguma e estava ao lado dos marginalizados, Ele não estava preocupado com instituições ou formalismos; pelo contrário, preocupava-se com o que os homens traziam no coração - e porque muitos esqueciam o sentido da religião, enfureceu-Se com os vendilhões do Templo, que ansiavam pela religião apenas como fonte de lucro, tal os "Malafaias" da vida. Ela não pode ser cristã?! A mensagem de Cristo era de liberdade, amor e acolhimento, e não de opressão. Será que eu sou cristão?! Será que VOCÊ é cristão mesmo?! Nunca canso de repetir: a maioria dos que se dizem "evangélico" não merece essa qualificação, porque lê o Novo Testamento à luz do Antigo Testamento, ao passo que Jesus propôs justamente a superação deste último (em passagens como a da Maria Madalena, em que pondera: "atire a primeira pedra quem não tem pecados", ao contrário do AT, que determinava a morte por apedrejamento) - foi, em última análise, um revolucionário. Estude antes de escrever asneiras - e estudar não significa decorar a Bíblia, mas entendê-la, sobretudo organicamente. Parabéns a ela, que, com seu ato isolado, contribuiu para resgatar a mensagem de Cristo em tempos de tanto ódio!

      • Junio Postado em 11/Jun/2015 às 09:10

        Ricardo, releia meu comentário! quem sabe vc entende!

    • Marcos Silva Postado em 09/Jun/2015 às 22:24

      Eu não achei desnecessária a encenação. Religiões tem causado muita desgraça à humanidade e elas não respeitam quem não são seus seguidores. Um país decente não permite que religiões legislem sobre a vida de seus cidadãos. E a Parada do Orgulho LGBT não é uma comemoração, mas sim uma exigência de racionalidade (mínima) da sociedade.

    • Antonio Palhares Postado em 10/Jun/2015 às 09:30

      Concordo contigo Poliana.Da mesma forma que fui contra o jornal frances que ridicularizava o profeta Maomé,acho que não pode ridicularizar o querido Jesuz,tão incompreeendido e explorado pelos "vendilhões do templo" dos tempos modernos. Haja vista a fortuna amealhada por estes tais,na exploração dos incautos.Devemos respeitar os simbolos e as tradições que fazem parte da historia dos povos.Aproveito a ocasião para lembrar do principe da privataria,quando presidente disse que o 7 de Setembro é uma palhaçada.

      • Marcos Vinicius Postado em 10/Jun/2015 às 09:42

        Vocês estão é loucos. A ENCENAÇÃO dela em nada se parece com as charges do Charlei Ebdo. Foi apenas algo puramente TEATRAL. E se fosse um homem, hétero e branco que tivesse feito aquilo? Teria o mesmo impacto? Por um acaso as religiões estão acima do bem e do mal? Nem parece que leram a reportagem, pois aqui mesmo tem o posicionamento dela.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 10:04

        Nem precisa ler o posicionamento dela. Na primeira vez que vi a foto eu IMEDIATAMENTE compreendi o que ela estava tentando transmitir com a encenação. A teatralidade da qual ela se utiliza nem novidade é. Nem vou falar da capa de revista com Neymar porque já é clichê. Falo de Neo em Matrix, que morre "crucificado". Falo de Leônidas em 300 que morre "crucificado" também. Superman jogou uma ilha pro espaço e caiu "morto" na Terra, tambem de braços abertos, ou seja, "crucificado". Todos eles guardam semelhanças com a teatralidade que essa jovem aí utilizou na parada. A crucificação possui uma mensagem poderosa, e por isso já foi utilizada "N" vezes, e ninguém fica putinho. Normalmente a crucificação faz alusão a um salvador que morre pelo seu povo. Essa jovem apenas se utilizou de um momento anterior a morte na cruz, ou seja, o sofrimento físico e a humilhação. Artisticamente é válido também. Mas ela não é um filme de Hollywood, é uma trans, e aí pronto...cai o mundo na cabeça dela.

      • Junio Postado em 10/Jun/2015 às 11:41

        Eduardo Ribeiro, vc começa até que bem em sua linha de raciocínio, mas se perde quando tenta abordar a simbologia! a diferença dos casos citados por vc, está exatamente envolto no contexto do uso da imagem! Todas essas figuras holliwoodianas e do Neymar não tem o apelo sexual de um ser que transmite feições femininas, inclusive exibindo seus seios, numa encenação que mais parece sugerir que esta, está a masturbar-se do que sofrendo! Crucificar "heróis" é uma coisa, provocar religião alheia é outra! Segundo a filosofia, religião faz parte do caráter de cada indivíduo, inclusive o ateísmo é uma religião! pois religião nada mais é que um conjunto de sistemas culturais e de crenças, além de visões de mundo, que estabelece os símbolos que relacionam a humanidade com a espiritualidade e seus próprios valores morais! Há quem se aproveite? Lógico, paixão rende dinheiro! medo e espiritualidade tb! Por isso existe o dia dos namorados, o dia das mães, por isso álcool em gel foi tão vendido diante de uma gripe que matou menos que dengue! a mesma dengue que fez a venda de repelente bater todos os recordes este ano! Por isso religião provoca doação de dinheiro, venda de imagem, e até de galinha preta! Em contrapartida foca valores e princípios que quando seguidos resultam na harmonia necessária para se viver em sociedade, excluindo-se os excessos. A crucificação da jovem teve sim o intuito de chocar e provocar, de modo semelhante com o que aconteceu na marcha das vadias, onde algumas destas, nuas, simulavam relações sexuais com imagens de santos da igreja católica! este grupo de gays, tentaram atacar a aqueles que os "aflingem" como Bolsonaro e Feliciano como declarações que deram após o protesto! mas voltaram atraz agora! é mais fácil e politicamente correto se vitimar! a verdade é uma só! algumas torrentes de pensamento gay passou tanto tempo se defendendo se utilizando da melhor estratégia de defesa, ou seja, atacando! que acabaram por perder a noção que respeito é coisa que se conquista! não se impõe! Pregam contra a homofobia, praticando a cristofobia! A sociedade, a comunidade cristã seja ela católica ou protestante merece um pouco mais de respeito, e este ato representa um retrocesso na união de ideologias, onde o próprio papa, já acenava certa aceitação aos direitos e pensamentos da comunidade LGBT, fazendo com que o buraco fique ainda mais embaixo! Quanto a posição dela, eu li e afirmo, ela se quer conhece a simbologia!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 14:16

        Não me perdi em simbologia nenhuma, meu caro. Quem se perdeu foi você ao falar de "apelo sexual". Que apelo????? O apelo sexual é secundário, terciário. A mensagem que ela transmitiu - com grande facilidade e com imenso sucesso, diga-se de passagem....é FACIL DEMAIS extrair a interpretação alegórica que a artista pretende - nada tem a ver com sexo. Tem a ver com sofrimento e humilhação. A crucificação, enquanto mensagem alegórica, também pode ser vista por este prisma, não somente o prisma do messias que morre pelo seu povo. Do contrário a crucificação de Neymar não faria sentido. Ela não está falando de sexo. Creio que somente você neste mundo viu "apelo sexual" ali. Ela pede o fim do sofrimento, o fim da humilhação, o fim da homofobia. E utilizou-se de uma figura de facil reconhecimento que tambem sofreu perseguição injusta, humilhações mil...NÃO HÁ conotação sexual, jovem. Em não havendo - e isso é um FATO - , porque pode crucificar Neymar e não pode crucificar uma trans? Por que pode crucificar um herói hollywoodiano que come o pão que o diabo amassou antes de morrer, e não pode uma trans que come o pão que o diabo amassou mas que não foi assassinada ainda? Deve ser apenas....porque ela é uma trans.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 14:25

        """""""""""...um ser que transmite feições femininas, inclusive exibindo seus seios, numa encenação que mais parece sugerir que esta, está a masturbar-se do que sofrendo!"""""""""".....olha isso...você queria que ela fosse crucificada de camiseta? Qual o problema com os seios dela? Ela transmitir feições femininas não está em questão. Agora, eu aposto minha casa e minha alma: você foi a única criatura pensante neste planeta e nesta galáxia que sinceramente viu ali uma insinuação de masturbação. Nem o evangélico mais insano e bitolado do Brasil viu isso aí. É querer demais vilanizar a guria, dizer isso aí, que parecia uma masturbação, é se perder no preconceito religioso sem volta. É por essas e outras bisonhices que eu acho que o que ela fez foi é pouco. Ela devia ter se esforçado pra chocar mais.

      • Junio Postado em 10/Jun/2015 às 16:00

        Meu caro, acho que vc deveria reler meu comentário, pois, em nenhum momento eu disse q poderia caricaturar a crucificação de Cristo com qualquer personagem ou celebridade! Eu apontei a diferença que causou toda esta revolta no cenário religioso! Não que os outros não trouxeram, a do Neymar Jr. msmo rendeu muita discussão! Talvez eu devesse ter desenhado para ver se com ilustração seria mais fácil a compreensão! Para os cristãos, só existe o Jesus messias, vc pode até não concordar, mas como qualquer homo sapiens deve respeitar! E foi exatamente aí que degringolou todo o processo! Se queriam um herói que sofreu até a morte por defender um ideal, porque ela não se vestiu de Tiradentes que foi enforcado? Ou de Nelson Mandela, que embora não tenha sido crucificado ou enforcado também “”””””””... comeu o pão que o diabo amassou... “”””””” ou porque não Mahatma Gandhi e sua Sathyagraha (desculpe se a grafia estiver incorreta)! Ou então Evita Perón! Melhor ainda Chico Mendes em sua luta pelo reconhecimento do trabalho na extração de seringueiras pelos manauaras! Naaaaaaaaaaaaaaaaaooooo foram escolher Jesus Cristo, porque será né! Porque são inocentes, não queriam provocar os cristãos! Só queriam mostrar o sofrimento dos gays! E porque não pegaram a figura de um gay? Como aquele rapaz que apanhou com lâmpadas fluorescentes! Ou também, pra que sofrimento, gay é alegria, não isso que a própria palavra significa?!?! Homenageassem então aquele cientista gay que conseguiu decifrar o código alemão da máquina enigma, dando início a utilização de algoritmos e paradigmas de orientação a objeto na computação! Como é mesmo o nome dele??? Allan Turing (desculpe novamente se a grafia estiver incorreta) têm até um filme sobre ele, coloquei na lista da netflix, mas ainda não tive tempo de assistir... então só estou aqui concordando com a Poliana que foi muito desnecessária aquela representação... e vc? Realmente acredita na inocência deste grupelho que não representa a comunidade LGBT conforme se posicionaram muitas lideranças??? Ou como começou com uma ideia vai com ela até o fim, custe o que custar!?!?!?.... qto a ser de feições femininas, aproveito para reiterar que vc não conhece a simbologia cristã! É só pensar, uma mulher exibindo seus seios ao amamentar um bebê é lindo, jah numa passeata não é apelo sexual é o que então? Não isso que fazem na marcha das vadias? Não é isso que faz o grupo FEMME?!?! Vai perguntar a elas se o que fazem não é sexappeal!!! Além de que, todos sabem que o homossexualismo não é aceito pelo cristianismo, e quem diz isso é a bíblia, não é o Malafaia, tanto que segundo registros da própria bíblia, este foi o motivo da destruição das cidades de Sodoma e Gomorra, por isso o homossexualismo também é conhecido como sodomia! Embora eu não seja um cristão praticante, sempre gostei de estudar e ler sobre religiões, e não acredito em muita coisa escrita na bíblia, porém, assim como respeito os gays, e exijo que estes sejam respeitados, o mesmo se aplica a simbologia cristã, que repito, vc não conhece! O sofrimento de Jesus é simbolizado pelo pão e vinho na celebração da ceia, ou Santa Ceia como dizem os evangélicos!... para finalizar, visto que passaríamos a noite aqui se nos degladiando, cada um defendendo seu ponto de vista! A questão da masturbação, foi levantada por um dos meus alunos! Eu nem tinha assistido ao vídeo até então, e ele mostrou-me, e também as fotos da “marcha das vadias”, e maioria que estava ali presente, 27 pessoas, após algum tempo de debate, concordaram com esta linha de pensamento, inclusive eu! Mas não quero sua casa nem sua alma! Obrigado, cuide muito bem de ambas, mas não saia por aí apostando-as a torto e a direito!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 16:21

        Menino...quem tem que escolher como vai se manifestar é o oprimido, não o opressor. Se ela achou que o arquétipo de Cristo seria a metáfora mais eficiente para ela transmitir a mensagem dela, por que não usar? Porque o Junio não quer? Não vi revolta do Junio nas tantas vezes em que a figura do Cristo foi usada em outras oportunidades. Por que Leonidas morreu de braços abertos? Ele podia morrer de outra forma, em alusão a outro sofredor qualquer. Mas escolheram Jesus...por que será? Por que Neo morreu em Matrix de braços abertos, se podia morrer de cócoras? Não vejo o menino Junio furioso questionando o porque dessas expressões artisticas terem escolhido especificamente o Cristo como veículo de uma metáfora. Mas a expressão artística de uma trans não pode. Não pode por que se a mensagem foi transmitida com a mesma - talvez com até mais - qualidade e eficiência? Tome vergonha, rapaz. Pare de querer pautar movimentos de minorias oprimidas. Quem decide a forma de se expressar NECESSARIAMENTE é o oprimido.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 16:28

        Você realmente queria que a crucificação da guria tivesse sido encenada de camiseta...se possível de casaco. Talvez de cabelo preso, porque cabelos soltos sensualizam demais...sem sofrimento...sem humilhação...ora, não seja burro. A ultima função dos seios naquele contexto era sexual, garoto. Os seios expostos ali são mais uma vertente da HUMILHAÇÃO que ela sofre. Abra mais sua mente. Estás vendo demonios onde nem existem. Não basta querer pautar o veículo metafórico - o mundo pode usar Cristo, mas ela não - , queres pautar tambem a forma como ela é crucificada, e a indumentária utilizada para receber tal castigo...tome vergonha..

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 16:35

        Eu tenho medo dos seus alunos. Vamos retificar: ninguem com formação cromossomial normal e em CNTP enxerga na teatralidade concebida por essa brilhante guria uma encenação de masturbação. Qualquer um com boa vontade, olhos em perfeito funcionamento e juizo não-desequilibrado pela ação religiosa entende em cerca de 10 segundos a intenção da guria com a referência que fez a crucificação de Cristo. E a útima coisa que se enxergaria, no caso dessas pessoas, seria a intenção de simular masturbação. Cara...cuide melhor dos seus alunos. Se você identificou esse tipo de problema, não se omita. Professores tem certas responsabilidades. Esses aí estão sem condições sequer de andarem na rua sozinhos sem um adulto pra lhes dar a mão pra atravessar a rua.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 16:44

        """""""" Ou também, pra que sofrimento, gay é alegria, não isso que a própria palavra significa?!?! """"""" A gente vai lendo e vai pinçando umas coisas...cara, em que mundo você vive? Gay é alegria tanto quanto não-gay. Mas gay é sofrimento inimaginável para o não-gay. O mundo paralelo onde você vive parece ser bacana, mas a Parada Gay e em especial a teatralidade concebida pela guria em questão existem, neste mundo de cá, exatamente para se discutir os abusos, a violência, a humilhação, o massacre imprimido contra os gays. EXCLUSIVAMENTE contra os gays, POR SEREM gays. Abusos e violência oriundos do preconceito, da homofobia, cujo um dos principais nascedouros é exatamente a vertente religiosa da sociedade. Insinuar que não há sofrimento gay é desonestidade intelectual das brabas, é uma grande safadeza que te desqualifica e desmoraliza por completo. A análise da foto PARTE NECESSARIAMENTE DO PRESSUPOSTO FACTUAL de que gays sofrem e muitas vezes morrem devido a homofobia. Qualquer mudança de foco deste pressuposto é indicativo de mera safadeza retórica.

      • Junio Postado em 11/Jun/2015 às 08:49

        Caro Eduardo Ribeiro, em primeiro lugar em nenhum momento eu tentei atacar sua índole ou descredibilizar a sua pessoa ou qualquer outra! o mundo é diferente as pessoas são diferentes, baseado num contexto que vc se quer teve cuidado de observar, eu tirei as minhas conclusões, assim como outros o fizeram, então recolha-se a sua insignificância! pois, poderia ter até descordado de mim exibindo um outro lado da história, ou outro ponto de vista, mas preferiu agir como se sua verdade fosse única, diferentemente de outro iluminista moderno, Sr. Albert Einstein, que provou com o uso da matemática que tudo no mundo é relativo! Pro seu governo, não sou membro de qualquer denominação! e embora eu não lhe deva satisfação quero deixar bem claro que não estou usando nenhum modelo pentecostal ou neo pentecostal! Gosto de estudar religião e a bíblia em si, não sou antropólogo e minhas graduações, ambas são em exatas, onde também leciono! não dou aula à crianças ou indivíduos desprovidos de inteligência! ao contrário, a instituição onde trabalho figura como uma das mais importantes no cenário nacional segundo as últimas edições do ENADE/SINAES! Em nenhum momento discordei de qualquer posicionamento seu na questão da exclusão e opressão sofrida pela comunidade gay ou qualquer outra minoria! Apenas foquei nas questões cristãs e na não aceitação da homossexualidade nas vertentes desta religião, terreno onde afirmei que vc não está gabaritado a discutir e por este motivo vc não entrou, continuei afirmando a desnecessidade daquela encenação, onde citei alguns exemplos, e, se insistiram nisso, mesmo sabendo que não seriam aceitos, estão pagando pela consequência dos seus atos! Escolher como se manifestar deve levar em consideração não apenas a relação oprimido/opressor mas também como a outra parte irá reagir, caso vc queira evitar conflitos! Até por conta da projeção de tal evento! Num exemplo clássico, eu não usaria uma camiseta do palmeiras para ir a um protesto de Corintianos após o próprio palmeiras derrotar o Corinthians por 4X0 no último jogo! e se insistisse na ideia e fosse agredido arcaria com as consequências! Então em resumo, deixem os símbolos religiosos na própria religião, excluindo-se encenações de cunho religiosos! Por mais modernista que vc queira ser, religiões, filosofias e paixões, sempre foram motivos de violência pelas partes, e não será vc com seu discursozinho inflamado a lá Collor em Collor x Lula (1989) que mudará esta realidade! Talvez deveria estudar mais sobre filosofia e religião, ao invés de perder tanto tempo com Hollywood. A Bíblia é um dos livros de história mais antigos e importantes da humanidade, além do contexto espiritual das religiões baseadas nesta! Por derradeiro quero afirmar que se eu ou meus alunos somos doentes ou não, não é você quem deve dizer! não estou pedindo a sua análise, nem estou aqui para analisar a moça/rapaz, que na minha opinião nada mais é do que mais uma vítima na mãos deste grupelho, que repito, não representa a comunidade gay, que se você procurar o significado desta palavra no dicionário da língua inglesa entenderá o que eu quis dizer acima! até porque uma análise leva em consideração todo o histórico de uma vida, não apenas o ponto de vista sobre um fato! Eu também não sou psicólogo, sou formado para analisar sistemas computacionais e demonstrativos fiscais de empresas, visto que além de docente universitário, também sou auditor fiscal. Não voltarei a falar sobre o tema da matéria por respeito aos desenvolvedores do site e leitores que aqui estão para nortearem suas opiniões nas nossas, sejam para concordar ou descordar e não ver agressões gratuitas de partes descontroladas! Só um ultimo registro, ao chamar um cara de 33 anos de menino me remete a imaginar estar falando com um senhor tão ultrapassado quanto suas ideias ditatoriais, que querer satisfazer suas vontade em detrimento aos direitos e conquistas alheias!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 09:51

        Mas você não tinha finalizado, menino?

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 10:04

        Garoto...você está descontrolado, cuspindo no monitor a cada gabarito que lhe forneço. Me escrevendo Biblias e Biblias...acalme-se. Vamos por partes: SIM, você foi safado ao insinuar que ser gay é só alegria e que não há sofrimento. Só este simples ato, com a intenção de esvaziar o movimento LGBT de significado e relevância, desmoraliza você em absoluto. Não enxergo em você alguém apto a dialogar sobre este assunto, porque você NEGA que haja sofrimento gay. Você está tão descontrolado que quer discutir "religião/vertentes religiosas". Menino...ESTE NÃO É O FOCO. Se você quer falar disso, fale sozinho. Nem a artista quis abordar este aspecto, e nem é possível extrair essa interpretação. SIM, você dá aula a um bando de preguiçosos mentais. Gente que não sei como conseguiu viver tanto tempo. Porque enxergar qualquer vislumbre de masturbação na artista não tem outro nome, é DOENÇA ou MAU CARATISMO. Se ela quisesse se masturbar, meu caro, não tenha dúvida, ela faria o ato literalmente. NÃO, a reação da parte opressora JAMAIS deve ser levada em consideração quando se trata de uma relação opressor/oprimido. Não espero que você entenda isso, mas se os oprimidos desejassem executar o maior gang-bang pansexual da história da humanidade ali, estaria tudo ok. A relação opressor/oprimido É A ÚNICA COISA QUE IMPORTA quando oprimidos se manifestam. NADA é mais IRRELEVANTE do que a opinião do opressor. E NADA é mais digno de pena do que o lado opressor dizer ao lado oprimido como, quando, de que forma e com que roupas (!!!!!!) eles devem se manifestar. Aprenda isso.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 10:17

        Veja como você está perdido. Na sua opinião a moça é uma "vitima nas mãos desse grupelho que não representa a comunidade gay" (copiou do manual coxinha na pag. 32). Menino...ela trouxe com este ato mais vida e mais relevância a Parada do que todas as paradas juntas. A Parada Gay era algo que ano após ano era visto apenas como uma excentricidade, uma baguncinha. Essa guria conseguiu trazer POLÍTICA para a discussão. O impacto que ela causou na "familia tradicional", na "gente de bem", que são fontes de homofobia também, e a forma com que ela chacoalhou e abalou estruturas e gerou debate, foi incrível. Ela sozinha foi umas 600 mil vezes mais útil e efetiva no sentido de chamar atenção pra humilhação que eles sofrem, fruto da homofobia, do que se 5 milhões de gays vestidos de verde-amarelo se reunissem pra passar o domingo cantando o hino nacional pra depois ir embora pras suas casas. E no mais: quem representa a comunidade gay? Você, num arroubo de megalomania, quer escolher como ela vai se manifestar, que figura histórica ela vai usar como veículo teatral (Tiradentes....pffff), que roupa ela deve usar, quer definir o que ela quis dizer com sua arte (masturbação...lamentável), e agora quer definir quem representa os gays. É prepotência demais, garoto. E isso porque você provavelmente não é gay. Se fosse já teria se auto-declarado "Imperador da Comunidade Gay Mundial". Você sim, recolha-se a sua insignificância, menino. Quem define quem os representa são eles próprios. Agora cumpra sua promessa: pare de repetir o discurso do opressor e não volte a falar deste assunto. Você não está capacitado pra isso. Você entendeu nada. Está perdido, ouviu o galo cantar e nem sabe onde foi.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 10:31

        """""""""Então em resumo, deixem os símbolos religiosos na própria religião, excluindo-se encenações de cunho religiosos!"""""""""" ....você foi lá em Hollywood reclamar com os diretores que não pode fazer alusão nenhuma a crucificação de Cristo? Bateu lá na porta dos irmãos Wachowski, diretores do filme Matrix - um deles, curiosamente, transexual - e confrontou-os afirmando que eles cometeram um erro e uma blasfemia ao não deixar um símbolo religioso dentro da própria religião? Voce protestou raivosamente como está fazendo aqui, mesmo que tenha sido por email? Voce foi lá pautar a Warner Brothers dizendo que o Rei Leônidas não poderia morrer de braços abertos "crucificado" porque pegaria mal, e que ele deveria morrer de câncer igual Evita Peron?? Não me consta que você fez isso. De modo que concluo: para você, "pessoas normais", "gente de bem", "familia tradicional", todos artistas que se incluam nesse rol podem usar a crucificação como veículo metafórico da forma que quiserem. Fica até legal, dá um ar intelectual à obra de arte, pois faz referências interessantes e tal. Gays e trans não podem, pois ofendem por se tratar de gays e trans. Joinha, viu? Bacana sua revolta seletiva e sua civilidade e aceitação.

      • Junio Postado em 11/Jun/2015 às 14:34

        A ideia era dar o caso por encerrado mesmo, entretanto, assim como os simpatizantes da causa LGBT, eu não vou me calar diante de qualquer injúria ou difamação de um ser insignificante que se quer me conhece! Não ia postar mais nada nesta página por respeito aos desenvolvedores que gastam muitos bytes a cada caractere inserido na página e aos leitores que não deveriam estar lendo tamanha deselegância de sua parte! Pois se gostassem de baixaria estariam assistindo a aqueles programas de tv especialistas no assunto, ou procurando algo relacionado no youtube! Se há algum raivoso aqui, e se vc não o vê meu caro, compre um espelho! Você escreve tanta asneira que dá claros sinais de que esqueceu-se onde isso tudo começou, que foi exatamente no contexto religioso que abordei no começo, desconhecido por vc e não sei se desconhecido ou ignorado pelas pessoas que elaboraram a encenação, achou bonito? Curtiu? Já deu joinha no facebook? Blz! Só que sua opinião não me interessa em nada! Assim como a minha não deve interessar você, entretanto a matéria destaca as declarações da Vivyane e do Jean Wyllys, ela relata estar temerosa e o Wyllys fala da coisa do sofrimento de Jesus e tals, aí vem o tiozão cool Eduardo Ribeiro abordar o cinema e a matéria no Neymar cai cai, e eu apontei para a simbologia religiosa da cruz! Não foi nem de Jesus! Aí volta o tiozão mas cool do que nunca! Parecendo o FHC contorcendo todas as minhas palavras e fatos! Mas, quando, em que momento, eu disse que gays é só alegria e não sofrimento? Eu disse que a palavra gay significa feliz! Mas como a preguiça é a mãe de todos os males! Vou colar aqui o significado pra vc: “Gay [guêi]1 (do latim tardio gaiu, pelo francês gui e pelo inglês gay = "alegre, jovial")”. Não sou de ofender ninguém, até porque, não considero ninguém burro, apenas vivem conforme seus conhecimentos! Lembra-se de Einstein E=MC2? Acho q não né, vou escrever de novo “teoria da relatividade – Tudo é relativo”, mas vc só funciona com desenho! Ou filmes tb pelo que parece! Muito menos querer dizer como devem ou não protestar, não seja burro, vc entendeu o que eu quis dizer, que se a ideia não fosse provocar teriam utilizado outro “herói”, e quem disse a vc que eles querem uma guerra? Até onde eu sabia, eles querem respeito e segurança! Conheço algumas lideranças de movimentos LGBT ou GLBT como está na placa de Vivyane, que também não lhe diz respeito, mas que tem meu apoio até mesmo profissional nas atividades que exercem! Se há alguém disposto a desinteligência aqui é vc. Falar se mandei e-mail para a Warner é de uma imbecilidade tão grande, vemos tantos idosos aí ativos na sociedade, demonstrando seus conhecimentos e experiências enriquecedoras, enquanto outros sequer conseguem ler entender o sentido daquilo que lhes é escrito! Eu quero mais é que Hollywood produza filmes, principalmente os que são baseados em livros, já que muitos não têm a capacidade de ler e entender um comentário em um site, quanto mais uma edição literária! Melhor esperar sair o filme neh! Mas ao se utilizarem de símbolos religiosos, sejam eles quais ou a que religião pertençam, que aguentem o descontentamento das partes envolvidas depois!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 14:45

        """""Viu...sabem a nobreza? Esses caras que nos exploram e nos estupram até a alma? Eles mandaram avisar que vandalizar a Bastilha é feio, e que degolar nobres pega mal pra nossa causa...é contra-producente....então vamos cantar um pouco e ir embora as 4 da tarde, valeu moçada?""""". JUNIO, durante a Revolução Francesa.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 14:55

        Menino...eu falei sobre "sofrimento" na minha primeira postagem. É o que salta aos olhos na encenação da guria. Tanto falei que você veio com a conversa desonesta e IMORAL, SEM ÉTICA de que "gay = alegria então pra que encenar sofrimento né? hihihi". Você quer falar de Teologia, quer converter algumas almas perdidas? Cara...não é esse o assunto. Você parece empolgado e louco pra falar disso, mas é irrelevante, menino. Voce não entendeu o protesto, não entendeu o gesto da guria, não entendeu o paralelo que tracei com outras encenações artisticas que utilizaram-se da crucificação como veiculo metafórico de alguma mensagem - ou entendeu e é seletivamente revoltado - , quer pautar a manifestação, quer que os gays usem Tiradentes como metafora (pffff), quer uma crucificação com roupa de gala....viu "masturbação" na encenação dela...rapaz....você está completamente perdido. Chega de conversar comigo, você não é um debatedor neste assunto. Está além do que você pode. Está revoltado, provavelmente cego pelo sentimento religioso que te impede de enxergar o que aconteceu no domingo. Use melhor seu tempo, escreva aquele e-mail lá..."caros diretores da Warner...nunca mais usem a crucificação de Cristo como metáfora como já fizeram em 2 ocasiões distintas...deixem os símbolos religiosos na própria religião...obrigado." Se você não escrever eu vou achar com toda razão que você não gostou de ver a crucificação da trans APENAS PORQUE É UMA TRANS CRUCIFICADA. Afinal, sua revolta é seletiva.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 15:00

        Aliás, você é um caso curioso. Está furioso com a trans crucificada, "onde já se viu, estou furioso, que desrespeito....". Está digitando com as mãos trêmulas e esmurrando o monitor. Mas representar Cristo enquanto um europeu bonitão, branco, olhos azuis, isso pode?? Por que você não fica revoltado com isso também??? Essa representação europeizada é uma óbvia degeneração, e não te vejo cuspindo no monitor por causa disso, assim como não te vejo batendo na porta dos estudios Warner pra botar na parede os diretores que usaram a crucificação em encenações não-religiosas.

      • Junio Postado em 11/Jun/2015 às 15:11

        Eduardo, a porta da minha sala parece compreender melhor o que se diz a ela do que vc meu caro! Se aceitar um conselho meu, continue a desenvolver este teu lado debochado! cheguei a rir algumas vezes... vai ver que vc tem futuro no cenário humorístico! pq eu desisto de dialogar contigo, continue vomitando suas asneiras baseadas numa semiótica contorcida! Pq vc não consegue debater sobre qualquer assunto! Mas eu entendi a tentativa de retratar a humilhação, mas a cruz simboliza vitória, não humilhação!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 11/Jun/2015 às 15:26

        Até sua porta já entendeu que não importa o que a cruz simboliza para o religioso. É IRRELEVANTE neste contexto. Se é possível extrair "sofrimento e humilhação" do ato da crucificação - e É POSSÍVEL SIM - , então ela torna-se imediatamente instrumento de metáforas artisticas, à disposição de QUALQUER ARTISTA que deseje utiliza-la em sua arte, seja filme, seja desenho, pintura, teatro...seja hetero, seja homo, seja trans...no sentido de transmitir "sofrimento e humilhação". Se por acaso algum artista/pintor/teatrologo/cineasta quiser transmitir "vitória" através de uma crucificação metafórica, é possível TAMBÉM. Atente para o TAMBÉM. Fará sentido apenas para os religiosos que compreendem a crucificação enquanto vitória - ou seja, uma parcela menor do que poderia - , mas fará seu sentido, de modo restrito mas fará. Entendeu, jovem? Está muito preso ao "significado religioso", e isso é inimaginavelmente irrelevante. No imaginario popular, no inconsciente coletivo, o significado imediato é outro, e isso faz a mensagem da guria ser mais poderosa do que qualquer outra. Exatamente por isso que ela foi fantástica: ao abordar o maior numero de pessoas com o significado imediatamente alcançável pela maioria - sofrimento e humilhação - , ela elevou a Parada Gay de "excentricidade" para "evento político".

    • Lourdes Amorim Postado em 10/Jun/2015 às 11:32

      Ela deveria ter pensado nas consequências antes de se expor desta forma, comparando-se com Jesus Cristo, cujo sofrimento foi banalizado ao ser comparado com o sofrimento dos que são perseguidos pela orientação sexual. Não interessa que seja uma performance artística, o fato é que isso profanou um ícone sagrado para grande parte da população do mundo todo. Imaginem se ela tivesse feito isso usando o nome de Maomé...

      • José Ferreira Postado em 10/Jun/2015 às 14:25

        Afrontar Jesus e os cristãos em um país predominantemente cristão é moleza. Quero ver afrontar o Maomé na Síria, bem onde estão os caras do Estado Islâmico.

    • gustavoz Postado em 10/Jun/2015 às 13:11

      Você foi na veia.Perfeito comentário!

    • Thiago Lopes Postado em 11/Jun/2015 às 11:10

      Uma representação transexual de Jesus não deveria ser tido como algo ofensivo. Se foi ofensivo, é porque o ofendido é um homofóbico de merda. Os ofendidos só provam o quão as diversidades de gênero são mal vistas na sociedade - e essa representação só veio para nos mostrar isso. Não pode ter uma representação de Jesus homossexual? Essa divisão binária (homem e mulher) só quer estancar a diversidade das relações humanas, o mundo é mais complexo do que essa gente quer que seja.

  3. Deisi Postado em 09/Jun/2015 às 18:55

    Acredito na moça, ela não teve intenção de afrontar, um protesto valido contra homofobia e preconceito. Mesmo porque a maioria dos homofóbicos são evangélicos, não aceitam cruz como simbolo da salvação. Nem um momento ela quis se comparar a Jesus, simplesmente encontrou uma forma de protestar chocando.

  4. Bruno Postado em 09/Jun/2015 às 19:21

    Acho exagerado pensar em tamanha inocencia, pegar o principal simbolo de uma religiao e dizer que nbão quis afrontar? kkkk e os que enfiaram a cruz no rabo queriam o que? Concordo que alguns evangélicos tambem extrapolam e precisam ser calados. Quanto ao comentario do wilis é piada né? só ele tem razão e os gays que discordam dele são ignorantes como todo o mundo só ele está certo e quem discorda é homofóbico kkkkk

    • Eduardo Ribeiro Postado em 09/Jun/2015 às 21:04

      Os que enfiaram a cruz sao da marcha das vadias. Cuidado com o que voce le no facebook. A atitude dessa moça é completamente diferente desse caso que voce citou.

    • Marcos Vinicius Postado em 10/Jun/2015 às 10:04

      Você fala isso por que no mínimo tem algum peso na consciência sobre homofobia né? Ridícula e sem nexo a sua comparação, típico de quem não sabe interpretar um texto ou não tem a honestidade intelectual pra isso.

  5. Luluzinha Postado em 09/Jun/2015 às 19:32

    Acredito que há muito tempo, a parada gay nada mais é que uma festa ao ar livre onde aproveitam para escancarar as vontades reprimidas; deixou de ser palco de luta pelos direitos LGBT. A intenção era chocar, agredir a bancada evangélica, porém esqueceram que agindo assim agrediram a muitos outros mais. É agir com intolerância contra a intolerância...uma situação incoerente. O que isso gerou? Uma polêmica desnecessária que já começou a ser usada como arma, pelos sabidos líderes evangélicos, para arrebatar mais ignorantes para o seu lado. Respeito se conquista com respeito. Mas o ser humano parece que não entendeu ainda...

    • Aneterna Postado em 11/Jun/2015 às 18:02

      Que comentário excelente. Coerência em alta... Vou guardar com cuidado e postar quando tiver oportunidade..... Vc tem os olhos sem escamas....

  6. Edival Postado em 09/Jun/2015 às 19:40

    É obvio que a intenção foi afrontar. E o deputado não conhece ou "esquece" do Decreto Lei 2848/1940.

  7. Vinis Postado em 09/Jun/2015 às 20:11

    Achei dignissima a encenação, e independentemente do "grau de exagero", nada justifica as ameaças a moça.

  8. Eduardo Ribeiro Postado em 09/Jun/2015 às 20:46

    Eu gostei. Foi uma forma impactante e eficiente de denunciar a homofobia, e em especial a homofobia alimentada pelos setores religiosos. A guria tem meu apoio.

  9. Vini Postado em 09/Jun/2015 às 21:05

    Gostei da encenação, e essas ameaças só provam que ainda há muitos resquicios da Idade Média em nossa sociedade...

  10. Marcos Silva Postado em 09/Jun/2015 às 22:17

    Religiões que pregam a homofobia, o machismo, o racismo, a segregação social e a intolerância é que deveriam sumir da humanidade. Chega de degradação humana por causa de religiões.

  11. José Ferreira Postado em 09/Jun/2015 às 23:51

    Eu sou agnóstico e não pretendo ser evangélico (ou católico), pois tenho as minhas restrições em relação a qualquer religião. Entretanto, é importante o respeito às religiões, visto que esse tipo de afronta atinge os fundamentalistas e os não fundamentalistas. No dia anterior alguns evangélicos protestaram a favor dos gays, e essa atitude desse senhor, ao profanar um simbolo que é sagrado para uma boa parte das pessoas, foi prejudicial a eles também. Se uma bandeira arco-íris fosse queimada em um culto, certamente os homossexuais estariam "soltando fogo pelas ventas". Se quer respeito, respeitem primeiro.

    • Ricardo Postado em 10/Jun/2015 às 14:05

      Negativo. Eu sou luterano, e vc não me representa. Algumas denominações religiosas, dentre as quais a Igreja Luterana, participaram do evento em protesto à homofobia. E, como luterano, não me senti nem um pouco ofendido com a encenação dela; pelo contrário, fiquei feliz que ela relembrou a mensagem de Cristo! Eu fico triste, isso sim, com pessoas que não a entenderam.

      • José Ferreira Postado em 10/Jun/2015 às 14:22

        Eu sou agnóstico, como poderia representar os luteranos. Se o cara tem as suas críticas ao Cristianismo tudo bem, mas a forma que ele usou para protestar passou dos limites do bom senso e do respeito aos povos. Você, caro Ricardo, é uma pessoa. Gostaria de saber o que diz a maioria dos que seguem o Luteranismo.

      • Aneterna Postado em 11/Jun/2015 às 18:16

        Luterano descontextualizado.... Estranho. Iluminati?

  12. Eduardo Ribeiro Postado em 10/Jun/2015 às 10:37

    O "beijo gay de Jesus" não aconteceu na Parada Gay. Nem no Brasil foi. Porra...PAREM DE SE INFORMAR VIA FACEBOOK. Me impressiona como esse negócio do "beijo gay de Jesus" e da "cruz enfiada" - LEMBRANDO QUE NÃO OCORRERAM NA PARADA GAY - viraram argumento pra tudo que remete ao universo GLBT. Me dá a impressão que se amanhã encontrarem um campo de extermínio cheio de GLBTs executados, mutilados, torturados, decapitados, exterminados, rapaziada vai dizer: "é, foi malz aê, não foi certo matar geral...mas teve a cruz enfiada e teve o Cristo gay...". Tomem tenência.

  13. isaac Postado em 10/Jun/2015 às 10:46

    Acho que o primeiro fundamento para ser respeitado é respeitar, compreender que as pessoas não são iguais, que possuem opiniões antagônicas. Quando você ofende e é preconceituoso com a crença alheia, como exigir que respeitem a sua crença?

  14. Rodrigo Postado em 10/Jun/2015 às 11:20

    (Outro Rodrigo) Foi realmente ameaçada? Recebeu mesmo ligações? Vá à Defensoria Pública (profissionais muito valorosos), à OAB, ao Ministério Público e Polícia (todos, também, profissionais valorosos). Apresente as provas da alegada ameaça (registro de chamadas e demais meios eletrônicos à disposição), a fim de que não aparente ser apenas mais alguém querendo chamar a atenção com ofensa à fé alheia, que não seja mera fala vazia. Os homossexuais são merecedores de todo o respeito pelo simples fato de serem seres humanos, concidadãos de todos os demais, mas devem se lembrar que o direito termina aonde começa a obrigação (respeito ao credo alheio). Que façam suas "paradas", que exijam seus direitos e que sejam respeitados, mas que observem o mesmo respeito que exigem. Já deu essa de "se ele fez, eu posso, quero e vou fazer; agora é minha vez e ninguém pode reclamar". De profundo mal gosto e tão desrespeitoso quanto quem seguiu a procissão que acompanhava o Papa Francisco e passou a incitar os fiéis, buscando o conflito, inserindo pedaços de imagens sacras e crucifixos em seus ânus e vaginas. P.S.: muitos questionaram se, no próximo ano, a perfomance será feita com a figura de Maomé. Será?

    • Aneterna Postado em 11/Jun/2015 às 18:20

      Boa pergunta..... Ou fazer a parada no nordeste, local que pastor , padre e pai de santo marcam seu território com arma em punho...

  15. Sergio Carneiro Postado em 13/Jun/2015 às 05:02

    E se dentro de uma Parada Gay um grupo queimasse a bandeira do arco iris? Homofóbicos seria o primeiro rotulo? Ou seria apenas uma forma de liberdade de expressão.

    • Vinis Postado em 13/Jun/2015 às 21:43

      Pelo jeito o senhor não tem capacidade de interpretação pra saber distinguir a intenção em cada um dos atos.

  16. jailson Postado em 16/Jun/2015 às 13:47

    A intenção foi exibir um corpo cirurgicamente modificado com a finalidade de tornar acessível seus desejos, e pra lugar melhor pra destacar do que uma parada gay usando objetos que representam uma tradição religiosa milenar, a pessoa em questão precisava de uns poucos momentos para que sua pessoa anonima e insignificante aos olhos dessa sociedade lançasse os olhos sobre ela, duvida que a causa gay fosse seu objetivo nesse momento, nesse pais ser gay não é um problema mas ser um gay pobre sim, ser um ladrão pobre ou qualquer outro pobre é um problema e motivo pra ser discriminado, o efeito desse ato foi negativo para a causa gay mas proveitoso pra a pessoa em questão porque esse sim saiu do anonimato, talvez não seja seu caso, mas geralmente as consequências positivas são isoladas.

  17. Rogerio Postado em 16/Jun/2015 às 21:42

    O que dizer dessa imagem: http://4.bp.blogspot.com/-l6Rpye6nGi4/VCr_i0eRqpI/AAAAAAAADWI/FOBepasDYTA/s1600/Stott%2C%2BSolidarilty%2B800%2Bpx%2BPhoto%2Bby%2BLitchfield.jpg