Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 05/May/2015 às 14:11
25
Comentários

O dia em que jovens mulheres se rebelaram contra uma revista

“Atrevida, faça uma revista para melhorar a vida das meninas e não transformá-las em bonequinho de macho, não precisamos ter aval de homem para ser feliz, que vergonha!”. Repercussão negativa de matéria polêmica da revista 'Atrevida' deixa o seguinte legado para outras publicações: cuidado, as mulheres estão cada vez mais rejeitando a submissão

matéria revista atrevida
Repercussão da matéria da revista Atrevida no Facebook (Reprodução)

Raissa Torres Vidal, no Observatório da Imprensa

Muitas publicações têm usado redes sociais para divulgar os conteúdos dos sites e também para ter um retorno rápido de seus leitores. A revista Atrevida não ficou para trás e atualiza frequentemente a página no Facebook com links para as matérias. No entanto, uma matéria intitulada de “Os makes que os garotos não curtem nas meninas” deu um ibope maior e diferente do esperado.

Para critérios de comparação, a matéria sobre as maquiagens que os homens não gostam foi postada no dia 18 de abril ao meio dia e no dia seguinte estava com quase 4.000 curtidas e beirando 2.000 comentários. Postada em seguida, às 14:10 do mesmo dia, “Aniversário de Nathan Syles” (cantor de uma banda pop), estava com a metade das curtidas (perto de 2.000) e só tinha 23 comentários! Uma outra matéria sobre beleza, publicada às 16:00 do dia 18, “5 passos que vão fazer a coloração durar mais nos seus fios”, beirava 2.000 curtidas e só tinha 30 comentários.

Dentre os comentários, muitas meninas elogiavam o posicionamento das outras e havia muitas respostas aos comentários (que não são computadas pelo Facebook como novos comentários) elogiando o que outras haviam dito. Dentre os comentários, alguns se dirigiam diretamente à revista, por exemplo: “Atrevida, faça uma revista para melhorar a vida das moças e não transformá-las em bonequinho de macho, ninguém quer viver presa não, não precisamos ter aval de homem para ser feliz não, que vergonha!” Esse comentário tinha nada menos que 1821 curtidas no horário observado, cerca de 24 horas após ser publicado. Outro comentário, mais simples e direto, tinha mais curtidas do que as duas outras matérias daquele dia. Com 3141 curtidas, “Geração maravilhosa! machistas não passarão” pareceu representar mais as leitoras da Atrevida do que outras matérias inteiras. Com mais curtidas que a própria matéria, 5834 pessoas concordaram com a afirmação: “Ai, Atrevida! Se ferrou grandão, hein? Vem pra cá achando que nascemos para servir os homens… Hahahahaha…”

O legado que essa matéria polêmica deixa para as revistas destinadas ao público jovem e feminino é que as mulheres não estão mais interessadas em serem submissas. Esse público está mais empoderado e quer ser ouvido e representado. Não é dizendo o que homem gosta ou não que uma revista vai conquistar leitores. A revista Atrevida teve a chance de receber essa informação sem precisar fazer qualquer pesquisa de mercado ou esperar ter uma queda nas vendas ou assinaturas da publicação. Resta saber se a linha editorial vai ser repensada ou se ela vai continuar passando mensagens patriarcais e sendo ridicularizada nas redes sociais.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Rebeca Postado em 05/May/2015 às 14:26

    É isso aí! :D

  2. alexandra Postado em 05/May/2015 às 15:23

    Essa reação é sinal de evolução SIM, Rodrigo! E que baita evolução.

    • Ines Postado em 05/May/2015 às 15:50

      Apoiadíssima, Alexandra!

    • Jorge Postado em 05/May/2015 às 16:44

      esse Rodrigo não entendeu é nada!

    • João Postado em 06/May/2015 às 00:17

      Rodrigo perdeu uma boa oportunidade de ficar quieto.

  3. Susan Postado em 05/May/2015 às 15:36

    Acostume-se, o feminismo não está ai pra te agradar. ;)

  4. Luana Nascimento Postado em 05/May/2015 às 15:36

    Isso mesmo mulheres, temos personalidade e não vamos aceitar que uma revista dite o que devemos ser pra agradar meia dúzia de homens, temos que ser o que nos agrada e o resto é consequência.

  5. Isabel Postado em 05/May/2015 às 15:41

    "Rodrigo"... Machista detected. Com todo o respeito (que deveria existir também dos homens para as mulheres), mas nós usamos o que quisermos. Estamos aqui para sermos felizes e nos realizarmos na vida. Os homens também estão e sempre o fizeram. Por que quando se trata das mulheres os homens ficam tão alvoroçados? Será porque eles perderam as "rédeas" com as quais nos mantinham fazendo o que querem? Desculpa, somos donas de nossos corpos e de nossas vidas. Obrigada!

  6. Aline Postado em 05/May/2015 às 15:47

    Bom eu só acho que se os garotos não gostam de batom vermelho, não deveriam usar... E Isso é uma revolução sim, chegou o momento do empoderamento feminino!

  7. Aleluia Postado em 05/May/2015 às 15:53

    Tá mesmo. Por séculos a identidade feminina se limitou a ser atrativa para arrumar um bom marido (já que ser dona de casa era o máximo que lhe era permitido). Ainda bem que as coisas estão mudando!

  8. Rebeca Postado em 05/May/2015 às 15:56

    Estamos abrindo os olhos!!

  9. livia Postado em 05/May/2015 às 16:00

    Não é porque o negócio sempre existiu ou que sempre se pensou assim, que as coisas não podem mudar. E essa matéria é prova disso.

  10. Alexandre Postado em 05/May/2015 às 16:20

    Mas que mané submissão???? Ninguém tá obrigando ninguém a nada. Parem de ser mala! Para de achar opressão masculina ou machista como quem procura pelo em ovo! Revista masculina também dá dicas sobre como agradar mulheres, e aí? Quem quiser consumir que consuma, ninguém é obrigado a seguir o site ou comprar a revista. Gente chata!

    • Rosa Postado em 05/May/2015 às 16:40

      Evidente, ululante, que ninguém está obrigando ninguém a nada! Mas é muito positivo que o conteúdo de certas mídias seja questionado, principalmente quando se trata de algo tão superficial, simplista e reducionista, como a citada matéria da revista.

    • Alex Sandro Postado em 05/May/2015 às 20:06

      - Fulana, não use esse tom de batom, pois os homens não curtem. Você precisa pensar duas vezes antes de escolher qual tom usar, se quiser agradá-los... Pois eles são especiais e o seu mundo deve girar em torno do mundo deles. Não importa se você se sente bem com essa ou aquela cor de batom, o que vale é a impressão que você causará neles, é a aprovação deles. A mensagem da reportagem é esta! Realmente deve ser chato pra nós homens deixarmos de ser o centro das atenções e a razão de ser das mulheres... Mundo cruel este, não?

      • carol Postado em 06/May/2015 às 17:40

        aplausos, Alex =)

    • Lucia Postado em 07/May/2015 às 01:39

      Concordo com você Alexandre e com Rodrigo. Achei muito exagerado esse comentário: “Atrevida, faça uma revista para melhorar a vida das moças e não transformá-las em bonequinho de macho, ninguém quer viver presa não, não precisamos ter aval de homem para ser feliz não, que vergonha!”Até parece que a revista é uma ditadora! Não é assim, a revista apenas dá umas dicas. Porque geralmente é assim que acontece, se você quer conquistar alguém e ficar usando coisas que ele não gosta, dificilmente irá conseguir.Cada pessoa tem um gosto.

  11. Mari Postado em 05/May/2015 às 16:31

    Quando um homem vem falar o que é opressao a mulher ou nao: *olhinhos virando*

  12. John Postado em 05/May/2015 às 21:27

    Daqui a pouco homem falar que não gosta de mulher com sovaco peludo e bigode será considerado machismo. Essas "feministas" de hoje em dia são todas retardadas.

  13. Sergio Carneiro Postado em 05/May/2015 às 21:29

    Se vocês homens pensam que alguma mulher faz algo pensando em vocês. Sintam-se um tolo.

  14. Rocken Postado em 05/May/2015 às 22:10

    o problema dos coxinhas é mesmo falta de logica básica, pois essa oposição aos conteúdos fúteis para meninas é sim uma grande evolução e o unico feminismo que pode dar resultado, como que alguém consegue não perceber isso

  15. José Ferreira Postado em 06/May/2015 às 09:31

    Elas só querem os direitos iguais quando lhe convém. As mulheres se aposentam mais cedo e vivem cerca de sete anos a mais do que os homens. Fora que no Brasil as mulheres não são obrigadas a se alistar nas Forças Armadas com 18 anos de idade (em Israel elas são obrigadas também - Israel serve de exemplo só para isso).

    • carol Postado em 06/May/2015 às 17:41

      o seu comentário tá fugindo bem do tema. Não fique alvoroçadinho... acostume-se que dói menos ;)

  16. José Geraldo Postado em 06/May/2015 às 22:57

    Se é uma revista para mulheres, quem tem que dar opinião sobre ela são as mulheres. Não gostaram? Direito delas. Por que tanto homem fica regulando como as mulheres devem encarar as publicações para mulheres? Será que eles gostariam que as mulheres comentassem sobre as revistas masculinas?

  17. Thiago Teixeira Postado em 07/May/2015 às 08:04

    Tenho notado desde os anos 90 que Atrevida entre outras revistinhas inúteis dirigida ao público "adolescente geração xuxa" preparam as meninas para serem admiradas pelos playboys e a darem a vagina para eles. Ridículo.