Redação Pragmatismo
Compartilhar
Juristas 20/May/2015 às 10:52
7
Comentários

Fachin é aprovado pelo Senado por 52 votos a 27 e será o novo ministro do STF

Após aprovação, Fachin diz que "chegar ao Supremo é um sonho". O presidente do STF, Ricardo Lewandowski, afirmou que a Corte se sente privilegiada. O ministro Barroso disse que “as críticas valorizam-no como ser humano”. Luiz Edson Fachin assumirá o lugar de Joaquim Barbosa

senado Luiz Edson Fachin stf
Senado aprova indicação de Luiz Edson Fachin para o STF (divulgação)

Após ter seu nome aprovado pelo Senado para assumir o lugar do ex-ministro Joaquim Barbosa no Supremo Tribunal Federal (STF), o jurista Luiz Edson Fachin afirmou que vive um momento de “grande emoção e felicidade”. Ele também recebeu elogios do presidente do STF, Ricardo Lewandowski e de outros membros da Corte como Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso.

O Plenário do Senado aprovou a indicação de Fachin, por 52 votos a 27 e uma abstenção. A votação transcorreu de forma rápida e com apenas um discurso da tribuna, por parte do senador Magno Malta (PR-ES), que anunciou voto contrário a Fachin.

“Para mim e para toda a minha família é um momento de grande emoção e felicidade. Chegar ao Supremo Tribunal Federal não apenas a realização de um sonho e sim, especialmente, a concretização de uma trajetória que a partir de hoje se converte em compromisso com o presente e o com o futuro”, afirmou Fachin.

Em nota, o presidente do Supremo ressaltou que “o Supremo Tribunal Federal se sente prestigiado pela escolha do professor Luiz Edson Fachin para ocupar uma das cadeiras da mais alta Corte do país. Jurista que reúne plenamente os requisitos constitucionais de notável saber jurídico e reputação ilibada. A criteriosa indicação pela Presidência da República, seguida de cuidadoso processo de aprovação pelo Senado Federal, revelaram a força de nossas instituições republicanas.”

Para o ministro Teori Zavascki, “foi uma aprovação merecida. Luiz Edson Fachin é um jurista à altura do Tribunal e vai qualificar ainda mais a Suprema Corte de nosso país”. Citando o poeta português Luís de Camões, Barroso afirmou que “as coisas árduas e lustrosas se alcançam com trabalho e com fadiga”. “A digna altivez com que o Professor Fachin enfrentou as críticas mais ferozes valorizam-no como ser humano. E certamente reforçaram o seu espírito para ser um juiz sereno e independente”, ressaltou Barroso.

Luiz Edson Fachin nasceu em 8 de fevereiro de 1958, em Rondinha (RS). Ele é professor titular de Direito Civil da Universidade Federal do Paraná (UFPR), a mesma em que se graduou em Direito em 1980. Tem mestrado e doutorado, também em Direito Civil, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP), concluídos respectivamente em 1986 e 1991. Fez pós-doutorado no Canadá, atuou como pesquisador convidado do Instituto Max Planck, em Hamburgo, na Alemanha, e também como professor visitante do King’s College, em Londres.

Agência Brasil e Congresso em Foco

Recomendados para você

Comentários

  1. felipe Postado em 20/May/2015 às 11:08

    Depois do governo baixar as calças ao PMDB e doar mais uns carguinhos o ministro foi aprovado, não antes de passar por uma humilhante sabatinada de 8 horas é de se lamentar. Espero que honre o cargo e não se limite a defender os interesses de um partido e sim o da população.

  2. Renato Z Postado em 20/May/2015 às 14:01

    Bla Bla Bla. Sempre a mesma história, comparar o jurista Fachin com o Beira Mar para justificar essa baboseira de Bolivarismo no Brasil é o mesmo que comparar seu comentário com um rola bosta, com certeza o inseto possui mais argumentos.

  3. Eduardo Ribeiro Postado em 20/May/2015 às 14:34

    Curioso que a campanha difamatória ao Fachin foi uma das mais intensas e mais toscas já vistas, os caras se empenharam de verdade em jogar lama no Fachin, e de modo escancarado, sequer fizeram questão de disfarçar...e não adiantou nada.

    • poliana Postado em 20/May/2015 às 16:16

      eduardo, mais uma vez, a tucanalha nadou nadou nadou e morreu na praia! no meio jurídico o fachin é um jurista extremamente respeitado. um grande conhecimento jurídico com certeza ele tem. q seja um excelente ministro. de resto, é choro da direita derrotada (mais uma vez)!

      • felipe Postado em 20/May/2015 às 17:17

        Não entendi porque derrota da direita, uma vez que nunca nenhum ministro do STF foi negado pelo senado (nunca de nenhum partido) por que esse seria diferente? O que é triste é ver o PT deixar o PMDB dar as cartas ou você acha que essa sabatinada de quase 10 horas foi organizado pelo PSDB? de certa forma foi humilhante e só fez provar mais uma vez que manda no governo Dilma é o PMDB. No mais achei legal, acho que o Fachin será um bom ministro, o esquisito foi ver o Beto Richa seu amigo ir prestigia-lo.

      • poliana Postado em 21/May/2015 às 12:49

        se vc n percebeu, o psdb todo, exceto alvaro dias, tentou (em vão) junto ao senado q o nome do facchin fosse vetado. alguns até cantaram vitória antes do tempo, como de costume. mais uma vez, nadaram, nadaram, nadaram, e morreram na praia. tenta entender (ou pelo menos se informar melhor) pq eu sou péssima com desenho.

  4. Riaj Postado em 20/May/2015 às 15:32

    Aos rola bostas que de posse de dois neurônios tem a tosca idéia bolivariana. Como se defender os movimentos sociais e os que lutam por terra fosse crime. Pereira vá chafurdar no lodo do detrito sólido da maré baixa de cantareira e leve contigo o Gilmar Dantas, àquela herança maldita do príncipe da privataria, àquele do AP de Hegineópolis e de Paris.