Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 25/May/2015 às 17:36
30
Comentários

E se o referendo da Irlanda fosse no Brasil?

A católica Irlanda foi o primeiro país do mundo a realizar um referendo sobre casamento gay. Quando as urnas foram abertas, o resultado impressionou: o "sim" ganhou com 62,1% dos votos, mesmo com toda a campanha contrária da Igreja. O que aconteceria se o mesmo referendo fosse realizado no Brasil?

casamento gay irlanda
Irlandeses foram às urnas e disseram ‘sim’ ao casamento gay (Clodagh Kilcoyne/Getty Images)

Leonardo Sakamoto*

A católica Irlanda tornou-se, neste sábado (23), o primeiro país do mundo a garantir, através de referendo popular, que o casamento de duas pessoas do mesmo sexo seja previsto na Constituição.

A união civil estável já era permitida desde 2010. Agora, todos e todas terão acesso à adoção conjunta, guarda compartilhada e concessão de benefícios sociais, entre outros. Circulam na rede histórias de irlandeses que, morando fora do país, retornaram apenas para votar pelo “sim” e ajudar a escrever a história do seu tempo.

Tomarei uma Guinness para homenagear os irlandeses. Mas também para ajudar a esquecer que, no Brasil, estamos longe de um feito assim.

Uma pesquisa Ibope, de setembro do ano passado, apontou 53% contrários à legalização do casamento entre pessoas do mesmo sexo, 40% a favor, com 7% não sabendo ou não respondendo.

Ou seja, a maioria dos brasileiros é contra duas pessoas do mesmo sexo terem o direito de constituírem família. E por quê? Por conta de suas crenças pessoais? Se for isso, o Todo Poderoso deixou claro (Levítico 11:09 e 10) que comer camarão e lagosta é uma abominação.

No Brasil, seria diferente. Uma campanha pontual, de alguns meses, como aquelas que precedem referendos ou plebiscitos, não serviria para melhorar esses números a favor do respeito aos direitos fundamentais. Pelo contrário, tal como ocorre em anos eleitorais, a virulência da oposição do fundamentalismo religioso serviria para reduzir ainda mais o apoio à dignidade da minoria.

Um exemplo é a questão da ampliação do direito ao aborto: ele conhece pequenos avanços fora do período eleitoral (fruto dos debates cotidianos) e perde apoio durante as eleições – quando o tema é demonizado pelo interesse político de alguns autointitulados representantes do divino na Terra. Representantes que, se houver vid após a morte, se encontrarão comigo no Sexto Círculo do inferno – o dos hereges.

Como já disse aqui um rosário de vezes: considero um risco incalculável uma maioria deliberar sobre direitos fundamentais, principalmente de minorias, em referendos e plebiscitos. A Irlanda tem uma legislação específica que leva à discussão da mudança por referendo, e tem uma população preparada para esse debate, mas imagino o que isso seria em outras bandas.

Primeiro porque, não apenas no Brasil, mas em outros países, a percepção coletiva sobre o respeito aos direitos humanos é muito frágil. E a quantidade de informação sobre o outro (de que ele não é uma ameaça) e o nível de consciência da população são, simultaneamente, muito baixos. O que é uma mistura explosiva.

Sociedades, como a nossa, pouco informadas, estruturadas em preconceitos, com medo do que é diferente e opressoras – têm sido egoísta em relação à distribuição de direitos.

Além disso, uma democracia verdadeira passa pelo respeito à vontade da maioria, desde que respeitada a dignidade das minorias. E quando digo “minoria”, não estou falando de uma questão numérica mas, sim, do nível de direitos efetivados, o que faz das mulheres uma minoria no país.

Nessa hora, ouço alguém gritar lá no fundo da sala: “Mentira! Vivemos uma ditadura gayzista e feminazi!” O que, além de provar meu ponto, mostra a importância de pessoas serem abraçadas desde pequenas pelos pais e as consequência negativas da ausência disso.

A verdade é que os que dizem que querem governar por plebiscito no Brasil sabem o resultado que a massa irá entregar sobre certas perguntas. Daí, eles querem liberar essas perguntas para que a massa apoie o seu ponto de vista. E é por isso também que temas como “taxação de grandes fortunas ou de grandes heranças” nunca vai a plebiscito ou referendo.

Fico minimamente aliviado que decisões do Supremo Tribunal Federal sobre a interpretação da Constituição Federal visando à garantia desses direitos não têm sido tomadas necessariamente com base em pesquisas de opinião ou para onde sopra a opinião pública em determinado momento depois de um crime bárbaro.

Pensando bem, uma Guinness vai ser pouco.

*Leonardo Sakamoto é É jornalista e doutor em Ciência Política

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 25/May/2015 às 19:41

    aqui no brasil é melhor q o estado decida sobre tais questões, sakamoto. o povo brasileiro não tem o necessário grau de conhecimento e instrução pra entender e decidir acerca desses temas. não tem a menor condição. graças a deus q temos o stf pra tutelar e reconhecer os direitos das minorias., pq se for esperar por aquele congresso retrógrado, ainda estaríamos nos tempos da caverna. imagine a lavagem cerebral q as igrejas evangélicas iriam fazer nos fiéis caso essa questão fosse decidida pelo povo em um eventual referendo!!!! não consigo nem pensar nessa aberração. parabéns ao povo irlandês por ter passado por cima de dogmas religiosos, e pensado no seu próximo, na igualdade entre os indivíduos independentemente de sua orientação sexual. somos todos seres humanos e todos merecemos respeito. quem sabe aqui no brasil, um dia possamos chegar a esse nível, mas por enqto., melhor deixar certas matérias nas mãos do estado.

    • Line Postado em 26/May/2015 às 20:31

      Mais um país que os homofóbicos querem passar longe e olha que é um país bem cristão católico/protestante. Feliz da Irlanda.

    • poliana Postado em 28/May/2015 às 12:23

      onde foi q eu disse q "só eu tenho" grau de instrução entre os brasileiros???!!! belo poder de interpretação o seu.

  2. Eduardo Postado em 25/May/2015 às 20:10

    Pobre acéfala maria...

  3. Neto Postado em 25/May/2015 às 20:11

    É por causa desse tipo de gente como a "maria" ai que não se deve trazer um referendo desses ao Brasil, e o seu fedido? Você dá sem custo ao estado também? Ou você não tem? Hipocrisia e ignorância é o mal desse Brasil. Vai procurar uma lavagem de roupa que você ganha bem mais e se preocupar só com o seu "fedido" e deixar os dos outros em paz.

    • poliana Postado em 26/May/2015 às 18:51

      exatamente neto! e o naro solbo aí em cima, comparou essa mesma questão, ao fato de todo o povo brasileiro ter direito ao voto e poder eleger democraticamente o seu representante! é de uma má fé impressionante!

  4. Delmar Bertuol
    Delmar Postado em 25/May/2015 às 20:34

    É sério o comentário da maria ou eu que não entendi a ironia? Concordo com o autor. Sou contra consulta à população para resolver assuntos dessa natureza. E não sou contra porque o Brasil não tem maturidade e consciência intelectual para certos assuntos (vide o comentário da maria, caso eu tenha entendido e ela não foi irônica). Sou contra porque cada um deve fazer o que bem entender de sua vida. Quando eu casei não precisei que a população referendasse meu casamento. Por que outro casal (e casais homossexuais são casais) precisaria desse aval?

    • Viniciuss Postado em 27/May/2015 às 21:58

      Pior que não é ironia, ela acredita estar na Idade média mesmo

  5. alex Postado em 25/May/2015 às 22:01

    SUA PORCA, PRECONCEITUOSA E NOJENTA! ignorante..

  6. Eduardo Ribeiro Postado em 25/May/2015 às 23:24

    Esses 53% da pesquisa se transformariam em uns 70% num plebiscito. Homossexuais seriam demonizados, o espantalho da ditadura gayzista ganharia força e seria vinculado ao PT, "coisa de petralhas comunistas" pra demonizar ainda mais antes da consulta popular. Trata-se do tipico assunto cujas decisoes devem ser tomadas sem consulta. Nao ha condiçoes minimas de se fazer um debate decente para informar o povo antes de consulta-lo. A legalizaçao tem que ser aprovada pelo estado e lançada goela abaixo do povo, sim. Até por ser a legalizaçao o unico caminho etica, racional e moralmente aceitavel. A nao-legalizaçao simplesmente nao é opçao.

  7. Gabriel Costa Postado em 25/May/2015 às 23:49

    Você é tão burra... É até meio assustador ler o que você escreve. Na real é surpreendente que você saiba escrever.

  8. José Ferreira Postado em 26/May/2015 às 00:06

    É impressionante o raciocínio de alguns membros da esquerda: Se concordo com o que diz a maioria do povo, então apoio a consulta. Se não concordo com o que diz o povo, não apoio a consulta e ainda falo que o povo não tem a capacidade de tomar as suas decisões. Ou tem plebiscito para tudo, ou não tem nenhum.

    • eu daqui Postado em 26/May/2015 às 09:21

      Esses são esquerdopatas ou direta populista, nunca esquerda genuína, que é , por definição , aberta ao debate e não aos extremos.

  9. Ronaldo Postado em 26/May/2015 às 01:52

    Brasileiro respeita leis? Hum?

  10. Mario Postado em 26/May/2015 às 08:34

    "Brasileiro é conservador" / "Brasileiro respeita as leis" / "Brasileiro não aceita viadagem e sem vergonhice" / "Querem dar o fedido" / "Custas do Estado". Ufa, sorte que acabou! Maria, coloca mais amor nesse coraçãozinho!

  11. Bolado Postado em 26/May/2015 às 09:35

    Lamentável, o seu nível de indigência espiritual, Maria. O texto fala de direitos e não de preferências ou práticas sexuais. De fedido por fedido, não esqueça de usar seu Dermacid, amor. Por favor, tá exxxcroto já essa acefalia patética. Brasileiro - alguns - não é conservador e sim muito hipócrita. Tem filho fora de casamento, vive em prostíbulo e só não sonega a alma pq ainda não dá. Eu chamo isso de HIPOCRISIA. Se somos todos contribuintes, logo queremos também ter direitos e não apenas deveres. Se dependesse dos conservadores, as mulheres ainda estariam na condição de tuteladas pelos maridos e sendo vítimas de "feminicídio". Só asco por definir o sentimento dessa sociedade tão achincalhada que apenas me faz querer vomitar... Ou seja, eu faço putaria, vc apenas assiste e fica quieto(a)! Vlw

    • Viniciuss Postado em 27/May/2015 às 22:02

      Direito a mais? Está louca? Homossexuais só querem (e devem) ter os mesmos direitos dos Heterossexuais

  12. Aleluia Postado em 26/May/2015 às 09:45

    Maria saiu da idade média não é possível... Brasileiro respeita as leis kkkk

  13. João Jr. Postado em 26/May/2015 às 12:06

    Realmente, lendo os comentários daqui eu deixo plebiscito fora de questão.

  14. Paulo Phelicio Postado em 26/May/2015 às 12:09

    maria POSTADO EM 25/MAY/2015 ÀS 19:53 poliana o povo ja decidiu.voces é que insistem na mesma tecla achando que vao enfiar goela abaixo. brasileiro é conservador , respeita leis e nao aceita viadagem e sem vergonhice.querem dar o fedido o façam em casa e sem custas ao Estado.simples assim....... Olha, brasileiro é conservador, com certeza, mas dizer que RESPEITA LEIS ? hm... NÃO! Viadagem ? O amor entre duas pessoas do mesmo sexo é inaceitável, pois é pecaminoso, é nojento e é sem ''vergonhice'' como você mesma retratou... A maior parte dos "conservadores" tem suas bases cristãs, correto ? ENTÃO ME RESPONDA: AONDE DIABOS, ESTÁ ESCRITO NA BIBLIA, MATA ESSES VIADOS TODOS ? AONDE TÁ ESCRITO QUE ELES NÃO PODEM DAR O FEDIDO DELES ? O QUE VOCÊ TEM A VER COM SUAS PARTES INTIMAS E O QUE ELES ENFIAM OU DEIXAM DE ENFIAR NELAS ? São pessoas como você, que tem pensamentos RETRÓGRADOS, e que não sabem ter um dialogo adulto e maduro, sobre um assunto tão delicado, quanto a vida do próximo, que fazem nosso pais ser como é, uma nação fardada ao fracasso!

  15. Hélder Postado em 26/May/2015 às 14:07

    Não acho que deveria ser submetido a referendo popular. Na minha opinião a forma como as pessoas formam suas famílias e relacionamentos não deve ser decidida por quem quer que seja a não ser elas mesmas. Ponto pro STF. Quanto a opinião popular, em um país onde mais de 50% dos "casamentos" acabam antes dos 5 anos (e geralmente por adultério) é muita hipocrisia querer regular o casamento alheio.

  16. Eduardo Ribeiro Postado em 26/May/2015 às 17:06

    "Maria 100%"...segue horrorizando TODOS que a lêem, em TODOS os comentários que faz. É impressionante.

  17. Line Postado em 26/May/2015 às 20:30

    O Brasil não está preparado para algo assim infelizmente, que vergonha essa "maria". Tipos como essa "maria" se acham bem situadas no terceiro mundo, o mal é que querem levar o país todo com eles.

  18. Thiago Postado em 27/May/2015 às 19:07

    Para o restante da humaninadade abusar de crianças (só para citar uma) também é derrota, a Igreja não pode falar nada que se refere à moral e ética.

  19. Alberto Postado em 26/May/2015 às 15:44

    Se serve de exemplo, a abolição da escravidão não foi por vontade popular.

  20. poliana Postado em 26/May/2015 às 18:50

    naro, uma coisa é o direito ao sufrágio universal, outra coisa é vc deixar nas mãos do povo a decisão acerca de direitos fundamentais de uma minoria, principalmente num país onde esta mesma minoria é tão hostilizada e tratada como sub raça, e pessoas q n devem ter direito a nada, ou mesmo como delinquentes. no dia q o povo brasileiro tiver o mesmo nível de educação q o povo irlandês, aí sim poderemos todos decidir acerca de tais questões. enqto a educação no país ficar restrita a uma minoria, precisaremos sim q o estado decida acerca destas questões. n me venha comparar o direito de sufrágio com a tutela de direitos de uma minoria. n seja mal caráter. graças a deus temos o direito de sufrágio em q o voto é secreto, universal, e tem igual valor para todos. ou vc acha q por conta da baixa instrução do povo brasileiro, esse direito deveria ficar restrito à elite e a classe média??!! qta má fé e preconceito de sua parte. são dois casos totalmente diferentes!

  21. poliana Postado em 26/May/2015 às 18:57

    e mais uma vez, a sua arrogância típica de achar que quem vota no pt assim o faz por causa do bolsa família. essa arrogância me dá preguiça ok naro?continue vivendo no seu mundinho coxinha, arrogante, birrento e inconformado com a 4º derrota consecutiva nas urnas. o choro é livre.passar bem.

  22. poliana Postado em 26/May/2015 às 20:36

    vc vem com suas comparações esdrúxulas em seus posts e depois quer q a pessoa tenha paciência cristã?! n sou de ferro, naro. desculpe. comparar o direito de sufrágio universal da população, a dar a essa mesma população o poder para decidir acerca da tutela de direitos fundamentais de uma minoria tão massacrada no país, é no mínimo covarde e de má fé. depois vc afirma nas entrelinhas q o eleitor do pt só o é por conta do bolsa família, o q só demonstra arrogância e inconformismo em suas palavras e quer q eu lhe devolva com um coraçãozinho?! desculpe naro, n sou de ferro!

  23. poliana Postado em 26/May/2015 às 23:57

    ah, tá ok. vc foi muito educado em suas colocações...

  24. Eduardo Ribeiro Postado em 26/May/2015 às 17:04

    Cheirou errado. Sugiro um otorrino.