Redação Pragmatismo
Compartilhar
História 02/May/2015 às 17:17
12
Comentários

Dez curiosidades sobre a Guerra do Vietnã... 40 anos depois

40 anos depois: Dez fatos (e suas consequências) que talvez você não saiba sobre a Guerra do Vietnã

guerra vietnã eua
Fim da Guerra do Vietnã completou 40 anos na última quinta-feira (arquivo)

A Guerra do Vietnã, cujo fim completou 40 anos na última quinta-feira, se estendeu de 1959, quando começaram os combates de guerrilheiros comunistas no Vietnã do Sul (na época uma ditadura apoiada pelos Estados Unidos), até que os últimos militares deixassem a capital, Saigon, em abril de 1975.

A tomada da cidade, hoje chamada Ho Chi Minh, pelas forças comunistas do Vietnã do Norte lançou as bases para a reunificação vietnamita e foi a maior derrota militar da história dos EUA – que se envolveram no conflito em 1961, temendo o avanço do comunismo.

Para americanos e vietnamitas, foi uma guerra custosa, sangrenta e divisiva.

O conflito marcou a história do Vietnã no século passado, deixou o país em ruínas, causou milhões de mortes e ainda desperta debates.

A seguir, dez dados sobre a guerra e suas consequências:

1. Rivalidade da Guerra Fria: O antigo Vietnã do Sul dependia da ajuda econômica e militar dos EUA, enquanto o Vietnã do Norte recebia apoio da União Soviética e da China.

2. Número de soldados: Mais de 2,5 milhões de americanos serviram na guerra; em 1968 havia 536 mil deles combatendo. Em 1973, quando os EUA aceitaram um cessar-fogo, as forças do Vietnã do Sul eram de cerca de 700 mil, enquanto as do Vietnã do Norte somavam cerca de 1 milhão de combatentes.

3. Número de mortos: Mais de 58 mil americanos e ao menos 1,1 milhão de vietnamitas morreram no conflito (algumas estimativas falam em 3 milhões de mortos). Outros países também sofreram baixas: foram mortos, por exemplo, mais de 4 mil soldados sul-coreanos.

4. Guerra internacional: Algumas nações enviaram tropas para ajudar os EUA; participaram do conflito milhares de soldados da Coreia do Sul, Tailândia, Austrália, Filipinas e Nova Zelândia.

A China também enviou um número substancial de soldados ao Vietnã do Norte: chegaram a 170 mil, para reparar os danos causados pelos bombardeios americanos e para ajudar na defesa aérea.

5. Guerra aérea: A Força Aérea dos EUA lançou 6,7 milhões de toneladas de bombas sobre o Vietnã; as forças aliadas do Vietnã do Sul, Austrália e Nova Zelândia lançaram outras 1,4 milhão de toneladas.

Esse montante corresponde a mais do dobro do volume de bombas lançado por Reino Unido e EUA – 3,4 milhões de toneladas – em operações na Europa e no Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial.

6. O tanque: Durante 20 anos, acreditou-se que um tanque do Vietnã do Norte – o de número 843 – tivesse sido o primeiro a avançar contra as portas do Palácio Presidencial de Saigon, em 30 de abril de 1975. Só em meados de 1990 que o Vietnã concluiu que foi obra de outro tanque, o número 390.

7. Arma icônica: Nenhuma outra arma está tão associada à Guerra do Vietnã quanto o fuzil AK-47. Foi a principal arma do Exército do Vietnã do Norte e das guerrilhas do Sul e se converteu na arma revolucionária preferida em todo o mundo.

As tropas americanas usaram sobretudo o fuzil M14 e, posteriormente, o M16. Os fuzis de assalto americanos eram de difícil manejo nas úmidas selvas do Vietnã.

8. Legado controverso: O Vietnã pediu, sem sucesso, compensação às vítimas do “agente laranja” – substância química jogada pelas tropas americanas no solo para destruir plantações agrícolas e desfolhar florestas usadas como esconderijo pelos inimigos, que acabou causando danos, malformação de crianças e contaminação, com efeitos que duram até hoje.

9. Divisão: Mais de 1 milhão dos chamados “boat people” (imigrantes que viajavam em barco) fugiram do Vietnã do Sul entre 1975 e 1989. A maioria se estabeleceu nos EUA.

10. Normalização: EUA e Vietnã normalizaram suas relações em 1995 e anunciaram um acordo amplo em 2013. O comércio bilateral movimentou quase US$ 35 bilhões em 2014.

VEJA TAMBÉM: Fotografia histórica da Guerra do Vietnã completa 40 anos

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Salomon Postado em 02/May/2015 às 18:18

    Desde então invadem países 'para instaurar a democracia'. Um arremedo de verdade, como se sabe, porque a intenção sempre foi a de subtrair as reservas naturais. Os invadidos, por seu turno, resistem, como é claro a todas as luzes, resistem, muitos morrem, mas resistem. Na terra brasilis, ao contrário, há um guru de ultra direita que concretizou a 'teoria da dependência', e ainda levou um esporro do Clinton. Há um senador misantropo que tem como projeto de vida a entrega do pré-sal aos 'Ianquis'. Outros, ainda mais idiotas, desfilam suas faixas patrióticas em sinal de protesto, suplicando aos americanos que invadam o país e os livre do comunismo implantado pelo PT.

    • Sergio Postado em 03/May/2015 às 17:21

      Boa Salomon!!!

    • BRUNO SILVA Postado em 03/May/2015 às 20:07

      Realmente vdd

    • jose justino de souza net Postado em 04/May/2015 às 17:42

      Perfeito!

    • Bruno Postado em 05/May/2015 às 11:20

      Comunismo então é uma solução? kkkk tambem sou um ser manipulado que vi a realidade de cuba de perto sim e boa parte nao vai embora pq nao consegue e outra simplesmente nao conhece a realidade. Ou sera q por pensar de modo diferente sou um manipulado pela midia kkkkk

      • Keanu Postado em 10/May/2015 às 20:15

        Com certeza é manipulado, ninguém disse que o comunismo é a solução! Há sim manipulados que dizem que estamos vivendo uma ditadura comunista bolivariana, e sequer sabem o que isso quer dizer!

  2. adriano Postado em 02/May/2015 às 20:08

    belas palavras Salomon

  3. Rodrigo Postado em 02/May/2015 às 22:17

    Isto mesmo, Salomon. Infelizmente os incautos nunca percebem o mal que os assola tem uma matriz. Esta matriz não permite que suas colônias se desenvolvam, nem mesmo que se sobressaíam. Querem manter as colônias vivendo com o mínimo possível, para que a matriz possa gozar de boa vida e drenar o máximo possível de recursos sem que ninguém os incomode. É incrível que até autores americanos como Noam Chomsky tenham declarado detalhes de como os americanos dominam o mundo "sub-desenvolvido", incluindo a América Latina. E os camaradas que aqui vivem não se ligam nisto. Está escrito, por instância, que os EUA implantaram a ditadura em todos os países da AL para poderem se beneficiar dos recursos daqui enquanto o povo minguava, e não percebem o que isto representa...

  4. Michel Postado em 04/May/2015 às 13:47

    Ia comentar mas o Salomon não esqueceu de nada.

  5. Ricardo Postado em 04/May/2015 às 13:51

    Ao contrário, a elite percebe muito bem. Ela, a elite, não está nem aí se o Brasil é independente ou dependente, quer apenas uma coisa: manter seus privilégios de casta. Se o dominador (inteligente como são os EUA) garanti-lo,s apoiarão sem pestanejar. A elite não tem senso de comunidade, nunca o teve. É da nossa História. É como a égua Mimosa do conto "A Revolução dos Bichos": só quer saber de suas fitinhas coloridas e de seus torrões de açúcar.

  6. jose justino de souza net Postado em 04/May/2015 às 18:02

    Em primeiro lugar, seu comentário foge completamente ao tema postado. Todos os que frequentam o site e leem os comentarios, e que tambem não foram amestrados pela mídia alinhada aos interesses do império anglo-saxão, sabem também porque você interviu com essa bobagem a respeito de Cuba. Você é mais uma americanalhada desgostosa pela surra que os genocidas levaram dos asiáticos de pés-descalços. Em segundo lugar, você demonstrou com o link no comentario que nada sabe a respeito dos balseiros e de muitos que fugiram e se arrependeram. No "mundo livre" dos criminosos-de-guerra de Washington não há escolas gratuitas em TODOS OS NÍVEIS e alimentação e transportes não são subdisiados pelo Estado. A saúde lá não é gratuita também, ao contrário de Cuba. Muitos que fugiram tentaram voltar e...acabaram ficando por lá mesmo porque não foram aceitos nem pelo governo cubano e nem pelo próprio povo da Ilha (veja também os sites cubanos para se informar mais a respeito da falsidade divulgada pelos ianques).

  7. Marco Postado em 04/May/2015 às 22:47

    Boa Salomon. Apesar da crescente estupidificação do povo brasileiro ainda há vida inteligente no Brasil :)