Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 22/May/2015 às 17:41
118
Comentários

13 expressões racistas que precisam sair do seu vocabulário

racismo negro vocabulário preconceito negros
Imagem: Ana Maria Sena

Stephanie Ribeiro, Modefica

Vire e mexe me perguntam como não ser racista. E, sinceramente, eu acho a resposta tão complicada, afinal somos educados para o inverso: o racismo é imposto e naturalizado, e, mesmo não querendo (existem casos que ele é sim intencional), muitos acabam reproduzindo o discurso opressivo para com negros.

Desconstruir esse discurso, até em expressões simples e que aparentemente não parecem ser ofensivas, mas no fundo são, é necessário e urgente. Pensando em quebrar esse ciclo, te mostro 13 exemplos de racismo cotidiano presente em expressões e palavras que ouvimos com freqüência, mas que devem ser eliminadas do vocabulário já.

1- “Amanhã é dia de branco”

Qualquer pesquisa rápida no Google mostrará mais de uma origem para essa expressão, e a maioria negando que ela tem algum cunho racista. Porém, vivemos em um país onde a escravidão do povo negro durou mais de 300 anos, e os escravos, mesmo sendo forçados a trabalhar, geralmente eram vistos como “vagabundos”.

As conseqüências disso duram até hoje, o negro é sempre visto como a pessoa que faz “corpo mole”, aquele “malandro” que não faz nada. Inclusive, entre as opiniões que mais afloram quando o assunto é cotas sociais para negros, a de que não existe esforço da nossa parte é a mais frequente. Tanto que podemos fazer um paralelo entre essa e a expressão seguinte.

2- “Serviço de preto”

Comum no nosso dia-a-dia, essa expressão é usada para desqualificar determinado esforço e/ou trabalho, ou seja, fazer “serviço de preto” é igual a ser desleixado. O negro sempre é associado a algo ruim, o “bom” trabalho seria o do branco. Não dá para ser ingênuo e achar que não existe o teor racista, ainda mais quando associamos a outras dessas expressões que colocam o negro como o oposto de positivo, como:

3- “A coisa tá preta”

A expressão “a coisa tá preta” fala por si só: se a coisa está preta, é porque ela não está agradável, ou seja, uma situação desconfortável é o mesmo que uma situação negra? Isso é racismo.

4- “Mercado negro”

O mercado negro é aquele que promove ações ilegais, e mais uma vez é a palavra negro sendo usada com conotação desfavorável. O negro, na expressão, significa ilícito.

5- “Denegrir”

Já a palavra “denegrir” é recorrente quando acreditamos que estamos sendo difamados, é uma palavra vista como pejorativa, porém seu real significado é “tornar negro”. Se tornar algo negro é maldoso, temos mais um caso de racismo.

6- “Inveja branca”

Finalizando a leva de palavras e expressões que associam negro e preto à comportamentos negativos, o exemplo 6, que mostra a “inveja branca” como sendo a inveja boa, “positiva”.

7- “Da cor do pecado”

Outra expressão que faz a mesma associação de que negro = negativo, só que de forma mais subliminar, não recorrendo a termos como negro ou preto. Geralmente essa expressão é usada como elogio, porém vivemos em uma sociedade pautada na religião, onde pecar não é nada positivo, ser pecador é errado, e ter a sua pele associada ao pecado significa que ela é ruim. Não é uma expressão que remete a um adjetivo positivo, é simplesmente uma ofensa racista mascarada de exaltação à estética e, quase sempre, direcionada a mulheres negras.

8- “Morena”, “mulata” (seguidos de tipo exportação)

Usado para mulheres e homens, mas mais comum serem usadas para descrever as mulheres, principalmente quando seguidas pelo termo “tipo exportação”. Aqui o objetivo é amenizar o que somos, “clareando” o negro. Não existe justificativa para negar que alguém é negro, possivelmente você pode estar incomodado em dizer “negro”, e se está é porque acredita que chamar alguém de negro é ofensivo, sendo assim embranquece a pessoa – transformando-a em “morena” ou “mulata”, e isso é racismo.

9- Negra “de beleza exótica” ou com “traços finos”

O 8 e 9 são próximos, quando se imagina que ser uma mulher negra bonita é ser “tipo exportação”, ter “traços finos” e assim poder ser a dona de uma “beleza exótica”. Ser negro e poder ser considerado bonito está relacionado a não ter traços negros, mas sim aqueles próximos ao que a branquitude pauta como belo, que é o padrão de beleza europeu. Sim, isso é racismo, e dos mais comuns que a gente vê por ai, estão nos hipersexualizando e exotificando quando usam essas expressões.

10- “Não sou tuas negas”

Facilmente explicável se lembrarmos de que quando se tratava do comportamento para com as mulheres negras escravizadas, assédios e estupros eram recorrentes. A frase deixa explícita que com as negras pode tudo, e com as demais não se pode fazer o mesmo, e no tudo está incluso desfazer, assediar, mal tratar, etc, etc.

11- “Cabelo ruim”, “Cabelo de Bombril”, “Cabelo duro” e, a mais desnecessária, “Quando não está preso está armado”

A questão da negação da nossa estética é sempre comum quando vão se referir aos nosso cabelo Afro. São falas racistas usadas, principalmente na fase da infância, pelos colegas, porém que se perpetuam em universidades, ambientes de trabalho e até em programas de televisão, com a presença negra aumentando na mídia. Falar mal das características dos cabelos dos negros também é racismo.

12- “Nasceu com um pé na cozinha”

Expressão que faz associação com as origens, “ter o pé na cozinha” é literalmente ter origens negras. A mulher negra é sempre associada aos serviços domésticos, já que as escravas podiam ficar dentro das casas grandes na parte da cozinha, onde, inclusive, dormiam no chão (sua presença dentro da casa grande facilitava o assédio e estupro por parte dos senhores). Pós-abolição, continuamos sendo estereotipadas como as mulheres da cozinha, já que somos maioria nos serviços domésticos, visto todas as políticas que tentaram e tentam barrar a ascensão negra.

13- “Barriga suja”

Outro termo que faz relação à origem é usado quando a mulher tem um filho negro. Se ela teve um filho negro, algo impuro – como uma “barriga suja” – explica esse fato. É uma das que mais me causa desconforto.

É claro que existem inúmeras outras expressões que apontam claramente o racismo no cotidiano, e, infelizmente, inúmeras pessoas, mesmo sabendo dos fatos e tendo acesso às explicações, vão dizer que tudo é pura banalidade e, provavelmente, continuar usando essas palavras e expressões.

Quando apontamos racismo, a tendência é ouvirmos algo como “não sou racista, tenho amigos e/ou parentes negros”, ou ainda “eu conheço um negro e ele não liga”. O mais irônico é que, quando um negro reproduz conceitos racistas, que vão desde achar que não existe racismo a não se incomodar de ser chamado de moreno, ou achar desnecessárias todas essas explicações aqui dadas, ele logo é taxado como sendo “um negro de alma branca”. Traduzindo: usam uma fala racista para “louvar” seu comportamento não questionador.

É necessário empatia e consciência para que essas palavras e expressões sejam abandonadas de vez. O objetivo desse texto é simples: ENEGRECER ideias.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 22/May/2015 às 19:06

    cara, sempre usei o termo "denegrir", mas nunca o associei com o racismo. tô pasma com o significado. outra coisa: se eu falo q a halle berry é uma negra de traços finos, estou sendo racista? falo isso pq ela é negra, mas sua mãe é branca...e ela é a cara da mãe, tem exatamente os mesmos traços, mas saiu negra como o pai. então se eu digo q ela tem os traços finos, isso é racismo?! cara, tô pasma! morreria sem saber disso...ok então..nunca mais falo q uma negra tem os traços finos. e olha q sou super fã da halle...

    • poliana Postado em 22/May/2015 às 19:08

      beyoncé tb gente...sempre disse q ela é uma negra com traços finos. eu fui racistas com duas grandes ídolas?! cara, tô me sentindo mal com isso.

      • José Ferreira Postado em 23/May/2015 às 00:49

        Elas tem traços finos por que são mestiças, por conta da parte caucasiana de suas famílias. Negra mesmo é a Lupita (não me lembro como se escreve o seu sobrenome).

      • poliana Postado em 23/May/2015 às 12:56

        tá bom jose ferreira...então chega lá nos estados unidos e diga q elas n são negras, q são mestiças pra ver o q acontece...vc insiste nessa ideia ridícula né? como se existisse uma raça morena/parda/mestiça...típico pensamento de complexado q n se aceita. vc precisa trabalhar na sua auto estima e auto aceitação. e a halle, a beyoncé, a mariah e a rihanna, SÃO NEGRAS SIM!

      • Pedro Silva Postado em 23/May/2015 às 13:54

        Na África, existem etnias de negros de traços finos sem que tenha havido mistura com brancos. Ou seja, nem todo negro com "traços finos" tem um branco na sua ascendência. Creio, que o ruim de se usar esse termo é pelo fato de que passa a ideia de que todo negro tem nariz achatado,lábios grossos. Algumas pessoas - acho que não é o seu caso - usam expressão como se dissesse "ela é negra, MAS tem os traços finos", com se uma coisa compensasse a outra.

      • beto Postado em 23/May/2015 às 14:41

        Parece q estamos falando de cães aqui, eu desisto de tentar entender o raciocínio de algumas pessoas! Só pq um site diz q falar denegrir é racista as pessoas baixam a cabeça sem nenhum tipo de senso critico, depois tem a cara de pau de dizer q "n tinha se dado conta" ou eh ignorante ou tem 14 anos de idade me desculpe!

      • poliana Postado em 23/May/2015 às 14:51

        querido, se eu perguntei, n foi por falta de senso crítico, ou por ignorância ou por ter 14 anos de idade. n sou obrigada a saber a etimologia de cada palavra ou seu real significado em todo contexto! mas diferente de vc, q bom q alguns membros me explicaram sem ser grossos e antipáticos como vc. seria melhor vc ter ficado calado se n gostou do q eu falei.

      • Guilhermo Postado em 25/May/2015 às 15:13

        Poliana, não é por que o autor do texto considera algumas expressões racistas que você (ou eu) precisam concordar com isso. Sei lá, óbvio que algumas expressões ali em cima são racistas, mas outras eu já discordo, como mercado negro ou inveja branca...

      • José Ferreira Postado em 26/May/2015 às 00:26

        Apesar do "movimento negro" não gostar, a mestiçagem existe. Falar que a Beyoncé, a Mariah e a Halle são negras é desprestigiar os seus antepassados não negros. Imagina se fossem as suas filhas, cara Poliana.

      • poliana Postado em 26/May/2015 às 13:06

        ok, jose ferreira. então vai lá nos eua falar q a halle berry, a mariah e a beyoncé não são negras, ok???? desisto de vc.

    • Samael Postado em 23/May/2015 às 02:20

      poliana, na boa, vc fez essas coisas com maldade?! Vc acha q vc foi racista? Acha mesmo que tudo que tem negro, preto, escuro é racista? Tudo se refere a pessoas com afro descendência? Eu sou branco mas sou afro descendente, acho que essa sensibilidade toda a tudo que faça referencia a alguns termos, não todos, merecem uma analise maior. Não se deixe levar por tudo que lê.

      • Gisely Postado em 23/May/2015 às 10:19

        “Denegrir” esta foi a pior. Fala sério!

      • Gisely Postado em 23/May/2015 às 10:21

        Existe a morena sim, mas em relação ao cabelo castanho, assim como existe a loira, a ruiva. No caso de "negra" tem que ser negra mesma, ora. Lógico. Mas o termo "mulata" desde que não seja no contexto de "exportação" pode ser utilizado. Tudo depende do contexto e intenção.

      • poliana Postado em 23/May/2015 às 12:53

        n falava por maldade não, samael. como disse, sou muito fã de ambas. pra mim n era racismo, mas...........

      • Ricardo Postado em 23/May/2015 às 13:41

        Gisely, sinto muito informar, mas a palavra mulata (ou mulato) não deveria ser utilizada em contexto nenhum já que, originalmente, era utilizada para colocar o negro na mesma condição de venda, negociação ou troca, de uma mula. Ou seja, a palavra servia para comparar o negro à uma mula.

    • Luis Postado em 23/May/2015 às 18:46

      Gente, a interpretação de "da cor do pecado" está muito errada nesse texto. EM TEMPO: é realmente uma expressão racista, mas no sentido de super exposição sexual do cor da mulher negra, que sempre foi hiper sexualizada e não no sentido de que negro é pecador. Ou pelo menos de que é pecador em outras áreas. Tirando isso o texto está perfeito.

      • Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:05

        Pecado=estupro de escravas.

    • Milton Postado em 24/May/2015 às 09:08

      Poliana, por que os traços finos devem somente vir do branco e nunca também do negro?

      • poliana Postado em 24/May/2015 às 10:21

        milton, pq os negros em sua maioria esmagadora n os tem. por isso qdo me referia a beyoncé ou a halle berry como negras de traços finos, n via isso com tom racista. e como o jose ferreira falou, no caso delas, isso acontece pq existe brancos em suas respectivas árvores genealógicas. a mãe da halle berry é branca, loira dos olhos azuis. os traços "finos" dela vieram da mãe. mas isso n a torna uma mulher branca, ela é negra e ponto final. idem beyoncé, rihanna, alicia keys, mariah carey...são todas negras com traços finos. e todas elas tem brancos em suas árvores genealógicas, seja o pai ou a mãe...acredito q os traços "finos" delas venham daí. mas jamais diria q isso tem um tom racista....enfim...a moça do texto deixou o seu recado.

      • Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:13

        Certa vez perguntaram na internet: "por que baiano tem cabeça chata?" Uma resposta pseudocientífica foi: "isto é característica dos índios Caetés". Racialistas eurotupiniquins apenas fazem o trabalho de atribuir características não desejáveis aos não brancos e dizem fazer ciência. A África é grande e tem gente de todo jeito. Para os racialistas brasileiros Etiópia e Nigéria são a mesma coisa.

      • poliana Postado em 25/May/2015 às 17:10

        n teria uma descrição pra isso naro, até pq como já falei, os negros de traços finos são minorias, por isso q me referia à beyoncé ou a halle barry dessa forma. mas qdo n os tem, n há uma descrição pra isso. apenas negro. pq?

    • Julio Alan Postado em 29/May/2015 às 13:30

      Não apresentaram o significado pra denegrir. Pasma com o quê!?

    • Agnaldo de souza Postado em 01/Jan/2016 às 13:30

      As Pessoas se Ocupam com coisas Banais ,Um Dia todos Vão Morrer quem Vai Viver Eternamente o Branco ou o Negro,Tantas Coisas Para se Preocupar .Depois de Morto Ninguém sabe qual o Esqueleto do Branco ou do Negro ,então vamos Viver!!!

    • Fran Oliveira Postado em 01/Jan/2016 às 13:43

      Eu passei a minha vida inteira ouvindo esse tipo de comentário "elogios", e, por mais que eu trabalhasse sempre me chamavam de preguiçosa... Ainda bem que parece que este cenário está começando a mudar...

    • Victoria Postado em 03/Jan/2016 às 06:40

      O racismo está em falar como se os traços finos (brancos) fossem a parte positiva da estética da pessoa. O que a faz bonita. É o que está implícito nessa expressão.

    • Willians Postado em 03/Jan/2016 às 07:59

      Tem muitas expressões citadas que não tem nada haver com o negro ser humano , e sim com escuridão, trevas que são associadas ao mal e denegrir é uma delas e como também mercado negro, a coisa está preta , inveja branca. A cor do pecado é morena por ser uma cor linda e desejável. Concordo com algumas expressões racistas citadas acima, mas as que citei não tem nada haver com racismo.

  2. Samael Postado em 22/May/2015 às 19:14

    1, 3, 4, 5, 6... Tá falando serio?! Então sugiro mudar todas as cores das expressões por cores que não tenham nenhum cunho social, racial, político, e de gênero... Tipo a cor... cor-de-burro-quando-foge. Acho que racismo vai além de cores e expressões. Vai do respeito a todas as diferenças no dia-a-dia até nossas casas, nossos filhos e como educamos eles.

    • Natalia Postado em 22/May/2015 às 19:28

      Pode não parecer, mas expressões também machucam.

      • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:27

        E até um olhar e a falta do olhar também: vc já nasceu machucada. Vai resolver tua autoimagem que vai doer menos. Muito menos. Fazer revolução também ajuda: o que é completamente diferente de cometer crimes contra brancos das classes trabalhadoras.

  3. Eduardo Postado em 22/May/2015 às 20:40

    A expressao "judiar" vem dos judeus, ou seja, a palavra judiar eh antisemitismo, pois quer dizer fazer mal, dandp a entender que um judeu faz mal.

    • Válter Lopes Postado em 23/May/2015 às 13:10

      "Judiar" significava isso mesmo, "ser mau como um judeu". Qual é a razão disso? Só preconceito? Infelizmente, como qualquer povo, há os bons e os maus, e como os judeus, uma minoria, foram associados a muita coisa errada, criou-se o verbo. Infelizmente, o que chama a atenção é o que condenável. Quando abrimos os jornais, podemos ver quantas coisas positivas são "denunciadas" e quantas coisas negativas são vendidas.

    • sandra Postado em 23/May/2015 às 13:30

      Sim. E também deve ser evitada. Cresci ouvindo essa expressão e não a utilizo mais justamente por isso. Assim como cresci ouvindo nega maluca e meus filhos só conhecem bolo de chocolate! Pronto, deixei de usar palavras depois de conhecer seus significados e descordar deles é simples assim. Mas se você não descordar, continua a usar!

      • poliana Postado em 23/May/2015 às 14:36

        sandra, qual o significado racista por trás do termo "meus filhos só conhecem bolo de chocolate"? aliás, nunca ouvi esse termo e fiquei curiosa agora...

      • Válter Lopes Postado em 23/May/2015 às 15:13

        Não concordo mesmo, Sandra, que devam ser evitadas só porque tem um significado que a maioria desconhece.. Eu acho que isso é submeter-se à vontade dos outros, permitindo que nos policiem desse jeito. As palavras mudam o tempo todo, naturalmente, não é preciso nenhuma campanha para isso (para mudá-las). E, como disse num outro comentário, elas registram, documentam, uma época, um costume.

      • Luciana Postado em 30/May/2015 às 13:15

        Poliana, "Nega Maluca" é o nome dado a um bolo de chocolate. A Sandra conhecia o bolo assim por reconhecer como uma expressão racista, não ensinou para seus filhos, que conhecem apenas como bolo de chocolate.

    • Mateus Postado em 23/May/2015 às 14:09

      Na verdade, o verbo "judiar" não é dizer judeu faz mal, mas, sim, "tratar com judeu", ou seja, tratar mal, como os antissemitistas.

      • Válter Lopes Postado em 23/May/2015 às 20:29

        "Judiar" significa "maltratar", "escarnecer", "ser mau (como um judeu)" etc.. Tanto significa que um judeu, Fernando Leviski, fez, na década de 50, uma campanha tentando tirar o verbo "judiar" do dicionário e teve uma boa briga com o dicionarista Silveira Bueno.

  4. José Silva Postado em 22/May/2015 às 22:21

    Tem também OVELHA-NEGRA. Exemplo: a garota disse que não quer er a "ovelha-negra" da família. Nota: existem muitas canções brasileiras que usam expressões racistas. Exemplos. Na letra da música Aquarela do Brasil tem uma trecho que diz "mulato inzoneiro". A Gal Costa canta uma música que diz "nega do cabelo duro, qual é o pente que te penteia..."

  5. Gustavo Luis Postado em 23/May/2015 às 00:46

    Sem dúvida a grande maioria dessas expressões tem um cunho racista, mas autora de Londrina generaliza(denegrir, a coisa tá preta) ao negligenciar a simbologia da cor preta que se desenvolveu no senso comum da sociedade ocidental muito antes da exploração escravizatória do negro na Idade Moderna.

    • Verônica Postado em 23/May/2015 às 13:42

      Concordo! Pensei a mesma coisa enquanto lia texto.

    • marcus Postado em 23/May/2015 às 14:07

      Tem a ver com o fato de enxergarmos melhor no claro. Fôssemos corujas, pediríamos o 'enegrecimento' da questão. Se bem que 'enegrecer', nos contextos do movimento negro, soa-me cada vez melhor.

  6. Leonardo Moura Postado em 23/May/2015 às 12:03

    Cara, eu acho que o racismo brasileiro nao se encontra nos termos, ou nas palavras ditas, sempre a uma exceçao,, mas sim nas atitudes, ou no cotidiano. A luta contra o racismo perdeu muito o seu foco onde deveria lutar pela igualdade nos cargos, na politicas nas universidades, que a te certo tempo era o foco. Ao levar para o cunho das palavras e expressões, radicalizamos muito a luta e levamos para um ponto onde ele nao exista com maldade na boca de quem fala e nem de quem foi atingido, mas que por pessoas de fora, que n sabem o contesto, como a própria mídia, descontextualizam para ganho proprio ou para se elevarem perante a sociedade... Apenas uma dica, foquemos a luta onde ela mereçam foco de verdade

  7. B. Ferreira Postado em 23/May/2015 às 12:52

    Rapaz, alguns conceitos como o "moreno" e "denegrir" eu mesmo utilizava sem ter a mínima noção de cunho racista. Vou pensar nisso daqui pra frente.

    • Válter Lopes Postado em 23/May/2015 às 15:17

      O racismo depende de cada um. Denegrir é muito usado no sentido de "manchar", "infamar" etc.: Essa campanha denigrou a sua imagem". E, na origem da palavra, significava/significa "tornar(-se) negro, escuro". A pergunta que eu faço: qual é o problema de tornar (ou tornar-se) negro? É ter uma visão muito estreita, uma mente muito tacanha querer obrigar as pessoas a abolir palavras do seu vocabulário.

  8. Alice Postado em 23/May/2015 às 13:03

    Muito orgulhosa por perceber que aboli quase todos do meu vocabulário!!! Porém, a questão do 'morena é difícil". Todas as minhas amigas são consideradas morenas, porque não são exatamente brancas nem negras. Como chamá-las então?

    • Válter Lopes Postado em 23/May/2015 às 13:14

      Você não está se deixando levar, se manipular? Essa é a opinião da autora do texto, não significa que ela está certa. Para mim, qualquer tipo de censura é perigosa. Deixemos que as todas falem como quiserem, é assim que saberemos o que elas pensam. Censurando-as, não as conheceremos. Como diz o ditado, deus me proteja dos amigos que dos inimigos eu mesmo cuido.

      • Alice Postado em 25/May/2015 às 14:46

        Olha, não acho que esteja. Há muito tempo tenho a consciência de que esses termos são racistas, errados, e me esforço para parar de usá-los. Se "morena" também for, vou parar de usar, porque acredito nisso. Não acho que seja censura. O texto é muito bom, a maioria das expressões são tão óbvias que nem precisamos de explicação para entendermos o quão racistas são. Não se trata apenas da opinião pessoa da autora.

  9. Fábio Postado em 23/May/2015 às 13:11

    Alguns negros, por exemplo, preferem ser chamados de "morenos", pois não se identificam como negros. Nesses casos, nós precisamos respeitar a vontade alheia.

  10. Mauricio Postado em 23/May/2015 às 13:14

    Moreno ou mulato é o resultado da junção entre o negro e o português, assim como o caboclo vem da mistura entre o branco e o índio. Não existe racismo em chamar alguém de moreno.

  11. Trevor Philips Postado em 23/May/2015 às 13:26

    Sendo assim até a palavra "negar" é racista! Sem falar em Negociação, Sonegação, entre outras... Ironia a parte, as palavras e expressões advindas de "negro", como denegrir, mercado negro, a coisa da ta preta, também podem ter sentido de ausência de luz, trevas e oculto, com conotação religiosa. Falar serviço se preto e tuas negas, por exemplo, é "denegrir" a imagem do negro, sem dúvidas. Agora, achar que tudo é racismo é no mínimo racista.

    • Rodrigo Postado em 23/May/2015 às 22:10

      Isso aí!

    • Ricardo Postado em 26/May/2015 às 17:29

      Negar não é o mesmo que "negrar". Não vem da palavra "negro", mas da palavra "não". Deslize...

  12. ricardo Postado em 23/May/2015 às 13:28

    Religiões antigas escuro (e Preto) era associado às coisas ruins. Boa parte da expressões acima é baseado nisto. Só que agora tudo virou expressões racistas... é a ditadura do politicamente correto que temos que nos ficar vigiando para não atingir os mais sensíveis...

    • osvaldo Postado em 24/May/2015 às 19:40

      Concordo com você. Tem muito papo furado e frescura nessa matéria. Tem gente abestalhada demais se fazendo de coitado. Racismo é rum. Todo ódio é ruim. E gente afetada é uma merda tanto quanto preconceituosos o são.

  13. Alexandre Postado em 23/May/2015 às 13:34

    Cara.. Acho que mercado negro tem mais relação com algo sem luz... escuro.. algo por baixo dos panos... não tem racismo nisso..

  14. Marcio Postado em 23/May/2015 às 13:36

    Me desculpe a autora, mas este artigo é muito radical. Concordo que há expressões de cunho pejorativo que devemos evitar, mas achei a interpretação de alguns termos muito exagerada. Minha esposa não é branca, e também não é negra. Quer dizer que chamá-la de "morena" é discriminação? Para mim, todo radicalismo é tolo.

    • Diego Postado em 25/May/2015 às 09:07

      concordo contigo, Marcio. Ela forçou em alguns. Principalmente com a parte do morena...

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:23

      Existe algo não radical no combate ao racismo neste país?

      • Paulo Maurício Postado em 11/Apr/2016 às 14:08

        Às vezes penso nisso,parece que toda tentativa de mudar qualquer paradigma preconceituoso é vista como radicalismo!

  15. Randy Postado em 23/May/2015 às 13:37

    Eu acho que mais do que ficar apontando racismo em tudo, a autora do texto poderia dar sugestões de expressões que poderiam substituir essas que são racistas... Somente apontar defeito nos outros e não consertar os erros só mostra como algumas pessoas preferem se vitimizar ao invés de ensinar o próximo a ser menos preconceituoso...

  16. Leonardo Ribeiro Postado em 23/May/2015 às 13:40

    Que exagerada esta reportagem! As palavras tem origem, mas ficar nesse politicamente corretismo é uma imbecilidade. "Judiar" (judeus) e "escravizar" (eslavos) a língua portuguesa assim é burrice. Só um fato, que a maior parte das pessoas não tem coragem de verificar historicamente: negros forros (principalmente mulheres) também tinham escravos. Aqui em Minas Gerais é muito famosa a história de Bárbara Gomes de Abreu e Lima, da cidade de Sabará. Tinha um casarão em frente à Igreja Matriz, sete escravos domésticos (negros como ela), parcerias comerciais com empresários, políticos, Igreja Católica e CONTROLAVA diversos negócios em algumas cidades de Minas Gerais e Bahia além de ser comerciante de ouro e jóias. Há extremos bem demarcados, assim acredito, apenas para serem evitados. A autora do texto adota outra postura.

    • Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:21

      Judeus entregaram judeus aos nazistas. Isso legitima o Holocausto?

      • eu daqui Postado em 26/May/2015 às 09:18

        Negros entregaram negros aos traficantes de escravos. E outros negros traficaram escravos negros. Não legitima a escravidão mas desvitima a falácia nazicoitadista.

  17. Mendes Postado em 23/May/2015 às 13:40

    Imagino como deve ser difícil lidar com isso, são tantas formas de camuflar o racismo, que as vítimas terminam tomando para si como expressões racistas, palavras que se referem puramente a cor negra e não a raça negra.

  18. DOMENICO Postado em 23/May/2015 às 13:41

    Representar o Patinho feio com a cor negra entao e pedir briga, ne?

  19. Thariana Postado em 23/May/2015 às 13:48

    Existem expressões realmente racistas; outras, se referem à cor (onde, mesmo assim, a cor branca é considerada "boa" e a cor preta, "ruim"). Acho que o autor do texto poderia ter explicado a origem dessa ideia de distinção das cores. Daria mais profundidade ao texto

  20. Felipe Medeiros Postado em 23/May/2015 às 13:49

    Nosso racismo é explícito e velado ao mesmo tempo, hipocrisia é pouco. Mas penso que na expressão "mercado negro", negro tenha o sentido de escuro; noite; falta de luz... algo que se faz às escuras... enfim, não tá bem explicado essa parte no post.

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:23

      Não tá explicado é pode ter certeza de que a omissão é perniciosa, pra gerar ainda mais extremismo e mais ódio antibranco: o ódio dos imbecis aqui nesta m de país é arma politica - que nem religião.

  21. Jáder Postado em 23/May/2015 às 13:50

    Concordo com o Samuel, gente. Palavas mudam seu significado com o tempo, a depender do contexto sociocultural. Muitos pontos são relevantes, mas é necessário, acredito, fazer uma análise mais cuidadosa de alguns.

  22. Andréia Postado em 23/May/2015 às 13:54

    Várias pessoas se intitulam morenas e não negras, não sei por quais motivos. Talvez, a sociedade esteja colocando contra a parede para que "embranqueçam" de alguma forma. Sobre o negra com traços finos, vou morrer indagando se isso é, de fato, racismo... aqui no Paraná há muita mistura do tipo: uma negra de nariz afilado e com olhos verdes, isso não seria uma negra com traços finos? Claramente, somos um povo racista, mas há coisas que estão virando excesso, tudo sendo forma de brigar e de rebater e de se sentir injustiçado - vitimado... qualquer coisa você é racista (o que acho errado, porque somos todos humanos) ou homofóbico!

  23. Leandro Postado em 23/May/2015 às 14:01

    A realidade: quase qualquer coisa que se diga quando carregamos toda essa merda de racismo e ressentimento, tende a se tornar mais racismo e ressentimento. É só atribuir ao termos branco e preto qualquer coisa que não sejam apenas o nome de duas cores e estaremos nessa briga eterna. Só mais e mais gerações para que possamos deixar de lado esse passado e consigamos conviver com as diferenças. Em 2015 só vivemos o eco de toda a idiotice dessa pseudocivilização e suas *&¨%$# históricas.

  24. Junior Postado em 23/May/2015 às 14:06

    A associação entre o branco / preto e o bem / mal não se faz pelo racismo. É muito mais antiga e tem a ver com o dia e a noite. A noite escura era assustadora e trazia o frio, o perigo de predadores e seres imaginários para os primeiros povos da terra.

    • Fran Oliveira Postado em 23/May/2015 às 15:58

      Muito bem!

    • Diego Postado em 25/May/2015 às 09:10

      é isso aí. O escuro desde os primórdios está relacionado com o mal, como tu tão bem explicaste...

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:20

      Esse maniqueísmo entre luz e trevas foi questionado pelo movimento romantico, essencialmente europeu e ocidental, que deu à noite, à escurudão o status de inspiração e tesão.

  25. Tolerância Zero Postado em 23/May/2015 às 14:14

    O termo "amanhã é dia de branco" não existe, nunca existiu. O certo é "amanhã é dia de trampo "(trabalho).Alguém falou errado, e a coisa foi se propagando, sem saber o que estavam falando, só repetiam o que ouviam, como papagaios...!!!

    • Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:28

      Tá bom, nunca existiu. Vi muito preto antigo dizer, ao se retirar duma festa qualquer "estou indo embora pois amanhã é dia de branco... E de preto também!" Era o jeito de negar o absurdo da expressão.

  26. Gabriela Postado em 23/May/2015 às 14:17

    Tem expressão que nunca tinha escutado na vida, "amanhã é dia de branco", nunca tinha escutado isso, e pensei "ah, claro, porque é dia de não fazer nada, dia de ficar de pernas pro ar", mas é justamente o contrário! Como assim? Se era o branco que não fazia nada e o negro que trabalhava?! É que pensei no óbvio, mas é do ponto de vista do branco e racista. E "barriga suja"? Pensei que era uma mistura de machismo com racismo, coisas do tipo, mulher (e negra, a escrava) com a barriga no fogão, daí fica suja e quando li fiquei chocada! Como alguém pode reproduzir essa expressão sabendo o significado dela?! Um horror! "Mercado Negro", já falei muito isso, mas pensava que tinha relação com o mercado de escravos, e como a escravidão foi algo errado (pra dizer o mínimo) eu pensei que era isso, mercado negro é que está errado fazer isso, mas não. Eu fiquei chocada, mesmo. Racismo é algo que não faz o menor sentido, eu lembro quando era criança que ficava enfurecida quando escutava "pessoa de cor", eu eu respondia muito brava que o negro era ausência de cor e o branco era a mistura de todas as cores, por conta das aulas sobre cores na escola... rsrsrsrs...até que um dia minha mãe me explicou porque diziam isso, lembro que era muito confuso pra mim, não entendia que a pele de alguém pudesse incomodar outras pessoas, não entendo até hoje. Obrigada pelo texto, apesar de doloroso.

  27. Fran Oliveira Postado em 23/May/2015 às 15:49

    Para Gisely: Significado de Mulata: Palavra de origem espanhola, feminina de "mulato", "mulo" (animal híbrido, resultado do cruzamento de cavalo com jumenta ou jumento com égua). As palavras "mulato" e "mulata" foram usadas de forma pejorativa para os filhos mestiços das escravas que coabitaram com os seus senhores brancos e deles tiveram filhos. Filhos nascidos também de estupros praticados por senhores de engenho contra as mulheres negras. Ou seja, não é nem um pouco legal utilizar o termo.

    • José Ferreira Postado em 23/May/2015 às 18:39

      Hoje o significado é outro. Ninguém se lembra de mula quando se fala mulato atualmente. Fora que tem um versão que diz que a palavra vem do árabe "Mulawad".

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:13

      Mais nazinegrismo de nerótico desocupado que tem tempo de ver racismo até num olhar: então se eu me apaixonar por um mestiço de branco com preto vou ter que chamá-lo de "pardaço" em vez de "mulataço"? Olha só a diferença poética e sonora ! Por outro lado: o que há de tão pejorativo numa mula? A mula é que deveria abrir processo de crime contra a honra por causa da compararação com gente, seja qual for a cor do humano. Há muito mulato não é mais pejorativo. Vá viver de tarbalho que vc não vai mais ter tempo pra ver racismo até num peido, bolsista....... Ah, antes que me esqueça: VANJO, VC ESTÁ MAIS MULATAÇO A CADA DIA !

      • Marcello Postado em 10/Jun/2015 às 22:15

        Juntar nazismo e negro numa só palavra é um exercício orwelliano de imbecilidade.

  28. Roger Postado em 23/May/2015 às 16:55

    A maioria das expressões É racistas, mas achar que chamar uma pessoa mestiça de mulata é racismo... vocês estão de brincadeira! Como é que fica o pai ou mã e branca nesse caso, quando falam que o filho mulato é negro? Isso também é racismo para com o pai ou mãe branco. Mulato é mulato e fim de papo. O melhor de dois mundos numa mistura bacana. Respeitem a ambos os pais e parem de demagogia barata.

    • Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:35

      Já pensou na possibilidade de as pessoas não quererem as coisas do jeito que o senhor quer? Brancos tem tanta dificuldade com isso, com o fato de não poderem mais mandar e cagar regras!

  29. Sergio Postado em 23/May/2015 às 19:19

    Racismo está no coração das pessoas. Se falamos sem intenção não há racismo. Sempre fui chamado de japonês, isso pode ser chato quando convivemos com pessoas por muito tempo e elas sequer sabem o nosso nome. Há sempre pessoas que nos chamam assim de forma pejorativa, mas quando temos auto estima isso não nos perturba.

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:07

      É o que sempre digo: se o discriminado tem sua autoimagem em dia, dói menos sim. Muito menos. Frise-se ainda que autoestima ou qualquer coisa similar nasce daqui de dentro, jamais vem do outro.

  30. Elza Augusta Postado em 23/May/2015 às 22:01

    Não demora e será obrigatório aprender a linguagem dos sinais para não incorrer no políticamente incorrento. Começando as aulas em 1...2...3...

  31. Ecthor Postado em 24/May/2015 às 09:06

    por que não excluem a palavra preto do Dicionario ???

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:15

      Por que não excluiram ainda a palavra "branco" que, absolutamente, nunca foi denominação racial. O correto termo é "caucásico".

  32. luis Postado em 24/May/2015 às 16:55

    Parabéns. Me senti muito esclarecido pela matéria. Me tiraram das trevas do preconceito. De agora em diante, me comunicarei muito mais claramente!

    • beto Postado em 24/May/2015 às 20:08

      Claramente! Hahahahahaba n aprendeu nada! To brincando hahahhaah

      • luis Postado em 24/May/2015 às 23:37

        Como assim? Não ficou CLARO o meu humor NEGRO?

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:16

      Trevas no contexto romantico é tesão puro..........

  33. Pablo Postado em 24/May/2015 às 18:51

    Eu odeio racismo, mesmo nas entrelinhas, mas acho que existem exageros que não fazem sentido. É preciso lembrar que branco e preto ou negro, antes de serem cores de pele, são cores como o vermelho e o verde. E cores são o que são pela capacidade de refletir ou absorver luz, e isso tem um efeito psicológico sobre o ser humano. Assim, inveja branca não está relaciona a cor da pele, mas a uma inveja "de paz", já que a bandeira branca traz paz - não por ser a cor dos brancos, mas por ser a cor que irradia luz. Da mesma forma, quando a coisa tá preta, ela não tá uma coisa "de preto". Ela está simplesmente sem luz, na penumbra, onde é difícil de se visualizar a saída, como num túnel escuro. O mesmo se pode dizer do mercado negro, que acontece na calada da noite, escura independente da cor da pele de qq um. Temos que entender que nem tudo é ideológico no mundo, embora as ideologias movam o mundo. Aproveitando, a cor do pecado é vermelho, não preto. Menos, um pouco menos, gente...

    • Juliana Postado em 26/May/2015 às 11:59

      Perfeito Pablo. Concordo em gênero, número e grau com o que disse. A relação que se faz com as cores nada tem a ver com a cor da pele. É uma pena que muitas pessoas insistam em fazer analogia da cor com os negros. E acredito que em vários casos, a maldade está na cabeça das pessoas que se sentem ofendidas, e não entendem que muitas coisas são ditas por força de expressão, e não por algum cunho de maldade ou racismo. Também acho o fim da picada qualquer tipo de racismo, e entendo que essa situação aconteça repetidamente, mas as pessoas precisam aprender a separar "o joio do trigo". Sem exageros né gente?!!

  34. Renato Postado em 24/May/2015 às 23:30

    A maioria das expressões é racista. Mas a autora errou ao relacionar o medo do escuro ao racismo. Os humanos, assim como outros animais, têm um medo primordial - e visceral - do escuro. O escuro dá medo porque somos animais ligados à visão e, no escuro, estamos praticamente indefesos, tanto é que a grande maioria dos cegos precisam de muito apoio social para exercer plenamente suas atividades.

    • luis Postado em 24/May/2015 às 23:39

      Então todos os animais são racistas. A partir de hoje, não acendo mais nenhuma luz de noite, assim ainda economizo uma grana PRETA na conta de luz.

    • eu daqui Postado em 25/May/2015 às 10:05

      Taxar de racismo o medo de escuro já é nazinegrismo. Aliás muito do combate ao racismo no Brasil é extremista sim: coisa de quem já nasceu inferiorizado pela autoimagem. Esses é que acreditam na tal "inveja branca". Coisa de psicopata mesmo, achar que pode haver uma inveja melhor do que a outra.

  35. Luiz Souza Postado em 25/May/2015 às 16:40

    Melhor que "inveja branca" é a "escravidão branca", sendo que brancos escravizaram brancos e pretos, mas só a primeira é injustificável.

  36. Caio Postado em 25/May/2015 às 20:40

    Vou tentar: A coisa está afrodescente, Mercado afrodescente, Deafrodescentende... Melhorou?

  37. João Postado em 25/May/2015 às 21:23

    E ganhar uma grana preta?? Vai abolir também?

    • luis Postado em 25/May/2015 às 23:49

      E a petrobras? Vai virar afrodesecentebras?

      • eu daqui Postado em 26/May/2015 às 09:19

        kkkkkkkkk............já virou.........

      • Ricardo Postado em 31/May/2015 às 18:59

        petro = pedra/rocha petróleo = óleo de pedra

  38. eu daqui Postado em 26/May/2015 às 11:52

    SE EU ENCOXAR UM MULATO GOSTOSO NO BUSU, IREI PRESA POR RACISMO OU POR ESTUPRO?

  39. joão victor damião Postado em 26/May/2015 às 14:42

    o povinho a palavra negro em algumas dessas expressões até podem soar como brincadeira, mas devido a palavra negro sempre estar ligada a coisas pejorativas, precisamos tirar essas frases de nosso vocabulário, para tentarmos diminuir o racismo e o preconceito presente em nossa sociedade, além de que o "sistema mundial" é na sua maioria todo voltado para brancos, se excluindo em negro em MUITAS coisas, tipo o cabelo afro da mulheres negras em todo mundo, no que se emprega no padrão é que o cabelo crespo, cacheado...é cabelo ruim, difícil de tratar e é esquisito, mas quando se diz que a mulher negra (e branca também) tem que "valorizar suas raízes", quer dizer que o cabelo afro, tem que também ser considerado bonito e estiloso, já que no mundo a maioria das mulheres (e homens) possuem cabelo liso, não sejamos hipócritas.

  40. MARIA Postado em 26/May/2015 às 22:38

    TEMOS QUE ACABAR COM ESSA TAL " HERANÇA CULTURAL" ! PASSADA DE PAI PRA FILHO E QUEM SABE ATÉ NAS ESCOLAS!

  41. Pedro Accioli Postado em 28/May/2015 às 11:47

    Essa expressão de "serviço de preto" eu já vi o meu próprio pai falando, o que me deixa p*** da vida com os preconceitos que ele vomita!

  42. Julio Alan Postado em 29/May/2015 às 13:37

    3- “A coisa tá preta” A expressão “a coisa tá preta” fala por si só: se a coisa está preta, é porque ela não está agradável, ou seja, uma situação desconfortável é o mesmo que uma situação negra? Isso é racismo. 4- “Mercado negro” O mercado negro é aquele que promove ações ilegais, e mais uma vez é a palavra negro sendo usada com conotação desfavorável. O negro, na expressão, significa ilícito. 5- “Denegrir” Já a palavra “denegrir” é recorrente quando acreditamos que estamos sendo difamados, é uma palavra vista como pejorativa, porém seu real significado é “tornar negro”. Se tornar algo negro é maldoso, temos mais um caso de racismo. Falou coisa com coisa. Não argumentou nada. Se tem que argumentar!? Bom, eu não sou adivinho, então, não fui informado de nada. Até onde sei, pois sempre foi meu entendimento, estas três expressões se referem às coisas estarem sem luminosidade, de forma figurativa, claro. Ou seja, estão numa área tenebrosa, nebulosa, sombreada demais. Se eu disser que um certo dia chuvoso permaneceu excessivamente escuro, terei de ser acusado de racismo, de ter algo contro o "escuro". Rixazinha de criança no quintal. Parem e amadureçam!

  43. Luciana Postado em 30/May/2015 às 13:11

    Me surpreendi e para mim ase alguém se ofende com a expressão, merece ser repensada. Entretanto, penso que o conceito de luz/sombra também deve ser levado em consideração. A coisa estar preta, pode ser porque está escura, não porque se refere a negros, mas porque se refere à ausência de luz, o que é sombrio, relativo ao medo que temos do escuro. É como o lado negro da força do Star Wars. Não é negro porque pessoas de pele negra são más, mas porque a cor negra é associada à sombra, à noite, às cavernas, buracos, profundidades, coisas que nos metem medo desde a pre-história quando éramos provavelmente da mesma cor de pele. Penso que assim "mercado negro" e "inveja branca" não seriam expressões racista pois derivam desse conceito de luz/sombra. Faz sentido?

  44. Aristóteles Postado em 30/May/2015 às 22:34

    Aqui no Paraná tem-se o péssimo costume de ao se referir a negros(as) amigos, como "negro(a) de alma branca". É dose, né gente? Vá ser ignorante, assim, no raio que os partam!

  45. Ricardo Postado em 31/May/2015 às 18:56

    A maioria das expressões e palavras citadas no texto não tem nada a ver com racismo. São expressões que se referem à cor e não à raça. Muito mais a ver com o sentido de escuridão/ falta de claridade, do que com racismo. O mesmo acontece quando se fala "deu branco" para se referir ao esquecimento de alguma coisa. Ou "o saldo está no vermelho", ou "máfia de branco" (esta, por sinal, é pejorativa, mas não à raça branca), ouro negro, sangue azul, diamante negro, branquinha (cachaça), amarelar, branco de susto, vermelho de raiva, etc. Existem muitas expressões racistas, ou usadas com esse objetivo, mas muitas outras são pronunciadas com sentidos e significados sem esse tipo de conotação.

  46. José Geraldo Gouvêa Postado em 01/Jan/2016 às 13:31

    "Denegrir" e "mercado negro" são os únicos termos da lista que fazem uso da palavra "negro" e que se pode razoavelmente discutir que não são racistas (posto que são históricos e têm uma semântica muito complexa), os demais são realmente indefensáveis. Quanto aos termos que usam a palavra "preto", estes são todos razoavelmente discutíveis, pois "preto" não era originalmente sinônimo de "negro". Tanto assim que essa sinonímia só existe em português (e mais particularmente no português brasileiro). Preto é cognato de "apertado" (em espanhol se diz "apretado", "aprieta", "apretar" etc., sempre no sentido de "apertado", "aperta" e "apertar"). O próprio "ouro preto" o era por estar inserido entre outros minérios (de cor escura, daí talvez surgiu a sinonímia). "A coisa tá preta" é uma expressão muito antiga e sem conotação racista original. Temos, porém, um problema: as palavras mudam de sentido ao longo do tempo, adquirem significados diferentes dos originais e isso resulta em mal-entendidos. Portanto, ainda que estas expressões não fossem originalmente racistas (e algumas não eram), não custa substituí-las por outras que não carreguem esses mal-entendidos. Custa muito pouco não ofender os outros, se tudo que é preciso é trocar algumas palavras. Imagina se fosse preciso realmente FAZER alguma coisa, como uma revolução? Quem reclama desse artigo está sendo sensível demais.

    • Aline Postado em 01/Jan/2016 às 16:19

      Que explicação legal, José Geraldo! Obrigada.

  47. Gloria Postado em 01/Jan/2016 às 16:19

    Eu sempre achei que a cor do pecado era vermelha, por está associada à maçã.

  48. Maria Postado em 02/Jan/2016 às 02:16

    Daqui alguns tempos teremos que tirar a palavra preto ou negro do dicionário. Teremos que parar de usar roupa preta, colorir os cabelos. Não concordo com muitas coisas dessa lista. Já estão apelando muito. Usar muitas dessas expressões não quer dizer que a pessoa seja racista, como: denegrir, mercado nergro, etc.

  49. Maria Luiza Mendes Postado em 02/Jan/2016 às 03:02

    sou mestiça ,avós negro e indígena,trabalhei na área da saúde, com pessoas de varias etnias ,e vi muito racismo da parte de pessoas negras também,chefe negro que perseguia funcionário branco .

  50. Caio Postado em 04/Jan/2016 às 18:20

    Matéria perfeita para insônia, quanta preguiça...