Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 14/Apr/2015 às 12:19
102
Comentários

Racismo no Burger King: e se ele fosse loiro de olhos azuis?

Mãe relata constrangimento racista que enfrentou no último sábado no Burger King de Ipanema (RJ) e questiona: teria acontecido o mesmo se o meu filho fosse loiro de olhos azuis?

racismo burger king
Mãe conta que não é a primeira vez que passa por constrangimentos racistas por ter um filho negro (Imagem: Pragmatismo Político)

Jatahy Kitsos, Geledés. Edição/Revisão: Pragmatismo

Sou nascida e criada no bairro de Ipanema e me casei com um homem negro e temos dois filhos, uma menina de 17 anos e um menino de 12 anos.

Tenho muito orgulho dos meus lindos filhos, mas infelizmente já passei por situações constrangedoras, principalmente quando saio sozinha com o menino, porque as pessoas não me reconhecem como a mãe dele de imediato. Estou cansada de ser constrangida junto com o meu filho.

Neste sábado, dia 11 de abril de 2015, fomos lanchar no Burguer King de Ipanema situado na Rua Visconde de Pirajá. Paguei o lanche e, enquanto aguardávamos o recebimento do mesmo, pedi ao meu filho que fosse à máquina de refrigerantes pegar o seu. O segurança do estabelecimento, que também aguardava por um lanche, quando o viu na máquina de refrigerantes gritou: “Ei, ei, psiu, está fazendo o que?”. Neste momento, meu filho se dirigiu a mim, então ele perguntou se o menino estava comigo.

Fiquei muito indignada e perguntei se a abordagem seria a mesma caso se tratasse de um menino loiro de olhos azuis. Ele, sinceramente, respondeu que não e tentou se justificar dizendo que, às vezes, entravam uns moleques e ficavam mexendo na máquina e que eu o desculpasse pelo engano. Em suma, ele achou que meu filho, por ser negro, era um menino de rua sem ao menos observar antes de abordar.

A gerente que observava o incidente veio me perguntar o que estava acontecendo, e, quando relatei o ocorrido, me pediu milhões de desculpas.

Como fico muito chateada nestas situações, não penso direito, mas já me informei que deveria ter chamado a polícia e registrado um Boletim de Ocorrência por crime de racismo.

Após sairmos de lá fomos ao supermercado e meu filho não desgrudou de mim. A atitude aparentemente inocente daquele segurança criou medo e constrangimento em uma criança só por ela ser negra e viver em Ipanema.

As pessoas deveriam repensar seus conceitos e observar mais antes de agir, ao invés de julgar apenas pela aparência.

VEJA TAMBÉM:
(1) Menino negro é expulso de loja luxuosa em São Paulo
(2) New York Times: brasileiros ainda negam o peso do racismo na sociedade
(3) Inocente condenado à morte: “meu caso foi criado em cima de mentiras e de racismo”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Ps.: Se você quer nos enviar denúncias, imagens, críticas, sugestões de pauta ou apenas conversar conosco, escreva para [email protected]

Recomendados para você

Comentários

  1. André Postado em 14/Apr/2015 às 12:24

    De primeira: Existe muito preconceito e discriminação em função de características fenotípicas! Entretanto, se o segurança não for mentiroso, não acho possível dizer que, neste caso houve preconceito étnico. A discriminação é óbvia, mas acho muito difícil dizer se foi provocada por um fator fenotípico ou econômico (pressuposto).

    • Gustavo Postado em 14/Apr/2015 às 12:47

      Primeiro absurdo: você concluiu preconceituosamente que o menino é pobre. Segundo absurdo: preconceito contra pobre também é inadmissível. Às vezes é melhor não tentar explicar...

      • André Postado em 14/Apr/2015 às 13:33

        Você foi alfabetizado? Quem concluiu à cerca da pobreza foi o guarda, pelo menos segundo o texto: dizendo que, às vezes, entravam uns moleques e ficavam mexendo na máquina e que eu o desculpasse pelo engano. Em suma, ele achou que meu filho, por ser negro, era um menino de rua Menino de rua é rico, por acaso? Concordo que preconceito em função de características econômicas é ridículo, mas a minha abordagem é a respeito da generalização que se faz quando há julgamentos baseados em juízo de valor!

      • Ernesto Postado em 14/Apr/2015 às 14:20

        Boa, Gustavo!!!! Preconceito contra QUALQUER PESSOA é inadmissível!!! André, não explique mais não, porque você vai se enrolar e se dar mal...

      • Lemos Postado em 14/Apr/2015 às 15:10

        É evidente que o segurança interpelou o menino por ele ser negro, uma vez que, sendo este de classe média, é certo que estava bem trajado, refutando desta forma a justificativa de ele ser um menino de rua, que sabemos, não possuem recursos nem para alimentação, quiça para adquirir boas roupas.. ...fosse ele loiro, com as mesmas vestimentas, duvido que o garoto fosse interpelado

      • André Postado em 14/Apr/2015 às 20:14

        "se o segurança não for mentiroso". Será que o condicional foi gratuito?

      • paulo Postado em 15/Apr/2015 às 01:25

        Bem colocado....

    • Ace Vezes Postado em 14/Apr/2015 às 13:19

      Às vezes é melhor ficar quieto e deixar as pessoas pensando que você é idiota ao invés de falar alguma coisa e não deixar nenhuma dúvida.

      • IARA CARDOSO Postado em 14/Apr/2015 às 16:11

        ATÉ QUANDO VAMOS ENFRENTAR ESSE RACISMO VELADO!!!! MAS NÃO É, É MEU, QUERO PUBLICAR JÁ

    • Ramon Facchin Postado em 14/Apr/2015 às 14:09

      Antes de saber quem o garoto era, se o seu refrigerante estava pago, e se ele estava acompanhado, o segurança já abordou o garoto com um tom de reprimenda. Ou seja, o segurança fez um julgamento do garoto antes mesmo de ter qualquer tipo de dúvida. E o próprio segurança admitiu que não agiria da mesma forma com um garoto loiro de olhos azuis. No meu planeta isso se chama preconceito. Além disso, o fator fenotípico e o socioeconômico (poder aquisitivo do indivíduo) tem uma correlação fortíssima.

    • HiroNakamura Postado em 14/Apr/2015 às 17:28

      André, o que você pode notar pelos comentários, é que as pessoas são bastante inconsciente do que falam. Sempre indo pelo senso comum. Virou tabu discutir racismo e discriminação. Ou se é contra ou a favor, não existe espaço para imparcialidade nem para o pragmatismo. Mas eu entendi sua análise do caso. Porém acredito que a questão é um pouco mais sutil. De um lado você tem o segurança, cuja a função implícita ou explicita é manter a ordem no estabelecimento, para isso ele foi contratado. O segurança encarna esse papel de garantir um ambiente agradável para os clientes. O segurança alega que crianças moradoras de rua estavam entrando no estabelecimento. E “é” sua função (provavelmente advertido pelo gerente), mantê-los fora do local. Não é segredo que a maioria das crianças de rua, possuem a pele escura. Sabemos também que boa parte da maneira como agimos é inconsciente. O corpo reage instintivamente a estímulos externos, quanto mais somos expostos a determinada situação. É logico afirmar que o segurança já tinha internalizado subconscientemente que os garotos que ele deveria manter fora, são de pele escura, e que os garotos filhos dos clientes, de pele clara. E provavelmente ele deve ter se sentido "chateado" por constranger o filho de um cliente. Ele, o segurança é posto numa condição de subserviência, e desapontar os que, no seu subconsciente, "estão" acima dele, é uma ofensa a si mesmo. E aí está uma discriminação que poucos percebem. Mas dentro da questão que você colocou. Eu concordo que ele não estava impedindo um menino negro de permanecer no estabelecimento, mas sim cumprindo sua função de manter um garoto pobre fora do estabelecimento e defender a tranquilidade daqueles à quem ele se sente subordinado. Por outro lado tem a mãe do garoto e o próprio garoto. Eles não tem nada a ver com o despreparo do segurança. Caberia sim responsabilizar a empresa, mas penso que não o segurança, embora mais benéfico para à sociedade, seria discutir estas questões em profundidade, em debates abertos o honestos, tanto com estas companhias como com os cidadãos. as campanhas educativas atuais, em geral são inúteis, pois não integra as pessoas na busca por soluções. O que faltou falar é dos garotos moradores de rua. Estes sim deveriam ser o foco dessa reportagem, até mais que o garoto desrespeitado. Uma das grandes vergonhas do nosso país é sermos tão tolerantes com a pobreza. Estes garotos que vivem abandonados ao nosso lado sem que tenhamos qualquer constrangimento quanto a isso. Compreender estas sutilezas das relações sociais e da mente humana, é fundamental para que possamos chegar à raiz do problema, e não permanecermos travando 'a inútil luta com os galhos'.

      • poliana Postado em 14/Apr/2015 às 18:47

        "sem saber que é lá no tronco, que está o coringa do baralho". rs. amooooooo essa música do raulzito! rs

      • André Postado em 14/Apr/2015 às 20:17

        Bingo!

    • Luan Bernardi Postado em 05/May/2015 às 08:08

      Parabéns André, penso da mesma forma. Se fosse um menino branco, porém mal vestido, sujo e descalço provavelmente o segurança agiria da mesma forma.

  2. felipe Postado em 14/Apr/2015 às 12:28

    agora ta virando moda tudo é preconceito por ser negro ou ser pobre ou ser isso ou aquilo.... que maus tem o segurança questionar uma criança pequena mexendo em uma maquina de refrigerante que penso eu, deve ser operada por uma pessoa adulta?

    • poliana Postado em 14/Apr/2015 às 12:37

      santa hipocrisia!! querido, vc já viu alguma criancinha loirinha dos olhos azuis ser constrangida dessa forma???? n seja cínico! vc sabe muito bem q o caso em tela foi mais um episódio de racismo. o próprio segurança falou pra mão do menino q se fosse uma criança loira do olho azul, ele n teria agido daquela forma. e vc ainda insiste em negar o óbvio??!!!

      • felipe Postado em 14/Apr/2015 às 12:58

        Ser constrangido de que forma? Se falar psiu o que esta fazendo ai? faça me o favor.... ja vi diversas vezes nos shoppings a mesma situação com varias pessoas o problema é que aqui a noticia e escrita de forma a gerar odio entre as pessoas, desculpe mas nesse caso há exagero sim

      • poliana Postado em 14/Apr/2015 às 13:02

        vc estava presente? se o segurança tivesse agido corretamente, n teria pedido desculpas a mãe da criança! tampouco diria q se fosse uma criança loira dos olhos azuis, ele n agiria dakela forma. vc continuará negando o óbvio!?

      • Félix Postado em 14/Apr/2015 às 13:07

        Poliana, este Felipe é um boçal "maquina de refrigerante que penso eu, deve ser operada por uma pessoa adulta" Nunca viu meninos no sinal fazendo malabares. Devia pelo menos assistir o Torrescopos do Huck... kkkk Além de tudo escreve "que maus"...

      • Gui Postado em 14/Apr/2015 às 14:44

        Esse Felipe já foi no Burger King? A máquina de refrigerante é igual a um filtro, só empurrar a alavanca e cai o refri. É simples, pode ser operada até por uma criança de 5 anos.

    • Felipe Batista Postado em 14/Apr/2015 às 13:55

      racismo tá "na moda" no Brasil desde 1500

      • Isabela Postado em 14/Apr/2015 às 14:46

        Duvido que você seja negro.

    • gronez Postado em 14/Apr/2015 às 14:08

      vc já viu alguma criancinha loirinha dos olhos azuis ser constrangida dessa forma?so uma pessoa idiota acha que é normal sempre ser com crianças negras.

    • Carlos Postado em 14/Apr/2015 às 14:13

      Você nunca foi em um Burger King? Eles te dão um copo vazio e você se serve sozinho na máquina. Meu filho de 10 anos (por sinal, loiro de de olhos azuis) nunca foi importunado ou repreendido por encher seu copo de refrigerante sozinho...

      • Zemauro Postado em 18/Apr/2015 às 15:15

        Carlos, parabéns por sua contribuição a essa questão, pois você simplesmente matou a cobra e mostrou o pau, linguagem que todos entendem!

    • Carlos Postado em 14/Apr/2015 às 14:40

      Pessoa, o próprio segurança admitiu que não teria agido desa forma se a criança fosse loira de olhos azuis. Isso é preconceito sim, ele admitiu isso. Quando você trata pessoas de forma diferente baseado no "pré-julgamento" que você faz dela é preconceito. Deixa de ser cínico e pare de tentar justificar o racismo que existe em nossa sociedade. Esse é só mais um caso entre milhares que ocorrem todos os dias. Não precisa de ninguém escrevendo para "gerar ódio". Foi racismo e pronto! O que você ganha negando que vive num país racista? Consciência limpa?

    • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 14:46

      É impressionante que sempre aparece algum racistinha boçal pra relativizar, "ah, não é bem assim, vocês se ofendem com qualquer coisa, tudo agora é racismo....". Que juizo tem um cara pra escrever tanto lixo? Negar o óbvio ululante, negar que foi RACISMO, é safadeza demais. Tenho paciência não.

    • Edu Postado em 14/Apr/2015 às 15:06

      Q isso! Tá doido? Como assim, deve ser operado por pessoa adulta? É uma máquina de refrigerante, não de filminho pornô.

      • Eduardoo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 15:44

        Esses reaças não sabem o que querem. Coxinhas perdidinhas nos argumentos. Estão querendo baixar a maioridade penal, mas acham que um garoto de 12 não pode operar uma máquina de refrigerante sozinho, "viu, é complexo, requer prática e habilidade, no caso de crianças até 12 anos é necessária a presença de um adulto". Se perguntar pros mesmos boçais, eles acham que maioridade penal aos mesmos 12 anos não seria uma idéia tão ruim assim. Aí a gente assina embaixo que eles são uma "abominação cognitiva" e eles acham ruim..

      • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:11

        KKK *Outro Vinicius

    • Xo preconceito Postado em 14/Apr/2015 às 15:19

      Ta virando moda nao ...sempre foi assim desde que o mundo e mundo ! Em que planeta vive ? Saia da sua zona de conforto e olhe ao seu redor ... pare de olhar para o proprio humbigo e caia na real ....

    • Thays Postado em 14/Apr/2015 às 15:43

      Que droga de moda né? no passado a moda era bater em negros, e obriga-los a trabalhar sem remuneração....aff que mundo nós estamos? que temos que aguentar negros frequentando lugares que antes não frequentavam, estudando nas faculdades de brancos e falando com telefones que nós brancos usamos! absurdo!!! Olha meu irmão, o mundo mudou....o que vc chama de moda eu chamo de JUSTIÇA! tardia é verdade...porque temos uma divida enooorme com os negros e enquanto pessoas como vc não enxergar racismo da forma mais velada que é apresentado....ele (racismo) continuará existindo!

      • José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 16:19

        Dívida? Não devemos nada. Cobrem a dívida dos descendentes dos senhores de engenho e dos descendentes do monarcas africanos que contribuíram com o sistema escravocrata. Os meus antepassados são todos "pés rapados" que nunca tiveram um escravo. Também deve se tomar cuidado com as falsas correlações.

    • Elisa Postado em 14/Apr/2015 às 15:59

      Não é uma criança pequena é um menino de 12 anos que tem plenas condições de manusear a máquina de refrigerante, pois nesta lanchonete o próprio cliente serve seu refrigerante.

    • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:12

      Vergonha alheia do comentário desse felipe. O que a pessoa não faz para justificar o racismo*Outro Vinicius

    • Ana Paula Postado em 15/Apr/2015 às 12:11

      Não tá virando moda não, Felipe. A diferença é que deixou de ser "natural" e as pessoas estão se manifestando. As coisas só não melhoram mesmo porque ainda existe gente como você.

  3. felipe Postado em 14/Apr/2015 às 13:11

    e voce estava presente? viu se a informação noticiada é verídica? nao estou negando o preconceito e sim dizendo que nao achei a atitude do segurança preconceituosa, o pedido de desculpas pode ter sido feito por ele ter abordado a criança nao por ser negro. Povo chato viu, agora tudo é preconceito, vê preconceito em tudo, para quem sabe sabe ainda existe gente de bem nesse país e acredito que ainda ela seja a maoria da população. E essa é minha opiniao, na quero que concorde com ela apenas a respeite.

    • poliana Postado em 14/Apr/2015 às 13:14

      sim, mas s vc veio aki expor sua opinião, então sabe q está sujeito a ouvir críticas e opiniões contrárias as suas.

    • Flavia Postado em 14/Apr/2015 às 14:20

      Oi Felipe, acontece que o segurança foi logo brigando e mandando o menino sair de perto da máquina. Quando a gente tem dúvida, a gente pergunta, questiona, etc. Não vai perguntando o que o menino está fazendo, julgando-o antes de mais nada. Desculpa, mas me pergunto se você é negro e mora no Brasil. Eu sou negra, faço Direito, moro no país e quando entro em uma loja cara, as moças não chegam para me atender como chegariam para mulheres com esterótipos de ricas. Quando entro em determinados estabelecimentos, as pessoas me olham dos pés a cabeça. Principalmente a cabeça, pois escolhi não alisar meu cabelo como muitas fazem. Enfim, ainda não entendi o seu ponto. O Brasil nega que tem racismo, mas ele está em cada esquina.

      • felipe Postado em 14/Apr/2015 às 15:16

        Concordo com vc, minha avó era, tenho muito orgulho disso, nao sou negro, mas nem branco, acho que sou o que chamam de pardo...rs existem sim muito racismo aqui, é condenável e lastimável pessoas que ainda nesse tempo hajam com preconceito, só achei que neste caso não houve, apenas isso... As vezes tentamos expressar algo e as pessoas entendem outra coisa, mas enfim nao acho q o segurança afirmaria para ela que se o menino fosse loiro ele nao falaria nada, pois se fosse comigo e se eu ouvisse algo parecido tenho certeza que todo mundo ao redor ficaria indignado se fosse meu filho pode ter certeza que não ficaria assim.

    • Eduardo Postado em 14/Apr/2015 às 14:28

      Analfabetismo funcional... A gente vê por aqui! Você LEU a matéria??? Leu a parte que diz: "Fiquei muito indignada e perguntei se a abordagem seria a mesma caso se tratasse de um menino loiro de olhos azuis. Ele, sinceramente, respondeu que não e tentou se justificar (...)" O próprio segurança admitiu o racismo! Precisa mais, ou quer que desenhemos???

      • Zemauro Postado em 18/Apr/2015 às 15:39

        O segurança só reflete a orientação da loja, e/ou do seu dono, esse comportamento é vergonhoso, porem mais comum que supõe nossa van filosofia, eu sou branco casado com uma linda negra, e meus amigos brancos e também os negros sempre me dizem sua esposa não é aquela morena linda! ;Eu digo não, minha esposa é aquela negra linda, veja, falar que alguém negro, é negro, é ofende-lo na cabeça de quem diz, temos que nos despirmos dos pre-conceitos seja eles étnicos, dogmáticos, afins, e passemos nos vermos como seres humanos, só assim melhoraremos enquanto ser, desculpem pelo simplismo...

    • Pessoa Postado em 14/Apr/2015 às 14:42

      Toda vez que eu vejo alguém falando "agora tudo é preconceito" eu imediatamente penso que essa pessoa nunca foi vítima de preconceito e fica reclamando que agora oprimir não é tão fácil porque as pessoas questionam isso atualmente. Se toca, cara.

    • Hilda Postado em 14/Apr/2015 às 15:29

      Felipe, ele pediu desculpas porque ABORDOU UM NEGRO DE UM MODO QUE NÃO ABORDARIA UM BRANCO. Não tente justificar mais. Pense apenas onde é que você esconde o SEU racismo. Aqui ele ficou bem explícito.

    • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:14

      Sempre o argumento dos reaças é essa história de que se é verídica mesmo, preguiça mental desse povo. *Outro Vinicius

  4. felipe Postado em 14/Apr/2015 às 13:13

    Felix boçal deve ser vc, alias nao vou te ofender nao, isso me faria igual a vc. Acho q vc nem conhece a maquina, ela é alta, tem varios botoes uma criança pequena nao alcançaria ela.

    • Ace Vezes Postado em 14/Apr/2015 às 13:24

      O segurança deve ter realmente se preocupado com o bem estar da criança, tadinha, que não conseguiria apertar os botões :( ou com a da máquina, que a criança podia quebrar, né? "E essa é minha opiniao, na quero que concorde com ela apenas a respeite." Por que será que toda m*rda dita sempre, SEMPRE acaba nessa frase? É a última cartada. 'Vou me fazer de vítima, fingir que minha opinião de alguma forma está sendo cerceada, para ver se eles calam a boca'. Se não quer ouvir o contraditório não desce pro play, criança. Continua brincando com seu Lego que lá em poucos minutos cê constrói um mundo em que não há racismo.

      • felipe Postado em 14/Apr/2015 às 14:42

        Olha só, nao faz muito tempo vi uma noticia aqui de um filho de homossexuais que foi espancado e morreu algo do tipo.... lembro de varias pessoas, inclusive das que comentam aqui falando um monte de besteira proferindo xingamentos e tudo mais como é de costume, porém depois se descobriu que na vdd o menino teve uma morte natural e que não houve espancamento, pergunto: será que houve uma retratação do site? o que será que pensam as pessoas que leram aqui uma noticia e ja sairam tirando suas conclusoes sem mesmo ouvir o outro lado.... bom será que a historia foi assim mesmo, a reportagem ouviu o tal segurança? bom Ace vezes nao vou discutir com vc pois não quero perder meu tempo.

      • José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 16:23

        Estou a esperar até agora por uma retratação do sítio. Teve um caso de um travesti que arrancou a orelha de um policial (que nem o Myke Tyson), se fosse o inverso seria "homofobia".

    • Chi_ Postado em 14/Apr/2015 às 14:01

      Mas um menino de 12 anos é uma criança pequena em que mundo? Ele já pode mexer na máquina de refrigerantes do Burger King....

      • Marcos Postado em 14/Apr/2015 às 14:30

        Mais um pouco, vai poder ser presa né ? Carai viu.... ..tem gente q fala que meninos de 12 anos tem capacidade de roubar, mas não tem capacidade de operar uma máquina de refrigerante ?

  5. lizandro domingues Postado em 14/Apr/2015 às 13:44

    Trata-se de uma caso de preconceito sim porque o segurança associou a cor do menino à uma determinada classe social marginalizada! Daí se entende o porquê da afirmação de que se fosse um menino loiro dos olhos azuis a atitude teria sido outra...

    • Felipe Batista Postado em 14/Apr/2015 às 14:11

      gostaria somente de acrescentar que mesmo se o garoto fosse (ou for) realmente pobre, continua sendo discriminação

  6. Randy Postado em 14/Apr/2015 às 13:52

    O serviço do Burguer King sempre foi uma porcaria... sempre fui destratado nesses locais... Agora são racistas!! Mais um motivo para boicotar... EU NÃO PISO MAIS NESSE LUGAR!

  7. José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 13:54

    Existem meninos de rua (de todos os tipos) que mexem aonde não devem. O menino é pequeno e estava longe de sua mãe, e isso o faz ser confundido com um desses moleques. O segurança fez uma abordagem normal e, ao perceber o engano, pediu desculpas imediatamente.

    • Felipe Batista Postado em 14/Apr/2015 às 13:59

      uma abordagem que ele assumidamente disse que não faria se a crianca fosse loira dos olhos azuis

      • guilherme Postado em 14/Apr/2015 às 14:21

        Claro. Nem ele, nem voce, nem nenhum de nos. Se existem duas criancas vestidas da mesma forma dentro de um estabelecimento, so que uma e loirq de olhos azuis e a outra e negra. Mandam voce retirar o menino de rua do estabelecimento, quem voce iria abordar ou pensar na hora que era o menino de rua? Certamente o rapaz negro. Nao porque voce e racista, mas porque a maioria das criancas de rua sao negras. Da mesma forma que se te pedirem prq identificar, sei la, um metaleiro na rua.. voce vai fqlar que o maluco de preto, cabelao e barba e o metqleiro. Voce estaria pre julgando ele..isso e completamente natural. So que nao podemos taxar noswo julgamento como verdade e agir em cima disso, como o seguranca fez.. ele deveriq observar um pouco mais, pra evitqr a crianca desse tipo de constrangimento

    • Felipe Batista Postado em 14/Apr/2015 às 14:00

      ...você acha normal que a abordagem seja diferente entre uma crianca negra e uma crianca branca, ambas longe da mãe?

    • Chi_ Postado em 14/Apr/2015 às 14:02

      O menino tem 12 anos de idade, é praticamente um pré adolescente.... E já vi meninos fazerem bagunças do genero em máquinas similares e segurança algum fez abordagem.

      • José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 15:47

        Ai o erro é dos seguranças que não os abordaram. Qualquer criança que faz bagunça deve ser advertida pelos seguranças de um estabelecimento.

    • Felipe Batista Postado em 14/Apr/2015 às 14:09

      ...talvez você ache, mas o nome disse é "racismo", quer você seja a favor ou contra

    • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 15:02

      Poxa, são "de todos os tipos". Eu só não entendo por que sempre acontece com meninos negros, se existem meninos de rua "de todos os tipos"...deve fazer parte da "abordagem normal" cair em cima de moleque desacompanhado negro. Eu não entendo essa predileção. Lá na loja Animale dia desses também, de novo o menino negro foi abordado de modo grosseiro apesar de haver meninos de rua "de todos os tipos". Deve ser uma coincidencia, não é possivel.

      • José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 15:49

        Quando acontece com meninos de outras raças não vira matéria no PP. O segurança errou e corrigiu. Muita gente erra quando olha para um branco e imagina que ele é uma pessoa rica e que não precisa de ajuda para ascender profissionalmente.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 16:04

        Eu entendo. É porque é bem frequente abordarem os loirinhos de olhos claros dessa forma, certo? Essa abordagem pressupondo que o garoto está ali pra cometer um crime acontece todo dia com crianças branquinhas, acontece toda hora, mas ninguém fala, não vira noticia aqui no PP. Porra...pessoal do PP, prestem mais atenção, tem muito moleque loirinho de olho claro sendo barrado por aí APENAS POR SER BRANCO e vocês nem comentam nada. Que jornalismo é esse? Mancada isso aí..

      • José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 16:26

        Não retrate os "lourinhos de olhos azuis" como inimigos, pois quem diz isso desqualifica-se quando fala em igualdade social. Pelo menos é isso que comentário do Eduardo dá a entender.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 17:13

        Quem falou que eles são inimigos, menino? Eu não espero nada além de distorção e desonestidade intelectual da ala reaça mesmo, mas dessa vez os limites comuns da desonestidade intelectual foram fortemente rompidos, rasgados e jogados no lixo da imbecilidade reaça. No mais, aguardamos aí os vários casos de "brancofobia" que acontecem todos os dias, toda hora, Brasil afora, e que o PP não noticia. Eu lembro daquele caso em Higienópolis que...não, não foi. Tem também aquele caso na loja Animale que o garoto era branco e...não, me enganei de novo. Teve tambem aquele caso em São José dos Campos de um pai que comprou tênis pros dois filhos à vista e foi parado pela PM na rua, que eram todos brancos e...não, que droga, eram negros de novo. Eu fiquei curioso, porque não consigo me lembrar de muitos casos de "brancofobia" explícita como esse caso em questão aqui. E você como historiador deve conhecer vários casos, afinal, "brancofobia" acontece toda hora desde 1500.

      • poliana Postado em 14/Apr/2015 às 17:36

        Eduardo, tb teve akele carinha branco no shopping iguatemi em salvador, q ao sair da loja centauro, os seguranças do shopping acharam q ele tinha roubado a loja. O carinha branco teve q tirar a roupa pra mostrar q n tinha roubado nada enqto o shopping inteiro assistiu a essa cena humilhante. Triste viu..pobres brancos oprimidos e vitimas de uma socidade historicamente "brancofóbica". Q coisa, não!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 14/Apr/2015 às 21:55

        Morro de dó. Não sei como eles conseguem viver tendo que lutar contra tanto problema. É brancofobia, heterofobia...é um povo oprimido demais.

      • José Ferreira Postado em 15/Apr/2015 às 00:16

        Só vi tergiversações, e o meu questionamento sobre a postura de algumas pessoas que acham que todos os brancos são opressores e descendentes dos senhores de engenho.

      • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:26

        Coitados é heterofobia, brancofobia...Ainda perdem uma vaga na universidade pública para um negro... Realmente é muita falta de humanidade... (Ironia)*Outro Vinicius

    • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:21

      Realmente esses reaças não medem esforços em defender o racismo e a homofobia. Parabéns pela luta de vocês!!!(Ironia).Mas podem chorar!!! Vocês querendo ou não as minorias vão conquistar seus espaços. *Outro Vinicius

  8. Vasconcelos Postado em 14/Apr/2015 às 13:58

    O segurança foi tentar se explicar e "abanou a catinga", "sentou na caca", "soprou a farinha"...

  9. Ana Postado em 14/Apr/2015 às 14:07

    Na boa, quem é branco não tem conhecimento de causa pra dizer se tal atitude não é preconceituosa, e que tudo é mimimi... menosprezar uma atitude racista é corroborar com ela. Só quem é - e foi - uma criança negra é que sabe como essas coisas afetam a autoestima da gente. E não se trata de coitadismo, não, moçada. Há pessoas que conseguem se sair bem em situações assim, outras, não. Porém, fechar os olhos para esse tipo de coisa é varrer a sujeira pra debaixo do tapete.

  10. guilherme Postado em 14/Apr/2015 às 14:14

    A abordagem e diferente porque nao vemos criancas loiras de olhos azuis como meninos de rua (seja pelo motivo que for). Nao acho que a atitude do seguranca tenha sido certa. Ele deveria ter observado um pouco mais antes de abordar, mas nao acho que tenha necessidade disso tudo.. chamar a policia e fazer um BO seria bem exagerado. O seguranca viu que errou, admitiu o erro e pediu desculpas.

  11. Bruna Letícia Postado em 14/Apr/2015 às 14:38

    Tenho vergonha de certas atitudes. Estupidez humana.

    • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:27

      Pior é gente ainda defender e "justificar". *Outro Vinicius

  12. Juliana Postado em 14/Apr/2015 às 14:39

    Qual é o problema dessa gente que insiste em colocar panos quentes na situação? Querer justificar o injustificável. O segurança teve SIM uma atitude plenamente racista e ponto. Não foi a primeira nem a última vez que uma criança negra passa por esse tipo de conatrangimento, e posições que usem de argumentos tão podres quanto "uma criança de 12 anos não tem altura pra mexer na máquina e POR ISSO o segurança abordou ele daquela forma" só atrasam uma evolução na mente das pessoas. Por Odin! Quanto cinismo!

    • Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:29

      Pois é, para mim quem defende esse tipo de situação é porque age da mesma forma. *Outro Vinicius

  13. Rodrigo Postado em 14/Apr/2015 às 14:41

    Comendo porcaria, lixo industrial, carne reconstituida com Amonia... Acho que isto tudo justifica a atitude do atendente da loja. Ele queria somente evitar que o menino ingerisse coisa ruim, a mae que nao entendeu. Desculpe, brincadeiras a parte, racismo eh um mal que soh beneficia aqueles que se valem da segregacao do povo. Desde crianca as pessoas sao submetidas ao segregacionismo, eh soh ver se existe algum desenho com principes e princesas negros. Comeca ai o controle e a segregacao das pessoas. Quem convencionou que precisamos vangloriar reis e rainhas, dizer que eles merecem algo melhor do que um cidadao convencional, seja branco ou preto? Mundo segregado, alienado, isto eh tudo o que temos gerado atraves dos anos. Precisamos mudar isto e nao eh tarefa facil. Ateh Jesus tentou em vao ha 2015 anos atras: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Ninguem entende a facilidade de execucao destas palavras, preferem a dificuldade, a intolerancia e o preconceito.

  14. Ricardo Postado em 14/Apr/2015 às 14:46

    Realmente, o segurança deveria ter tido mais cuidado na abordagem. Pode até ter razão que as vezes vem moleques aparentemente querendo roubar refrigerante, mas o dano q uma abordagem dessas causa a uma criança inocente, independente se é negra, branca, classe média ou pobre... É injustificável! assim como mtas vezes consequência de traumas e inseguranças q podem surgir posteriormente!

  15. Carlos Postado em 14/Apr/2015 às 14:52

    Não vejo isso como racismo: isso é um caso típico de preconceito. O segurança, baseado na experiencia prévia dele, tinha um conceito já preconcebido sobre o biotipo de indivíduos que costumam entrar no estabelecimento e pegar refrigerante da máquina sem ter autorização: criança, magra, sexo masculino e com a pele escura (negros, mulatos etc). Subitamente ele vê um indivíduo com aquele biotipo pegando refrigerante na máquina e tomou uma atitude preconceituosa. Se fosse um adulto, magro, sexo masculino e com a pele escura ele teria a mesma atitude? Provavelmente não. Logo, isso não é racismo, é preconceito.

    • Marlene Curtis Postado em 14/Apr/2015 às 15:34

      Não sei se você conhece o serviço oferecido pelo Burger King. Estar segurando o copo do Burger King significa que você PAGOU para consumir a bebida.

  16. Thiago Teixeira Postado em 14/Apr/2015 às 15:02

    Tiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiinha que ser numa capital. É impressionante o quanto gente que mora em cidade grande é idiota, retardadas, covardes, bitoladas, ignorantes, estrelinhas, retrógradas, reacionárias e racistas. Duvido que numa cidade pequena isso ocorreria.

    • Felipe Postado em 14/Apr/2015 às 15:17

      Essa do Thiago Teixeira foi uma piada, né?

    • bia lepri Postado em 14/Apr/2015 às 15:28

      parabéns, você acabou de ser um tremendo preconceituoso e ignorante.

  17. Damares Postado em 14/Apr/2015 às 15:14

    Pessoal vcs estão esquecendo do óbvio. A criança estava com um copo com o logotipo da empresa, independente de cor, classe social ou maioridade, ele tinha todo o direito de estar ali, adquirir e consumir o quanto ele desejasse, pois, não é a regra do estabelecimento ao adquirir o lanche? Então dessa forma, houve uma falta de preparo e tato na abordagem! O ser humano ainda não aprendeu a lidar com seu semelhante, infelizmente! !! Muita falta de Amor mesmo!!! Estou indignada e compartilho da dor dessa mãe e principalmente da dor da criança, que tão pequena já o precisa lidar e se defender de pessoas tão sem coração e amor!!! Pois mesmo que fosse de rua, quantos não sentem vontade de comer e tomar desses alinentos e não tem condições financeiras???? Mais amor e caridade por favor, humanidade! !

  18. Maria Mariáh Postado em 14/Apr/2015 às 15:50

    Pior de tudo, não importa se isso ocorre em Ipanema, ou no morro!!! A gente tem que parar de achar normal as pessoas destratando as outras pela cor da pele, pelo cabelo, pela vestimenta. Olhe o trauma que o garoto vai ter agora. Que Deus o guarde e faça ele esquecer isso... Ele é lindo! E precisa saber disso!!!

  19. José Ferreira Postado em 14/Apr/2015 às 15:50

    Eu não usei o "se", pois trabalho com fatos por conta do meu ofício profissional de historiador.

  20. GIOVANA Postado em 14/Apr/2015 às 16:02

    MEUS FILHOS SAO FILHOS DE NEGRO JAMAIS ADIMITIRIA ALGO DESSE TIPO COM ELES MEU MARIDO JA SOFREU MUITO COM ISSO EM UMA LOJA AQ ONDE MORO MAS NAO ESTAVA COM ELE PQ SE ESTIVESSE NAO IA PRESTAR NAO

  21. Claudio Lisias Postado em 14/Apr/2015 às 16:24

    Acho racismo ou discriminação algo abjeto em qualquer situação, o guarda realmente agiu de forma errada, mas não se está analisando aqui um atenuante: o guarda relatou sobre diversos meninos que volta e meia iam até lá e mexiam na máquina, e ele pode, em um momento infeliz, pelo costume, ter agido desta forma, e reconheceu que se fosse um loiro de olhos azuis não faria o mesmo, provavelmente por não estar acostumado à situação. Creio que o guarda errou, sim, mas não acredito que tenha sido por racismo, e sim por ter reagido instintivamente sem analisar a situação.

    • Plínio Postado em 14/Apr/2015 às 21:02

      Seu argumento faz sentido. O segurança pode mesmo ter agido sem pensar, automaticamente associando criança negra=menino de rua=problema, e ter agido por reflexo. Só que isso não melhora nada; ao contrário, só demonstra que o racismo tem raízes tão profundas na nossa sociedade que já se tornou mais forte que a consciência de pessoas como esse segurança, fazendo com que a simples visão da pele escura acione nele o botão do pânico.

  22. vanilda carneiro Postado em 14/Apr/2015 às 17:57

    Ela TAMBÉM foi preconceituosa no comentário quando disse que o segurança achou que o menino por ser negro, fosse de rua!

    • Plínio Postado em 14/Apr/2015 às 21:04

      Ela não disse que o segurança achou nada. O segurança é que explicou que meninos de rua costumam... Enfim, releia o texto.

  23. Luiz Souza Postado em 14/Apr/2015 às 21:14

    Escolinha do Ali Kamel isso aqui?

  24. Renato Postado em 15/Apr/2015 às 00:01

    Se alguém ver um cara de calça apertadinha, falando daquele jeito típico de gay e achar que ele é gay, não seria preconceito não é? somente achar q é gay pela aparência não é preconceito não é? acho q é mera observação...se chegar um cara cabeludo, calça preta e camisa do Metallica e eu achar que é um roqueiro, eu não estaria cometendo preconceito não é? Na minha avaliação o segurança não cometeu racismo. Ele não tratou mal o menino por ele ser negro, mas por tê-lo confundido com um menino de rua. Provavelmente já deve ter acontecido de alguns meninos pegarem algum copo com logo USADO e pegarem refrigerante. Observado o problema, a gerente orientou o segurança para não deixar que isso aconteça ou então o próprio segurança decidiu por conta própria que não deveria deixar que isso aconteça, afinal para que ele recebe o salário dele. Só vi menino de rua loirinho de olho azul, em Curitiba. Em São Paulo ou em Belo Horizonte, onde eu moro, nunca vi. 100% do meninos de rua que eu vejo são negros. É comum que alguns shoppings mais populares sejam frequentados por muito clientes negros, porém em outros shoppings, de bairros nobres, onde os apartamentos custam de 1 milhão pra cima e quase todas as lojas têm preços consideravelmente maiores que os praticados em shoppings de bairros de classe C, como deve ser em Ipanema, praticamente não se vê nenhum. Se esse problema, onde meninos de rua tentam pegar refrigerante, ocorre com frequência, como o segurança deveria agir? Em Ipanema, se o segurança observasse 5 meninos loiros, de olhos azuis, pegando refrigerante, eu poderia dizer com 100% de certeza que eles não são meninos de rua, mas se o segurança percebe de repente que 5 meninos negros, mal vestidos, de chinelo, pés sujos, estão pegando refrigerante, como ele deveria agir? Não é óbvio que são meninos de rua? (infelizmente essa é a realidade) Ele deveria ficar observando todos encherem os copos(usados), ficar observando alguns minutos...para aí então, concluir..humm..acho são meninos de rua...e ai sim agir? Desconfio que se se ele agir assim, não consiguirá ficar muito tempo no emprego...Me dá a impressão que esses pais brancos com filhos negros agem de forma negligente, expondo seus filhos a essas situações, pois acho que todos sabem que essas coisas podem acontecer. Acho que não é forçando uma situação que se combate o racismo. Acho que essas situações poderiam ser evitadas. Eu, pessoalmente NUNCA vi uma criança negra com pais brancos! Só vi em reportagens como essa...alguém aqui já viu pessoalmente?

    • José Ferreira Postado em 15/Apr/2015 às 00:17

      Na verdade ela é mulata, pois o pai é negro.

      • Renato Postado em 15/Apr/2015 às 00:36

        Quem é mulata? A mãe do menino, pra mim, é bem branca e não tem nenhum traço de negro...

      • Nena Postado em 16/Apr/2015 às 19:05

        Para um historiador sua capacidade cognitiva está em nível bem baixo. Como você faz pesquisas históricas se não consegue nem interpretar um texto simples e claro como dessa postagem?O pai do menino é negro e isso faz da mãe uma mulata? Será que você é daqueles que abomina brancos que se casam com negros como os os americanos que os chamam de "amantes de negros"? Será que ela se contaminou por ter casado com um negro e passou a ser mulata? Belo historiador, só se for de história em quadrinhos.

    • Eduardo Ribeiro Postado em 15/Apr/2015 às 10:30

      Olha esse texto. Racista fazendo um puta esforço pra não parecer, construindo um dos mais prolixos malabarismos argumentativos pra negar o óbvio - o racismo no caso desse restaurante foi clarissimo - e também pra diluir o próprio racismo. E é inovador, pois é o primeiro que colocou A CULPA NA MÃE do garoto. Olha, realmente foi sensacional. A sociedade brasileira é altamente racista, está aí mais um caso de racismo explicito pra comprovar esse racismo (se somando aos outros 743.892 casos anteriormente catalogados, fora os não-catalogados), aí eu leio que não apenas não houve racismo, como a culpa de tudo é da mãe do garoto (!!!!!!!!!!!!!!!!). Cara, parabéns. Selo de qualidade Ali Kamel pra você.

      • Vinicius Postado em 18/Apr/2015 às 03:01

        Sinceramente não tem nem como argumentar com essa completa má fé e atitude repugnante com essa "filosofia" de Raquel Sheherazade. Pior é colocar a culpa nos pais, ou seja as pessoas que tem que se adaptar ao preconceito na concepção dele. Uma senhora acima também quis colocar a culpa na mãe. Enfim total repugnância com esse tipo de situação. *Outro Vinícius.

  25. Vinicius Postado em 15/Apr/2015 às 00:55

    Para mim em relação ao racismo tem que exagerar mesmo, errou e ponto, vai ter que arcar com as consequências,não tem desculpas.O que não dá mais é ficar colocando panos quentes,tentando argumentar,enrolar, mas isso...,mas aquilo outro.Isso acontece 24 h por dia em todos os lugares, já tem que dar um basta e sanar essa situação vergonhosa e repugnante. Pelos comentários aqui inventaram todo tipo de argumento, até a mãe tentaram culpar ou chamar de preconceituosa, cheguei a conclusão que as políticas para negros apesar dos avanços ainda só estão no começo e são poucas.O que incomoda os preconceituosos é ver negros conquistando um espaço de maior respeito na sociedade,isso ocorre com todas as minorias. Sinto em dizer para os defensores do racismo, homofobia e machismo, que essas minorias vão continuar conquistando seus espaços vocês querendo ou não! Um negro vai continuar a conquistar seu nível superior numa universidade pública, o homossexual não vai mais se reprimir e a mulher vai continuar conquistando seu espaço. *Outro Vinicius

  26. Luiz Klelmar Postado em 18/May/2015 às 11:54

    Sinceramente, porque os comentários que fiz não foram publicados? E tem um justificador de racismo que tem todos comentários aprovados? WTF