Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 21/Apr/2015 às 20:46
58
Comentários

Por que Verônica Bolina disse que não foi torturada?

Verônica Bolina negou ter sido torturada por policiais após promessa de diminuição de pena. Travesti ficou desfigurada após incidente. Mãe de Verônica reconhece erro da filha, mas repudia a violência com que foi tratada

caso verônica bolina tortura
Ministério Público investiga caso Verônica Bolina (Pragmatismo Político)

A travesti Verônica Bolina, 25, que ficou com o rosto desfigurado após ser espancada na carceragem do 2º Distrito Policial, no Bom Retiro, em São Paulo, disse ao Ministério Público que mentiu durante o depoimento que gravou em que afirma não ter sido torturada pela Polícia Militar. Bolina disse que negou as agressões dos policiais em troca de redução de pena. A declaração foi prestada a promotores do Grupo Especial de Controle Externo da Atividade Policial (Gecep).

“Ela (Verônica) disse que a gravação não corresponde à verdade dos fatos. Quando perguntamos por que teria gravado o áudio, ela disse que prometeram auxiliá-la com uma diminuição de pena”, disse a promotora pública do Gecep, Luciana Frugiuele.

A proposta e as gravações teriam sido feitas por Heloisa Alves, coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do governo estadual. As gravações foram feitas na delegacia, durante visita da coordenadora. Em um dos áudios (escute aqui), Verônica afirma: “Eles reagiram dentro de suas leis” e era direito deles agirem “para contê-la”.

A mãe da travesti, Marli Ferreira Alves, já havia negado a versão da Secretaria da Segurança Pública (SSP), segundo a qual Verônica teria sido espancada por outros presos após se masturbar na frente deles. Marli afirmou que foram policiais quem bateram nela.

“Não teve aquela história de preso bater e se masturbou na cadeia. Não teve nada disso. Pensa bem: ela está com a cabeça do jeito que ela está. Você acha que ela ia se masturbar na prisão? Graças a Deus que vazou tudo isso (fotos de Verônica) na internet. Porque se não tivesse vazado, talvez ela estaria morta agora”, comentou a mãe de Verônica.

Investigações

A Corregedoria da Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso depois que a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados cobrou do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), informações sobre as agressões praticadas por policiais contra Verônica.

Verônica Bolina foi presa por agredir sua vizinha, Laura P., uma senhora de 73 anos. A vítima das agressões de Verônica quer Justiça para o caso, assim como o filho dela, que reclamou da ‘campanha’ que está sendo feita em favor da travesti. Laura sofreu ferimentos por todo o corpo e perdeu alguns dos dentes superiores após as agressões sofridas.

A mãe de Verônica reconhece o erro da filha, mas repudia a violência com que foi tratada. “Ela errou, mas ela também não deveria ter sofrido o que sofreu. Ela não tem rosto agora, infelizmente. Muita humilhação. Ela vai se recuperar porque ela falou que vai sair dali e vai ser a Verônica de novo”, disse Marli.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Ingrid Postado em 21/Apr/2015 às 21:29

    Sinceramente acho muito perigoso essa cultura de criar duas verdades absolutas, isso está ficando muito comum na mídia atual. Verônica errou tanto quanto as pessoas que a agrediram, acho mais do que correto exigir que os responsáveis sejam investigados e punidos, o que me preocupa é que em muitos lugares se esquecem da vitima de Verônica, precisamos aprender a caminhar pela justiça no lugar de defender um lado. ( uma ressalva meu comentário é pelo que tenho visto do assunto num geral não focado apenas nessa matéria).

    • Val carvalho Postado em 21/Apr/2015 às 21:56

      Falou tudo.. não devemos esquecer que ela também agrediu uma idosa, e tem que responder por isso, senão daqui a pouco o crime que ela cometeu será esquecido.

    • Osvaldo Postado em 21/Apr/2015 às 22:01

      Penso exatamente a mesma coisa. Todos os envolvidos devem ser punidos, inclusive a Veronica.

      • Jackson Postado em 22/Apr/2015 às 12:54

        Punidos. Não espancados.

    • Vinicius Postado em 21/Apr/2015 às 22:51

      Não amigo, essa ideia de que quem é espancado preso, por policiais, mereceu, devido ao que fez é o que esta errado. Policiais, delegados, juízes, promotores, senadores, deputados, etc. Estão à serviço público, trabalhando para que seja cumprida a LEI. Não são Deuses, não podem eles mesmos praticarem a lei com as próprias mãos. Enquanto se justificar esses atos covardes, contra pessoas que deveriam responder à lei, nunca se terá ordem, infelizmente isso é típico de um país ainda novo, como o nosso, mas enquanto a maioria continuar a justificar, que nada mais é do que uma forma de apoio, à esse tipo de ato, não teremos justiça nunca. É o mesmo que votar em alguém, e justificar seus atos com "os outros também roubam, pelo menos o que eu votei fez algo"... Veronica, já vai e já ia responder à lei pelo que fez, mas daí justificar uma tortura, e humilhação, praticada por pessoas que deveriam estar trabalhando para a justiça... É no mínimo triste. Algo que eu realmente aprendi, é que não se pode tolerar algo, que vem daquele que deveria fazer exatamente o contrário, por DEVER, não por querer, ou por achar correto, mas por ser sua OBRIGAÇÃO...

      • llyr Postado em 22/Apr/2015 às 01:16

        queridx lê direito, o pessoal acima disse que o que não é correto é exatamente espancarem a verônica por ter feito seja lá o que foi feito à velha. estão errados verônica por ter feito seja lá o que fez e policiais por abusarem de um poder que não os pertence.

      • Neilamar da Silva Postado em 22/Apr/2015 às 02:34

        Nossa! Vinicius tu disse tudo que eu poderia ter dito! Mas você falou e tocou no cerne da questão que é o dever de zelo que as autoridades deveriam ter. Uma coisa não justifica a outra, portando é inaceitável a tortura e a humilhação. Cada caso deve ter seu peso e medidas diferenciadas.

      • natalia Postado em 22/Apr/2015 às 07:26

        Concordo plenamente.

      • Cassia Postado em 22/Apr/2015 às 08:03

        Penso exatamente como vc, Vinícius. Não se justifica um crime com outro crime. O papel da polícia é averiguar, prender e apresentar à justiça. Não tem essa de querer fazer justiça com as próprias mãos. Enquanto houver cidadãos defendendo, essa prática tão comum na polícia brasileira, mais casos como esse vão surgir, infelizmente.

      • Fernanda Postado em 22/Apr/2015 às 08:57

        Concordo com você. Se os policiais, ou quem quer que seja, partir do pressuposto que o julgamento (e a punição) devem ser feitas ali, na hora, sem apuração devido dos fatos, sem o amparo legal e garantia do direito de defesa, se todos se apossarem do direito de ser juiz desta ou daquela causa, os direitos de todos estará comprometido

      • luci Postado em 22/Apr/2015 às 14:21

        Perfeito, Vinicius!

      • Marceleza Postado em 23/Apr/2015 às 11:27

        Mas por que os Direitos Humanos nunca se pronunciaram sobre violências sofridas em cárceres de acusados de estupro ??? Por que apenas nesse caso em que uma senhora de 73 anos teve o nariz e um braço quebrados, várias marcas roxas pelo corpo, ligamentos das pernas rompidos e dezenas de pontos no couro cabeludo, após passar por uma cirurgia para tratar um traumatismo craniano. Ela ainda perdeu todos os dentes da parte superior da boca. Sem falar no carcereiro que perdeu a orelha... Por que apenas esse caso merece defesa dos Direitos Humanos ??????

    • volff Postado em 21/Apr/2015 às 23:15

      Penso igual Ingrid, foi o mesmo que aconteceu com a gaúcha gremista que agrediu com crime o goleiro Aranha, a polêmica em volta do assunto colocou um crime como sendo um segundo caso a ser estudado.

    • Nivia Tôrres Postado em 22/Apr/2015 às 01:24

      Faço de suas palavras as minhas, Ingrid.Esquecem o motivo que a mesma está onde está... E claro, ambos ( Verônica e os policiais) devem de maneira justa,arcar com a consequência dos atos. Não concordo com o #TodosPorVerônica que várias pessoas andam ressaltando por aí. E sim todos por #igualdade, #respeito ! Isso sim eu concordo e apoio.

    • Israel Postado em 22/Apr/2015 às 02:52

      O crime não teria vindo à tona se não fosse as agressões sofridas por Verônica. Não sou de aderir a campanhas do tipo "somostodos" mas não sou fiscal da indignação coletiva e não sou contra quem faz. Não vi nenhuma das manifestações em apoio a ela pedir perdão pelos seus crimes ou alegar que ela é inocente. O fato que é ela foi agredida, torturada, humilhada, forçada a prestar falso testemunho etc. Quando agentes do estado, que são a linha de frente da segurança publica no Brasil, agem de forma torpe, covarde, repugnante e criminosa. E ainnda vem uma funcionária da Secretaria de Defesa da Cidadania do Estado e alicia a vitima a prestar falso testemunho pelo menos eu vejo sim motivos para tanta indignação com a caso dessa travesti. Qualquer outro tipo de tergiversação é apoiar e minimizar a quantidade de crimes cometidos pelo pode público nesse caso.

    • José Sil Postado em 22/Apr/2015 às 04:21

      Você, Ingrid, é analfabeta ou sequer sabe discernir o que foi noticiado. 1) Ninguém, desde o início deste caso, está querendo inocentar Verônica do delito a que é acusada. 2) As torturas a que Verônica sofreu ganharam mais ênfase, porque ocorreram dentro de uma delegacia de polìcia, que existe para combater o crime. 3) O caso tem conotação política à medida que envolve, Heloisa Alves, coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do governo estadual. Detalhe importante: quem deveria denunciar as torturas, pelo cargo quer possui, acabou fazendo juystamente o oposto para acobertá-lo, o que é muito grave. Quem tem dificultade para entender isto, deve voltar ao colégio!

    • José Sil Postado em 22/Apr/2015 às 04:26

      SOMENTE ANALFABETOS têm dificuldade para discernir o que foi noticiado, sobre o caso Verônica. 1) Ninguém, desde o início deste caso, está querendo inocentar Verônica do delito a que é acusada. 2) As torturas a que Verônica sofreu ganharam mais ênfase - do que o crime a que ela é acusada - porque ocorreram dentro de uma delegacia de polìcia, que existe para combater o crime. 3) O caso tem conotação política à medida que envolve, Heloisa Alves, coordenadora de Políticas para a Diversidade Sexual do Estado de São Paulo, órgão vinculado à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania do governo estadual. Detalhe importante: quem deveria denunciar as torturas, pelo cargo quer possui, acabou fazendo juystamente o oposto para acobertá-lo, o que é muito grave. Quem tem dificultade para entender isto, deve voltar ao colégio!

    • Lucia Goulart Postado em 22/Apr/2015 às 05:29

      A Verônica tem e deve responder pelo crime que cometeu, o que não pode é a policia se achar no DIREITO de agredi la como fez, se ela fosse uma mulher que tivesse cometido o crime e não uma travesti a polícia teria cometido essa atrocidade com ela, ou se fosse um homem teria humilhado e exposto como fez pelo fato de Bolina ser uma travesti. A polícia não tem DIREITO de justiçamento, esse não é o papel dela. Nesse caso o que fizeram com a Verônica se torna mais grave do que o que ela fez com a idosa sim, pois a polícia é um braço do estado para manter a ordem e não expor uma pessoa por sua orientação sexual. Sinto pela senhora idosa que foi vítima, e se a polícia não tivesse sido incompetente nessa ação, nós estaríamos lutando por ela e não pelos direitos de Verônica que foram estupidamente violados. Nesse caso, verônica já pagou pelo que fez.

      • luci Postado em 22/Apr/2015 às 14:23

        Concordo com vc, Lucia Goulart!

    • Guilhermo Postado em 22/Apr/2015 às 09:30

      E mais uma vez penso igual você Ingrid!

    • Eduardo Ribeiro Postado em 22/Apr/2015 às 09:57

      Ela não "errou tanto quanto as pessoas que a agrediram". Jamais. O erro daqueles que a agrediram é muitissimo maior. Estão comparando coisas que são incomparáveis. Ela estava sob responsabilidade de autoridades, sob a tutela do Estado. É inconcebível que tenha sido espancada, massacrada e humilhada do jeito que foi. Não tem essa de "errou tanto quanto", isso é absurdo, é de uma LEIGUICE que não se mede.

      • Carlos Kobe Postado em 22/Apr/2015 às 11:28

        o fato dela ser travesti talvez não seja tão relevante no acontecido como alguns tentam fazer parecer. Ela é uma criminosa covarde que espancou até quase a morte um idosa de mais de 70 anos sem chance nenhuma de se defender, além disso deu alouca e quis agredir todo mundo, talvez por esse motivo e não por ser homosexual, ela foi espancada, mas olho roxo e aranhão nas costas não é nada perto do que a idosa passou nas mãos dela. Nossa polícia espanca e mata muito trabalhador e até criança, mas a sociedade faz vista grossa, por isso é tão estranho ver essa indignação com relação a uma agressora de idosos, potencial assassina.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 22/Apr/2015 às 14:43

        E estava presa. Por conta do que fez. Não seja burro. Não tem essa de "talvez por esse motivo e não por ser homosexual, ela foi espancada,". Ela FOI ESPANCADA, enquanto estava SOB A TUTELA DO ESTADO. Compreenda que essa situação é um completo absurdo. E sim, muitissimo provavelmente há grande relevância da sexualidade dela tanto no ocorrido quanto no julgamento de alguns boçais com relação ao ocorrido.

    • Carlos Postado em 22/Apr/2015 às 10:59

      Otimo explanaçao... vc é uma das poucas pessoas que veem o caso, o fato de veronica errar nao deve ser esquecido mas também a policia nao pode sair impune como se tivessem agido de acordo com o que devem defender.

    • Adriana Postado em 22/Apr/2015 às 11:16

      Fio... a Veronica não 'errou'. Ela cometeu um crime. A polícia prendeu. Não cabe à polícia julgar - quem faz isso é juiz - nem condenar, por exemplo, dando uma surra. Não tem nada de 'verdades absolutas'. Os policiais são servidores públicos. A tortura é proibida. Eles cometeram crime. Mas já q vc pensa assim, tomara q se você ou alguém que vc ame cometa um 'erro' que seja crime, recebam da polícia exatamente o mesmo tratamento que vc acha razoável, senão deseja mesmo, da polícia. Veja bem: pode até nem ter feito nada, a polícia vai lá e assassina, como faz com jovens negros.

    • Marceleza Postado em 23/Apr/2015 às 11:23

      O mesmo vale para todos os estupradores que sofreram violência em cárcere... Não é mesmo ?

  2. André Postado em 21/Apr/2015 às 21:40

    Todos tem que arcar com seus erros.

    • Stefani Postado em 21/Apr/2015 às 21:59

      De acordo com a lei, não pela lei da vingança, torturando ela, como foi.

      • Antonio Postado em 21/Apr/2015 às 22:52

        E o que fazer quando se é agredido como o foi a senhora idosa e o carcereiro? E se você conosco? Qual seria nossa reação numa hora dessas? Virar saco de pancadas?

      • Adriana Postado em 22/Apr/2015 às 11:18

        Antonio, você é burro? Como assim 'o que fazer'? Não entendeu que depois de agredir a idosa a Veronica foi PRESA? Ou vc acha q ser preso não é nada?

  3. Marcos Postado em 21/Apr/2015 às 21:43

    Inadmissível ela ser tratada de forma desumana por ser uma trans, ou por qualquer outro motivo. Porém não concordo com toda a "idealização" que a mídia está fazendo com ela. Verônica NÃO é uma heroína! Lembrem da vítima dela, do motivo que ela foi parar na cadeia em primeiro lugar!

    • Paula Postado em 22/Apr/2015 às 08:50

      Tanto foi lembrado o que ela fez que foi para cadeia! Este não é o ciclo? As coisas corriam corretamente: crime, prisão, aguardar julgamento. Os direitos da idosa forma violados e estava se cumprindo o que temos no código penal e ponto. Agora, outro crime foi cometido, não mais por um civil, mas por quem deve zelar pela lei. E agora? A questão não é a garota trans que foi agredida, a questão é que um ser humano foi agredido violentamente por ser trans, foi exposta, torturada e humilhada. E qual será o ciclo agora? Prisão? E depois? Tortura para os torturadores?

    • Eduardo Ribeiro Postado em 22/Apr/2015 às 10:00

      ??????? Ela não estava na cadeia??? Se estava é porque foi devidamente lembrado, criatura...só dá maluco aqui, pelo amor de Deus...às vezes eu acho que o fato de se tratar de uma pessoa "não normal" escurece a racionalidade das pessoas e elas passam a defender/relativizar/amenizar absurdos como esse aí sem se tocar do quão boçais estão sendo.

    • Leonardo Postado em 22/Apr/2015 às 12:48

      Ninguém disse que ela é uma heroína.

    • Marceleza Postado em 23/Apr/2015 às 11:30

      "Inadmissível ela ser tratada de forma desumana por ser uma trans"... Por que não vejo o pronunciamento dos Direitos Humanos para os casos de violência contra estupradores em cárcere ????? O fato de ser "trans" só fez contribuir para que ela de criminosa tenha se tornado vítima !!!!

      • ana maria Postado em 01/May/2015 às 14:58

        não acho que o fato de ser uma trans, faz dela ser a vitima da história. essa caracteristica (transsexualidade), nos dias de hoje, faz com que ela seja tratada como um marginal, "anormal" pela a sociedade. Características como ser: negro, LGBT, mulher, pobre, são vetores que impulsionam mais incidência pré-conceitos (relacionado a prejulgamentos, pre julgar)

  4. Pedro Rodrigues Jr. Postado em 21/Apr/2015 às 21:50

    "Seja qual for a história, clara está a responsabilidade do Estado. Nada justifica o que fizeram com ela." Mas Verônica cometeu um crime de Tentativa de Homicídio. Não vi ninguém publicar absolutamente nada sobre a vítima desse crime, a Dona Laura. Descaso total. Simplesmente ignoraram a Srª para criar um mártir da causa LBGT; por quem eu faço muito gosto. Quanto ao espancamento sofrido pela Verônica: Responsabilidade do Estado. Nada justifica o que fizeram com ela. O secretário municipal de Direitos Humanos, Eduardo Suplicy pediu uma apuração rigorosa do caso. Espero que os responsáveis sejam punidos com os rigores da Lei. Assim como espero que a Verônica seja punida com os mesmos rigores pelo crime cometido. Ela não é um bom símbolo para impor na luta LGBT.

    • Vinicius Postado em 21/Apr/2015 às 23:00

      Não foi e nem será publicado nada, ainda pois o caso ainda está sob INVESTIGAÇÃO, qualquer falácia, por hora, é caracterizado, inclusive, como contravenção penal. E ela foi torturada já presa, enquanto aguarda para responder pelo que fez perante à lei. Não creio que esteja se querendo criar nenhum mártir LGBT, até pq se estiverem, escolheram o mártir errado. Mas sim expor uma, das muitas, realidades brasileiras que não deixam nosso jovem país avançar... Cada vez mais vemos que aqueles que estão imbuídos, por obrigação, de certo papel social, faz exatamente o contrário. Assim o é com políticos, muito se fala nos executivos, mas todos sabem que os piores são o legislativo, que trabalha pouquíssimo para o povo, com policiais, promotores, juízes, etc... E quanto mais se tenta justificar as atitudes erradas, de quem tem por OBRIGAÇÃO, fazer o certo, como você, sem má-fé, creio eu, quando diz "mas Veronica cometeu um crime", isso não é motivo para tortura, especialmente nessas condições, onde quem deveria estar protegendo a sociedade é quem pratica a tortura e ainda por cima, a pessoa torturada, já esta detida para responder pelo que deve.

      • Priscilla Postado em 22/Apr/2015 às 01:44

        Vinicius, concordo com o Pedro. Há que se discutir sim muito sobre a transfobia dos agentes públicos, porém o que houve pela esquerda midiática foi também uma espetacularização do caso - com campanhas no Facebook, a criação do slogans #somosTodosVeronicas e das charges para viralizar em redes sociais. Foi assim que eu fiquei sabendo do caso. E me incomodou muito a forma "produto" e marketeiro como o caso foi tratado em uma luta do bem contra o mal, para além da questão jurídica. Eu concordo com tudo o que disse juridicamente, mas não foi essa mensagem que a comunicação construiu. E por isso muito gente não se identificou nesta luta do bem X mal e muito menos com o caso Veronica. Houve um excesso de endeusamento e maniqueísmo, como se fosse um folhetim novelesco e os vilões precisassem ser punidos. A realidade não é simples assim como foi midiatizada. Ela é complexa, dialética e houve um descuido do jornalismo e das campanhas. A matéria do Pragmatismo foi uma das poucas menos panfletárias do que eu li a respeito.

  5. Barbara Postado em 21/Apr/2015 às 21:52

    Arcar com os erros não dá o direito a polícia a torturar, espancar e humilhar ninguém. Se for assim, exonerem os juízes e promotores porque a PM paulista já faz o serviço completo! E o filho da senhora tem que entender que ninguém está defendo a atitude dela, ela tem que responder pelo seu ato, pela violência contra a idosa, mas isso não quer dizer que policia tenha direito de fazer o que fez!

  6. Marcos Postado em 21/Apr/2015 às 21:55

    Completando meu último comentário... O caso realmente reflete problemas sociais do país, como o preconceito sofrido pelas pessoas trans, a polícia que agride o cidadão ao invés de proteger... Nada justifica o que Verônica passou, mas independente disso não é certo nem ético tornar dela uma mártir. Ela não é uma heroína. Dizer que ela teve o que mereceu, que ela arcou com seus erros coloca o indivíduo no mesmo patamar da escória que são esses policiais. Mas é um equívoco enorme tratar ela como uma heroína. Pensem bem antes de tornar uma criminosa um símbolo. Há pessoas melhores para representar a causa trans.

  7. Liana Postado em 21/Apr/2015 às 22:07

    A srª idosa, vítima do travesti, chama-se Laura. Ela está com o nariz e um braço quebrados, várias marcas roxas pelo corpo, ligamentos das pernas rompidos e dezenas de pontos no couro cabeludo, após passar por uma cirurgia para tratar um traumatismo craniano. Ela ainda perdeu todos os dentes da parte superior da boca.

  8. Sergio S. Postado em 21/Apr/2015 às 22:34

    O erro (crime) dos policiais é muitíssimo mais grave do que o de Verônica, pois seus crimes, sob o manto dos estado, são contra a humanidade...

    • Ellen Postado em 22/Apr/2015 às 10:47

      aff, que bobagem, e o trabalho de contenção? vc ja presenciou ou esteve muito proximo de alguem com surto psicótico por conta de drogas? nem todos de uma corporação são transgressores das leis... e não se esqueça que era conter um "HOMEM" e com certeza o estado nada tem a ver com o fato, existem comandos, regras e por ai vai, nada a ver com política aff

  9. José Ferreira Postado em 21/Apr/2015 às 22:52

    As pessoas não sabem que na cadeia tem as suas regras e, diferentemente do que mostra o filme "Carandiru", os travestis não são bem vistos entre os outros presos. Não dá para dizer que ele se masturbou na cela ou não, mas o espancamento é inevitável. Além dele ser um travesti, há a questão da agressão a idosa, que está entre alguns crimes que não são perdoados nem entre os próprios presos.

    • Guilhermo Postado em 22/Apr/2015 às 09:36

      Eu só não entendo esse fato de ela ter se masturbado na sela. Qual a relevância disso? O que importa se ela se masturbou ou não?

      • gabriel Postado em 22/Apr/2015 às 12:35

        não acredito que tenha se masturbado, apanhou pelo q fez antes, bateu em uma velha e mordeu orelha de um carcereiro, mas caso tenha se masturbado na cadeia, lá tem regras e as regras devem ser cumpridas sob pena de porrada etc.

  10. Camila Postado em 21/Apr/2015 às 23:13

    Não sou a favor do que aconteceu com Veronica, mas o rosto de D. Laura também está desfigurado. A mídia e os protetores dos Direitos Humanos só na Veronica por ser travesti e isso não é desculpa p nada, na hora de bater ela bateu com a força de um homem e não com a de uma mulher indefesa como estão taxando! Volto a enfatizar que sou contra o que fizeram com ela, mais a mesma repercussão que está tendo por ser um travesti, devia ter por D. Laura ser uma IDOSA, que foi espancada injustamente!

  11. NINA Postado em 21/Apr/2015 às 23:43

    Muito cuidado com os termos. Violência contra a mulher e contra um idoso não é um "erro", é um CRIME! Não podemos relativizar o crime que Verônica cometeu.

  12. Deise. Postado em 21/Apr/2015 às 23:47

    Uma coisa é certe, teve a idosa e o carcereiro como vítimas dela. Independente da opção sexual dela nada lhe dá o direito de agir agredindo as pessoas. Não justifica ninguém ser torturado pelo poder público; no entanto, que pessoa é essa que mesmo contida arranca a orelha do carcereiro? O mal é que há tanta mentira envolvida que não dá para imaginar onde está a razão.

  13. Ronaldo Postado em 22/Apr/2015 às 00:51

    A agressão dela contra a senhora já estava em curso, pois a policia estava com ela em suas mãos, então justiça já estava sendo ponto. o verdadeiro problema é o Estado (Sr. Geraldo Alckmin) que não lido muito bem com a situação, imagina, se eu estou na cadeia, por que arrancaria a orelha de um carcereiro? para mim seria um ato em reflexo ao que eu estaria sendo tratado, ah questão é como o Estado SP quis jogar isso para de baixo do tapete, agora as pessoas, mas e a senhorinha, carambolas, Veronica já estava na cadeia por causa disso, demos duas agressões aqui, os agentes e a o Estado SP, mas e o carcereiro, com certeza foi um reflexo dos atos do mesmo contra ela...

  14. Pedro Postado em 22/Apr/2015 às 05:10

    Talvez porque ela nao foi "torturada", mas sim se meteu numa briga de cadeia?

  15. Samara Postado em 22/Apr/2015 às 08:24

    Cara, ela bateu em uma idosa! Pensem em um "macho" batendo em uma idosa! Meu deus, penso em minha mãe nessa hora!!!!! Porém, tá errado mesmo o fato da policia ter agredido a travesti, justiça com as próprias mãos vindo de quem deveria nos proteger e assegurar a lei.. hum Brasil msm.

  16. cris Postado em 22/Apr/2015 às 10:43

    gente sou leiga nesse assunto,mas alguem acha que bolina vai ser julgada e cumprir pena, estamos no brasil

  17. gabriel Postado em 22/Apr/2015 às 10:48

    tem que se diferencia o que é crime cometido contra trans, por ser trans e represaria pelo crime que cometeu, lembrar que "ela" tem força de um homem, e via de regra são bons de porrada, pelo que parece agrediu uma mulher idosa e depois arrancou a orelha de um policial ou agente penitenciário com uma mordida. se fosse qualquer outro "bandido" sofreria uma "represaria" tal como "ela" recebeu. certamente o agente da lei, bem como qualquer outra pessoa nao tem legitimidade pra agredir ninguém, agora por ser trans parece que o crime será mais bem investigado, que o crime é mais grave. me parece meio perigoso essa linha de pensamento.

  18. Antônio Geraldo Vergueiro Postado em 22/Apr/2015 às 12:03

    Independente da agressão a lei está aí pars ser cumprida Polícia está lá para prender e não espancar e ou torturar. A travesti deveria pegar 30 anos e os policiais 25 e serem exonerados sem aposentadoria ou qualquer outro tipo de benefícios. Ambos os lados foram extremamente podres.

  19. Nathália Postado em 22/Apr/2015 às 12:45

    A verdade é que a maioria dos policiais são uns f****, essa é a verdade. Acham que por estarem vestidos e serem nomeados pelo poder publico, eles tem o direito de sair descendo a mão e o cassetete em qualquer um. A Verônica errou, mas deve ser julgada e indiciada pelo poder legislativo e judicial. Foi horrível o que ela fez com a senhorinha, fiquei espantada e isso causa um certo revolto. Porém ninguém aqui sabe o que aconteceu de fato com a Verônica na cadeia. E esses malditos policiais deveriam pagar pelo que fizeram. Deviam colocar eles presos nessas celas também para aprenderem a respeitar o próximo e se colocarem no lugar deles. Porque eu tenho certeza que se fosse da família deles, eles não iriam aceitar.

  20. Antonio Palhares Postado em 23/Apr/2015 às 11:22

    O Sr Charleston,cognominado,Verônica,quase matou de pancada uma senhora idosa de 73 anos.Agrediu de forma violenta outra senhora de 56 anos.Agrediu ainda outro travesti que tentou impedir.Este Sr.Ainda agrediu um agente do estado quase arrancando-lhe uma das orelhas,à dentadas.Agora tão somente por ser travesti,esta sendo defendido como vítima de uma ação policial que tentou contê-lo.Naturalmente que foi muito espancado e machucado.Contudo, não é herói nem vitima.É apenas um meliante violento que colheu o plantou.Em qualquer delegacia do mundo, na, Russia,Cuba,Estados Unidos,França qualquer instituição policial teria dado a ele o mesmo tratamento que teve aqui.Não é porque eu seja de esquerda,e sou,que vou perder o equilibrio e transformar este meliante violento em vítima. Bater em idosas é crime hediondo."Eu não sou Verônica".