Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cuba 22/Apr/2015 às 15:20
10
Comentários

Papa Francisco anuncia visita à Cuba antes dos EUA

Vaticano confirma viagem de papa Francisco a Cuba em setembro, antes de visita aos EUA. Francisco foi um mediador fundamental nas negociações para a retomada das relações diplomáticas entre Cuba e Estados Unidos, rompidas há mais de meio século

papa francisco cuba eua
Papa Francisco visitará Cuba antes de seguir viagem para os EUA, onde discursará na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas | CBS

O papa Francisco visitará Cuba em setembro, antes de ir aos Estados Unidos, anunciou nesta quarta-feira (22/04) o porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi.

“Posso confirmar que ele fará uma passagem por Cuba antes de seguir viagem aos Estados Unidos, que estava há tempos programado”, disse o diretor de imprensa da Santa Sé. Desde a semana passada, havia boatos de que o líder da Igreja Católica pudesse visitar a ilha caribenha em 2015 durante sua viagem aos Estados Unidos.

A ida do Papa ao território norte-americano está marcada para os dias 22 a 27 de setembro, durante os quais ele discursará na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), será recebido pelo presidente Barack Obama na Casa Branca e fará um pronunciamento no Congresso.

As relações entre o Vaticano e Cuba, que são delicadas, têm se mostrado mais sólidas no pontificado de Francisco, que assumiu a liderança da Igreja Católica em março de 2013. No ano passado, o Papa foi um mediador fundamental nas negociações para a retomada das relações diplomáticas entre Cuba e EUA, rompidas há mais de meio século.

Recentemente, o governo cubano também anunciou a construção de uma nova igreja pela primeira vez desde a revolução comunista de 1959.

De acordo com informações da arquidiocese de Havana, citadas pela agência Fides, foi escolhida uma cidade na província de Pinar del Rio para abrigar a nova igreja, que será dedicada ao Sagrado Coração de Jesus.

VEJA TAMBÉM: Papa Francisco vira alvo dos fundamentalistas brasileiros

ANSA

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 22/Apr/2015 às 16:02

    pronto .... Alta demanda de católico coxinha na sala de curativo. Motivo: Tentativa de Suicídio!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Lucas Postado em 22/Apr/2015 às 16:52

    A pessoa que é de esquerda não pode ser cristão, Rilson?

  3. Laís Postado em 22/Apr/2015 às 16:54

    sai dae otario

  4. Eduardo Ribeiro Postado em 22/Apr/2015 às 17:00

    Agora que os já precários e desfavorecidos cérebros coxinhas vão bugar...

  5. Deisi Postado em 22/Apr/2015 às 17:07

    Sou católica, de esquerda e grande admiradora do Papa Francisco.

    • Denisbaldo Postado em 22/Apr/2015 às 19:40

      é nóiz!

  6. Thiago Teixeira Postado em 23/Apr/2015 às 13:29

    Bom era o FHC, 50 bilhões de prejuízo: CRONOLOGIA DO ROMBO *** Em 1994 – Ainda ministro da Fazenda, FHC manipulou a estrutura de preços dos derivados do petróleo. Nos seis últimos meses que antecederam o Plano Real, a Petrobras teve aumentos mensais de 8% abaixo da inflação. Por outro lado, as distribuidoras tiveram, nas suas parcelas, aumentos de 32% acima da inflação. Isto significou transferência permanente do faturamento da Petrobras para o cartel das distribuidoras, de cerca de US$ 3 bilhões anuais. *** Em 1995 – FHC deflagrou o contrato e construção do Gasoduto Bolívia-Brasil, o pior negócio da história da Petrobras. Como ministro da Fazenda do governo Itamar, ele fez lobby em favor do gasoduto. Como presidente, suspendeu 15 projetos de hidrelétricas em diversas fases, para tornar o gasoduto irreversível. Esse fato, mais tarde, acarretaria o “apagão” no setor elétrico brasileiro. *** Em 1998 – A Petrobras foi impedida de obter empréstimos no exterior para tocar seus projetos e de emitir debêntures para viabilizar seus investimentos. FHC cria o Repetro, que libera empresas estrangeiras do pagamento de impostos por seus produtos, mas sem, contudo, dar a contrapartida às empresas nacionais. Isto liquidou 5 mil empresas fornecedoras de equipamentos, gerando brutal desemprego e perda de tecnologia. *** Em 1999 – Muda-se o estatuto da Petrobras com finalidades oscuras. Henri Philippe Reichstul inicia o mandato cancelando atabalhoadamente o contrato da empresa Marítima – fornecimento de seis plataformas – um mês antes de ela entrar em grave inadimplência. O cancelamento salvou a Marítima de pesadas multas e ainda deu a ela argumentos para processar a Petrobras, pedindo R$2 bilhões de indenização pelo incrível cancelamento. *** Nesse mesmo ano, Reichstul viaja aos EUA com o ex-jogador Pelé e, juntos, fazem propaganda do lançamento e venda de ações da Petrobras em Wall Street. O governo vende, então, 20% do capital total da Petrobras, que estavam em seu poder. Posteriormente, mais 16% foram vendidos pelo irrisório valor total de US$5 bilhões. *** Ainda em 1999, houve a privatização da Refap, feita mediante a troca de ativos com a Repsol Argentina (pertencente ao Banco Santander). A Petrobras deu ativos no valor de US$500 milhões – que se avalia em US$2 bilhões – e recebeu ativos no valor de US$500 milhões, os quais, dois dias depois, com a crise da Argentina, passaram a valer US$170 milhões. *** Para fechar o trágico ano de 1999, houve ainda o naufrágio da P-36, com 11 mortes e prejuízos que podem ser calculados em mais de US$ 2 bilhões, por lucro cessante, como resultado da paralisação da produção, até que nova plataforma fosse posicionada e a produção dos poços retomada. *** Em 2000 – Na Bahia, foi assinado um estranho contrato com a PetroRecôncavo, sem licitação, que transferiu a operação de 12 campos de petróleo para esta empresa (50% Opportunity), sem prazo para terminar e sem cláusulas de multas, em caso de descumprimento do contrato. Foi estimado prejuízo de mais de US$ 200 milhões. *** Em 2001 – A Petrobrás compra 51% da Pecom Argentina, por US$1,1 bilhão, embora a empresa tenha declarado, publicamente, déficit de US$1,5 bilhão. Faz, ainda, um contrato de construção de duas plataformas com a Halliburton (EUA), com uma negociação obscura, sem concorrentes. Apesar desses atrasos, a Halliburton não pagou multa e ainda ganhou cerca de US$500 milhões adicionais da Petrobras, em tribunal americano.

    • Rodrigo Postado em 24/Apr/2015 às 10:22

      (Outro Rodrigo) Não. Na verdade nenhum erro, nenhuma má gestão, nenhum ilícito é bom. Bom é que os cidadãos saibam elogiar, sempre que necessário, reconhecer as boas ações deste ou daquele Governo, bem como que saibam cobrar também quanto aos erros. Senão, como disse em outro momento, só poderemos votar em PT ou PSDB, a fim de evitar quem um terceiro eleito saia-se sempre com essa: "não inventei a corrupção! só faço o que PT e PSDB já faziam", "ah, agora teve isso, mas e antes que já teve isso, isso e mais isso? Bom era lá, né?", "ah, me pegaram com a boca na botija, mas estou sendo perseguido, pois antes teve isso e mais aquilo, aí não posso ser condenado". P.S.: entendo a indignação frequente e justificável ao vermos, por exemplo, a prescrição do processo contra Barros Munhoz e aquela que poderá beneficiar Eduardo Azeredo, de modo que falo em serem cobrados todos, da forma devida, ou teremos apenas dois extremos a buscarem o poder e a serem justificados "pelos seus", o que é bem conveniente para nossos eleitos, reconheçamos.

    • Thiago Teixeira Postado em 25/Apr/2015 às 07:18

      Se entrar o terceiro partido meu caro, quem inventou a corrupção foi e sempre será o PT. E a cada feito positivo, irão comparar com os governos Dilma ou Lula, pode apostar.

  7. Rodrigo Postado em 24/Apr/2015 às 15:54

    (Outro Rodrigo) Opa, a sirene vai soar... Essa vai dar treta!