Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 14/Apr/2015 às 17:46
20
Comentários

Os países mais religiosos do mundo e os mais descrentes

Pesquisa revela quais são os países mais e menos religiosos do mundo. Nenhum dos países latino-americanos onde o estudo foi feito aparece entre os dez países mais religiosos

Países africanos, do Oriente Médio e do Leste europeu parecem estar se tornando cada vez mais religiosos, enquanto que os europeus ocidentais, menos. É o que diz uma pesquisa da empresa WIN/Gallup, feita com 64 mil pessoas em 65 países.

De acordo com o levantamento, o país que lidera o ranking de mais religiosos é a Tailândia, onde 94% dos entrevistados se disseram crentes. A nação menos religiosa, por outro lado, é a China, onde somente 7% disseram seguir algum credo.

Nenhum dos sete países latino-americanos onde a pesquisa foi feita aparece entre os dez países mais religiosos – o Brasil está em 23º lugar, com 79% dos entrevistados se dizendo crentes.

Colômbia e Peru estão mais acima, com 82% dos entrevistados declarando-se religiosos. A Argentina e o México, por outro lado, registraram os maiores número de ateus convictos entre os latino-americanos entrevistados.

A pesquisa foi feita através de entrevistas pessoais, por telefone ou pela internet.

O levantamento também aponta que a religião continua sendo importante mesmo entre as gerações mais jovens. Segundo a pesquisa, 67% dos entrevistados de 25 a 34 anos professam algum tipo de fé.

A adesão a uma religião também foi maioria entre os entrevistados, independentemente de seu nível educativo.

Se entre aqueles sem nenhum tipo de educação formal a taxa de religiosos foi de 80%, entre os que possuem ensino secundário ou universitário completo ela chegou a 60%. Entre os que fizeram mestrado e doutorado, a taxa sobe para 64%.

“O estudo revela que o total de pessoas que se consideram crentes é, na verdade, alto. E com a crescente tendência global de uma juventude religiosa, podemos assumir que o número de crentes continuará aumentando”, diz Jean-Marc Leger, presidente da WIN/Gallup International.

No entanto, Europa ocidental e Oceania aparecem como as regiões mais divididas a respeito da religiosidade. Em ambas, quase metade dos entrevistados diz não praticar religiões ou ser ateu convicto.

Ascensão do Islamismo

O levantamento da WIN/Gallup não fez perguntas sobre quais as religiões dos entrevistados, mas os resultados da pesquisa são publicados pouco depois que um estudo do Pew Research Center anunciou que o Islamismo pode superar o Cristianismo em número de praticantes em 2100.

No início de abril, o centro de pesquisas americano publicou um panorama global do futuro das religiões no mundo, com base em dados de 198 países e territórios.

De acordo com a projeção, o islamismo é o grupo religioso de crescimento mais rápido no mundo hoje e o número de muçulmanos deve se igualar, pela primeira vez na História, ao de cristãos até 2050. Mantida a mesma progressão, o número de muçulmanos ultrapassaria o de cristãos 50 anos depois, de acordo com a pesquisa.

O percentual da população cristã deve se manter estável nas próximas décadas, mas ela mudará de localização – a população cristã na Europa diminuirá e deve aumentar na África subsaariana.

Segundo o Pew, o número de pessoas que não se consideram religiosas deve aumentar em países europeus e nos Estados Unidos até 2050, mas pode cair de modo geral em todo o mundo, por causa das baixas taxas de fertilidade de países como China e Japão, onde há grandes contingentes de não-religiosos.

Estes são os dez países mais religiosos do mundo segundo o levantamento da WIN/Gallup:

Os mais religiosos

1. Tailândia (94%)
2. Armênia (93%)
3. Bangladesh (93%)
4. Geórgia (93%)
5. Marrocos (93%)
6. Fiji (92%)
7. África do Sul (91%)
8. Argélia (90%)
9. Quênia (89%)
10. Macedônia (88%)

A pesquisa mostra também os dez países – e territórios, no caso de Hong Kong – com o menor percentual de entrevistados que se identificaram como crentes:

Os menos religiosos

1. China (7%)
2. Japão (13%)
3. Suécia (19%)
4. República Tcheca (23%)
5. Holanda (26%)
6. Hong Kong (26%)
7. Reino Unido (30%)
8. Israel (30%)
9. Vietnã (34%)
10. Alemanha (34%)

Os países com mais religiosos na América Latina, de acordo com a pesquisa WIN/Gallup:

1. Colômbia (82%)
2. Peru (82%)
3. Panamá (81%)
4. Brasil (79%)
5. Argentina (72%)
6. Equador (68%)
7. México (68%)

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. André Moisés Postado em 14/Apr/2015 às 22:20

    Religioso que vai igreja ou só mantém a tradição familiar?porque é o que mais tem em geral

  2. Felipe Peters Berchielli Postado em 15/Apr/2015 às 09:55

    Duvido muito que a China seja esse o numero. Talvez pela ideologia maoista seja proibido ter religião...mas proibir professar religião e não ser religioso são coisas direrentes.

  3. Guilhermo Postado em 15/Apr/2015 às 10:08

    Eu também duvido que no México apenas 68% da população seja religiosa. De qualquer forma eu não sou a Mãe Dinaah, mas prevejo que a humanidade entrará numa nova era das trevas quando o islamismo se tornar a maioria. Isso porque alguns fanáticos vão tentar impor a qualquer custo essa religião ao mundo inteiro.

    • Gabriel Postado em 15/Apr/2015 às 12:53

      O que o cristianismo tem feito durante todo esse tempo?? Tentam forçar sua religião a mto tempoo, só ler o livro de história q tá td lá.

      • Guilhermo Postado em 15/Apr/2015 às 14:23

        Está na história Gabriel. No passado. Nos dias de hoje o cristianismo está moderado. E você sabe disso. O que assusta é a perspectiva de uma inquisição islâmica a nível global. Já está acontecendo em uma ampla parte do mundo. Isso você também deve saber. Mas quem sabe isso seja cíclico e uma nova idade das trevas seja inevitável.

      • Gabriel Postado em 15/Apr/2015 às 17:51

        Moderado? Sério? Tentam impor a visão da igreja nas leis do país, aborto, casamento homossexual, compram horários e mais horários na televisão para continuar a manipular, queria saber aonde isto é moderado. Claro que islã é o grande vilão e o cristianismo o contrário na sua visão, mas olha os dados em cima, todos os países regidos por uma religião encontram-se em situação desastrosa, enquanto os países de maior concentração de ateu lideram índices de pib e enriquecimento. Pode tentar separar uma religião da outra, porém é tudo farinha do mesmo saco...

      • Guilhermo Postado em 15/Apr/2015 às 18:10

        Bom Gabriel, se para você decapitar pessoas, como os fanáticos islâmicos fazem e ser contra o casamento homossexual à moda cristã são ambas situações de mesmo nível de fanatismo então realmente não tenho como discutir. Sua visão é limitada.

      • Guilhermo Postado em 15/Apr/2015 às 18:15

        Aliás, não sou adepto de nenhuma religião, como talvez você possa supor. Assim como você não preciso que uma doutrina dite as regras da minha vida

      • eu daqui Postado em 16/Apr/2015 às 10:43

        "cristianismo moderado"?kkkkkkkkkké antitese ou piada mesmo???? onde se quer moderação não pode haver religião, que tem sido arma de dominação política por séculos da história........

    • marcus Postado em 15/Apr/2015 às 14:58

      O fanatismo costuma aparecer quando as religiões estão na berlinda. Foi o que ocorreu com os cristãos com a expansão islâmica: enquanto a filosofia, as ciências e a tolerância religiosa caracterizavam o islã, os cristãos mandavam crianças para morrer na guerra santa, criavam a Inquisição para eliminar o que restava de paganismo na Europa (li o processo de uma família alemã, por bruxaria, todos, inclusive o menino de 8, condenados à morte, a mulher teve os seios cortados antes de ser queimada, o homem foi desconjuntado...). O mesmo acontece agora, os fanáticos se fortalecem a cada interferência desastrada do ocidente, inclusive entre os aliados para afastar a região da esquerda - conservadores cristãos e muçulmanos sempre tiveram muito em comum.

      • eu daqui Postado em 16/Apr/2015 às 10:41

        Não senhor: o fanatismo costuma aparecer quando a religião aparece. Simples assim.

  4. Marcos Silva Postado em 15/Apr/2015 às 11:36

    Me impressiona o Irã não estar na lista dos mais religiosos. E senti falta da Dinamarca nos menos religiosos.

    • Guilhermo Postado em 15/Apr/2015 às 14:26

      Pois é, agora que você falou sobre o Irã, também senti falta da Arábia Saudita. Mas talvez nesses lugares onde a política e a religião quase se mesclam, a pesquisa não foi feita.

  5. Avlys Postado em 15/Apr/2015 às 15:53

    Muito interessante, mais o que me deixou impressionado é que os países que tem menos religiosas são os que tem o maior Pib "Mais Ricos" da economia global.

  6. Roger Postado em 15/Apr/2015 às 17:14

    Vendo os 10 países mais religiosos e depois os 10 menos, podemos chegar à seguinte conclusão: religião é um câncer que se alimenta de miséria.

    • eu daqui Postado em 16/Apr/2015 às 10:39

      E ajuda a perpetuar a miséria. A relação de causa e efeito é mutua, bidirecional.

  7. Roger Postado em 15/Apr/2015 às 17:16

    E digo mais: se os religiosos não destruírem o mundo antes, em 2100 quase a totalidade do mundo será ateia ou agnóstica.

  8. vilmar Postado em 15/Apr/2015 às 20:59

    se o islã chagar a dominar o mundo inteiro com sua religião pode ter certeza que a bomba atômica terminal será explodida.

    • eu daqui Postado em 16/Apr/2015 às 10:38

      O risco aumenta sim. Quem não conhece o islã ainda não viu fundamentalismo. Pensa que viu.

      • Guilhermo Postado em 16/Apr/2015 às 11:31

        eu daqui, os fanáticos islâmicos cortam a mão de ladrões, atiram homossexuais do alto de prédios, degolam infiéis, mutilam a genitália feminina, expulsam pessoas de suas casas, destroem objetos de valor histórico para a humanidade e proíbem qualquer outro tipo de religião em suas terras. Isso se passa em grande parte do mundo, sendo os mais radicais os membros do EI, Boko Haran, Al Qaeda. Porém, alguns países de fato reconhecidos pela geopolítica mundial também praticam alguns desses atos, como Arábia Saudita e Irã. Isso é fanatismo radical. Algo bastante diferente se passa com o cristianismo, que é sim algo bem mais moderado, uma vez que não há nenhuma teocracia cristã instituída no mundo (se houver, eu desconheço). Cristãos, nos dias de hoje, apenas pregam alguns dogmas institucionalizados e arcaicos, como a proibição do casamento gay e do aborto bem como algumas outras proibições que não são cumpridas por quase ninguém, como o uso de contraceptivos ou álcool. De qualquer forma, não há um governo teocrático no qual o Estado irá executar uma pessoa por não seguir uma "lei cristã". Consegue ver a diferença? Alguns séculos atrás, sim, o cristianismo era bem radical, com a inquisição, doutrinação forçada e etc, mas hoje em dia, é moderado. Nem sou cristão, apenas me atenho aos fatos.