Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 24/Apr/2015 às 17:43
52
Comentários

"Leis e mulheres foram feitas para serem violadas"

Frase dita em sala de aula por um professor de Direito da PUC-RS e divulgada por um aluno nas redes sociais dividiu opiniões na universidade. Estudante que fez a denúncia conta que está sendo hostilizado por alunos amigos do professor e não pode mais assistir aula. Docente é acusado de estimular comportamentos preconceituosos

mulheres professor fábio azambuja
O professor da PUCRS Fábio Azambuja (Imagem: Site Fábio de Azambuja)

“As leis são como as mulheres, foram feitas para serem violadas”. Essa foi a frase dita por um professor do curso de Direito da Pontíficia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS), que causou um embate tanto dentro da faculdade quanto nas redes sociais. Compartilhada mais de cem vezes, a questão gerou bastante discussão entre alunos críticos e apoiadores do professor Fabio de Melo Azambuja.

“Estávamos na sala copiando e daqui a pouco ele pede autorização para fazer a piada que poderia ofender alguém, mas ninguém falou nada, até porque não sabia o que ele ia dizer(…) publiquei exatamente as palavras que ele utilizou, sem fazer qualquer juízo de valor, sequer citei o nome dele”, conta Luan Sanchotene sobre a postagem que fez nas redes sociais.

O estudante diz que está sendo ameaçado por alunos próximos ao professor. “Eu nem pude vir para a aula, no grupo do Direito (nas redes sociais), eu estou sendo atacado e hostilizado por quem é mais amigo do professor, as pessoas levaram isso para o lado pessoal e eu nem entro no mérito do professor, porque uma frase dessas é errada não importa quem seja o autor”, justifica Sanchotene, explicando que terá provas com Azambuja. “Tenho prova com ele e todo mundo está querendo me matar, mas não distorci nada, apenas publiquei o que ele disse, não sabia que era segredo”, conta.

Mais denúncias

Um grupo de alunas se reuniu com a vice-diretora do curso de Direito, Clarice Betriz Sohngen para formalizar a abertura de uma sindicância. Há relatos de que não é a primeira vez que o professor profere comentários de teor machista. “Reuni relatos de várias meninas, inclusive diplomadas, que demonstraram já ter havido tentativa de diálogo, mas sem efeito, havendo reiteradas ‘piadas’ incitando violência contra mulher: ‘moeda na mão, calcinha no chão’, ‘essa é a prostituta das provas: não merece respeito’, ‘mulheres e leis foram feitas para serem violadas’, etc”, revelou uma aluna.

alunas professor azambuja
Alunas protestam contra professor Azambuja (reprodução)

O Diretório Central dos Estudantes (DCE) da PUCRS pretende propor formações sobre diversidade sexual e gênero para os professores. De acordo com o site Sul 21, a advogada Christine Rondon sugere a construção de “espaço de debate entre alunos e professores em torno da temática que aborde os percursos do reconhecimento dos direitos das mulheres, além de que seja publicada orientação clara a professores para não promoverem banalização da violência contra a mulher em sala de aula”.

Outro lado

A repercussão do caso nas redes sociais irritou estudantes que se identificam com o professor. Quem se posicionou ao lado de Azambuja disse que a frase foi tirada de contexto. “Indignamo-nos ao ver este professor que, além de estar sendo ‘demonizado’ sem qualquer possibilidade de defesa, está tendo sua imagem denegrida perante todos. Sendo notoriamente usado como ferramenta por aqueles que visam a autopromoção inescrupulosa fundada em um sensacionalismo barato”, publicou uma aluna.

Outros alunos realizaram um ato para apoiar o professor. Foram vistos cartazes com os dizeres “somos todos Azambuja”, “Je Sui Azambuja”, além de fotos com bigode em homenagem ao docente.

alunas azambuja mulheres
Alunas com bigode em ato de apoio a professor

A universidade se pronunciou sobre o caso através da seguinte nota: “Representantes da Faculdade de Direito ouviram as partes envolvidas no fato relatado durante os dias de ontem e hoje. Estão sendo tomadas todas as medidas cabíveis para solucionar o caso. A PUCRS e a Faculdade de Direito não compactuam com qualquer manifestação ofensiva”. Nas redes sociais, diversos estudantes se posicionaram defendendo o professor, apontando se tratar apenas de uma piada e pedindo que ele não fosse “escrachado”.

O professor disse que, por enquanto, não vai se manifestar sobre o assunto.

com informações de SUL21 e Terra Magazine

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Leilo Azambujeiro Postado em 24/Apr/2015 às 18:51

    HAEheHAEAHE LOOOL O cara é um babaca que SABE que está falando merda. Tanto sabe que perguntou se ninguém ia se ofender. É tão estranho isso, sabe. "É só uma piada". Então por que ele perguntou se alguém ia se ofender antes de dizer? Por que imaginou que fosse ofensivo? Esse tipo de coisa se traduz em "eu sei que o que eu vou falar é idiota, mas se todos aqui compactuarem com o meu machismo retrógrado, eu não vou ser pego". Agora vamos analisar o "Somos todos idiotas" - er, quer dizer, Azambuja, somos todos Azambuja: "Indignamo-nos ao ver este professor que, além de estar sendo ‘demonizado’ sem qualquer possibilidade de defesa, está tendo sua imagem denegrida perante todos. Sendo notoriamente usado como ferramenta por aqueles que visam a autopromoção inescrupulosa fundada em um sensacionalismo barato" 1) Como sem possibilidade de defesa? Que palhaçada é essa? Homem branco cis hetero da área de direito (provavelmente rico), super com status, professor universitário, não tem possibilidade de defesa? A internalização do sistema é tão forte que ele já arregimentou um exército de alunas brancas (será que compartilham, com a exceção de gênero e de grau universitário, de todas as características do amado professorzinho?) para defendê-lo, e MAIS: Poderia a hora que quisesse ter se defendido, mas resolveu não comentar o caso. NÃO. QUIS. COMENTAR. Ou seja, qual é essa possibilidade de defesa que lhe está sendo negada? Alguém amarrou o cara, matou, escondeu o corpo, etc? Ridículas. 2) Está tendo sua imagem denegrida - é, isso ele meio que está fazendo sozinho soltando umas merdas dessa. 3) Usado como ferramenta - ah é o papinho de sempre, né. O coitado do maledicente está sendo usado pelos "agentes secretos malvados" para se autopromover. Autopromoção estranha essa, sinceramente. Se esse pessoal quiser mesmo ser advogado vai precisar de falácias melhores que essas para divergir a atenção do que estão tentando esconder... Aliás, JÁ SAQUEI. Só pode ser que as alunas estão treinando para serem advogadas!! Aaaahh, agora tudo fica mais claro. Só acho que não precisava do bigode, gente. Acho que isso não tem muito efeito num tribunal.

    • poliana Postado em 24/Apr/2015 às 19:00

      peterson...pior é ver mulheres o apoiando! gostaria de saber qual foi o contexto que ele quis abordar, já q elas disseram q ele foi citado fora do contexto. realmente, inacreditável! qdo li a citação solta, ainda cogitei q tivesse sido uma ironia, mas depois qdo mencionaram as demais pérolas machistas dele, deu pra perceber q ele n foi irônico coisa nenhuma!

      • Eduardo Ribeiro Postado em 24/Apr/2015 às 19:17

        Falou tudo. O que é esse "contexto", meu irmão...em que raio de contexto maluco essa calamidade seria aceitável? E o que são essas mulheres - jovens, estudadas, cheias de acesso a informação - apoiando essa barbaridade? É de dar desgosto....e pior que daqui a pouco chega a patrulha do "ah, o politicamente correto está acabando com o mundo...não se pode mais nem contar uma piadinha inofensiva"...

      • poliana Postado em 24/Apr/2015 às 19:24

        relaxa, eduardo, daki a pouco o jose ferreira vem aki minimizar o episódio. rs

      • Vinicius Postado em 24/Apr/2015 às 22:41

        Pior mesmo, é totalmente repulsivo ver mulheres apoiando esse tipo de situação, principalmente de futuras advogadas. Vai ver só querem menção para passar na disciplina mesmo. *Outro Vinicius

      • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:00

        É simples: as mulheres que apoiam o criminoso foram feitas para serem violadas....lá elas............

      • Denisbaldo Postado em 27/Apr/2015 às 18:07

        eu daqui, chupa aqui!

      • Luiz Souza Postado em 27/Apr/2015 às 23:07

        Tem gente que até casa com o Aecim Vacuum Cleaner. Isso não é nada.

      • Luiz Souza Postado em 27/Apr/2015 às 23:09

        "Não faça comigo o que faço com os outros" parece ser o lema de alguns daqui.

      • eu daqui Postado em 28/Apr/2015 às 09:34

        denisnada, como já diz teu nome e tua forma de debater: vc nada tem a ser nem chupado e nem cuspido.

      • sororité Postado em 05/May/2015 às 18:03

        Poliana pensei o mesmo das minas de bigode! Só acho que se apoiam mesmo o professor, a foto não deveria ser com elas sendo violadas ao invés de um bigode?

    • Angela Postado em 25/Apr/2015 às 17:23

      Excelente!!!

  2. silva Postado em 24/Apr/2015 às 20:22

    Verdade Poliana, o historiador só minimiza ou desvia o foco.

    • Vinicius Postado em 24/Apr/2015 às 22:46

      Ou além de falar da "ditadura" do politicamente incorreto, vão falar que os comentários dele são deletados para tentar mudar o foco. Ou vão tentar um jeito mirabolante de tentar defender o professor. *Outro Vinicius

    • Deisi Postado em 25/Apr/2015 às 10:39

      Um velho caquético e machista, mas o que esperar de uma universidade reacionária como a PUC. Que advogados serão formados por esse tipo de profissional? Me causa arrepios só de pensar!

      • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:01

        Isso não é mais machismo nem preconceito: isso é crime.

  3. Salomon Postado em 24/Apr/2015 às 23:13

    No mundo jurídico este tipo de comportamento é chamado de "teratológico". Não há nada mais inconsequente que um um professor de direito que faz piadas preconceituosas. Independente do contexto.

  4. Thiago Teixeira Postado em 25/Apr/2015 às 06:36

    Triste é MULHERES defendendo o machismo. Muito triste.

    • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:01

      Meu pai diz: sua alma, sua palma.

      • Denisbaldo Postado em 27/Apr/2015 às 18:08

        seu pai!?!?! voce tem é cafetão! eu daqui, chupa aqui!

  5. Silva Postado em 25/Apr/2015 às 11:39

    Será Rodrigo, se violassem sua irmã, filha ou mãe você minimizaria as merdas ditas pelo professor? Como sempre desviando o assunto, o texto é sobre o professor da PUC.

    • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:04

      E esses inferiores autotestados estão se importanto com mãe, irmã e filha? Será que esses tipos já tiveram isso ao menos? Sabem o que é familia? Vieram de alguma?

      • Denisbaldo Postado em 27/Apr/2015 às 18:30

        Inferior é voce e o seu pai um cafetão! eu daqui, chupa aqui infeliz!

      • eu daqui Postado em 28/Apr/2015 às 09:35

        não inferiorizei o denisnada, mas já que ele vestiu a carapuça e se confessou, ótimo !!!! kkkkkk

  6. Thiago Teixeira Postado em 25/Apr/2015 às 11:46

    Se uma dessas alunas do bigode não votaram 45 no segundo turno, eu jogo minha camisa do Kim Jon no lixo e faço uma do Bolsonaro.

    • deisi Postado em 25/Apr/2015 às 19:53

      Também não tenho duvida Thiago! Tão reaças quanto o velhote machista!

  7. Marília Cardoso Postado em 25/Apr/2015 às 13:47

    Esse professore não entendeu a real importância da sua profissão. Assim, como muitos pais, alguns professores soltam o que vem à boca sem nenhum compromisso com sua função/profissão. Se soubessem o estrago que causam na vida de muitas pessoas (filhos/alunos), acho que pensariam mil vezes antes de abrir a boca.

  8. Caio Postado em 25/Apr/2015 às 13:49

    Ele avisou da piada, está absolvido.

  9. Lucas Postado em 25/Apr/2015 às 13:59

    No futuro irão executar todos que tenham humor negro e ácido.

    • Tunico Postado em 26/Apr/2015 às 10:50

      Triste futuro o que nos aguarda. PC e chato. O cara fez um comentário machista e idiota e dai?

      • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:05

        O comentário não é machista, é criminoso pq faz apologia ao crime. Machista seria ele falar que acha homem superior a mulher.

      • Denisbaldo Postado em 27/Apr/2015 às 18:09

        cala a boca infeliz! eu daqui, chupa aqui!

      • eu daqui Postado em 28/Apr/2015 às 09:37

        Ninguém me cala, muito menos um chupador que tem cloaca no lugar da boca. Vai fazer revolução pra se resolver, fracasso denisnada !

  10. Pedro Postado em 25/Apr/2015 às 14:05

    Hipócritas!

  11. Maria Lucia Postado em 25/Apr/2015 às 15:22

    O tal "professor" e seus defensores, devem pertencer aquela turma que tem o costume de "violar" as mulheres de sua família. Babacas sem noção!

    • Caio Postado em 25/Apr/2015 às 15:24

      Se violassem estariam presos, não?

      • Maria Lucia Postado em 25/Apr/2015 às 15:30

        Não necessariamente. Se houver denuncia...

      • eu daqui Postado em 27/Apr/2015 às 13:05

        Presos até quando?

      • Denisbaldo Postado em 27/Apr/2015 às 18:09

        não te interessa! eu daqui, chupa aqui e cala a boca infeliz!

      • eu daqui Postado em 28/Apr/2015 às 09:38

        Infeliz é quem precisa mandar chupar e calar a boca pq treme de medo do debate e dos argumentos do outro: fracasso e inferioridade autoatestados.

  12. Monique Pacheco Postado em 25/Apr/2015 às 15:32

    Sinceramente, ando ficando com medo desse mundo, sou mulher, feminista e professora, e acho que muita coisa passa pela vontade de fazer barulho. Vamos pensar bem, ( e sei que virá mimimi), mas, deixa eu tentar. Violar não é violentar. A violação pode ter vários sentidos. Se pensarmos bem, toda mulher nasce com um "tampão" chamado hímen, e para que a mulher, (no caso as heterossexuais) tenha início à sua vida sexual, esse hímen deve, obrigatoriamente ser violado. Não com violência, essa expressão não fala sobre estupro ou violência, mas, sobre a necessidade de ruptura de um "lacre" biológico. Onde o cara errou? Não se policiou, não entendeu que o mundo anda em uma tentativa frenética por se tornar politicamente correto, ainda que apenas na teoria e nas formas de expressão letradas, e também errou na generalização, nem todas as mulheres desejarão ser violadas. Algumas optarão, naturalmente por permanecerem virgens, em todos os sentidos, e outras por identidade e definição sexual viverão uma vida sexual plena, sem nunca terem seu hímen rompido, mas, na prática e em sua maioria, as mulheres foram biologicamente projetas para serem violadas, e eu ainda não entendi porque. Ainda não entendi a babaguice natural de as mulheres nascerem com o hímen, talvez a nossa genética se adapte ao longo da evolução da espécie e esse pedacinho de carne inútil deixe de fazer parte da nossa biologia, mas, por ora, ele existe. E não é culpa de ninguém, nem das mulheres e nem dos homens, que essa porqueira faça parte do nosso corpo, e que, na maioria dos casos ele precise ser violado para que as mulheres iniciem sua vida sexual. Porra, não á mal nisso, mulheres gostam de sexo, de prazer, e muitas, posso dizer (com certo medo de estar sendo politicamente incorreta) a maioria, adora penetração. Ou não? Agora, se a interpretação errada dessa expressão faz apologia ao estupro e à violência contra a mulher, acho que muito disso está na cabeça de quem escuta. Acho.Só acho.

    • Eliane Ferreira Postado em 25/Apr/2015 às 19:24

      Minha cara, a palavra "violar" - procure um bom dicionário - está sempre ligada à expressão "sem permissão". Pegando sua alegação, se alguém faz uma mulher perder seu hímen, "sem permissão" dela, isso é estupro. Tudo o que você alega sobre a iniciação sexual das mulheres pode ser verdade, mas nada estará ligado à "violação". Você ligou situações independentes. "Violar" uma mulher e a lei - um advogado propondo isso, imagine-se - é um absurdo. Aliás, usar qualquer situação que envolva a mulher para fazer comparações infelizes é violar as mulheres, como um todo. Se você, uma mulher, não viu nada demais na frase, quem mais verá?

    • Dani Postado em 26/Apr/2015 às 03:44

      1) Violação não é só biológica, "professora". Se não há consentimento - sexual, psicológico, moral etc. - há violação. 2) Não, você NÃO é feminista.

    • Tunico Postado em 26/Apr/2015 às 10:54

      Pertinente, muito pertinente, bem equilibrado seu texto.

    • Sororité Postado em 05/May/2015 às 18:15

      Nossa, jura que você se considera feminista? Reveja suas colocações. A ideia de que mulher nasce biologicamente para ser violada vem da onde? Você faz comparações entre mulher e um produto "Não com violência, essa expressão não fala sobre estupro ou violência, mas, sobre a necessidade de ruptura de um "lacre" biológico. " Necessidade de quem? Imposta por quem? É o indivíduo mulher quem decide isso e não uma cultura como propõe o professor. Depois você insulta nosso lindo corpo : "que essa porqueira faça parte do nosso corpo, e que, na maioria dos casos ele precise ser violado para que as mulheres iniciem sua vida sexual" chamando o hímen de porqueira! Concordo com a colocação da Eliane ( aproveita pra aprender porque ela já te deu mastigada a aula de hoje), como professora você deveria ler o significado de uma palavra antes de usa-la.

      • Monique Pacheco Postado em 10/Jun/2015 às 18:51

        Me sinto verdadeiramente envergonhada por ter escrito esse texto dessa maneira, não pelo que desejava dizer, mas, pelo que acabou sendo dito por mim. Desculpem se chamo o hímen de porqueira, ainda não consegui entender qual a verdadeira função de uma parte do corpo que sirva para diferenciar mulheres que iniciaram sua vida sexual (com penetração, para ficar claro), e das que não iniciaram. Não é falta desvalorização ao corpo da mulher, simplesmente uma falta de compreensão admitida. a nescessidade de "ruptura" desse lacre, também, não sei quem impôs, talvez Deus, para os que acreditam, eu prefiro acreditar na sabedoria da natureza, embora, não a entenda perfeitamente, e estou muito longe disso. Sim, eu me considero feminista, e apesar de o texto que eu escrevi ter dado brechas para interpretações ao contrário, eu busco entender todos os dias o meu lugar no mundo, como pessoa, e como mulher, e entendo também, que existe um sistema de opressão machista, que tem como pior forma de manutenção da opressão e da exclusão, um discurso, culturalmente e socialmente reproduzido, que tem por consequências a construção de um mundo, que precisa, urgentemente ser reconstruído sob outra ótica, a ótica da igualdade de direitos, e do respeito às diferenças. Mas, ok, vocês podem me considerar menos feminista, por eu entender, que quando tive minha primeira relação sexual,. por escolha e por vontade, tive o hímen violado, e sem essa ruptura, provavelmente essa, e todas as demais relações sexuais da minha vida, sobretudo as que me proporcionaram mais prazer, não teria acontecido. Se interpretei mal o sentido da palavra violar, desculpem, não consultei o dicionário, analisei a frase baseado em meu conhecimento prévio de mundo, sempre utilizei a palavra violar como sinônimo de romper,pode ser mais uma das minhas limitações intelectuais, mas, entendo que temos que tomar muito cuidado com essa perseguição militante. Tenho percebido uma patrulha quase xiita de alguns movimentos afirmativos, quando se tem uma opinião diferente da que se considera, "a ideia oficial do movimento", é taxada de "não feminista", "não negro", "não cristão", ou seja, ou você pensa identicamente igual á quem comanda o nosso pensamento, ou você está fora. Você está condenada a ser "não-feminista". Oras, o mundo não pode ser assim tão pequeno, e as ideias não podem ser assim tão limitadas. Isso não pode ser aceito como algo normal, ou saudável para o reconhecimento de qualquer luta que seja. sobretudo quando, o chamado para a luta está na "educação de sua legião", e não sua alienação. O machismo já é por demais alienador, o feminismo não tem o direito de ser. Se não me aceitam no grupo das feministas-sabem-tudo, ok, fico do lado das feministas em formação, que ainda buscam aprender no dia-a-dia. Como disse, sou uma educadora, e por isso, busco avaliar todo o processo educador, como de fato, um processo, inclusive o meu. De qualquer forma, agradeço bastante todas as críticas, me fizeram refletir bastante sobre, não comentar posts, se não detenho todo o conhecimento produzido no mundo sobre determinado assunto, e sobretudo, como as opiniões e interpretações privadas, não tem importância nenhuma nesse mundinho de merda, em que os conhecimentos já estão todos, prontos e acabados, sem margem para discussão. Obrigada mesmo.

  13. Monique Pacheco Postado em 25/Apr/2015 às 15:40

    Alguém pode me explicar afinal, porque colocar bigodes é uma forma de lutar contra o machismo? Não entendi. Acho isso modinha de coxinha.

  14. Monique Pacheco Postado em 25/Apr/2015 às 16:03

    Desculpem, meu último comentário, fui cair na besteira de comentar antes de terminar de ler todo o post, desconsiderem, pois, não consigo apagá-lo.

    • Deisi Postado em 28/Apr/2015 às 08:47

      As bigodudas só estão prestando apoio ao velhote machista!

  15. mauricio augusto martins Postado em 25/Apr/2015 às 17:36

    Sem dúvida, esta saiu do contexto de "Horas-Bundas", porém num ambiente Pedagógico acredito não estar condizente, principalmente em um Curso de Direito, são destas "observações" um tanto contundentes que atravessa as Jovens e Tenras Mentes como uma espada cortando a carne e implanta-se ai um espécie de "vírus" ou utilizando expressão do meio "Um Vício de Origem", daí teremos fatalmente alguns "Moros" e "Joaquins Barbosa" a VIOLAR AS LEIS, ou Violentar a Constituição Brasileira, num afã de complexo de superioridade alguns "Mestres" insistem em "levantar a moral" do corpo dicente de forma um tanto desproporcional ao grau de absorção do Ensino em si próprio, sabemos que a maioria das Leis são um compêndio da Natureza e Pressuposição de Bem Estar em Coletividade, portanto as Leis da Natureza, Lei da Ação e Reação, Lei da Química, da Física, Usos e Costumes entre tantas outras são "naturais" portanto de consenso, aceite, e de Pacto Silencioso Social, não necessitam de Registros, Papéis e muito menos Quem? a represente, em virtude de Fatos e Assuntos Querelantes de "A" ou "B", "Violar" as Leis, dependendo da forma poderá ser um Crime de "Obstrução da Justiça", "Ocultação de Cadáver", "Concussão" e por ai vai, inclusive Violar as Leis do Direito da Mulher ao Seu Corpo, em suma, toda vez que adentrar-mos uma Sala de Aula, Palestra, Convenção, ou qualquer evento que envolva a comunicação humana e transmissãode Valores, neste caso Valores Éticos Profissionais, devemos deixar do lado de fora, qualquer interpretação da Vida, principalmente de maneira Coxinhesca para os botecos ou lugar de convívio com íntimos, mesmo conhecendo um antigo ditado Nordestino que "O que se faz em Casa, se Leva a Praça", melhor sempre é Viver num ambiente arejado(de Ideias) e saudável, com nada que por mais subliminar que seja, lembre a intrusão no espaço, portanto ao Direito do Espaço dos Outros, pois cada qual tem seus próprios Princípios e Valores, os maiores e melhores tem que serem compartilhados e propagados, a ânsia de uma mente mediana querer ser ou encenar uma "característica" de "malandro" e tão pior como o próprio, a quem se arvore a "Ensinar" e não "dialogar" com Paulo Freire, sempre se dará nisto, errar neste ponto da Vida(de poder Ensinar) é um desastre Ferroviário, surtem a porvir os preconceitos e alienação para complicada, cheia de meandros patibulares, como este, a própria Vida, e a Vida em Sociedade, foi uma péssima escolha do "Professor" uma frase feita encontrada em Filmes de Hollywood, enlatados de baixas bilheterias, jamais deveria ter sido utilizado em ambiente Pedagógico...maumau

  16. xico Postado em 26/Apr/2015 às 01:19

    Lamentável, eu como homem sinto asco de alguns representantes do gênero que faço parte.ja essas moças usando bigode nem sei como classificar. Busquem no dicionário o significado da palavra violar.

  17. Marcos Vinicius Postado em 28/Apr/2015 às 08:40

    Realmente, é o fim dos tempos. Uma bando e babacas apoiando um babaca maior. Foi apenas uma "piada"? Ah me poupe! Quem fala o que quer. Ouve o que não quer!