Nicolas Chernavsky
Colaborador(a)
Compartilhar
Política 20/Mar/2015 às 11:57
51
Comentários

Progressistas, temos que ir pra rua contra o impeachment

esquerda progressista impeachment direita golpe militar

Nicolas Chernavsky*

Existe uma discussão, extremamente válida, nos setores mais progressistas brasileiros sobre a conveniência ou não do progressismo realizar grandes manifestações de rua neste momento defendendo suas principais bandeiras, especialmente a rejeição ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Mas observando-se a situação atual e pesando-se os argumentos, fica cada vez mais claro que o conservadorismo caminha para colocar em prática a estratégia implementada recentemente na Tailândia, na Ucrânia e no Egito – para citar alguns exemplos – em que o conservadorismo foi às ruas e o progressismo não. Nestes países, isso gerou na opinião pública a ilusão de que a sociedade estava maciçamente do lado do conservadorismo, criando as condições políticas para, no caso da Tailândia, o Judiciário anular as eleições e as Forças Armadas darem um golpe de Estado, no caso do Egito, as Forças Armadas darem um golpe de Estado, e no caso da Ucrânia, o parlamento realizar o impeachment do presidente sem ter os votos exigidos por lei para isso.

No caso do Brasil, por ter uma democracia mais consolidada que Tailândia, Egito e Ucrânia, o caminho factível para o conservadorismo é o caminho do impeachment legal (não como na Ucrânia, onde o conservadorismo não tinha os votos necessários no parlamento e deu um golpe de Estado parlamentar). Assim, para ter os 2/3 da Câmara de Deputados e do Senado necessários para realizar o impeachment da presidenta Dilma, o conservadorismo precisa criar a impressão na opinião pública brasileira e mundial de que a população do país apoia em sua grande maioria o impeachment. Isso se faz através de enormes manifestações de rua conservadoras, como ocorreu nos três países já citados. A única forma de evitar essa falsa impressão é o progressismo também fazer enormes manifestações de rua, como aliás costuma ocorrer na Argentina e na Venezuela, sendo um fator essencial para esses governos progressistas continuarem em vigor.

Leia aqui todos os textos de Nicolas Chernavsky

Poderia-se argumentar que o fato de que somente há cerca de 5 meses Dilma conquistou 51,64% dos votos deixa impressão suficiente de que ela tem um apoio considerável da população. Apesar de ser um argumento importante, ele perde força conforme passa o tempo. De fato, esse argumento explica bastante porque as primeiras manifestações pelo impeachment e por um golpe de Estado tiveram pouco apelo popular quando realizadas logo após o segundo turno da última eleição presidencial. Mas agora que já se passaram 5 meses, já pode-se começar a dizer que o momento é outro, e com 6 ou 9 meses, por exemplo, a eleição já vai estar longe o suficiente para que o conservadorismo alegue que Dilma já perdeu grande parte dos 51,64% dos votos que teve em outubro de 2014. Sabem como é, né, vão surgir “pesquisas de popularidade” que vão colocar a popularidade de Dilma lá embaixo, muitos progressistas vão acreditar, porque ainda não perceberam tanto esse tipo de manipulação, e o movimento pró-impeachment pode chegar a ter sucesso. Agora é rua, com fotos e vídeos nas redes sociais das enormes manifestações progressistas que têm que acontecer, rodando a Internet para não deixar que os meios de comunicação mais conservadores as ocultem.

Quanto ao argumento de que realizar grandes manifestações de rua progressistas serviria de “combustível” ou “provocação” para as manifestações de rua conservadoras, isso seria verdade em outro contexto, de manifestações de rua pequenininhas do conservadorismo. Agora, não, isso acabou, passamos a outra fase da disputa política, à disputa política da rua, com a diferença, em relação a 1964, por exemplo, que o conservadorismo praticamente não tem a carta do golpe militar. O conservadorismo está desesperado porque sem impeachment, e sem o fim da reeleição, seriam 4 anos de Dilma e provavelmente mais 8 anos de Lula, ou seja, mais 12 anos. Somados aos 12 anos de progressismo que já passaram, seriam 24 anos seguidos acabando com a fome, a miséria e transformando nosso país de um país pobre em um país de classe média. Pra rua!!!

*Nicolas Chernavsky é jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP), editor do CulturaPolítica.info e colaborador do Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Félix Postado em 20/Mar/2015 às 12:24

    Concordo. A ameaça de golpe é real. Se os golpistas não atingirem seus objetivos agora, o farão em 2016 e 2018.

    • Orlando Postado em 20/Mar/2015 às 12:39

      whatsapp, face, twiter neles. E vamos pras ruas também!

      • Silva Postado em 20/Mar/2015 às 13:05

        Vão para as ruas, mas não se esqueçam de levar uma bandeira do Brasil. PS: A bandeira do Brasil é aquela verde, amarela, azul e branca, não se confundir com a do comunismo que é vermelha. Segue o link de uma, caso tenham se esquecido: http://www.infoescola.com/wp-content/uploads/2011/02/bandeira-do-brasil.gif

      • Orlando Postado em 20/Mar/2015 às 13:29

        Silva. O comunismo não é um país. A bandeira do Japão tem vermelho. Nossos cartazes estarão sempre em português! Nada de "We want a military intervention"

      • Cícero Postado em 20/Mar/2015 às 13:33

        Silva, eu vou com minha camisa da seleção brasileira. Não é original como a do Aécio mas é amarela. Pode?

      • Eduardo Ribeiro Postado em 20/Mar/2015 às 16:41

        Eis um fato: quanto mais um grupo torna-se fascistinha, mais esse grupo vai se APROPRIAR de símbolos nacionais como bandeira e hino. Classe média vestida de verde e amarelo aglomerada na rua protestando abstratamente (contra a corrupçaum e contra tudo que está aí) cantando o hino nacional e carregando a bandeira nacional: eis uma cena que sempre deve ser vista com reservas e criticidade. Não por acaso, tivemos uma manifestação com esses moldes exatos no último domingo, e que não por acaso foi ANTI-DEMOCRÁTICA, foi ELITISTA e foi enormemente GOLPISTA.

      • Silva Postado em 20/Mar/2015 às 18:17

        Cícero, o que você pretende usar é problema seu não sou eu quem vai dizer o que é correto, mas é você que deve ter consciência disso, estou aqui apenas para sugerir algo e expor minha opinião.

      • Silva Postado em 20/Mar/2015 às 18:21

        Orlando, sugiro que você leia mais uma vez o que eu escrevi e tente formular novamente a sua opinião, pois em momento algum eu quis dizer que o comunismo é um país ou perguntei sobre a bandeira do Japão (o que isso tem a ver), a minha critica foi pelo fato daquelas instituições usarem o seu nome e as suas bandeiras em um protesto pela democracia, algumas bandeiras vermelhas tinham até um símbolo característico do comunismo. Concluir que eu quis dizer que comunismo é um país e citara bandeira do Japão foi bem criativo (apenas isso). E sim, usar camisetas da CBF é ridículo. PS: Muitas pessoas que estavam no protesto do dia 13, foram apenas defender seus ideais e não partidos políticos ou qualquer outra instituição, assim como aconteceu no dia 15.

      • Silva Postado em 20/Mar/2015 às 18:27

        Eduardo, como sempre vocês insistem em generalizar todo o protesto do dia 15, como se todos que lá estavam eram a favor de intervenção militar e impedimento. Ser ANTIDEMOCRÁTICO é pensar estar acima das leis (MST (invasão e depredação de patrimônio privado), CUT, Lula (sua luta para jogar pobres contra ricos, norte contra sul, incitar aversão à classe média, etc)) e ser intocável a ponto de chamar todos de golpistas e fascistas por ter opinião contraria a sua. ANTIDEMOCRÁTICO é um ex-presidente da republica convocar o chamado “exército de Stédile” como se este tivesse alguma autoridade prevista na constituição para defender a nação. Não sou a favor de intervenção militar e muito menos de impedimento, mas gostaria que a presidente tivesse a decência de ir em rede nacional e explicar todas aquelas promessas que ela fez quando estava em campanha.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 20/Mar/2015 às 20:29

        Menino Silva...o país SEMPRE foi dividido. Sempre. Essa lenga-lenga de "ui ui, estão dividindo o país somente agora, o Lula que dividiu" é o típico mimimi medio-classista, prova cabal de ou analfabetismo politico ou mau caratismo. Ou ambos. É brigar com fatos, brigar com a história do país. E aprenda: não é porque "não eram todos que lá estavam que eram a favor de intervenção militar e impedimento" que a passeata-gourmet deixa de ser elitista, golpista e anti-democrática. A massa de trabalhadores, insisto, NÃO ESTAVA LÁ. Aliás, esse "nem todos" passa uma idéia de que o desejo de impeachment era algo isolado, pontual. MENTIRA. O cerne da movimentação foi exatamente o pedido de impeachment. E os interesses POR TRÁS da manifestação, quem financiou IDEOLOGICAMENTE o protesto-gourmet, tem sim claro e óbvio interesse no impeachment. Mídia e oposição desejam claramente isso, nem fazem questão de disfarçar, e a coxinhada reverberou com extrema força e burrice esse desejo. Se isso não é golpismo, se não é anti-democrático, eu não sei de mais nada.

      • Onda Vermelha Postado em 21/Mar/2015 às 01:33

        Eduardo Ribeiro concordo com você em gênero, número e grau. Disse tudo que eu gostaria de dizer sobre os "marchadeiros" do 15 de Março. Somente acrescento um detalhe : qualquer semelhança com a "Marcha com Deus pela Família e Liberdade, prévia do Golpe de 1964, NÃO é mera coincidência.

      • Silva Postado em 21/Mar/2015 às 17:15

        Economicamente o país sempre foi dividido, entretanto nunca houve tanto ódio e aversão entre ambos os lados como hoje, e alguém foi responsável por isso, alguém que sempre atacou toda a classe média (sem exceção), culpando-a por tudo que aconteceu por lá (NE). Você critica o protesto do dia 15, mas esquece por “analfabetismo politico ou mau caratismo” que um dos grandes idealizadores do impedimento do Collor foi Lula. Afirmar que a massa de trabalhadores não estava lá só porque não havia bandeiras da CUT é mera leviandade da sua parte, quando nesse momento são os trabalhadores um dos mais prejudicados por tudo que vem acontecendo, ou você acha que as demissões em massa que estão ocorrendo nas montadoras (Volks e Mercedes) só afetam os “médio-classistas”? Não esqueça que os protestos do dia 13 também foram patrocinados, e nesse caso há até vídeos de pessoas recebendo seu cache para levantar bandeiras e vestir camisas vermelhas. Caso você não se lembre, segue o vídeo de alguém que hoje seria considerado golpista se tentasse algo semelhante “Se isso não é golpismo, se não é anti-democrático (não se utiliza hífen nesse caso menino), eu não sei de mais nada.”. Pra finalizar, mais um vídeo histórico .

      • Silva Postado em 21/Mar/2015 às 19:04

        Já que o site não permite postar link de vídeos (por motivos óbvios), segue o título de cada um deles que eu havia mencionado no último comentário. 1° - "Lula articula o impeachment de Fernando Collor - 1992" e 2° - "Bolsa Família: Lula contra Lula".

      • luciano Postado em 23/Mar/2015 às 03:29

        Para se avaliar a pequenês do entendimento político de alguns manifestantes do dia 15 basta analisar este tipo de comentário do Silva, o que importa a cor da camisa que eu visto, se eu levo bandeira ou não, o que importa numa manifestação política e o teor das reivindicações, os cartazes e seus dizeres devem conter propostas que tragam beneficio para o desenvolvimento da nação, e , com excessão de alguns cartazes que protestavam contra a corrupção em geral, não vi nada de produtivo para o país no dia 15, a não ser pessoas passando ridículo, pedindo impeachment e a volta dos militares, enquanto todos os jornalistas, comentaristas e apresentadores diziam ser ilegitimos tanto um como outro. Então segundo esse pensamento , os EUA deveria retirar de sua bandeira nacional o vermelho, deixando apenas azul e branco

      • Eduardo Ribeiro Postado em 23/Mar/2015 às 11:13

        Silva, reacinha...não faça o poste mijar no cachorro. O responsável pelo ódio de classes é, sempre, o opressor. Evidentemente reclama do ódio das classes menos abastadas quem é das classes mais abastadas e se vê perdendo privilégios. É o seu caso. Sim, a MASSA TRABALHADORA BRASILEIRA não saiu nas ruas dia 15. Isso é o cúmulo do óbvio ululante. Independente de qualquer prejuizo que eles venham tendo, ele NÃO foram pra rua dia 15. No caso do dia 13, conforme já elucidei, quem critica os 35,00 e o pão-com-mortadela é analfabeto político, é menino de prédio que não sabe como funciona uma manifestação de cunho verdadeiramente popular. Foram passear e conhecer uma manifestação pela primeira vez na vida no dia 15, porque sabiam que não cruzariam com peão, com pobre, com trabalhador suado, e acham que tem preponderancia pra falar do assunto.

      • Eduardo Ribeiro Postado em 23/Mar/2015 às 11:17

        E por favor...a diferença entre os pedidos de impeachment é clara e evidente. Não sei por que vocês, reacinhas, acham que estão dando o maior xeque-mate do mundo com esses videos do Lula. Não vou nem me ater a materialidade dos fatos que havia em 92 e não existem hoje. O ponto principal é o suposto "desejo nacional de impeachment" ser inflamado pelo ódio gerado pela perda da eleição, vulgo "mimimi eu odeio o PT...e meu candidato não ganhou e eu quero outra eleição, pra ver se ele ganha agora, meu...". Mais importante que isso: esse papinho de impeachment começou imediatamente após o anúncio da re-eleição de Dilma. Portanto, menino-coxa, a comparação é completamente descabida e irracional. Mas você sabe...imprensa golpista, oposição, interesses imperialistas, toda essa raça acha linda essa revoltinha-gourmet de vocês.

      • Silva Postado em 23/Mar/2015 às 20:52

        Luciano, você não foi capaz de compreender o que eu disse. Para elucidar, a minha critica não foi apenas para as pessoas que carregavam a bandeira de uma instituição (CUT) e vestiam a camisa de outra (MST), mas foi pelo fato que as levou até lá (trabalhadores protestando em uma sexta a tarde??). A grande maioria que lá estava no dia 13, defendia a permanência de um partido e uma ideologia com base no que os seus lideres pregam (vide invasão e depredação feita pelo MST dias antes, o discurso do Lula convocando o “exército” de Stédile e o oportunismo claro e evidente da CUT em protestos como os de 2013, por exemplo), vocês sabem disso, apenas não são capazes de admitir por possuir uma ideologia fundamentada nas ideias ultrapassadas de um partido que começa perder espaço. Já manifestei em comentários anteriores ser contrario ao impedimento e até mesmo intervenção militar, mas você (Eduardo) fez mais uma vez o que já era de se esperar, APAGOU ESSE FATO DA SUA MEMÓRIA. PS: Como falei anteriormente, muitos que foram para as ruas NOS DIAS 13 E 15 não estavam lá para defender partidos e/ou instituições, mas sim para defender a democracia, era um contingente pequeno, mas que representava o ideal de muitos. “papinho de impeachment começou imediatamente após o anúncio da reeleição (estude o acordo ortográfico garoto) de Dilma.”, Com uma campanha fundamentada na mentira e com propostas que foram descartadas logo após sua vitória (eu posso citar quais foram caso você já tenha esquecido), você esperava o que?? Que os brasileiros fossem recebê-la de braços abertos como se nada tivesse acontecido? E para finalizar, os vídeos do Lula demonstram que quando o poder esta em cheque, o cara é capaz de fazer qualquer coisa para mantê-lo, até mesmo se contradizer e jogar no latão de lixo tudo aquilo em que acreditava

  2. Gustavo Postado em 20/Mar/2015 às 12:32

    Ontem vi na Globo reportagem sobre um prefeito do PT envolvido em corrupção. Abri o Google e digitei "prefeito cassado". Na primeira página da busca várias matérias que não vi na Globo. Por uma estranha coincidência nenhum deles era do PT. Façam vocês mesmos o teste. Fora Rede Globo...

    • Gustavo Postado em 20/Mar/2015 às 13:40

      Naro, mas de qualquer forma não sai na Globo! Ou você acredita mesmo que os empreiteiros só oferecem propina aos políticos do PT! Você pode até fingir mas não é tão burro assim!

  3. Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 12:44

    Meia dúzia de marginais que põe fogo em pneus e depredam patrimônio público e privado. Pagos com 35 reais e sanduiche de mortadela. Não sei onde tem vermelho na bandeira nacional. Gostam de atrapalhar os verdadeiros trabalhadores e o direito de ir e vir das pessoas. O fim disso aí começou !

  4. MARIA Postado em 20/Mar/2015 às 12:46

    #TODOS CONTRA O IMPEACHMENT +TODOS CONTRA CORRUPÇÃO +TODOS CONTRA O GOLPE = VAMOS TODOS MANIFESTAR NAS RUAS = TODOS A FAVOR DA DEMOCRACIA.

  5. Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 12:47

    A reforma política que eles querem se resume à mentira da doação privada de campanha. Eles querem o fim desse tipo de doação para enviar mais uma conta para a classe média, obter mais recursos para as campanhas do PT em detrimento de outros partidos e obrigar todo o mundo a fazer caixa 2. VERGONHA !

    • poliana Postado em 20/Mar/2015 às 13:11

      é a direita q se preocupa com a classe média não é pereira?! ela sim se preocupa com o bem estar da classe média...tá bom...

      • Adam Smith Postado em 22/Mar/2015 às 16:47

        Não se pode confiar nem na direita, nem na esquerda. Basta virar de costas e eles trocam de lado.

  6. Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 12:57

    E a esquerda segue pagando mico !

    • Félix Postado em 20/Mar/2015 às 13:42

      Pagar mico é comparecer à manifestações contra a corrupção com Agripino Maia e Aécio. Carregando cartazes escritos em inglês!

    • Orlando Postado em 20/Mar/2015 às 13:54

      Pedindo a volta da ditadura. Isto sim é mico.

      • Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 15:05

        Já há uma tentativa de instauração de ditadura socialista no Brasil.

      • Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 15:10

        Aquela Ditadura igual a de Maduro. Aquela que faz uma casta de governantes e chegados. compartilham as riquezas com os parceiros metacapitalistas e deixam o povo sem papel higiênico mas com o discurso revolucionário na ponta da língua. Isso é socialismo.

  7. Gustavo Postado em 20/Mar/2015 às 13:46

    E dá-lhe cartazes em inglês e selfies com PM´s!

    • poliana Postado em 20/Mar/2015 às 15:36

      todos naro..vira latismo escancarado, provincianismo, estupidez e ignorância ao pedir a volta da ditadura...tá bom pra vc???

    • Eduardo Ribeiro Postado em 20/Mar/2015 às 16:49

      Esses coxinhas que nunca foram numa manifestação de verdade, com trabalhadores, com a classe oprimida de fato, que passa por necessidades reais, simplesmente desconhecem como funciona a realidade. Bundas de talco que são, acham um absurdo que se alimente o povo que está lá. É meninice demais...criticar a alimentação dos manifestantes do dia 13 é assinar um atestado de virgindade no que tange manifestações e militância política. Mas pudera...o que esperar da classe média apolitizada que temos? Não por acaso é de lá que vieram os cartazes VIRA-LATAS em inglês lambendo o saco de americanos, um quase "salve-nos, papai Obama...".

    • Eduardo Ribeiro Postado em 20/Mar/2015 às 18:09

      Não seja tosco. Quem fica com essa conversa de "pão com mortadela e 35 conto" é menino de prédio que nunca participou de uma marcha, de um protesto. Só foi no domingo passear na Paulista porque tinha a certeza de que nao teria UM pobre e peão, só apareceria "gente diferenciada". Saiba que em protesto DE VERDADE é assim mesmo. Quando a MASSA DE TRABALHADORES vai á rua, o povo faz caixinha, ajuda, os sindicados, os partidos, que bancam para os próprios trabalhadores COMEREM durante o ato, que consome mais de um dia, tem gente que vai de fora, etc...vão passar o dia sem comer? Porra.

    • Onda Vermelha Postado em 21/Mar/2015 às 01:50

      Dá - lhe Eduardo! Bravo! Ensina pra esses reaças que como é que se faz manifestação porque como bem atestou a pesquisa do Datafolha 74% dos "marchadeiros" da Avenida Paulista nunca tinham participado de uma. É quando resolvem participar viram piada nacional. Kkkkk.

  8. dafner Postado em 20/Mar/2015 às 14:47

    Um progressismo bem moderado não? Comparado com o governo Mujica então!! Me lembro da Luciana Genro perguntando para Dilma no debate da RGT (talvez o do Band) sobre a descriminalização do aborto, ela simplesmente respondeu sobre outro assunto (corrupção na Petrobras) até acabar o tempo, eu fiquei pasmo, como um governo declaradamente de (centro) esquerda consegue ser tão liso... E as alianças que o PT fez durante todos esses anos me dão nojo. Se eu for pra rua, com certeza será a favor da democracia, anti-golpismo e pedindo SEMPRE por LIBERDADE, os direitos individuais estão sendo jogados pra debaixo do tapete, não vejo sequer boa vontade dos representantes desse governo pra pelo menos tentar levar os assuntos progressistas para pelo menos serem debatidos com a sociedade.

  9. Thiago Teixeira Postado em 20/Mar/2015 às 14:53

    Enquanto isso o PSOL e PSTU continuam aloprando e fazendo o joguinho gratuito para Direita. Até o PCO, embora descordem veemente do atual governo, aderiu a luta, não pela Dilma, mas pela ameaças golpista da Direita. O líder do PSOL na Câmara vem sendo mais nocivo que o Bolsonaro na desestabilização do executivo.

  10. ANGELA Postado em 20/Mar/2015 às 16:52

    RUA JA!!!!!! VAMOS DEFENDER ESSA NAÇÃO DE QUALQUER GOLPE CONTRA A DEMOCRACIA!

    • Pereira Postado em 20/Mar/2015 às 17:37

      Ahhh isso sim, dia 12/04 os pedidos por isso serão maiores que a 15/03. dia 15/03 eram 2 milhoes pedindo isso; dia 12/04 serão 4 milhões .

  11. Silva Postado em 20/Mar/2015 às 17:41

    Bom mesmo Rodricoxinhão é uma direitona reacionária que vão as ruas inconformados por perder nas urnas. Vale até clamar por intervenção militar!

    • Onda Vermelha Postado em 21/Mar/2015 às 02:16

      Rodrigo por um acaso você está pondo em dúvida resultado conquistado no pleito de 26 de Outubro de 2014? Presença massiva na rua e impopularidade são agora indicativos que podemos depor quem conquistou o legítimo mandato nas urnas? Isso vale somente pra Dilma ou o Playboy Beto Richa também está incluso? Ou valeria para a "saudosa" Yeda Crusius? Sai pra lá golpista!

  12. Thiago Teixeira Postado em 21/Mar/2015 às 08:20

    4 milhões, 8, 20, 40, 51 milhões podem ira as ruas, continuarão sendo menores que 54 milhões. Protesto fascista da minoria não vai tirar a presidenta do poder. Querem chegar lá? Passe pelas urnas primeiro.

  13. Thiago Teixeira Postado em 21/Mar/2015 às 08:23

    Silva, minha camisa da seleção brasileira eu joguei no lixo, vocês coxinhas se apropriaram da bandeira e camisa da seleção. Símbolos não significam nada, o amor pela pátria e pela povo brasileiro está coração, estão no sangue, e sangue é VERMELHO.

  14. Rodrigo Postado em 21/Mar/2015 às 08:57

    (Outro Rodrigo) Ok, a reforma política é realmente uma boa. Mas... Quais são as propostas? Vamos discutí-las? Não podemos dar um cheque em branco, nos resumindo a apoiar o que ainda não nos foi apresentado por inteiro; novamente, alguém aqui já leu as propostas de financiamento público de campanha que há? A preferida diz que a cada voto será dado um valor, do total retirando-se 5% e dividindo-o entre todos os partidos, igualmente. Já os 95% restante, serão divididos proporcionalmente por quem tiver mais votos... Bom, já vislumbraram que essa proposta específica não distancia muito de um "fundo partidário", cabendo ainda questionar: qual a sanção para os casos de calote? Lembremo-nos de que nossos políticos não são bons pagadores mesmo de empréstimos que tomam junto a bancos públicos e privados, que se dirá de mais um empréstimo da viúva, a ser pago pelos seus "filhos que não fogem à luta".

    • Onda Vermelha Postado em 22/Mar/2015 às 01:58

      Rodrigo(Outro Rodrigo). 1 - Fim do financiamento de campanhas políticas por empresas privadas inibindo corrupção, admitindo financiamento de pessoa física limitado a um salário mínimo . 2 - Fim da coligação em eleições proporcionais, ou seja, partidos políticos por definição são diferentes, portanto, não devem concorrer entre si como se fossem uma única agremiação pois fralda a legítima vontade do eleitor. 3 - Voto proporcional em lista flexível onde vota no partido/parlamentar numa lista preodenada pela convenção partidária pendendo alterar/deslocar essa prioridade segundo o voto do conjunto dos eleitores da sigla. NÃO ao voto distrital proposto pelo PSDB porque eliminaria ABRUPTAMENTE grande parcela da agremiações de corte ideológico elegendo meros "vereadores" com visão limitada e paroquial. NÃO ao "distritão" proposto pelo PMDB que acentuaria o personalismo em vez de fortalecer os partidos políticos. Seria o mesmo que voltar ao passado da República Velha. A OAB, a CNBB e uma grande quantidade de segmentos do movimento social tambem defende uma proposta de Reforma Política com este teor.

      • Rodrigo Postado em 19/May/2015 às 15:08

        (Outro Rodrigo) Onda, sou Advogado e tenho minha religião, mas não é o mero apoio de um órgão ou entidade, ainda que religiosa, a uma proposta, que vai me levar a aceitá-la. Contudo, você é o primeiro a expor o conjunto de propostas, o que eu valorizo e pelo quê te parabenizo, sem qualquer ironia. Infelizmente nossos partidos e seus seguidores, em grande maioria, querem manutenção no poder/retorno ao poder e, claro, suas propostas tendem à consolidação de seus intuitos. De meu lado, claramente, vejo que o financiamento público vai representar mais dinheiro público desviado dos serviços essenciais e a mera manutenção dos mesmos grupos de sempre no poder (o número de eleitores cadastrados no dezembro anterior à eleição será multiplicado por R$ 7,00 - se em 2014, seriam R$ 999.754.266 - e o resultado bilionário será dividido 5% igualmente entre todos e 95% com base na votação para a Câmara, ou seja, indo quase totalmente para PT, PMDB, PSD, PSDB, PP, PR, DEM e PSB, os mais votados). O que serviria à campanha, à pretensa igualdade de condições de disputa, não terá tal fim, pois. P.S.: quanto ao fim das coligações, melhor seria estendê-la a todas as eleições, a fim de evitar, como em 2014, a coligação de partidos ditos tão diferentes como PT e DEM (Pará) e PT e PSDB (Amapá).

  15. ricardo vaz Postado em 21/Mar/2015 às 09:20

    Alguma coisa tem de ser feita. Seja o que for, escrevo sobre duas reflexões a respeito. 1. Pragmaticamente, é conveniente afastar a idéia de que o Lula é um candidato fatal para 2018. Ainda que seja. Mas por enquanto, enquanto perdurar um risco de golpe, acho que PT e progressistas deviam criar um potencial candidato, sem histórico político, sem grandes restrições conservadoras. 2. Uma análise/pesquisa de perfis de eleitores que mudaram de opinião sobre Dilma ou PT é urgentemente necessária. Se, p exemplo, o voto evangélico for importante, é necessário explorar a rejeição dos catolicos ao risco de um governo evangelico. Nao adianta querer mudar a atitude de conservadores de raiz e militaristas. É necessário identificar os focos macios de resistência ao movimento progressista. Precisa tambem amenisar a visibilidade dos movimentos sociais mais "radicais", como MST, e focar mais numa idéia soft de progressismo.

  16. Roberto Pedroso Postado em 21/Mar/2015 às 10:19

    Eu me pergunto onde estão os organizadores destes alegres protestos que permitem que grupelhos insidiosos que pregam o cerceamento as liberdades individuais, a volta do estado de exceção e outros absurdos possam participar, inclusive com carros de som de uma manifestação que segundo alguns de seus lideres é muito bem organizada de cunho pacifico e democrático sabemos que a participação destes radicais de direita prejudicam sobremaneira a imagem, o justo caráter reivindicatório e a legitimidade das manifestações, isso não pode ser negado, agora com a palavra os organizadores de tais protestos que tem por obrigação e dever ético impedir que tais figuras nefastas e nefandas se infiltrem nas manifestações prejudicando inclusive seu teor e principio.

  17. jose savassa Postado em 21/Mar/2015 às 11:38

    Srs – Que ideia fantástica (1/4/2015) link abaixo, pode ser um marco para a esquerda do brasil, vejam os blogs, links, e divulguemos cada vez mais....Não sei a origem mas é mais pura e saudável notícia de esquerda dos últimos tempos. TEMOS QUE IR EM BLOCO, CONVOCAR PAI, MÃE, FILHO, E PRINCIPALMENTE OS 3 PS….POBRE, PUTAS E NÓS PTISTAS…..É a oportunidade nossa contra os GOLPISTAS, oportunidade única…. FORA GLOBO, FORA VEXAME, FORA frias, estadão, marinho e outros ratos mais… vou começar a pintar as bandeiras e convocar a pebleuzada toda aqui da vila. http://www.conversaafiada.com.br/pig/2015/03/20/a-batata-da-globo-assa/#comment-1888189

  18. angela Postado em 21/Mar/2015 às 12:38

    Falei vamos a rua Pereira, não numa micareta como foi dia 15. Por isso não estarei presente dia 12/04 na próxima micareta...

  19. Adam Smith Postado em 22/Mar/2015 às 16:29

    Na época em que estavam na oposição, pedir fora FHC era Democracia. Hoje pedir fora Dilma é Golpe! Há, vá lavar roupas. Eita povinho.

  20. Adam Smith Postado em 22/Mar/2015 às 16:43

    O líder do MST, João Pedro (quebra-quebra) Stédile, falando ao lado de Dilma no RS: “A classe média não aceita assinar a carteira da sua empregada doméstica. A classe média não aceita que o filho de um agricultor esteja na universidade. A classe média não aceita que os negros andem de avião. A classe média não aceita que o povo tenha um pouco mais de dinheiro”. Suponho que na opinião dele, os patrocinadores do MST são santos cujas meias deveriam ser guardadas para fazer relíquias, apesar de esfolarem a nação e encherem os próprios bolsos e os bolsos dos ricos. Quão tolo é preciso ser para se deixar convencer de que o povo sai às ruas porque pobres e pretos andam de avião e não por estar sob um governo que se dedicou a fazer o diabo? Como pode a mente humana entrar em convulsões e a alma afundar em indignidades de tais proporções?