Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 26/Mar/2015 às 12:12
7
Comentários

"Impeachment sem provas traria o caos para o Brasil", diz Marina Silva

“Não é porque este ou aquele grupo está insatisfeito que se deve recorrer ao impeachment”. Segundo Marina, impedimento de Dilma Rousseff, sem provas, aprofundaria o caos no Brasil

marina silva impeachment dilma
Marina Silva não vê ‘impeachment’ como solução. Ao contrário, ex-presidenciável conta que ferramenta aprofundaria o caos no Brasil

Marina Silva, ex-candidata à presidência da República pelo PSB, criticou o movimento que defende o impeachment da presidente Dilma Rousseff em entrevista ao jornal Valor Econômico. De acordo com a ex-ministra do Meio Ambiente, sem um fato que indique a responsabilidade direta da presidente, o impeachment não evitaria o caos e até poderia aprofundá-lo.

“Não é porque este ou aquele grupo está insatisfeito que se deve recorrer a essa ferramenta”, disse.

Marina destacou que são legítimas as manifestações já que, segundo ela, “na eleição foi vendido um Brasil colorido, sabendo-se que o país estava vivendo uma profunda crise”.

A ex-candidata reforçou ainda que não se pode escolher um partido para o governo, “simplesmente porque quer um pedaço do Estado para chamar de seu”. Ela destacou que nas democracias evoluídas, a composição do governo é feita com que os partidos tem de melhor nos seus quadros.

Marina também comentou a campanha eleitoral de 2014 e o apoio dado a Aécio Neves no segundo turno.

“Quando o apoiei falei que achava que a nossa postura devia ser de que nem todo o PT devia ser derrotado, nem todo o PSDB deveria ser vitorioso. Deveria ser vitorioso o PSDB de Montoro, Covas, Fernando Henrique e todos os que estabeleceram uma transição democrática para que o sociólogo entregasse o país ao operário. E nem todo o PT deveria ser derrotado. O PT que fez a distribuição de renda, que ajudou a tirar 30 milhões de pessoas da pobreza, esse deveria continuar vitorioso nas políticas”, afirmou.

A ex-senadora também se mostrou preocupada com o atual sistema político brasileiro, em que alianças com os partidos precisam ser costuradas para se manter uma governabilidade. Marina disse que a relação com os partidos precisa ser “programática”, ao invés de “pragmática”, mas não apresentou soluções.

“Se tivéssemos vencido as eleições teríamos uma transição para outra agenda, outra composição que não fosse mais aquela pragmática, do cargo em troca de apoio, mas programática […] Não consigo imaginar como é que teremos mais quatro anos dessa governabilidade com base em distribuição de pedaços do Estado”, disse.

com Valor e JB

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Orlando Postado em 26/Mar/2015 às 14:22

    No segundo turno ela apoiou o Aécio. No terceiro ela apoia a Dilma.

  2. Luis Postado em 26/Mar/2015 às 15:22

    Agora Pragmatismo e afins vão transformar a "vadia evangélica" , "bruxa fundamentalista", "fanática rata de igreja" numa grande estadista, amiga do povo, firme, honesta, leal, hehe.

    • poliana Postado em 26/Mar/2015 às 16:02

      não, querido. essa hipocrisia e má fé pertence a revista veja e as organizações globo. o pragmatismo político está apenas divulgando uma entrevista dada por marina silva ao jornal valor econômico. o q foi inventado pelo site do pp nessa matéria??? n seja cínico!!!!!

  3. welington costa Postado em 26/Mar/2015 às 15:48

    Interessante, o PT depender de Marina pra defende-lo. Essa mulher, foi TOTALMENTE "desconstruida" durante a campanha. O que mudou? Bem, no PT, nada muda, mas, um tapa com luva de pelica, pra quem entende...

  4. Guilhermo Postado em 27/Mar/2015 às 10:43

    Concordo com ela. Não é questão de impeachment. É admirável a Marina Silva ficar ao lado do governo depois da campanha suja que fizeram com ela. Não sei explicar o porquê, mas gosto dela.

  5. Leandro Coelho Postado em 27/Mar/2015 às 13:19

    Marina Silva disse: "Deveria ser vitorioso o PSDB de Montoro, Covas, Fernando Henrique" Prefiro ler isso do que ser cego...Pelo amor de Deus. Essa mulher não sabe o que fala...

  6. Thiago Teixeira Postado em 28/Mar/2015 às 08:32

    Não interessa o rumo político que a Marina levou, desde 1998 (quando instalei uma tv a cabo em casa rsrsrs) acompanho os trabalhos dela no Senado, vibrei quando ela assumiu uma pasta de ministra no governo Lula e mais ainda quando ela se candidatou a presidente por duas vezes. Eu ainda sonho que essas picuinhas fiquem de lado e ela venha a somar com o Brasil, quem sabe no governo Dilma ainda? Ou no próximo como presidenta? (Alguém sonhava que Kátia Abreu seria ministra do governo do PT?).