Redação Pragmatismo
Compartilhar
História 07/Mar/2015 às 21:00
37
Comentários

A entrevista com o homem que capturou Che Guevara

Homem que capturou Ernesto 'Che' Guevara revela como foram os últimos momentos de um dos líderes da Revolução Cubana e quais foram as suas palavras finais. Guerrilheiro argentino foi executado por ordens dos governos boliviano e norte-americano

che guevara

Agência Plano

“Eu valho mais para vocês vivo do que morto”.

Foi a frase completa que ele me disse, relembra, quase cinquenta anos depois, o ex-general do Exército boliviano Gary Prado. Na época, era comandante da companhia de forças especiais responsável pela operação que prendeu o guerrilheiro em outubro de 1967. A luta do argentino Ernesto Guevara de la Serna, mais conhecido como “Che”, estava acabada.

No dia 3 de novembro de 1966, Che Guevara chegou à Bolívia. Um dos líderes da triunfante revolução cubana de 1959, inspiração de militantes mundo afora, escapava da burocracia boliviana com a identidade de Adolfo Mena Gonzáles. Escondia-se pelas ruas de La Paz como um homem de negócios uruguaio em missão para a OEA (Organização dos Estados Americanos).

Estava em missão para uma ideia de mundo. Para uma América Latina independente dos dólares que assombravam o Palacio Quemado, de onde comandava o presidente boliviano René Barrientos, mas que não chegavam ao povo. Assim como fez quando foi ao Congo, uma determinação inconsequente o levou à Bolívia sem ser chamado — convencido de que, com sua presença, viria o apoio para que a luta armada triunfasse também em território boliviano.

Os impulsos guerrilheiros eram calculados em mapas e planos perfeitos que culminavam numa sociedade igualitária. A Bolívia era um local estratégico para abrigar uma base guerrilheira no continente americano — dali teriam apoio as revoluções que florescessem ao seu redor. Teria o apoio do Partido Comunista da Bolívia, além da China e da União Soviética.

Mas o mundo real era grande demais para caber na tecnologia rudimentar de um combatente latino-americano. Em janeiro de 1967, sem resposta positiva do partido comunista local, muito menos de parceiros estrangeiros, Che e os vinte e poucos combatentes do ELN (Exército de Libertação Nacional) se viram sozinhos. E seguiram mesmo assim para o interior da Bolívia.

che guevara cuba bolívia
Fachada do Bar-Restaurante La Zania, em La Higuera, no departamento de Santa Cruz, Bolívia.

O acampamento vermelho foi erguido pelo ELN em Ñancahuazú, no Chaco, o semi-árido boliviano, e vagou, por vezes errante, pela inexplorada região. Com algum êxito nos dois primeiros meses — diante da morte, comemoravam um passo à frente sobre homens sacrificados do Exército. Quanto mais mortos fardados maior a determinação da tropa oficial de capturar os terroristas. A cidade de Vallegrande ficou alvoroçada ao receber a base de operações do Exército.

Gary Prado foi testemunha e algoz do inimigo derrotado, ferido, que outrora discursava no palanque da ONU. Certificou-se de que vivo permanecesse o prisioneiro e voltou à área de combate contra os sobreviventes. Os troncos das árvores do Chaco eram alvejados pelas rajadas trocadas, e os estalares dos tiros assustavam os animais.

“Montamos uma operação com a qual conseguimos cercar o grupo guerrilheiro e praticamente exterminá-lo, sobrando apenas dois guerrilheiros, um deles, Che Guevara”, relata Prado, em entrevista exclusiva à Agência Plano.

As mãos que seguraram os rifles subversivos e as canetas que escreviam diários agora estavam atadas. Não podiam fazer mais do que agarrar o pequeno fiapo de vida que Che pronunciava a seus algozes: “Valho mais vivo que morto”. Não viveria, de qualquer forma, tempo suficiente para ver erguer-se o sonho pelo qual foi condenado.

“Sei que você veio para me matar. Atire, covarde, você só vai matar um homem”, dissera Che na ocasião.

Assim que capturado, o célebre prisioneiro foi levado ao povoado de La Higuera, onde passou a noite de 8 de outubro dentro da única escola da região. Nos derradeiros momentos agoniava estar preso em uma escola, encarcerado em uma sala onde crianças da região poderiam ler o primeiro alfabeto, talvez algum dia sua própria história que o sargento Mario Terán, severo mestre ao entrar na sala, se dispunha a por fim.

Não adiantavam mais quaisquer planos mirabolantes que sobreviventes do ELN pudessem tramar para salvar o líder. Na manhã de 9 de outubro de 1969, ao encarar o prisioneiro de 39 anos, Terán tinha a autorização de seus superiores, bolivianos e norte-americanos, para fuzilá-lo.

“Quando voltei a La Higuera, ao meio-dia, fui informado que Che havia sido executado por ordens do governo. Foi uma execução sumária”, lembra Prado.

Leia o restante da entrevista nos seguintes endereços: link1 | link2

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Pedro Postado em 07/Mar/2015 às 21:35

    O cara viajou o mundo todo incitando a desordem e levantes armados. Esperavam que vivesse até a velhice? kkk só rindo.

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:25

      BUSCAVA LIBERTAR os trabalhadores de seus exploradores

    • tiago Postado em 10/Mar/2015 às 19:17

      Pedro, tu é um imbecil!

    • Aracelli Postado em 11/Mar/2015 às 22:48

      Sugiro que você estude a história da vida dele antes de fazer julgamentos.

  2. jarau Postado em 07/Mar/2015 às 21:54

    `Pedro, tenho pena de você, criaram uma placenta, jogaram o ser humano fora e ficou este imbecil, livra se da placenta e venha para o mundo.

  3. Guilhermo Postado em 07/Mar/2015 às 22:17

    Para alguns, um heroi. Não pra mim.

    • sleiman v m n Postado em 08/Mar/2015 às 09:34

      O que seria um herói para você?

      • Guilhermo Postado em 08/Mar/2015 às 11:42

        Difícil essa pergunta. São poucos os que merecem ser chamados de heróis. Analisando o contexto histórico a que estão inseridos e os métodos pacíficos utilizados em prol de um objetivo altruísta, talvez Gandhi seja um herói. Quem sabe Madre Tereza também o seja.

      • poliana Postado em 08/Mar/2015 às 13:09

        meu pai, pepinho mujica e mandela...estes são os meus heróis.

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:27

      sabe qem é o ídolo de mujica, poli? é o lula. guilherme - mandela e gandhi são do lado de che e de lula.

      • Guilhermo Postado em 09/Mar/2015 às 15:37

        Gandhi nunca matou ninguém, ao contrário de Che. Lula também nunca matou ninguém, que eu saiba, mas não vou com a cara dele. Rafa, quem é um herói para você?

      • poliana Postado em 10/Mar/2015 às 15:45

        sim, sei rafa. ele sempre diz q lula é o homem mais importante da america latina! amo o pepinho..um dos meus grandes ídolos na política!

      • Henrique de Oliveira Pinh Postado em 10/Mar/2015 às 18:04

        rafa. Estar do mesmo lado não significa possuir caráter e idoneidade moral iguais. Guilhermo. Sábias palavras .

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:28

      gandhi buscava libertar o povo dos exploradores capitalistas ingleses

    • Aracelli Postado em 11/Mar/2015 às 22:52

      Guilhermo, pesquise a fundo a história da vida de Che Guevara e vc vai entender pq ele merece a alcunha de herói; resumidamente, posso dizer que se não fosse pelo imprescindível apoio dele, talvez Fidel Castro não tivesse conseguido libertar Cuba do ditador Fulgêncio Batista q era um pau mandado dos EUA.

      • Alex Postado em 20/Sep/2015 às 01:26

        Verdade, agora cuba é oau mandado da família castro, que se perpetua no poder de modo a passar a capitania hereditária da ilha pro irmão quando fixa doente, e enquanto as cubanas se oferecem para turistas em troca de sabonete, o Castrinho filho se esbalda en resorts 5 estrelas pelo mundo, como na Turquia onde ele mandou os seguranças quebrarem a câmera do jornalista que o fotografou.

      • Alex Postado em 20/Sep/2015 às 01:32

        Pra quem se dizia um grande guerrilheiro, que morte patética pelas mãos do fraquíssimo exército boliviano. Os EUA nem precisaram mandar os boinas verdes, sorte do che, seria humilhante um exército de primeira contra um guerrilheiro de quinta, iam arrancar tudo que era nome dele, sorte dele que os bolivianos passaram o fuzil nele, e veja aí a ironia, o homem que foi a ONU defender fuzilamentos em cuba morreu fuzilado como um saco de lixo qualquer.

  4. Jonas Schlesinger Postado em 07/Mar/2015 às 22:35

    Eis uma boa história que ficou só no passado, assim como o Egito Antigo, Idade Média, Nazismo, Comunismo e afins.

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:35

      conta essa pro psol, pstu, pcu, ptu, coletivos comunistas, socialistas, anarquistas, syriza, podemos, farcs, pcdob...

      • Vitor Postado em 10/Mar/2015 às 17:28

        Vai ler a Veja e vaza daqui então seu cozinha de merda

  5. Luis Postado em 08/Mar/2015 às 08:33

    Eu queria que esse animal tivesse sobrevivido para ver a demonstração empirica de como o socialismo não funciona.

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:37

      Eu queria que esse herói tivesse sobrevivido para ver lula, chavez, evo, cristina, rafael correa, mujica, a ezln de chiapas, o syriza, o podemos, hollande, michele bachelet...

      • Bernardo Postado em 10/Mar/2015 às 17:57

        O Capitalismo funciona? Se sustenta sozinho, ou tem sempre a intervenção de algum "jênio"?

  6. Aristóteles Postado em 08/Mar/2015 às 08:58

    Na verdade quem matou o Che foi a CIA, porque os bolivianos eram, na época, simples vassalos dos americanos do norte. Mataram um homem, não os ideais socialistas!

    • Guilhermo Postado em 09/Mar/2015 às 16:06

      O socialismo é uma ideia bonitinha mas que funciona só na teoria, nunca na prática. Ele traz a ideia de liberdade para o povo mas, historicamente, sempre acaba por se tornar ditadura. E não estou dizendo clichês, como muitos podem pensar. A história está aí para comprovar o que eu disse.

      • Vitor Postado em 10/Mar/2015 às 17:30

        E o seu amado capitalismo funciona lindamente......para os ricos.lambe botas de patrão

  7. sleiman v m n Postado em 08/Mar/2015 às 09:35

    Eis mais um baba ovo dos ianques...

  8. Rodrigo Postado em 08/Mar/2015 às 22:03

    (Outro Rodrigo) No Direito, como corolário da boa-fé, há o instituto do "nemo potestat venire contra factum proprium" - vedação ao comportamento contraditório. Assim, quem tanto prendeu e fuzilou, sem chance de defesa, mostra-se contraditório ao falar '“Sei que você veio para me matar. Atire, covarde, você só vai matar um homem”'. Quem tanto agiu de tal modo é, pois, contraditório ao chamar de covarde quem faz o que ele próprio fazia.

    • rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:39

      é q che só matou caes treinados protetores do capital explorador

      • Rodrigo Postado em 09/Mar/2015 às 15:30

        (Outro Rodrigo) Ah, tá, Che negava a condição humana e via no outro um animal irracional, este apto a ser prontamente fuzilado. Entendi. É pior ainda do que eu pensava...

  9. rafa Postado em 09/Mar/2015 às 12:35

    soldados dos capitalistas

  10. Bernardo Postado em 10/Mar/2015 às 17:59

    Fonte?

  11. Gabriel Postado em 10/Mar/2015 às 18:09

    De todas as leituras que colocam o capitalismo num pedestal de ouro como: Veja, Exame,O dia, O globo ,sem contar com os diversos blogs e sites,ainda tem uma galerinha que,na minha opinião, perde o seu precioso tempo lendo revistas que trazem temas de cunho socialistas,para no final exporem suas opiniões contrárias a leitura exposta. Beleza, vocês estão tendo contato com uma leitura diferenciada e que pode vir a acrescentar na própria argumentação,mas o que eu vejo aqui são sempre as mesmas figuras,fazendo questão de manterem-se distantes e ao mesmo tempo no calor da discussão. Ainda na minha opinião,Che Guevara foi uma figura ,HUMANA,extraordinária que tentou fazer do mundo,um lugar mais igualitário e dignos para os camponeses e trabalhadores. Se ele matou, é porque tentaram mata-lo, se ele colocou 400, 500, 1000 no paredão, foi para impedir os desmandos de governos ditatoriais e exploradores, tendo em vista que no governo de Fugêncio Batista mandar subversivos para o paredão era política de Estado. É realmente difícil entender uma pessoa disposta a matar e morrer por um ideal, pois ninguém aqui,incluindo eu,seria capaz.Ao concentrar a renda daquilo que é produzido,o capitalismo mata milhões de pessoas jogando-as na miséria até hoje, e eu não vejo ninguém fazendo discurso pró-vida sobre isso.

    • Vladimir Postado em 12/Mar/2015 às 00:56

      Parabéns pelo belo texto! Para contribuir; é muito simples, a potência capitalista quebrou, esteve em ruínas, o povo americano perdeu suas casas e até hoje estão vivendo em barracas de lona! O Obama teve de implantar muitos programas assistencialistas do tipo bolsa família! O problema do Capitalismo é que existem poucos capitalistas!

  12. Lucas Cantino Postado em 11/Mar/2015 às 01:57

    ajudado pelo Klaus Barbie nazista alemão fugido pra Bolivia , vi num doc na tv cultura

  13. Antonio Carlos Postado em 11/Mar/2015 às 03:22

    Só corrigindo. O cara viajou o mundo todo combatendo a desordem, este merecia viver um pouco mais.

  14. Dayane Postado em 11/Mar/2015 às 08:46

    Sempre o dedo Ianque nos assuntos latinos!! Acorda gente, oq tá acontecendo agora tbm tem respaldo lá da outra américa!