Redação Pragmatismo
Compartilhar
Capitalismo 12/Feb/2015 às 09:57
30
Comentários

Thomas Piketty no Roda Viva conheceu a arrogância de André Lara Resende

No Roda Viva com Thomas Piketty, entrevistadores perderam oportunidade única de aprofundar questões relevantes e preferiram insistir em polêmicas rasteiras. As grosserias de André Lara Resende foram rebatidas com elegância pelo economista francês

thomas piketty roda viva
Thomas Piketty foi o entrevistado do Roda Viva desta semana (reprodução)

Revista Fórum

O economista francês Thomas Piketty, autor de “O Capital do Século XXI”, foi o entrevistado do programa Roda Viva, desta semana [íntegra abaixo]. Na ocasião, Piketty falou de suas teses, entre elas a defesa da taxação de grandes fortunas. Para ele, as classes mais baixas devem pagar menos impostos e quantias recebidas por meio de heranças, por exemplo, devem ser muito mais taxadas.

Nas redes, porém, a atuação do também economista André Lara Resende, que estava na bancada do programa, foi bastante comentada. “Eu nunca tinha visto o André Lara Resende – só conhecia o respeito que se tinha por ele em certos círculos de economistas neoclássicos. Na entrevista com o Piketty, no entanto, ele se mostrou um liberal arrogante, dogmático e muito pouco razoável. Não é por ser liberal – ele foi grosseiro e muito pouco sofisticado para alguém com a sua reputação”, disse Pablo Ortellado, professor doutor de Gestão de Políticas Públicas e orientador no programa de pós-graduação em Estudos Culturais da Universidade de São Paulo.

O também professor da USP Wagner Iglecias concordou: “Portou-se como se fosse ele o entrevistado, de tanto que falou. Perguntas longuíssimas, o que configura um desrespeito ao entrevistado”.

Já o internauta Sidney Martucci observou que “talvez a nota dissonante da entrevista tenha sido os apartes do economista André Lara Resende, principalmente em cima da fala do Piketty e sempre em contraponto à tese de que a ínfima parte dos milionários que concentra essa riqueza, não tem nenhuma obrigação social em ser obrigado a pagar uma taxação maior para que a divisão de renda seja mais equitativa. Porém esqueceu-se o André de que são exatamente esses ricos que mais se aproveitam das benesses do Estado, em subsídios, empréstimos via BNDES”.

SAIBA MAIS: Quem tem medo de Thomas Piketty?

“Os argumentos do André Lara são muito frágeis e pra falar a verdade ele estava lá muito mais para cutucar o Piketty com sua arrogância liberal”, disse outro internauta, Alexandre Marques.

Resende participou da elaboração do Plano Real, foi ex-presidente do BNDES no governo FHC, e foi demitido na ocasião do escândalo dos grampos da telefonia. Foi também sócio de Mendonça de Barros no banco Matrix, onde teria se tornado multimilionário. Entre seus hobbies está correr de Porsche. No ano passado, participou da campanha de Marina Silva à Presidência da República.

Assista a íntegra do Roda Viva com Thomas Piketty:

Vídeo1

Vídeo2

Vídeo3

Vídeo4

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Fabricio Postado em 12/Feb/2015 às 10:15

    Lamentável a participação de Andre Lara Rresende. Constrangedor pra não usar outras palavras. Não vou nem falar no caso de não fazer peguntas(o que se pressupõe numa "entrevista", mesmo não sendo ele jornalista). Poderia dar suas opiniões e até mesmo em oposição as do entrevistado, mas lhe faltou o mínimo de cordialidade e respeito para com o Piketty. Além de ser grosseiro por diversas vezes foi arrogante e presunçoso, disferindo sorrisinhos irônicos aos demais entrevistadores e ao próprio entrevistado. Embora o economista não seja do quadro da emissora, passa uma péssima da tv brasileira, que já carente de programas com conteúdo qualificado, vê até mesmo o Roda Viva se perder por conta das escolhas de seus "entrevistadores".

    • BRUNO SILVA Postado em 12/Feb/2015 às 12:11

      VDD FABRICIO, por mais que sabem que a televisão poderia ter programas de qualidade para informar com qualidade e intreter a população, esses nojentos gostam de fazer o seu "jogo'' e continuar na arogancia para que eles sejam beneficiados com posições idiotas e perguntas sem inteligéncia. Graça s a tecnologia e a internet temos mais opções de informação e não ficarmos cegos por tanta besteira por parte d idiotas.

  2. Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2015 às 10:16

    Roda Morta.

  3. Roberto Abdala Postado em 12/Feb/2015 às 10:18

    A parte boa e hilária do debate ficou por conta de André Lara Resende dizendo, "eu acho", as "teorias econômicas" garantem... ao que o entrevistado respondia, segundo os dados dos últimos séculos... Um massacre! rsrs. Outra observação importante: entrevistado, ainda que jornalistas, debatedor ou o coordenador da bancada discordem, não deveria ser interrompido enquanto fala, por questão de respeito ao convidado e, no mínimo, por educação. Isso foi muito deselegante.

  4. Rodrigo Souza Postado em 12/Feb/2015 às 10:19

    Francamente, o André Lara Resende, acostumado com a imprensa brasileira dar voz única a economistas com o viés dele, se portou como adolescente de pátio de escola. Afora que usou discursos de economistas de evolucionismos vulgares dos tempos vitorianos

  5. Aristoteles Azevedo Postado em 12/Feb/2015 às 10:30

    O tal do André se postou como fosse ele um reconhecido economista de primeira água. É bom que se diga, de primeira água é exatamente o entrevistado, pois, ê um reformulados de primeiro time.

    • Felipe Postado em 12/Feb/2015 às 12:57

      Falou o cara que sabe tudo de economia né....

  6. Ruben Postado em 12/Feb/2015 às 10:33

    Ainda não assisti, mas não me surpreende esse comportamento por parte dos entrevistadores. A Cultura deveria revisar os convidados, pois o programa perde muito conteúdo com isso. Caso não tenham visto, o Roda Viva com o grande Milton Santos é outro absurdo... chegaram a dizer que "não se vê os impactos negativos da globalização nos dias de hoje(sic)"

  7. Roberto Lanna Postado em 12/Feb/2015 às 10:37

    que papelão desse André Lara.. dá muita pena dessa "direita" brasileira

    • André Lima Postado em 12/Feb/2015 às 11:24

      Desde a reeleição da Dilma, que a direita elitista saiu do armário de vez... Deixou a vergonha de lado e pôs a cara de fora...Isso faz lembrar o conceito de "homem cordial" de Sérgio Buarque de Holanda... Comprovamos nesses últimos tempos que sempre foi APENAS cordialidade... e só...!!!

      • Felipe Postado em 12/Feb/2015 às 12:58

        "direita elitista" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2015 às 19:52

        Pô Felipe, você não conhece a Direita Social?

  8. Thomas Postado em 12/Feb/2015 às 10:40

    Não achei arrogância no caso, o que vi foi o Thomas "matando a pau" a argumentação do Lara Resende, que se mostrou foi incomodado por não saber nem o que perguntar. Thomas Piketty mostrou-se um brilhante livre-pensador.

    • Paulo Postado em 18/Feb/2015 às 22:00

      As participações dele estavam dentro da média dos demais entrevistadores, mas no último bloco ele perdeu a linha e a direção completamente. Tentou se mostrar superior ao Piketty, sendo irônico e presunçoso. "_Você está subestimando os estabilizadores automáticos que existem no sistema... Você como economista...". O Resende queria dar aula, mas não era o caso. Ele, como os outros entrevistadores estavam na posição de escutar o entrevistado. Esse seria o objetivo do programa e o interesse do telespectador.

  9. Gabriel Mamed Postado em 12/Feb/2015 às 11:03

    Triste a participação dos entrevistadores, que pensavam estar falando com qualquer desavisado. Quando se entrevista alguém do porte de Piketty, deve-se ter interlocutores à altura. Realmente, muita vergonha. Precisam estar mais preparados para discutir algum tema em termos científicos, além do senso comum.

  10. Claudia Postado em 12/Feb/2015 às 11:13

    O que dava impressão era que poucos tinham lido o livro, talvez tenham se abastecidos de resenhas, pelo nível das perguntas, algumas repetidas e o mais grave, os entrevistadores insistiam em diminuir o trabalho do Piketty com argumentos ora ultrapassados ora fazendo picuinhas com o PT em relação ao bolsa família. O menos despreparado talvez fosse o do valor econômico, que pouco pode falar pela hierarquia das falas ou pelas interrupções dos falastrões que pouco diziam. Realmente deu para sentir vergonha de ser brasileiro "civilizado".

  11. mauricio augusto martins Postado em 12/Feb/2015 às 12:06

    Depois da entrevista dada por Muhammad Yunus no ano 2000, criador do Microcrédito, Economista, Escritor e Nobel da Paz posteriormente em 2006, onde naqueles idos se debatia a Pobreza como certa "Política" de exclusão pelos Estados, e se tentava, como Hoje, "explicar" "manobras" neoliberais, foi quando para meu espanto uma "Jornalista" referindo-se a Livros que escrevia também sobre Física Quântica, declinou uma pergunta um tanto desproporcional ao tema: "O Senhor, só escreve livros de AUTO-AJUDA?..." bem, voltei a ver este programa que por infelicidade(na época não era assim) fora inspirado numa música de Chico Buarque, quando o Ministro já como Candidato ao Governo de São Paulo, Alexandre Padilha e um "Jornalista" o questiona quanto a reforma das Polícias, mas de uma maneira "sui-generis" "O PT(quis referir-se ao Partido dos Trabalhadores) Que sempre Teve "Problemas" com a Polícia, vai mudar a PM...", na boa, tentar ver este programinha sem gargalhar, é muito esforço, mas por aí é que notamos o índice alarmante de coxinhas, dá para ver onde "aprendem" "tantas coisa", Porém Piketty faz uma leitura excepcional de Marx, levando em consideração o fato empírico temporal do O Capital, este desenvolvido por Lênin, onde na proposição Socrática fora possível não só em laboratório, como viu-se possível um programa realmente distributivo e equânime, aclarando a base sólida das modernas Democracias, e das forças antagônicas do capitalxTrabalho, cujo capital carrega em seu bojo o próprio instrumento de sua destruição, ao passo de Piketty propor além do óbvio de maneira Humanista, a solução equilibrada para que o Mundo possa caminhar Livre, sem os percalços da má distribuição de Renda e seus fatídicos resultados que incorrem geralmente em sangrentos conflitos, quando se tem um sentido de parâmetro, e Morte por Sub-Nutrição quando não se há mais Luz, sinto uma profunda vergonha alheia por este e outros programas que pululam ainda nosso pesadelos de subserviência, e sinto muito o sentido de reacenderem aquilo que já fora apagado, pois isto forma coxinha de um lado e muita Desesperança do outro...maumau

  12. Gustavo Postado em 12/Feb/2015 às 12:24

    Sinto muito, mas se houve arrogância não foi somente do André. A maioria dos entrevistadores interrompeu o cara no meio de suas respostas. Se discordar de uma opinião é arrogância então o "jornalista" desse artigo deveri rever seus conceitos... Mas tenho quase certeza que o "jornalista" desse artigo (o real arrogante aqui) pegou o André para cristo por ele ter participado do plano real - e na cabeça dele deve rolar algo do tipo "FHC malvado plano real direita ele tava junto merece ser atacado, é o inimigo" - alguma merda nesse sentido.

    • Ricardo Postado em 12/Feb/2015 às 13:30

      Eu ainda não vi o programa, mas, se interrompeu, foi deselegante, sim - ou vc não está acostumado a debates acadêmicos (anota e depois, na SUA fala, refuta). E, se interrompeu, está sujeito a críticas, sim, independentemente de quem o critica.

    • Paulo Postado em 13/Feb/2015 às 12:03

      Bem isto! Só vemos o que queremos!

  13. Salomon Postado em 12/Feb/2015 às 12:50

    O liberalismo brasileiro foi sempre nos setores econômicos. Só economistas como esse Lara Resende, que pouco mais fazem do que traduzir discursos de políticos e economistas da Inglaterra ou dos Estados Unidos, têm microfone aberto. O que esse opositor do Piketty perguntou(?) foi um amontoado de tiradas retóricas de que nada se salva. Faltou conhecimento, agilidade mental e educação por parte do entrevistador.

  14. Guilherme Postado em 12/Feb/2015 às 13:07

    Mas com o Lobão fizeram a mesma coisa, por exemplo. Acho que fazem com todos os entrevistados.

  15. Alberto Ferreira Postado em 12/Feb/2015 às 13:17

    Para se ter uma ideia do habitual das redações e editorias econômicas e política nos veículos de comunicação no Brasil até a alucinada Lilian W. Fibe, ganha dinheiro com palestras! A "coxinhagem" não é nova, nem exclusiva de anônimos e nem vai mudar tão rápido. Como cantou Cazuza: são caboclos querendo ser ingleses.

  16. Luiz Postado em 12/Feb/2015 às 16:57

    Bom, é por essas e outras que Piketty é Piketty e Lara Resende é quem mesmo?

  17. Eduardo Postado em 12/Feb/2015 às 17:38

    só de dizer que esse sujeito é neo liberal já basta, essa turma vive do suor alheio, e gente assim não, nunca, never, jamais irão concordar que se taxa grandes fortunas... principalmente se for de amigos.... para se taxar grandes fortunas o governante tem que ter coragem, pois mexerá com grandes corporações tipo grobo, foia, oia etc....

  18. Alexsandro Postado em 13/Feb/2015 às 00:57

    A entrevista foi horrível: - entrevistadores mal preparados, - perguntas repetidas, - o condutor não sabia intervir Uma das piores do roda viva

  19. Sueli Presser Postado em 13/Feb/2015 às 02:09

    Morri de vergonha com as perguntas e a falta de objetividade da entrevista. Como são chatos e incopetentes os intelectuais de Botiquim

  20. JOÃO RAMALHO A. SILVA Postado em 13/Feb/2015 às 11:29

    Os tupiniquins brasileiros não sabem dialogar.

  21. eduardo Postado em 13/Feb/2015 às 12:30

    O nivel do debate politico e social aqui no Brasil eh muito raso. As conversas sempre sao com opinioes pessoais baseadas em crencas, em "achometros" ou em "papagaismos de pirata" que repetem sem nem mesmo saber do que falam. As pessoas "discutem" tudo em termos de religiao, dogmatismos, demonizando o outro, meu time eh o bom, etc...Nao conseguem ter uma visao racional , historica, academica de nenhum assunto, tudo aqui se degenera para um plano de radicalismos cegos e obtusos. Nao existe racionalismo, somos mestizos confusos. Na europa e EUA hoje em dia se discute uma alternativa ao sistema que ja sabem que nao funciona. O Piketty trouxe fui uma esperanca ao capitalismo, dando uma luz num tunel escuro, mas obviamente os que estao no topo da piramide social nao querem dividir sua parte do bolo, tem isso sim eh uma barriga maior e mais fome a cada dia, enquanto repetem que a coisa esta muito dificil e o pobre tem que apertar mais o sinto. Eh facil falar em meritocracia, e aitoregularizasao do mercado quando se tem as melhores cartas do jogo na mao. No Brasil os debates sao antigos, se discuteo petroleo enquanto no mundo se fala em investimentos em energias renovaveis...nao da. Nao sou de esquerda nem de direita. O que existe hoje sao interesses corporativos que vao apoiar o candidato azul e o candidato vermelho e talvez ate o amarelo e o verde, enfim, todo o arco iris, mas seus interesses vao prevalecer, ganhe quem ganhar. O que existe aqui eh uma hipocrisia historica (eh so estudar pra entender do que estou falando). Nao existe uma unidade nacional, nao existe planajamento, nao existe nada! Existe as capitanias hereditarias, senhores de engenho e feitores com outros nomes e mais "sofisticados". Qualquer debate cai na rixinha infantil e adolecente, o Brasil precisa ser inventado, ou entao que cada estado tenha su autonomia e como bons brasileiros, que Deus nos ajude (claro o MEU Deus que eh melhor do que o SEU Deus). Claro que a entrevista eh ridicula, o Piketty era como um mestre escutando os meninos bobos falando suas abobrinhas... Em tempo: vivo na europa desde 2005 e cada vez que venho aqui me surpreendo com o surrelismo em tudo e em todos os niveis, as contradicoes e o fervor religioso de qualquer discusao sobrre qualquer assunto. La fora sou um "brasileiro" (coisa que nao existe, aqui somos cariocas, mineiros, bahianos etc...) e aqui cada vez mais estrangeiro. E fico muito triste porque tive contato com outra realidade e sei que existe, mas nao sei nem por onde comecar aqui...educacao e conhecimento, moral e civica ja seria um comeco... ja dizia Tom Jobim: o Brasil nao eh pra principiantes...

  22. Marlon Bravo Postado em 15/Feb/2015 às 13:48

    Perguntas longuíssimas configuram um desrespeito ao entrevistado ! Imprensa paulista !