Redação Pragmatismo
Compartilhar
Aborto 14/Feb/2015 às 08:00
50
Comentários

Ser contra ou a favor do aborto?

O comentário cruel de Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, suscitou reflexões a respeito do aborto: ser a favor da legalização não significa ser a favor da prática

contra aborto clandestino legalização brasil eduardo cunha

Após o comentário do digníssimo presidente da Câmara dos Deputados sobre sua posição em relação ao aborto, estávamos comentando em uma roda o tema mais uma vez. Como defensora que sou da legalização do aborto fui questionada por uma colega sobre “como eu poderia ser a favor de matar uma criança quando eu estava lutando tanto para conseguir a minha desejada gravidez“.

Para mim, as razões para ser a favor da legalização do aborto são óbvias e confesso que tive até uma certa dificuldade de entender o que o cu tinha a ver com as calças, mas aí me dei conta de que o que faz com que tanta gente fale tanta bobagem a respeito do tema é justamente o não saber separar conceitos que vejo como básicos.

O ponto de partida mais básico aqui é: ser a favor da legalização (ou da descriminalização para quem não quer chegar a tanto) NÃO SIGNIFICA ser a favor DO ABORTO! Significa não achar que mulheres que passam por uma gravidez indesejada tenham o direito de terminar essa gravidez de forma segura e sem colocar suas vidas em risco.

É insano achar que o aborto vai virar anticoncepcional. Quando alguém me diz: “se o aborto for legalizado ninguém mais vai usar camisinha pois vai poder abortar” não pode ser mulher! Não é possível que alguém ache que abortar é igual tirar um cravo ou depilar a virilha!

É estatístico, é matemático: assim como a guerra contra as drogas não impede o uso delas, a criminalização do aborto pune apenas e exclusivamente mulheres já em situação de risco e que, por sua condição já fragilizada em uma sociedade discriminatória em que lhes são negados os direitos mais básicos, sofrerá a consequência de mais essa pauta política desconfortável. Mulheres ricas e de classe média também abortam! Elas só não morrem ou ficam inférteis por isso (ao menos não na maioria das vezes)! Ainda assim, elas sofrem em silêncio, muitas vezes sem apoio psicológico e passam a vida se sentindo criminosas pois não podem desabafar com praticamente ninguém. De fato isso não é um privilégio de classes.

Ahhh mas e a vida da criança?” dirão alguns… não vou nem entrar no mérito do conceito jurídico do que é “vida“, mas a conta é simples: 200 mil brasileiras morrem por ano em abortos clandestinos (junto com seus respectivos fetos), não seria justo nos preocuparmos com essas vidas também? E qual então a lógica do aborto legal (caso de risco de morte para a mãe e de estupro)? Não são “vidas” esses também? Se posso preterir a vida do feto caso ele cause risco de morte à mãe, não seria argumento suficiente para descriminalizar todos os abortos já que de fato é de um risco de morte que estamos falando?

Sou a favor de melhorar as alternativas (incluindo adoção) para que a mulher mantenha a gravidez, ainda que indesejada, mas qual a lógica de defendermos tantas “vidas” que sequer podem viver fora do útero em detrimento de tantas mulheres?

Sinceramente, o único argumento que me “convence” contra o aborto é o religioso pois contra dogmas não há argumentos, porém todavia entretanto, estamos em um estado laico and I could not care less para qual o conceito de vida da Biblia, do Alcorão e de quem quer que seja!

Esse papinho de que as pessoas têm que arcar com as consequências de seus atos (tomando pílula e usando anticoncepcional) e que o aborto não é um problema de saúde pública pois a pessoa que “procurou” além de ser totalmente desconectado da realidade é de um sexismo sem tamanho. Duas pessoas fizeram sexo! Duas pessoas deveriam ter se prevenido! As duas “engravidaram” mas somente uma pode abortar: O HOMEM!

O tom desse post é de irritação, é de revolta, é de choro de raiva ao pensar em como somos escravas desse sistema que nos nega o direito básico à nossa reprodução e aos nossos corpos enquanto endossa a irresponsabilidade masculina livre de maiores consequências.

Sim, eu quero muito um filho, mas porque eu tenho condições psicológicas, emocionais e financeiras.

Mas mais do que tudo, o que eu mais gostaria, é que meu filho e principalmente minha filha viessem para um mundo onde a mulher não fosse detentora de menos direitos. Onde a mulher fosse dona de seu corpo, de seu útero e de sua vida e onde as pessoas não fossem covardes de olharem apenas para o próprio umbigo como está fazendo o senhor Eduardo Cunha!

Self Desenvolvimento Humano

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 14/Feb/2015 às 08:42

    Não adianta, vivemos num país hipócrita, reacionário e escondido atrás de um fundamentalismo religioso barato e nojento. Legalização do Aborto, Maconha, Casamento Gay ... esquece, só daqui 300 anos e olha lá.

  2. Luis Postado em 14/Feb/2015 às 08:52

    Para mim a questão é óbvia, evidente. Se você aborta, ESTÁ impedindo uma vida de se concretizar. Não importa quantas distorções e evasivas covardes se façam, como o argumento que mórula não é feto nem ser humano ( e não é mesmo, mas isso muda o fato simples e objetivo que o aborto está impedindo o nascimento de uma vida?) e quem quiser abortar, bem, fará isso plenamente ciente das consequencias. felizmente essa ideia não é muito popular no Congresso e não importa o quanto as feministas berrem e esperneiem, aborto não será legalizado no Brasil por muito tempo.

    • Leila Postado em 19/Feb/2015 às 18:42

      Você também já pode ter impedido o nascimento de uma vida. A não ser que nunca....

      • Lana Postado em 20/Feb/2015 às 09:03

        Leila, se você estiver se referindo a masturbação, esquece. Isso é um pensamento equivocado. Se formos analisar o tratado de embriologia (sim, Ciência), estará lá: a vida humana começa na concepção, união entre o óvulo da mulher e o espermatozoide do homem. Isto é, quando um homem ejacula o seu semén cheio de espermatozoides não estar abortando.

    • Thiago Brosens Postado em 20/Feb/2015 às 00:09

      Quem aborta o faz por não achar que têm condições de criar um filho. Tem a consciência de que cuidar de uma criança é uma responsabilidade IMENSA. É algo para a vida. E quer ter certeza de que tem condições, de que poderá prover o necessário, e em bom português, de que não fará merda. Ao criminalizar o aborto, você não impede o aborto. Mulheres abortarão, queira você ou não. Mas ao criminalizar o aborto, você pune essas mulheres - muitas vezes com a própria vida. como você pode dizer que defende a vida, se está ativamente lutando CONTRA a vida das mulheres? Como você pode dizer que defende a vida, se deseja a essas crianças lares quebrados, infelizes, lhes forçando a uma mãe que não queria ou não podia cuidar dele direito? Ao criminalizar o aborto, você pune DUAS vidas. Pense nisso por um momento.

    • Eugenia Postado em 20/Feb/2015 às 00:16

      Luis imagine todas as vidas que você ja 'impediu que se concretizar' gozando em um travesseiro :/ OBS: não sou feminista, sou MULHER ;)

  3. Julio Oliveira Postado em 14/Feb/2015 às 11:47

    Parabéns ao P. Político pelo importante conteúdo. Nada contra o casamento gay ou a legalização da maconha, respeito. Mas não estou convencido sobre o aborto como método anticoncepcional: A lei brasileira já prevê casos como estupro, risco para gestante e em caso de anencefalia (o SUS fornece nesses casos o procedimento gratuito). Se as pessoas que defendem o aborto - a exemplo do comentário do Thiago Teixeira, defende acusando o país de reacionário sendo ele próprio reacionário ao país e que nem cita que o aborto não anticoncepcional já é permitido e o casamento gay também (pacificado no STF) - se tais "defensores" exigissem PRIMEIRO MELHORA DA EDUCAÇÃO para DEPOIS debater tais assuntos, o país viveria mais soluções do que imposições.

    • Reacionáio Dicionário Postado em 20/Feb/2015 às 22:10

      1) "importante conteúdo" que você pelo visto não leu, já que está bem claro no texto que aborto NÃO É método anticoncepcional. 2) Você não sabe o que significa reacionário. 3) Ah, o velho argumento do "primeiro educação...". Como é fácil fugir do debate se achando superior. "Vou ficar aqui com a minha posição porque no Brasil não dá pra debater essas coisas, não há educação" - sem falar do problema geral, conceitual, muito além do simples e diário desse 'arjumento': quem sabe devemos tirar todo o dinheiro da saúde pra colocar na educação? Segurança pública também. Aí nós fazemos um investimento 100% - já que a educação tem que ser resolvida PRIMEIRO pra depois ir para o resto - e aí resolvemos esse "problema" e bola pra frente, partimos pra consertar um mundo um pedaço por vez! Que tal?

  4. José Postado em 14/Feb/2015 às 12:48

    A descrminalização do aborto é uma obrigação de qualquer país democrático, é lógico que gente como Eduardo Cunha, um fascista assumido, não tem a menor idéia do que seja democracia e por isso nem deveria ter o direito de se candidatar a cargos públicos. Pessoalmente eu sou contra o aborto, se minha esposa, filha ou algum parente próximo ou mesmo amiga, quisesse abortar, eu tentaria convencê-la do contrário, mas se no fim ela decidisse pelo aborto, a lei deve respeitá-la e respeitar a Constituição, garantindo a laicidade do Estado e os direitos cívis. Por isso já passou da hora do STF declarar inconstitucional a lei que criminaliza o aborto, a Constituição foi aprovada em 1988 e até hoje somos obrigados a respeitar leis da idade média?

    • Tania Oliveira Postado em 19/Feb/2015 às 21:02

      Ignorantes, falta de conhecimento isso que significa esta palavra. Acho bom estudar mais, passando a entender melhor o que Deus preparou para nós.. Nenhuma folha cai da árvore sem a permissão de Deus. Nenhum cabelo cai de sua cabeça sem a permissão de Deus, e se você abortou nessa vida ou levou alguém ao aborto, você quererá um filho em uma outra vida e não terá. E como Deus é misericordioso nos dará uma nova chance de reparar o ero em uma outra vida e lutar contra este ato HORROROSO. Já pensou se sua mãe lhe tivesse jogado no lixo? Com a boca cheira de formiga ou varejeira!? Desculpem mas acho mesmo que ela não teve esses que apoiam o aborto ela pariu mesmo como uma vaca. Desculpe de novo mas não é do meu feitio ser grossa mas as vezes só assim para....compreenderem.

  5. José Postado em 14/Feb/2015 às 16:17

    fosse país evoluído essa discussão realmente não existira, pois o aborto já seria um direito. País evoluído é país democrático, onde a religião, a ignorância e o conservadorismo (fascismo) não tem espaço na política.

    • Silva Postado em 17/Feb/2015 às 11:09

      Se fosse um país evoluído você jamais usaria o termo "fascismo". Já ficou claro que você e muitos outros que utilizam esse termo não tem a menor ideia do seu verdadeiro significado.

  6. Fernando Postado em 15/Feb/2015 às 12:04

    Essa sua última frase (bem como os erros nela contidos) dizem bem de suas origens e do pensamento rasteiro que grassa por esta baixa camada social provinciana: preconceito, ignorância e soberba pela própria ignorância. Numa coisa os delfins da França, os empreendedores norte-americanos e os bolcheviques russos concordavam: jamais dar qualquer tipo de poder a aldeões e camponeses porque são os seres mais invejosos, rancorosos e metidos a sabidos da face da terra. E sua vida é um M.

  7. Vital Postado em 18/Feb/2015 às 13:09

    Cesar souza, vc não entendeu o que o Fernando disse? Você é o 'aldeão/campones' que foi beneficiado com o governo que tanto crítica, e agora que tem o seu carro e sua casa parcelada em 30 anos aspira os valores burgueses repetindo apenas o que le na revista veja 'petralha isso e petralha aquilo'. Acorda! Devemos sim cobrar este nosso governo, punir todos aqueles que estão roubando, mas nao ser um manipulado.

  8. ailime Postado em 19/Feb/2015 às 13:24

    Creio que esse lobby pró-legalização do aborto é um pouco precipitado. A questão principal aqui não é o direito da mulher sobre seu corpo, e sim a definição do que está sendo gerado dentro dele. E definir "Vida" é complexo o suficiente para transcender questões médicas, religiosas, morais etc. Por isso, a frase "Não é possível que alguém ache que abortar é igual tirar um cravo ou depilar a virilha" se encaixa perfeitamente no que quero dizer. Se o produto da concepção que está sendo gerado dentro da mulher não passar de um conjunto de células, como os pró-aborto querem estipular por decreto, aborto seria sim "igual a tirar um cravo ou depilar a virilha" e neste caso a mulher tem todo o direito sobre ele. Mas um ponto é deixado de lado quando se trata do direito da mulher sobre seu corpo: Não há estudos sobre a quantidade de abortos em que a gestante é forçada e/ou induzida pelo parceiro, pela família ou por medo da reação destes sobre sua gestação. E por isso, na minha opinião, garantir o direito da mulher de seguir com a gravidez, deve ser ser prioridade sobre a que deseja interrompê-la.

    • andrea Postado em 19/Feb/2015 às 17:26

      Soa até engraçado dizer que o outro é que só olha para o próprio umbigo, quando é ela que fala em ser dona do seu corpo, do seu útero,e da sua vida... mas e da vida que ela está gerando, ironicamente alimentada pelo seu próprio umbigo ... se for do sexo feminino...onde ficariam seus direitos ?

    • João Pedro Postado em 19/Feb/2015 às 17:35

      Muito bem dito, é bem isso, um fator conceitual complexo, muito além do que é "esquerda" ou "direita". Como as pessoas podem determinar que um zigoto não é vida se ninguém tem um conceito sólido do que é vida?

    • Ricardo Postado em 19/Feb/2015 às 19:44

      Não obstante a tua contradição, em qualquer caso a mulher tem o direito a SUA própria vida. Não se pode simplesmente fechar os olhos ao índice de mulheres que morrem por procedimentos ilegais de aborto, é um problema de saúde pública. Não é a favor do aborto?! Que tal procurar entender o que leva milhares de mulheres a procurar esse recurso?! Será que é só por leviandade?! Suspeito que não. Mas no Brasil sociologia é vista como papo de vagabundo...

  9. Douglas Postado em 19/Feb/2015 às 18:06

    Cara como é difícil entender a cabeça desse povo. A mulher é pobre e não tem condições alguma de criar uma criança. Ela sabe que os métodos contraceptivos não são 100% eficazes (de acordo com as feministas, claro), mas mesmo assim ela dá pro cara por livre e espontânea vontade. Depois fica grávida e quer abortar? Me poupe. O aborto já é legalizado em caso de estupro e caso a mulher corra risco de vida. Quer legalizar mais o que? Imagina se o aborto fosse legalizado a quantidade de abortos que iria ocorrer nessas épocas de carnaval.

    • Leila Postado em 19/Feb/2015 às 18:44

      Você quer dizer que mulher não deve ter vida sexual fora do casamento. O homem não entra nessa m. de equação?

      • Douglas Postado em 19/Feb/2015 às 18:56

        E quem disse que a mulher não deve ter vida sexual fora do casamento? Quem fazer sexo? Então faça. Mas depois não venha com mimimi que engravidou e que agora é a favor do aborto porque não tem condições de criar a criança

      • Ricardo Postado em 19/Feb/2015 às 19:47

        Como caminhamos a passos largos para a desumanização do outro... O cara coloca em tese a mulher em uma fórmula matemática e diz "foda-se". A questão é: a mulher está grávida, não interessa o porquê; ela fez um aborto clandestino, não importa o porquê; vc deixaria simplesmente ela morrer?! Sério, melhor fugir desse lugar enquanto é tempo...

      • Peterson Silva Postado em 20/Feb/2015 às 22:14

        Deixa eu ver se eu entendi, Douglas: então a CRIANÇA é a PUNIÇÃO pra MULHER POBRE que faz sexo? Dá pra ver que você está super a fim de defender a vida das criancinhas.

    • Natália Postado em 19/Feb/2015 às 18:51

      Douglas eu realmente não entendi aonde você quis chegar com o seu comentário. E sim nenhum método contraceptivo são 100 % eficazes NENHUM e eu não so feminista só estudei sobre o assunto. Então pela sua linha de raciocínio a pessoa não tem condições ela não pode transar? E ela "DEU" pro cara por livre e espontânea vontade,mas ele também não poderia se proteger usar camisinha? E fácil colocar toda a culpa na mulher, Olha eu só a favor do aborto mas eu nunca o faria, para a mulher não é "nossa que dia lindo pra fazer um aborto, é vou fazer um aborto hoje" envolve toda uma questão psicológica, fora as dores fisicas isso quando não perdem suas vidas né.

      • Douglas Postado em 21/Feb/2015 às 00:14

        Vou repetir a pergunta que fiz no primeiro comentário: quer legalizar mais o que? Anencefalia, estupro e risco de vida JA É LEGALIZADO. O que vocês querem é dar a vontade sem o minimo de responsabilidade, sabendo que corre risco de ficar grávida não tendo condições alguma de criar a criança (fora o risco de pegar DST). É mais do que óbvio que o peso cai em cima da mulher pois é ela que vai carregar a criança por nove meses na barriga. Mais não. A vontade de fazer sexo com o primeiro que aparece é tanta que, caso fique grávida, é só fazer um abortozinho ali no SUS e tudo resolvido

    • Sara Postado em 20/Feb/2015 às 10:46

      Na boa...que comentário ridiculamente machista!

      • Douglas Postado em 21/Feb/2015 às 00:32

        Sim. Me processe

    • Douglas Postado em 21/Feb/2015 às 00:28

      Peterson vc acertou bem na mosca. A criança é uma punição pela FALTA DE RESPONSABILIDADE que os dois tiveram. Se ela não quer fazer sexo, o cara não vai fazer. Se ele forçar a barra aí ja é estupro. A questão é: a mulher é livre para fazer sexo com quantos e quantas vezes quiser. Não esta engravidando? Ótimo. Mas se engravidar deve ter a criança SIM, pois na hora de gozar todo mundo goza, mas na hora de assumir suas responsabilidades ninguém quer

  10. André Anlub Postado em 19/Feb/2015 às 18:18

    Como me comove ver nos comentários tantas pessoas preocupadas com a vida na barriga dos outros, quando na prática, a maioria delas, não se preocupam com os deficientes físicos, com os idosos, com a fome... nem mesmo em doar sangue; alguns não se preocupam nem com a educação dos filhos.

    • Leila Postado em 19/Feb/2015 às 18:45

      exatamente isso, tão nem aí.

    • Wild Postado em 20/Feb/2015 às 09:54

      Se ambos forem um erro, um não justificaria o outro.

  11. Pedro Postado em 19/Feb/2015 às 20:31

    Parei quando foi citada a frase "O que o c* tem a ver com as calças"...

    • Calças Calçadas Postado em 20/Feb/2015 às 22:14

      E o que o c* (do seu comentário) tem a ver com as calças (do conteúdo)?

  12. Mica Postado em 19/Feb/2015 às 20:54

    Nossa!Q texto!E exatamente isso.Acho q nem precisa de desenho...ou não, depois d ler os comentários ainda :(

  13. Patricia Postado em 19/Feb/2015 às 21:05

    O título da matéria é um desastre. Não conheço ninguém a favor do aborto. Conheço várias pessoas que como eu são a favor da escolha. Ninguém aborta por lazer.

  14. Beto Postado em 19/Feb/2015 às 21:43

    O Dep. Eduardo Cunha representa uma parcela da população que lhe confiou seu voto e que provavelmente tem as mesmas convicções conservadoras, portanto ele não está "olhando para o seu próprio umbigo" como foi dito. Não se precisa nem entrar no mérito religioso para discutir o assunto, basta apenas observar as leis adotadas no nosso país (art. 5 da Constituição Federal, Pacto de São José, Código Civil) para saber que a legalização do aborto e TERMINANTEMENTE proibida no Brasil. Não há o que se discutir uma vez que o artigo 5º da Constituição é cláusula pétrea. Modificá-lo é impossível sem acarretar consequências desastrosas para a soberania do nosso país.

    • Peterson Silva Postado em 20/Feb/2015 às 22:16

      Ler a constituição: você está fazendo isso errado.

      • Beto Postado em 21/Feb/2015 às 00:49

        Mostre-me com argumentos válidos que estou equivocado. Duvido você refutar minha fala com opiniões sólidas sobre o tema. Simplesmente mandar ler a Constituição e posteriormente dizer que estou fazendo isso errado não derruba minha tese. É melhor você, além de ler o texto da Constituição Federal, ir estudar um pouco a doutrina. Ah, leia também o Código Civil e o Pacto de São José para depois questionar minha afirmação.

  15. Hellen Postado em 19/Feb/2015 às 23:31

    Minha querida antes de falar tanta merda vc deveria experimentar ficar na fila de um hospital público, pq só assim p vc entender que legalização do aborto não resolverá de forma alguma para as mulheres pobres q vc citou. Continuaria morrendo do mesmo jeito, da mesma forma que morrem crianças e adultos que infelizmente não podem contar com o serviço público de saúde. A legalização do aborto só trará beneficio aos ricos. Então já q existem VÁRIAS formas de evitar uma gravidez, é obrigação de evitar, se vc não deseja ter filhos. Simples assim. A teoria não vale de nada se a pratica não for analisada.

  16. Maria Auxiliadora Postado em 19/Feb/2015 às 23:37

    Verdade seja dita, com ou sem legalização do aborto, este já é vastamente praticado e muitas das vezes não por vontade da gestante, muitas delas adolescentes, mas por imposição da família ou do pai da criança. Criminalizar uma adolescente que cede aos comandos daqueles que são os responsáveis por ela é de uma crueldade tão vil quanto o próprio aborto. Não sou a favor do aborto, mas também não sou a favor da criminalização de quem o pratica. Quando os deputados não legislam sobre esse tema eles estão sendo hipócritas, pois a falta da legislação não diminuem os abortos clandestinos do Brasil. Talvez com a legislação houvessem menos abortos , pois seria possível que profissionais treinados pudessem mudar de ideia as pessoas que procurassem pelo atendimento e o próprio sistema de saúde poderia dar mais atenção aos envolvidos.

  17. Mari Postado em 20/Feb/2015 às 00:42

    Quando eu era criança lá no ginásio, aprendi em "Educação Moral e Cívica": "Liberdade só vem com Responsabilidade! E de lá pra cá jamais me esqueci desta máxima. Portanto Livre o é quem é Responsável por seu atos. Aborto é crime. Discutir sobre o direito de romper uma vida, em pleno século XXI quando qualquer criança sabe o que é e para que serve um contraceptivo, é para contra o feto, um ser indefeso, um assassinato covarde!

    • Peterson Silva Postado em 20/Feb/2015 às 22:21

      Que legal quando o que a gente aprende na escola ajuda a simplificar o mundo e ser feliz, né? Aí você pode resolver os problemas morais com um lavar de mãos, dizer "ora, pois!" e tudo está resolvido! Eeeee! Educação Moral e Cívica é da época da ditadura, em que protestar também era crime. Então vamos ver: de repente a máxima se aplica também. Pessoas protestam por seus direitos políticos. São presos, torturados, assassinados pela polícia. Mas "liberdade só vem com responsabilidade", e "protestar é crime", então acho que tudo bem! Eeeeee!

  18. Rafaela Postado em 20/Feb/2015 às 00:59

    Vamos lá na CSI Orlando vejam o que é realmente um feto com 1 mês de idade ( parece uma gosma qualquer do corpo humano ) aliás existem abortos espontâneos pouca gente sabe, sim de fato a mulher perceber que um feto de 2 semanas está ali e não poder abortar é tratar a mulher como um cachorro femea gravida comobse fossenum bicho sujeito com a roleta da vida ou morte e a prole se for de alguém não planejado na vida dela tanto faz, sim, a mulher assim fica condicionada ao "estupro mental" do comedor que ótimo !!

  19. Aline Postado em 20/Feb/2015 às 01:46

    Sou a favor da legalização do aborto, mas achei o texto desnecessariamente na defensiva o tempo inteiro, se expressando exatamente como pessoas com mente fechada se expressam. Esse texto não leva a uma reflexão, apenas incita a divisão e discordia. Texto super mal redigido.

  20. Bruna Postado em 20/Feb/2015 às 06:25

    Sou a favor do aborto! Falar em "impedir o nascimento de uma vida"?! Pra mim, a partir do momento que vc transa, e usa métodos anticontraceptivos, vc ja está impedindo uma vida de nascer. Não?!

  21. anderson Postado em 20/Feb/2015 às 08:34

    Só tenho uma coisa a dizer; Deus é bom, e deixa você plantar o que quiser. Mas Deus é justo, e você vai colher exatamente o que plantou. Ficadica

  22. Emili Postado em 20/Feb/2015 às 14:27

    Cruel é matar um bebê inocente e incapaz de se defender! Ninguém acaba com gravidez indesejada. Gravidez indeseja se evita. Acabam sim é com a vida de um bebê e depois jogam seu corpo triturado no lixo ou ganham dinheiro com produtos cosméticos. Sim, ser contra o aborto pede sim compaixão por estes bebês indefesos mortos de forma cruel e suas mortes não podem ser ignoradas como direito de outrem de mata-los porque não deseja suas vidas. Que entregue para a adoção, mas mandar um mercenário enfiar um instrumento pra triturar o corpo de um inocente não é saída, não é escolha, nao é solução, nao é alternativa e não é direito humano nem de longe. Só se for direito dos desumanos. E é um ato q nao ajuda nenhuma mulher. Existem várias formas de morrer. Matar o próprio filho em procedimento de aborto, no seu momento mais vulnerável, indefeso e carente de cuidado cok certeza é uma delas. Muitas mulheres ja foram enganadas e iludidas por essa cultura de morte e sabem do tanto q morreram junto e o sofrimento q isso causa.

  23. Rodrigo Postado em 20/Feb/2015 às 15:52

    (Outro Rodrigo) A questão pode ser simplificada perguntando assim: "você gostaria de ter sido abortado ou ainda submetido a infanticídio? Você gostaria que outrem, arbitrária e individualmente, tomasse decisão quanto ao seu direito de nascer e viver, excluindo você do processo decisório?"

    • João Questão Postado em 20/Feb/2015 às 22:25

      A resposta para a primeira pergunta é: irrelevante, porque ninguém que tenha sido abortado estaria vivo para responder a essa pergunta. A segunda é: irrelevante, porque a 'pessoa' não tem nenhuma capacidade de participar de processo decisório nenhum antes mesmo de nascer (na verdade nem até ter capacidade de limpar a própria bunda, sim?) Essa é uma questão política, e nessa conversa não cabe essas suas fábulas e fantasias impressionistas.

  24. anonimo Postado em 06/Oct/2015 às 16:23

    Se não quer filho porque vc dá então? Além do mais o cabeça vazia, se você é capaz de ter uma criança indesejada você também é capaz de ter uma doença indesejada.