Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 20/Feb/2015 às 18:30
8
Comentários

Regras sexistas da Qatar Airways geram polêmica

Aeromoças da Qatar Airways estariam proibidas de se casar e engravidar. Companhia aérea que foi eleita a segunda melhor do mundo no ano passado acaba de comprar uma séria briga com os aeroviários

qatar airways sexismo preconceito
Qatar Airways foi considerada a segunda melhor companhia aérea do mundo em 2014 (divulgação)

A Qatar Airways, considerada a segunda melhor empresa aérea do mundo, acaba de comprar uma séria briga com os aeroviários. Ao assinar contrato de trabalho, as aeromoças são informadas de que não podem se casar pelo menos nos próximos cinco anos, sob pena de demissão.

Engravidar também é proibido, segundo denúncia da ITF, a poderosa federação internacional dos aeroviários.

“Em 2014 a empresa foi nomeada a segunda melhor companhia aérea do mundo, mas em se tratando de direitos dos trabalhadores a Qatar Airways realmente deixa a desejar”, afirma a entidade que representa os trabalhadores do setor aéreo.

A entidade sindical entrou em contato com o Barcelona, pedindo que o clube espanhol reveja sua lucrativa parceria com a Qatar Airways, tendo em vista o desrespeito com os trabalhadores.

A companhia aérea, em comunicado enviado para o “Washington Post”, tentou neutralizar as críticas e alegando que existem muitas aeromoças casadas trabalhando na companhia.

Mas, para piorar a controvérsia, Akbar Al-Baker, CEO da empresa, comentou: “Quem deseja trabalhar na Qatar Airways deve obedecer os nossos princípios, e se você é um adulto e aceitar essas condições, então você não deveria reclamar”.

Gabriel Mocho, secretário de aviação civil na federação internacional dos trabalhadores de transportes aéreos, responde: “O tratamento dispensado aos empregados da Qatar Airways vai muito além da questão da diferença cultural. Quando se trata de direitos das mulheres, esta é a pior de todas as companhias aéreas do mundo”.

Agência Estado

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 20/Feb/2015 às 20:28

    Então se case ou tenha filhos com 6 anos pra cima. Ou não se case nem tenha filhos e continue feminista pra sempre. Fui....

    • BRUNO SILVA Postado em 21/Feb/2015 às 08:20

      Sempre tem uns idiotas para falar besteiras sobre assuntos serios...

    • eu daqui Postado em 23/Feb/2015 às 11:56

      O que mais tem é feminista casada e mãe, Jonas. Como é que alguém é feminista casada com um brasileiro, não me pergunte que pra mim sempre será um mistério insondável.

  2. Thiago Teixeira Postado em 21/Feb/2015 às 07:45

    A empresa quer zelar pelo bem estar das suas funcionárias. Casamento é uma desgraça, acaba com a saúde das pessoas!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkk Brincadeiras a parte, muito desumano e desnecessária a atitude, pois está na cara que a empresa quer suas aeromoças esbeltas, corpinho de menina, sob a premissa que a gravidez vai modificar o corpo, a funcionária vai ficar meses fora do trabalho e toda aquela mesquinharia capitalista que é aplicada nos trabalhadores. Conheço muita mãe de 3 ou 4 filhos muito mais em cima que muita solteirona por ai.

    • eu daqui Postado em 23/Feb/2015 às 11:58

      É que a solteirona é independente, mino. Não precisa, portanto, viver se violentando pra agradar ao padrão dos outros.

  3. Salomon Postado em 22/Feb/2015 às 00:55

    Existem Tratados internacionais que garantem regras mínimas de dignidade humana. A empregada da empresa é, antes de tudo, uma mulher e merece respeito. Não poder casar ou engravidar em troca da manutenção de um emprego? Isso me parece um retrocesso civilizatório. Toda empresa tem sua função social. Mas, a lógica que preside tudo é o lucro a qualquer custo. A mulher deixou de ser sujeito de direito e passou a ser objeto de direito. A empresa aérea está na rota da barbárie.

    • ana l Postado em 23/Feb/2015 às 10:43

      Salomon, seu comentário deveria estar presente no fechamento da reportagem acima. De suma importância.

  4. Murilo Postado em 22/Feb/2015 às 17:42

    Foram mal assessorados, pois daria tranquilamente para entrar com uma ação na justiça brasileira e resgatar os direitos violados!