Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 20/Feb/2015 às 11:43
41
Comentários

Os ingredientes de um lento golpe de Estado

O golpe não é um ato imediato quando há muitas questões em jogo: uma população com grau de escolaridade razoável, com acesso à mídia alternativa, um grande número de pessoas que desconfiam da mídia hegemônica e serve de impedimento à intenção dos ansiosos

direita democracia Impeachment dilma petrobras
O cenário de golpe está sendo construído novamente pela mídia hegemônica (Imagem: Pragmatismo Político)

Lucivânia Nascimento dos Santos*, Pragmatismo Político

Os brasileiros estão assistindo diariamente as notícias sobre as investigações que estão sendo feitas pela Polícia Federal no caso da Petrobrás, empresa de economia mista que tem maior parte de seu capital pertencente ao Estado e que terá 75% dos royalties do pré-sal por ela explorado, destinados à Educação e 25% destinados à Saúde e não estarão destinados ao mercado de ações para render dividendos aos investidores bilionários internacionais do mercado especulativo, o que não agrada aos defensores do capitalismo financeiro. Por outro lado, o governo federal está ocupado pela presidente Dilma Rousseff, uma chefe de Estado que foi eleita por uma maioria que deposita nela a expectativa de um governo de tendência de esquerda como foi no seu primeiro mandato, para atender a classe trabalhadora, que não vive do mercado de ações, nem é beneficiada por lucros bilionários das multinacionais.

É neste cenário, onde a eleição presidencial ocorreu com um resultado apertado, onde se tentou deslegitimar o voto da maioria dos eleitores, empreendendo-se ataques aos eleitores da presidente, com a postagem de comentários xenófobos e de preconceito de classe nas redes sociais, empreendendo-se tentativas de recontagem de votos por parte do candidato derrotado, sabendo-se que o sistema eleitoral do Brasil é um dos mais seguros do mundo, que a direita tenta voltar ao poder com mais sede do que nunca, tendo sempre como parceiras emissoras que não escondem sua parcialidade política.

Para derrubar um presidente em um cenário onde as informações são veiculadas rapidamente e já não se tem uma população analfabeta como a população do Brasil em 1930 e 1964, é preciso muito mais do que articulações internas no Congresso e nas altas esferas dos partidos de oposição. É preciso criar todo um cenário de instabilidade externa a esfera do poder oficial. É preciso do apoio incondicional da mídia hegemônica e é preciso convencer o povo
através dessa mesa mídia porta-voz de um grupo hegemônico descontente.

O golpe não é um ato imediato quando há muitas questões em jogo: uma população com grau de escolaridade razoável, com acesso à mídia alternativa, um grande número de pessoas que desconfiam da mídia hegemônica e serve de impedimento à intenção dos ansiosos pelo golpe. Mas é preocupante constante tentativa de derrubar a chefe de Estado, tendo como lastro emissoras e revistas em parceria com o grupo de direita derrotado nas urnas convencendo a população a falar em impeachment e tendo um Congresso Nacional com deputados federais como Jair Bolsonaro e Augusto Rosa (PR) – este último, ex-oficial da Polícia Militar de São Paulo, anda fardado nas sessões da Câmara Federal, exibindo medalhas de condecoração sobre a vestimenta de solenidade de oficial militar, mesmo tendo sido obrigado a ir para inatividade por exercer o cargo de deputado, além de afirmar que está criando o Partido Militar Brasileiro (PMB) e declarar que seus correligionários são originários da “revolução democrática de 1964“, da Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido criado no início da Ditadura Militar e que deu respaldo aos presidentes militares.

A arquitetura de tentativas de golpe de Estado nos últimos anos, no Brasil, teve início muito antes do “não vai ter copa“. Teve início durante a gestão do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, que tinha o apoio da ampla maioria da população e um Congresso que não conseguia reunir razões para um impeachment, mesmo tendo um grande número de opositores ao governo. Atualmente o cenário de golpe está sendo construído novamente pela mídia hegemônica, que tem aparatos em grandes emissoras e editoras de revista claramente de direita e ansiosas por terem a sua vontade política ascendendo ao poder.

Tem sido transferido para os telespectadores o descontentamento de uma pequena parcela que controla a informação, tentando fazer com que a maioria do povo brasileiro se sinta representado por uma insatisfação que não é dele, mas que ganha representatividade quando se cerca todos cantos em torno da presidente. Então, a parcela da população que na verdade é representada pelo governo em vigor, passa a não se sentir representada por ele. Começa-se a por em dúvida a legitimidade do governo.

Obviamente é preciso que se investigue e se apure as denúncias no caso da Petrobrás e que sejam punidos os comprovadamente culpados de crimes, como se deve investigar e apurar crimes não só na Petrobrás, mas em qualquer entidade pública ou empresa privada. Mas a mídia hegemônica está tornando os depoimentos feitos pelos próprios investigados como se fossem textos de telenovelas jornalísticas, como se os depoimentos fossem provas, antes que qualquer prova documental seja apresentado pelos depoentes chamados delatores ou encontrados pela Polícia Federal que comprovem o depoimento. Isso não é por acaso: as ações da Petrobrás passam a ser afetadas, o clima de desconfiança internacional serve de subsídio ao discurso interno de necessidade de privatização da estatal.

No entanto, para privatizar uma empresa estatal forte como a Petrobrás, precisar-se-ia de um presidente disposto a privatizá-la, o que não é o caso da presidente Dilma Rousseff. Portanto, os ataques diários em emissoras de TV se alinham com os objetivos da direita de retornar ao governo federal, mesmo que por vias não-democráticas, para atender as expectativas do mercado internacional que tem interesse no petróleo brasileiro, na exploração do pré-sal e nos dividendos da Petrobrás.

*Lucivânia Nascimento dos Santos é graduada em Geografia (Licenciatura) pela Universidade Estadual de Santa Cruz – UESC e colaborou para Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 20/Feb/2015 às 12:01

    Golpe de coxinhas no meu país, só comigo morto.

    • BRUNO SILVA Postado em 20/Feb/2015 às 12:39

      Vdd Thiago, os porcos não sabem perder e tentar na proxima.

      • Félix Postado em 20/Feb/2015 às 15:44

        Dilma não é Collor e o PT não é o PRN. Esqueçam. Terão que engolir a Dilma, depois o Lula, depois Haddad...

    • eu daqui Postado em 20/Feb/2015 às 12:49

      Cuidado, mino. Isso pode naõ ser tão difícil. Em todo caso, é melhor morrer de pé do que viver de joelhos.

  2. Cogito Postado em 20/Feb/2015 às 12:02

    A mídia em sua maioria é de direita e contra o governo, fato....a corrupção na Petrobras vem da época do FHC outro fato...porém nada disso muda a situação atual do PT, mergulhado em escãndalo atráz de escãndalo, cansei de defender o Indefensável, apesar das conquistas sociais o PT vem se tronando cada vez mais sujo, com o aval de suas lideranças, ou vocês acreditam nesse papo que "não sabiámos", se for comprovado o uso de dinheiro proveniente de corrupção ligada a Petrobras na campanha de Dilma, que haja o impeachment, que o PT caia e que tenham a capacidade de voltar as origens, não podemos defender corruptos como fazem os que defendem alguém que construiu um aeroporto com dinheiro publico em terreno de sua familia....cairemos na vala comum....do "rouba mas faz"

  3. Pereira Postado em 20/Feb/2015 às 12:02

    O sonho dessa turma de esquerda é fazer como o ditador Maduro fez na Venezuela. O sonho deles é ter um exército e uma polícia partidária que prenda e torture todos os opositores. Qualquer manifestação contra o governo logo é tachada de golpismo e tacá-le cana nos manifestantes. Eu já não sei se eu sinto raiva ou pena da Dilma. Na "democracia" esquerdista é terminantemente proibido criticar o partido-pátria e o governo. Pobre diabos !

  4. Moep Postado em 20/Feb/2015 às 12:03

    O que fumou antes de escrever aquilo? Gostaria ter algo disso

  5. Pereira Postado em 20/Feb/2015 às 12:11

    ó !!! o Thiago Teixeira vai impedir as manifestações contra o PT e sua quadrilha esquerdista. Estamos morrendo de medo.

    • Tchekowski Postado em 20/Feb/2015 às 12:44

      O papagaio é incapaz de criar pensamentos próprios. Então vive a repetir o que lhe foi ensinado pelos seus donos. Quando o papagaio diz coisas feias, não é culpa dele, mas sim de quem o ensinou a falar. Tenhamos piedade do papagaio. Em seu habitat natural, o papagaio imita o canto de outros pássaros. Já os papagaios domesticados imitam os humanos e isso distorce a sua verdadeira origem. Liberdade aos papagaios!!! Os deixem voar pelas florestas e aprender o canto dos outros pássaros, livrando-os da enfadonha repetição de palavras incutidas na marra pela vontade dos seus donos! E voando mais além, o papagaio poderá chegar até a Venezuela e ver com seus próprios olhos que aquele pequeno país conturbado nada tem a ser copiado pelo Brasil. Talvez daí o papagaio pare de repetir as mesmas ladainhas de sempre.

    • Marcos Vinicius Postado em 20/Feb/2015 às 12:59

      Pérolas aos porcos!

    • Thiago Teixeira Postado em 20/Feb/2015 às 18:16

      Experimentem chegar perto do Palácio da Alvorada. Meia dúzia dos Dragões da Independência enfiam a espada deles dentro do seus fígados. Fazer passeata na Paulista e depois tomar um chopinho na Faria Lima vendo a repercussão do PiG nos tablets é moleza.

  6. Tchekowski Postado em 20/Feb/2015 às 12:21

    A Globo se utiliza de ataques diretos ao Governo Federal sobre temas relacionados a má gestão de escolas e postos de saúde, que são responsabilidade dos municípios, bem como a falta de segurança e baderna nos presídios os quais são geridos pelos estados. Colocam tudo no mesmo saco e pintam o retrato de um Brasil esculhambado que ninguém aguenta mais. Já os governos paulistas, os maiores anunciantes da Globo, são tratados com uma blindagem midiática, sendo que até no Big Brother o tema abordado é a economia de água, como se a culpa pela falta de abastecimento fosse ocasionada pelos gastos em excesso por parte da população e não pela venda da SABESP, divisão dos lucros e falta de investimento por duas décadas.

  7. Guilhermo Postado em 20/Feb/2015 às 12:23

    Prevejo treta nos próximos comentários! ;D Quanto ao impeachment, acho que não vai acontecer.

    • eu daqui Postado em 20/Feb/2015 às 12:50

      Há que se ter prova cabal de coisa grave...........

  8. Eduardo Postado em 20/Feb/2015 às 12:24

    Ah entendi, quer dizer que quem esta descontente com a Presidenta não é o povo, é "uma pequena parcela que controla a informação"? O Datafolha mostrou algo diferente do que a autora tenta sugerir.

  9. José Postado em 20/Feb/2015 às 12:52

    Ao Pereira, esse suposto sonho da esquerda já aconteceu no Brasil... mas foi a direita que executou, lembra? foi durante a ditadura civil militar que começou em 64. Ou ditadura de direita pode? Hoje coxas como tu podem se manifestar livre e democrática, inclusive bradando contra essa mesma democracia e contra o Estado de Direito. Curioso não? Se fosse ditadura mesmo queria ver tu sair pra rua pra pedir impeachment de alguém.

  10. Arthur Postado em 20/Feb/2015 às 13:06

    a nova-velha direita tá com tudo. E inchou. Entretanto, essa tese de golpe, é forçar a barra demais. PT tá apanhando muito sim, como sempre, mas golpe, é tudo mentirinha. Não vai ter golpe nenhum.

  11. Pereira Postado em 20/Feb/2015 às 13:52

    "durante a ditadura civil militar que começou em 64".José, Deixa eu te dar uma aulinha de história meu filho, aproveita que é de graça. Em primeiro lugar vários golpes estavam em andamento, quase como numa corrida. tinha o golpe da esquerda comunista, tinha da esquerda radical(que queria derrubar o Jango também), tinha o golpe da ultra direita(que ja tinha armado centenas de mercenários, pronto para uma guerra civil), tinha o golpe militar. Acabou que o Mourão filho se precipitou e o militar venceu. Segundo, o período da ditadura militar foi o período que o Brasil mais cresceu economicamente passando da 27 economia para a 8. No governo do PT maquiaram a suba da oitava para a sétima e estavam comemorando. Terceiro, onde há democracia no Brasil ? não há uma mídia de direita no Brasil, a esquerda aparelhou 80% da grande mídia. Com a exceção da Veja e mais meia dúzia de jornalistas espalhados, todo o colunismo atual é de esquerda. Veja quem são so colunistas da folha por exemplo. Até Guilherme Boulos, o coxinha vermelho, e Jânio de freitas, que criticou a repórteres sem fronteiras por ter criticado a lista negra de jornalistas criada pelo Cantalice falam remuneradamente. Quarto, na comissão da mentira da Dilma, apenas 391 pessoas foram oficializadas como mortas pelo regime. Os 119 mortos pelas milícias de esquerda mortas antes do AI-5 ainda esperam por justiça e as famílias por indenizações. Isso não chega nem perto do que o Fidel castro e o che guevara mataram na gloriosa Cuba(outra ditadura militar). Vai estudar meu filho antes de dar palpite furado. Aconselho a ler o bom historiador Marco antonio Villa.

    • M. Scott Postado em 20/Feb/2015 às 14:06

      "Bom historiador" Marco Antonio Villa. A piada é essa. E os outros é que precisam estudar...

    • José Postado em 20/Feb/2015 às 14:46

      Sr Pereira. Vais dar aula de história para um historiador? Mais humildade meu caro. Mas vamos lá: 1- "Em primeiro lugar vários golpes estavam em andamento, quase como numa corrida": Incorreto: não havia qualquer indício de "golpes de esquerda", muito menos comunista. Vai estudar antes de repetir frases de sentido comum. O Brasil da década de 60 vivia um momento de transformações políticas, econômicas e sociais, dentro de uma conjuntura específica da America Latina no mundo. Nesse contexto o modelo de substituição de importações adotado no período entre guerras e que havia permitido crescimento econômico até meados das anos 50 estava esgotado. Junto com isso vivíamos um processo de urbanização e industrialização que havia transformado a sociedade brasileira. vários setores da sociedades buscavam ampliação da participação política e, por consequência, dos rumos do país. Na política havia tido a renúncia de Janio e a tentativa pelo congresso de impedir a posse de Jango. Jango assume e busca implementar as reformas de base: política, eleitoral, tributária, agrária. Essas nada tinham de comunistas e sim, de acompanhar as mudanças do Brasil. Porém ia em contra aos interesses de setores hegemônicos e do capital internacional. Em um contexto de Guerra Fria, qualquer tentativa de soberania nacional ou de ampliação de participação social era vista como "coisa de comunista" (vai ver a Alemanha, Suécia, Canadá e os próprios EUA eram comunas por garantir o bem estar dos seus cidadãos). Sobre golpes e "contragolpes" (invenção para justificar o que ocorreu): a única questão comprovada documentalmente eram as relações entre o empresariado brasileiro (através do IBAD), setores conservadores da classe média e políticos (udenistas), junto com o apoio da Embaixada do EUA (documentado e comprovado) - que fomentaram a oposição às reformas de base defendidas pelo (Jango) e o posterior golpe civil militar. Só para te lembrar: o golpe da direita, com apoio de parte das Forças Armadas, já havia sido ensaiado em 55 contra JK e depois em 61 contra o mesmo jango. A direita já estava nesse processo golpista (como sempre) desde que detonou Getúlio Vargas. 2 - "Segundo, o período da ditadura militar foi o período que o Brasil mais cresceu economicamente": cresceu às custas do endividamento do Estado, da precarização da mão de obra, do super faturamento de obras faraônicas, da corrupção dos entes públicos. Tudo o que criticas que os "ptralhas" fazem. Ainda entregaram um país nos anos 80 em crise econômica, com dívida externa gigantesca, desemprego, inflação e desigualdade social sem precedentes na história brasileira. Queres isso de volta? pega pra ti e leva pra casa. Nem vou comentar as outras questões que elencas pois estão mal formuladas, mal escritas e misturadas. E me indicar marco Antonio Villa como um bom historiador já mostra o nível de conhecimento histórico que possuis. Saudações.

    • Wander Postado em 20/Feb/2015 às 20:49

      Marco Antonio Villa?? KKK Tá de brincadeira!! Quem mais? Reinaldo Azevedo?? Para, para!!

    • Vinicius Postado em 22/Feb/2015 às 01:49

      Pereira, já entendi, você é comediante. Só pode... *Outro Vinicius

  12. Ana Maria Postado em 20/Feb/2015 às 14:47

    Pereira meu filho tu fumou ou é alienado assim mesmo?

    • Wander Postado em 20/Feb/2015 às 20:54

      Coitado, ele não vai nem responder de vergonha depois da AULA que o Sr José deu pra ele e para todos nós e de GRAÇA!

    • Vinicius Postado em 22/Feb/2015 às 01:50

      Calma ele é só comediante. KKK Só pode...*Outro Vinicius

  13. paulo Postado em 20/Feb/2015 às 15:18

    pp devia parar com essa loucura achar que o psdb ta querendo fazer golpe nao se esquecendo que o PMDB ja possui o comando do senado e da camara a vice presidencia a maioria em ambas as casas e controla a maioria dos estados sendo quase a metade todos governadores do PMDB acordem por favor

    • Gustavo Postado em 20/Feb/2015 às 15:53

      Cunha foi eleito com apoio do PSDB.

  14. Angela Postado em 21/Feb/2015 às 01:29

    Sr.José deu um banho de história no Pereira...coitado!!

  15. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:07

    José.Que historiador meu filho, no máximo tu é um proferssozinho de história e péssimo palpiteiro. Qual obra importante de história tu tem publicada ? Que palestras tu ministrou ? me fale um título de algum livro que tu tenhas publicado.

  16. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:15

    "Jango assume e busca implementar as reformas de base: política, eleitoral, tributária, agrária. Essas nada tinham de comunistas e sim, de acompanhar as mudanças do Brasil." Ele estava pronto para expropriar donos de terras no paraná, isso ficou claro no famoso comício da central do Brasil, que praticamente foi a gota dágua para a intervenção militar. A sociedade civil em peso queria a queda de Jango e não intervençao militar. Veja os editotrias como o "Basta!!" e o "Fora !!!" feitos por Edmundo Moniz, Osvaldo Peralva, Newton Rodrigues e Otto Maria Carpeaux. O primeiro era um notório esquerdista. O Carlos heitor cony ainda é vivo, pergunte para ele que era coloborador se o povo queria golpe. Qual obra que tu publicou que eu lerei com prazer.

  17. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:19

    Historiador é o Marco antonio villa que possuí obras publicadas e prêmios conquistados; tu não passa de um professor de história de segundo grau.

  18. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:35

    "junto com o apoio da Embaixada do EUA (documentado e comprovado) -" Os documentos que o senhor fala são compravados, comprovados falsos. A tal ligação feita pelo embaixador lincoln gordon nunca existiu, não havia um agente da CIA no Brasil na época. Os documentos timbrados era do FBI porque não conseguiram um timbre da CIA. Na ligação parece que o presidente Lindon jhonson nada sabe de golpe. Então uma coisa supostamente planejada e custeada pelos EUA não era de conhecimento do presidente ? Isso um dia antes da intervenção, e o presidente nada sabia. Nem vou entrar no mérito que a verdadeira conspiração no Brasil era do STI, serviço da Checoslováquia a serviço da KGB. Há bibliografias que sequer foram traduzidas para português e dezenas de desertores que aqui trabalhavam em favor do comunismo soviético. Posso citar várias bibliográfias e palestras. Acharam um coitado do FBI que estava em férias no Brasil e assassinaram o Charles Chandler que veio estudar e só. A lista de agentes e jornalistas que trabalhavam no Brasil para a KGB é imensa.

  19. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:38

    "do super faturamento de obras faraônicas, da corrupção dos entes públicos". então me cite um presidente militar ou apoiador militar que ficou rico. Todos morreram pobres.

  20. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:42

    "havia sido ensaiado em 55 contra JK e depois em 61 contra o mesmo jango". Em 61 já haviam milicias de esquerda financiada por Fidel Castro. Todo o mundo queria tomar o governo a força. A sociedade civil em peso queria a queda e não intervençao militar. Os milicos prometeram eleições e não cumpriram, essa foi a caga...da. ditadura mesmo foi de 1968 com o AI-5 até 79.

  21. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 12:47

    "inflação e desigualdade social sem precedentes na história brasileira. Queres isso de volta?" Quem acabou com a inflação foi o FHC e não o PT. Quem inventou os bolsas foi o FHC e não o PT. Não que eu morra de amores por FHC(um notório esquerdista dos anos 70, muito menos pelo PSDB). O PT quer dizer que quem inventou a corrupção foi o PSDB(já é motivo para chacota essa desculpa). A corrupção não foi os milicos nem o PSDB e nem o PT quem inventou, o que o PT inventou foi a corrupção sistemática. A corrupção como arma para manutenção de poder e cumprimento da agenda revolucionára. Isso eu não quero nunca mais.

  22. Pereira Postado em 23/Feb/2015 às 13:00

    Em tempo, a inflação já voltou. Só para a seita petista o Brasil vive a era de pleno crescimento e emprego. Não cola mais.

  23. José Postado em 23/Feb/2015 às 18:41

    Prezado Sr. Pereira, não costumo responder a ataques Ad Hominen, mas apenas questiono argumentos. No entanto acabo de descobrir que de nada me serviram 10 anos de estudos entre graduação e pós, já que bastava eu aprender com tua pessoa e tuas referência sobre processos históricos para entender de História. Obrigado por me iluminar, pena que foi tarde. Só para constar: qualquer "professorzinho de ensino médio" tem no mínimo 04 anos de estudos, instrumentalização na parte teórica e de didática e análise crítica sobre passado e presente: um pouquinho mais de respeito aos educadores do nosso país. Os demais argumentos nem tenho com discutir pois elencas fatos sem comprovação alguma (supostos documentos não traduzidos) contra análise histórica baseada em elementos políticos e econômicos passíveis de comprovação ou ao menos não falseáveis. No caso específico do golpe a operação Brother Sam (nome dado ao apoio do EUA ao golpe) está mais que comprovada documentalmente. De resto apenas argumentações que carecem de sentido histórico baseadas mais em posições político ideológicas e que tentam explicar o passado pelo presente.Pura tautologia. Só uma questão: baseado na tua própria lógica, se justificaria um golpe pela suposta tentativa de outro golpe ou seja, a direita deu o golpe em 64 pelo fato que viria um golpe da esquerda (nem vou comentar sobre comunismo pois te confundiria mais) - golpe justificável na tua visão. Então, se é justificável para um lado...concordas que pode ser para o outro. Pela tua própria visão se tivermos um golpe de esquerda este estaria justificado porque a direita está tentando fazê-lo nesse momento. Ou só vale pro lado que achas correto? Muito democrático não é mesmo? O fato que não há como falsear historicamente é que, independente da justificativa, somente a direita deu golpe nesse país, portanto foi golpista sim, foi antidemocrática sim, foi violenta sim, foi corrupta sim, foi repressiva sim e entregou um país pior do que recebeu. Saudações

  24. gustavo Postado em 25/Feb/2015 às 13:22

    É, ditadura de direita né........http://videos.clicrbs.com.br/sc/diariocatarinense/video/diario-catarinense/2015/02/desocupacao-br-282-xanxere/114986/

  25. Ricardo Postado em 27/Feb/2015 às 19:58

    O cara compara cumprimento de medida JUDICIAL com ditadura. Aí não dá.

    • gustavo Postado em 01/Mar/2015 às 13:37

      É, na ditadura também se achava certo coibir protestos e manifestaçoes com base nas leis vigentes na época...