Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cuba 13/Feb/2015 às 12:17
3
Comentários

Netflix e ponte aérea com Nova York: as novidades de Cuba em 2015

Cuba receberá voos de Nova York a partir de março; Netflix estreia na ilha. Retomada de relações entre Cuba e EUA e flexibilização de restrições à ilha começam a apresentar efeitos na vida de cubanos e norte-americanos

cuba havana netflix nova york
Entardecer em Havana, Cuba (arquivo)

O serviço de streaming de filmes e séries Netflix anunciou que seus produtos já podem ser acessados em Cuba desde a última segunda-feira (9). Como outra face da retomada das relações diplomáticas entre Cuba e os Estados Unidos e da suavização das restrições impostas à ilha, os voos entre Havana e Nova York, suspensos há mais de uma década, serão retomados a partir de 17 de março.

Filmes, séries e documentários da Netflix estarão disponíveis para usuários com cartão de crédito internacional e conexão de banda larga. A oferta do serviço em um país onde apenas 5% da população tem acesso à internet por meio de banda larga fixa é mais simbólica do que comercialmente relevante e faz parte do programa de expansão da Netflix para mais países.

SAIBA MAIS: Finalmente, como vivem os cubanos?

“Cuba tem grandes cineastas e uma cultura artística robusta e um dia nós temos esperança de que eles possam mostrar o trabalho deles para nossa audiência global de mais de 57 milhões de membros”, disse o co-fundador e CEO da Netflix Reed Hastings no comunicado divulgado à imprensa.

Por outro lado, com faturamento certo, a agência Cuba Travel Services afirmou que já foram vendidos 120 dos 162 lugares disponíveis para o voo de 3h40 dos Estados Unidos a Cuba.

A viagem inaugural custará US$ 779 e as demais US$ 849 e será operada pela empresa aérea Sun Country. Os aviões sairão todas as terças-feiras do aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, em direção ao José Martí, em Havana.

Assista à charge animada de Fernando Carvall e André Sakurai, sobre a reaproximação EUA-Cuba:

Opera Mundi

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Luís Postado em 13/Feb/2015 às 14:11

    Tem um site de humor chamado Cracked, cujos artigos são sempre sobre algum fato real, frequentemente entrevistando alguém. Na hora que eu li essa notícia, me lembrei desse artigo muito legal (http://www.cracked.com/article_21045_5-things-you-only-know-if-you-grew-up-in-communist-regime.html) sobre coisas que você só sabe se cresceu em um país comunista. Na hora que eu li essa notícia me lembrei do ponto 5 desse artigo: a pessoa entrevistada fala sobre como ao assistir Dallas - seriado americano que funcionava como propaganda anticapitalista ao retratar o protagonista, um magnata corrupto e cruel, como um porco que maltratava e pisava em todos ao seu roder, sendo liberado pela ditadura socialista romena justamente por isso - ficava chocada com todas as coisas magníficas que até os personagens "miseráveis" tinham, muito além do que qualquer romeno podia sonhar em ter. Quem sabe a abertura cultural - como a entrada do Netflix - tenha um efeito similar em Cuba: os cubanos vão ver que a vida podia ser muito melhor do que é em um miserável país socialista dominado por uma ditadura brutal. Eu acho que uma revolta que parta daí seria muito mais eficiente que qualquer invasão militar que os americanos fizessem durante a Guerra Fria, já que seria uma rejeição final às ideias de esquerda partida do próprio povo. Em 1984 do George Orwell, um dos principais motivos por que a população não se revoltava contra o Partido era este estar havia tanto tempo no poder que as pessoas não faziam ideia que a vida podia ser melhor, diferente do que era.

  2. Thiago Teixeira Postado em 13/Feb/2015 às 19:30

    E cadê o dinheiro da privatização da Vale, CSN, Fepasa, Telesp, Telerj e Telebrás????? Nenhum colunista coxinha fala nada?

    • José Ferreira Postado em 13/Feb/2015 às 22:54

      Isso não responde a pergunta do Rodrigo. É feio responder uma pergunta com outra pergunta.