Redação Pragmatismo
Compartilhar
São Paulo 03/Feb/2015 às 11:43
14
Comentários

Billings: Alckmin pode levar água contaminada à população

Chamada pelo governador Geraldo Alckmin de “caixa-d’água de São Paulo”, Billings tem bactéria que causa perfuração no intestino. Maior parte da represa é contaminada por esgoto, metais pesados e poluentes orgânicos permanentes; especialistas da Unicamp confirmam riscos

alckmin billings represa
Geraldo Alckmin, governador de São Paulo (Bruno Santos/A2 FOTOGRAFIA/Fotos Públicas)

A última proposta do governador Geraldo Alckmin (PSDB), que pretende utilizar a represa Billings para conter emergencialmente a crise de abastecimento no estado de São Paulo, pode trazer uma solução perigosa: repassar água contaminada diretamente à população. Isso porque as estações de tratamento dos sistemas Guarapiranga e Alto Tietê – responsáveis pelo abastecimento de quase 10 milhões de pessoas e que passarão a receber água poluída da Billings (medida já anunciada pelo governador) –, não têm condições imediatas de ampliar a capacidade de purificação da água.

SAIBA MAIS: E se a água realmente acabar em São Paulo?

A maior parte da Billings é infectada por esgoto, metais pesados e POPs (Poluentes Orgânicos Persistentes), consideradas as substâncias mais perigosas e tóxicas do mundo. Uma parte menor está livre desses poluentes (leia matéria abaixo). O uso da parcela contaminada da represa implicaria em distribuir água imprópria para o consumo, sem tratamento específico, o que pode comprometer a saúde da população.

O alerta é do geógrafo, pesquisador e professor da Unicamp Antônio Carlos Zuffo. “Os reservatórios (Guarapiranga e Alto Tietê) não vão dar conta de fazer o tratamento de água poluída da Billings para atender toda a demanda. Por isso, se quiserem utilizar a água da represa agora, farão apenas a desinfecção com cloro e a mandarão para as residências. Mas essa água não poderá ser consumida sob nenhuma hipótese. A cor será escura e o cheiro tão forte que dará náusea”, afirmou o professor.

Até o momento, nenhuma explicação foi apresentada pelo governador ou pelo presidente da Sabesp (Companhia Estadual de Saneamento Básico), Jerson Kelman, sobre como será realizada a distribuição da água contaminada da Billings. A única proposta apresentada, que pretende interligar o Rio Pequeno ao Sistema Rio Grande (ambos braços da Billings), permitindo a entrada de mais 2,2 metros cúbicos de água por segundo, só vai ficar pronta em 2018. O mesmo ocorre com a ampliação da capacidade de tratamento do Guarapiranga e do Alto Tietê.

O próprio governo do Estado é um dos poluidores da represa Billings. Resolução assinada pelo então governador Mário Covas (PSDB), em 1996, passou a permitir que o rio Pinheiros – dos mais poluídos do Pais, que recebe diretamente esgoto de milhões de residências da Capital, além de detritos industriais – despejasse água contaminada à Billings em caso de chuvas extremas, com o objetivo de impedir alagamentos no Centro de São Paulo. O serviço é realizado pela Emae (Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.).

billings alckmin são paulo
(Imagem: Represa de Billings)

Se a represa que banha parte do ABCD foi “descoberta” pelo governo tucano somente agora, no meio da crise, movimentos e associações de defesa ambiental pedem a despoluição da Billings há mais de 20 anos, como o MDV (Movimento de Defesa da Vida), que entrou, em 2010, com ação popular na Justiça contra o bombeamento do rio Pinheiros.

Água da Billings utilizada nas cidades do ABCD é tratada

Como insistem em afirmar o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e sua assessoria de imprensa, a água da Billings já é utilizada por meio dos braços Taquacetuba e Rio Grande (que atende boa parte do ABCD). No entanto, diferentemente do volume que seria transferido, a água captada no Braço Rio Grande é purificada para consumo em estações de tratamento. Ou seja: o montante que já é utilizado atualmente da Billings pela população do ABCD está chegando à casa da população tratado.

Ainda assim, a Região já sente o transtorno da falta de água. Isso porque outros sistemas também abastecem as sete cidades, como o próprio Cantareira, que já opera em seu segundo volume morto.

No ABCD, conforme a Sabesp, residências de 88 bairros de São Bernardo, Diadema, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra passam pela redução de pressão. Contudo, a situação regional é ainda pior, uma vez que a administração de Alckmin não divulga informações sobre municípios que possuem autarquias, como Santo André, São Caetano e Mauá, onde a Sama (Saneamento de Mauá) ampliou o racionamento de água.

VEJA TAMBÉM: Diretor da Sabesp faz revelação assustadora: “Saiam de São Paulo”

Julio Gardesani, ABCD Maior

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas schlesinger Postado em 03/Feb/2015 às 13:07

    A cada dia São Paulo me surpreende. Além de ter um governo que omite os verdadeiros problemas à sociedade, agora querem usar água contaminada para seus cidadãos. Aí quando faço um comentário contra sp, o povo fica a me ofender nos comentários. Mas, como disse, a própria administração é pífia e omissa. Muito melhor é o nordeste com sua calorosa acolhida e não terra de colonos imperialistas regionais, fascistas e arrogantes, além de bairristas. Prefiro o calor da praia, não o ar contaminado. Fiquem aí, caladinhos com a péssima administração. Elegeram? Agora aguentem. Só mais o norte e o nordeste onde já passei muitas férias. Isso que é o verdadeiro Brasil. Um Brasil de acolhida, não de arrogante.

    • Danillo Postado em 03/Feb/2015 às 13:25

      Isso que você se diz acolhedor hein, depois reclama quando te xingam, hahahaha, todo respeito do mundo ao Nordeste, mas gente como você dá nojo, é gente como você que prefere tentar uma vida mansa aqui no Sudeste ao invés de trabalhar dro por aí, gente vagabunda como você vem aos montes pro Sudeste tentar uma vida "melhor" (Leia-se vida vagabunda) e ficam por aqui, jogados as traças, consumindo recursos que não precisariam se fossem trabalhadores. Depois ficam com mimimi de fascismo, não, não é isso, simplesmente não queremos sustentar mais gente do que já sustentamos com nossos impostos que ultrapassam a casa do trilhão. Se quer sustento, trabalhe, é simples, Volto a reiterar o respeito imenso que tenho pelo Nordeste e sua classe de pessoas trabalhadoras e de bem, que essa sim, são acolhedoras e queridas por todo o país.

      • Jonas Schlesinger Postado em 03/Feb/2015 às 15:40

        E é porque diz que tem respeito ao Nordeste. Imagine se n tivesse. Eita porra!!

      • poliana Postado em 03/Feb/2015 às 20:12

        percebe-se q vc tem muito respeito pelo povo nordestino!!!!!!!!!!!!suas palavras falam por si só, seu hipócrita!!!!!!!

    • Denisbaldo Postado em 03/Feb/2015 às 15:48

      Jonas, se o Nordeste é tão melhor que São Paulo, por que tantos nordestisnos aqui estão ralando e se humilhando nas mãos dos arrogantes e fascistas paulistas? O coronelismo do Nordeste que é exemplo de boa administração mesmo. Fique sussa, vamos resolver este problema rapidinho e vocês continuarão a mandar seus filhos abandonados para cá. Obrigado pela audiência, continue a pensar em SP.

  2. renato Postado em 03/Feb/2015 às 13:37

    Como tem gente falando merda nessa porra.

  3. poliana Postado em 03/Feb/2015 às 17:40

    Mas a agua do volume morto já n era contaminada???!!! Qdo a gente pensa q n tem como piorar!!!! VIVA AO ALCJIMIN! eleito em 1* turno com 70% dos votos!!! VIVA AO PSDB!!!!!!! parabéns são paulo...q decadência homérica!!!!!

    • Washington Postado em 04/Feb/2015 às 13:03

      O volume morto não era água contaminada propriamente dita.. É uma água onde encontram-se mais sedimentos (lodo, barro). Dá mais trabalho para ser tratada. Já a água da Billings é uma verdadeira bomba. Além da contaminação biológica que por si só já é prejudicial, ainda tem a contaminação química. Essa é que me assusta mais ainda. Se houvesse votade política, o Tietê e o Pinheiros não seriam esses esgotos a ceu aberto.

      • poliana Postado em 05/Feb/2015 às 22:17

        Ah, ok washington. Obrigada pela explicação.

  4. poliana Postado em 03/Feb/2015 às 17:54

    Alckimin*

  5. Thiago Teixeira Postado em 03/Feb/2015 às 19:33

    A Represa Billings é a única e mais fácil solução, basta investir no tratamento e buscar alternativas para viabilizar a distribuição. Já vi cidades coletarem água de locais muito piores.

  6. José Miguel Arias Neto Postado em 03/Feb/2015 às 22:04

    Nadando tranquilamente agora pela manha ( eu chegue as 5:30 na academia) fiquei pensando na água....que está por acabar no sudeste....e fiquei pensando como somos privilegiados. Ver uma megalópole como São Paulo ( será que o Rio também? Espero que não pois é o berço dos saquaremas) caminhar inexoravelmente para o caos e para a evacuação é um privilégio que se equipara a assistir o desaparecimento de Pompéia devido à explosão do Vesúvio, as cidades Maias ( uma das teorias é a catastrofe ambiental) ou ao desparecimento de Roma. Talvez este mais próximo, quer pela dimensão e importância da cidade, quer pelos motivos: a incúria administrativa, a corrupção da política, à peste da estupidez dos governantes! Mas de qualquer modo é um privilégio ( macabro é certo, mas um privilégio) ver o desaparecimento de uma megalópole do século XX. Espero que o Paraná consiga varrer a praga que ocupa o governo antes que isto aconteça por aqui também. Ou será que é mera coincidência que Minas, São Paulo tenham sido governados pelo PSDB, partido que eu sempre digo que deixa um rastro de ruína e de destruição por onde passa. Mas alguém me ouve? Alguém acredita em mim? Viva o desparecimento de Roma. Talvez eu mude meu projeto de pesquisa e me candidate a ser um Tácito do século XXI....huahuahuahuahuahuahuahuahua bom dia...

    • Carla Postado em 04/Feb/2015 às 13:42

      Eu moro no nordeste, sou gaúcha. todos os dias rego meu jardim por 1 hora e 30 minutos e penso em SP. Veja bem, eu moro no nordeste. Não vejo sinais de crise da água, fora o óbvio, semi-árido que possui problemas geográficos e não administrativos. Estou preocupada, prevejo o fim de uma civilização, mas toda civilização que acaba tem sua parcela de culpa. Paulistas, reflitam sobre seus atos, ainda é tempo de mudar para o lado iluminado da força.

  7. Washington Postado em 04/Feb/2015 às 13:14

    O que acontece em São Paulo é o reflexo de um sistema irracional em que vivemos. Um sistema que só pensa em produzir, produzir e produzir cada vez mais sem se importar com os danos causados. Se a nossa organização política e econômica fosse mais racional, não veríamos esse caos. Favelas, violência, poluição, caos. São Paulo poderia ter um grande lago na área central, as marginais Tietê e Pinheiros serem parques lineares com uma linha do trem acompanhando o leito dos rios. No entanto a cidade foi feita apenas pensando nos lucros cada vez maiores dos fabricantes de automóveis, da indústria do petróleo, dos barões. Um país onde os coroneis mandavam e desmandavam no Nordeste, São Paulo que já dava sinais do monstro que se tornaria era uma alternativa aquela vida dura que o sertanejo levava. E a cidade que não parava de crescer absorvia aqueles que aqui buscavam uma vida melhor. Os governantes daqui e de lá, sempre a serviço de poucos nunca tiveram como preocupação central o bem estar do povo trabalhador. Passou da hora de fazermos barulho e brigarmos por um sistema mais humano e racional. Aliás, a reforma política tá aí pra gente pressionar.