Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 12/Feb/2015 às 09:28
33
Comentários

Ativistas criticam nova propaganda de carnaval da Skol

Skol irá trocar campanha após acusação de apologia ao estupro. Para ativistas, nova propaganda da marca de cerveja reforça a cultura de opressão à mulher

skol campanha mulheres machista
Ação publicitária que traz mensagens como “Esqueci o não em casa” e “Topo antes de saber a pergunta” foi alvo de protestos (reprodução)

Uma campanha da Skol para o Carnaval veiculada vai ser retirada de outdoors da cidade de São Paulo após intervenção de um grupo feminista. A ação publicitária traz mensagens do tipo “Esqueci o não em casa” e “Topo antes de saber a pergunta”.

Indignadas com os cartazes, a publicitária e ilustradora Pri Ferreira e a jornalista Mila Alves acrescentaram a seguinte frase ao outdoor: “E Trouxe o NUNCA”, feita com fita isolante preta. O resultado da intervenção feita nesta quarta-feira foi postado no Instagram e no Facebook das meninas e foi compartilhado milhares de vezes.

Pri Ferrari disse que considera a campanha irresponsável. “É uma campanha que estimula as pessoas a não respeitarem os seus próprios limites, nem os dos outros. Não é um problema só de passar uma mensagem de desrespeito às mulheres numa época (Carnaval) em que os estupros aumentam, mas de beber além da conta ou de usar drogas só para aparecer ou se afirmar”, afirmou.

Pri disse ainda que um representante da Ambev, dona da marca Skol, entrou em contato com ela por telefone para explicar a motivação da marca por trás da campanha e ouvir o que ela tinha a dizer a respeito. Segundo a publicitária, ele teria dito que a marca faria uma força tarefa para retirar a campanha de circulação.

A fundadora do Think Olga, Juliana de Faria, pondera que a situação requer seriedade. “Entendemos a intenção da campanha em transmitir uma mensagem de liberdade, diversão e celebração. Porém, esse é apenas um jeito de enxergar a situação. Existem, sim, opressões, violências e pensamentos misóginos associados ao universo do carnaval e da cerveja. Então as críticas também são válidas. A intenção de libertar acaba incitando uma cultura opressora. E opressora para as mulheres, constante vítimas de violências – principalmente a sexual”, diz.

Em nota, a Skol afirmou que fará a substituição das frases atuais por novas mensagens mais “claras e positivas” e destacou que repudia todo e qualquer ato de violência.

“As peças em questão fazem parte da nossa campanha “Viva RedONdo”, que tem como mote aceitar os convites da vida e aproveitar os bons momentos. No entanto, fomos alertados nas redes sociais que parte de nossa comunicação poderia resultar em um entendimento dúbio. E, por respeito à diversidade de opiniões, substituiremos as frases atuais por mensagens mais claras e positivas, que transmitam o mesmo conceito. Repudiamos todo e qualquer ato de violência seja física ou emocional e reiteramos o nosso compromisso com o consumo responsável. Agradecemos a todos os comentários”, diz a nota da Ambev.

VEJA TAMBÉM:
Aerolíneas argentinas dão melhor resposta do mundo para passageiro preconceituoso

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. eu daqui Postado em 12/Feb/2015 às 09:48

    kkkkk.......lembro-me de um otário que achou que eu ficaria mais fácil afogada em roska e tudo o que ele conseguiu foi uma bifona no pé do ouvido bem em praça pública......kkkkkkkkkkkk

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2015 às 10:18

      Que da hora mina!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Violência é tudo de bom!!!!!!!!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Milena Postado em 12/Feb/2015 às 10:35

        Violência era o que ela iria sofrer dele se não se impusesse completamente. Violência foi o desrespeito que ela sofreu desse babaca. Violência contra misógino machista imbecil é tudo de bom mesmo.

      • eu daqui Postado em 12/Feb/2015 às 10:35

        Postei na sua intenção, mino. kkkkkk...Sabia que vc, como exterminador de elites e classes mérdias brancas, iria aprovar e amar meus métodos. É a sua cara !!!! kkkkkkkkkkkkk

      • Felininho Postado em 12/Feb/2015 às 12:34

        Vai Thiago Teixeira, coloca seu perfil de FB aqui pra gente saber a cara de quem é favor de estupro.

      • Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2015 às 19:57

        A favor do estupro? Você é louco? De onde você tirou isso?

  2. João Paulo Postado em 12/Feb/2015 às 10:12

    “As peças em questão fazem parte da nossa campanha “Viva ~~RedONdo~~”, que tem como mote aceitar os convites da vida e aproveitar os bons momentos. No entanto, fomos alertados nas redes sociais que parte de nossa comunicação poderia resultar em um entendimento dúbio.[...] Hum tá...Sei.

    • Zalina Postado em 12/Feb/2015 às 11:18

      Péssimo gosto de todo modo.

  3. vitor Postado em 12/Feb/2015 às 10:25

    entendimentos a parte, têm tambem mulheres que nao sabem receber um 'nao'

    • eu daqui Postado em 12/Feb/2015 às 10:36

      As fracassadas por mérito. Que nem os pares do "sexo" masculino.

    • Milena Postado em 12/Feb/2015 às 10:37

      Mas não estupramos, não matamos, não agredimos seriamente por isso. Diferente dos homens.

      • Eduardo Postado em 12/Feb/2015 às 12:23

        muitas vezes humilhação e pouco caso doi tanto quanto violência física.... tudo se resume a RESPEITO MÚTUO.... não tem este de um sexo ser melhor ou mais ou menos correto que o outro, nenhum dos dois vive sem o outro, quando estão sem acabam arrumando brinquedos como estepe.....

      • Felipe Peters Berchielli Postado em 12/Feb/2015 às 17:06

        Voce só pode estar de brincadeira Eduardo. PUTA QUE PARIU,EU VIVI PARA LER(DIA PÉSSIMO PARA SABER LER) QUE O HOMEM É POR VEZES SUBMETIDO A COISA EQUIVALENTE A ESTUPRO PQ É HUMILHADO PELA ESPOSA.

      • Milena Postado em 22/Feb/2015 às 16:24

        Eduardo, QUAL A SUA DOENÇA MENTAL??? Em primeiro lugar: você já foi estuprado, sofreu violência física, foi forçado a fazer sexo contra sua vontade, ficou com um idiota entrando e saindo do seu corpo à força, te rasgando, mutilando e afins, só por você ter dito NÃO?? "humilhação e pouco caso dói tanto quanto violência física" um escambau!! Revoltadinho por ter recebido um não? Cala a boca e vai pro canto, porque se recebeu NÃO foi porque NENHUMA MULHER É OBRIGADA a se relacionar com um homem como você. Segundo: "nenhum dos dois vive sem o outro" então lésbicas ou gays não existem? Óóó, grande revelação, jênio, você é mais um babaca machista e homofóbico. Caladinho, omi. Não suje esse site com sua burrice.

    • Jorge Postado em 12/Feb/2015 às 10:44

      Onde está o desrespeito às mulheres ? Deve Ta escondido na cabeça preconceituosa dessas ai, só pode.... Já disse e repito, feminista é o tipo de "classe" que mais que aparecer sem fazer nada de útil.... Ora vão procurar um livro para ler ou o que fazer de relevante, do que ficar inventando interpretações feministas para as campanhas publicitárias.

      • Escutador Postado em 12/Feb/2015 às 11:17

        Não é por nada, mas elas estão lendo uma tal de Simone de Bevouir, não sei se conhece... o publicitário pode até não ser estuprador, mas está clara a presença da nossa tradição judaico-árabe-cristã, fomentadora do homem como centro irradiador do pensamento e dos vários tipos de machismos. Desculpe, colega, mas a campanha da Skol é tão de mal gosto quanto a própria cerveja.

      • Milena Postado em 12/Feb/2015 às 11:18

        Jorge, alguém do seu tipinho não tem direito nem a resposta. Provavelmente já insistiu insuportavelmente mesmo depois de uma moça dizer não.

      • Jessica Postado em 12/Feb/2015 às 11:23

        Querem igualdade e na hora que a tem voltam atrás com mimimi. Sou mulher, mas sei não... se ofedem demais!

      • eu daqui Postado em 19/Feb/2015 às 14:27

        Se ofedem.......kkkkkkkkkkkk........essa foi ótima........

  4. Deise Postado em 12/Feb/2015 às 11:05

    Eu concordo. Quando vi pensei mais nas minhas amigas quando me chamam pra balada , pra deixar o marido em casa e eu falo não !! kkkkkkkkk No carnaval, vou esquecer o não em casa e sair cazamiga ssssimmm !! Esse foi meu entendimento Mas se for ver pelo machismo que reina nas propagandas de cerveja e em todo nosso cotidiano, só de dar margem para o entendimento da mulher não poder dizer não, já merece ser banida sim ! Não podemos dar margem.

  5. Caio Postado em 12/Feb/2015 às 11:19

    kkk duas gordinha

    • eu daqui Postado em 12/Feb/2015 às 11:33

      kkkkkkkk..........um magrinho

    • Thiago Teixeira Postado em 12/Feb/2015 às 12:06

      Duas mulheres.

    • Felininho Postado em 12/Feb/2015 às 12:35

      Coloca sua foto pra gente ver como você é gostosão.

    • leribeiro Postado em 12/Feb/2015 às 17:53

      Q delícias!

  6. Isa s Postado em 12/Feb/2015 às 11:44

    kkkkkkkkkk realmente tem mt homi que sofre quando a mulher não aceita um não né? tadinhos...

    • leribeiro Postado em 12/Feb/2015 às 17:56

      Por isso q só pergunto: "Vc NÃO quer comigo hoje?"

  7. Rodrigo Postado em 12/Feb/2015 às 13:02

    (Outro Rodrigo) Ai, meu Deus, chegou doer meu "figu"... Fico imaginando a reunião com o cliente e, ao final, todos concordando: "taí, essa é uma ideia 'jenial'" (com "j" de jumento mesmo).

  8. Ricardo Postado em 12/Feb/2015 às 13:30

    Para os babacas que não enxergam problema na campanha basta imaginar um dos seguintes cenários: a)Um outro homem vem e beija a tua namorada. b)Um outro homem vem e te beija.

  9. José Ferreira Postado em 12/Feb/2015 às 16:53

    Elas tem cara de mal-amadas, como toda "feminazi". Existem assuntos mais urgentes a serem tratados. Se falarmos em alistamento militar obrigatório para mulheres (como em Israel) elas saem correndo.

    • eu daqui Postado em 19/Feb/2015 às 14:28

      Se for pra me alistar pra virar genocida como as israelenses eu saio correndo mesmo........

  10. Heber Postado em 12/Feb/2015 às 17:19

    A denúncia dessas garotas é mais ampla do que aquela que o título e o olho da reportagem dão a entender.

  11. Rimária Postado em 12/Feb/2015 às 17:39

    Eu vejo male tears, com que frequência? Na maioria dos comentários.. O choro é livre meus caros, podem achar ruim, dizer q é exagero, ofender o movimento, mas a dupla interpretação é tão clara que até a empresa assumiu isso.