Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cultura 06/Feb/2015 às 12:10
25
Comentários

7 curiosidades sobre Bob Marley, maior expoente do Reggae no mundo

Na infância, Bob Marley lia mãos, chegou a ser preso duas vezes por porte de maconha e, após atentado político, subiu no palco ainda ferido por tiro. No dia em que Bob completaria 70 anos, conheça sete curiosidades sobre o lendário artista jamaicano

bob marley 70 anos
Bob Marley completaria hoje 70 anos. Fãs celebram mundo afora. Rei do reggae teve morte precoce, em 1981, com apenas 36 anos

Vanessa Martina Silva, Opera Mundi

Maior expoente do reggae mundial e um dos principais responsáveis pela difusão da cultura e da religião rastafari, o jamaicano Bob Marley completaria 70 anos nesta sexta-feira (06/02). Para marcar a data, a Jamaica realizou uma semana de celebrações e diversos eventos estão sendo realizados em todo o mundo para homenageá-lo. Um álbum inédito também será lançado hoje pela Universal Music com as gravações realizadas por um fã durante a turnê promocional do álbum Kaya de 1978.

Bob nasceu em 6 de fevereiro de 1945 na cidade de Saint Ann, no interior da Jamaica. Tornou-se mundialmente conhecido pelo grande senso de justiça em suas letras, pela defesa da libertação nacional, do empoderamento dos negros, da luta contra o racismo e pela universalização dos direitos civis. Como reconhecimento desse papel, as Nações Unidas lhe concederam a Medalha da Paz do Terceiro Mundo, em 1978. Na Jamaica, também recebeu as três maiores condecorações: Honra ao Mérito da Jamaica, “Order of Merit”, Herói Nacional e o “Order of the National”, que é reservado para governadores, generais e premiês.

A qualidade musical e Bob Marley e o grupo que o acompanhava, o The Wailers, foi reconhecida com diversos prêmios. A BBC classificou a música “One Love” como sendo a canção do milênio e o cantor e compositor foi eleito o 11º maior artista de todos os tempos pela revista Rolling Stones.

Na única visita que fez ao Brasil, declarou: “Músicos devem ser porta-vozes para as massas oprimidas. No nosso caso, a responsabilidade é ainda maior por causa de nossas crenças religiosas. A filosofia do reggae explica tudo isso. O reggae se propagou a partir dos guetos, e tem sido sempre fiel a suas origens, trazendo ao mundo uma mensagem de revolta, protesto e luta pelos direitos humanos”.

1) Criança sensitiva
Quando tinha quatro anos, Bob começou a pressagiar a partir da leitura da palma da mão. Como as previsões invariavelmente eram acertadas, ficou conhecido na região. Um dia, quando já era famoso, voltou a Kingston e uma mulher pediu que ele lesse a mão dela. Diante do pedido, respondeu: “Eu não estou mais lendo mãos. Estou cantando agora”.

2) Prisão
Em 1968, Bob passou um mês na prisão na Jamaica por porte de maconha. Durante este tempo, conheceu alguns prisioneiros com os quais criou forte relação. Eles o motivaram a escrever músicas com mensagens políticas mais contundentes. Em 1977, voltou a ser detido pelo mesmo motivo, em Londres. Devido ao uso religioso da maconha pelos rastafaris, Bob foi um ativo defensor de sua legalização.

3) Futebol
Bob nutria uma grande paixão pelo futebol e chegou a jogar na equipe jamaicana House of Dread. Em uma de suas fotos mais famosas no Brasil, aparece com o cantor Chico Buarque após uma “pelada” no Rio de Janeiro em 1980, com os funcionários do selo Ariola contra alguns dos artistas contratados pela gravadora no Brasil, como Chico Buarque, Alceu Valença e Toquinho. Na ocasião, ganhou e vestiu a camisa 10 do Santos.

4) Atentado
Em 3 de dezembro de 1976, em meio à efervescência política e à violência causada por gangues na Jamaica, que vivia um clima de guerra urbana, Bob Marley decide fazer uma apresentação gratuita como forma de pregar a paz e a unidade da juventude no país. O primeiro-ministro jamaicano Michael Manley apoiou o evento como forma de apaziguar os ânimos às vésperas das eleições. Durante um ensaio em sua casa, ele, a esposa, Rita Marley, integrante da banda, e o empresário Don Taylor foram baleados e levados ao Hospital Universitário. As motivações do atentado nunca foram esclarecidas.

Dois dias depois, Bob, mesmo sabendo dos riscos que corria, resolveu fazer sua apresentação durante o evento “Smile Jamaica”. Ele e Rita subiram ao palco com os curativos e, ao ser questionado sobre o fato de comparecer ao show mesmo baleado, o músico disse a célebre frase: “As pessoas que estão tentando destruir o mundo não tiram um dia de folga. Como posso, eu, tirar, se estou fazendo o bem?” Após o ocorrido, o casal decidiu ir morar em Londres, por questão de segurança, e ficou oito meses sem tocar na Jamaica.

5) Cultura rastafari
Além de ser o maior expoente do gênero musical reggae, Bob Marley também é considerado o responsável por disseminar a cultura rastafari pelo mundo. Em suas falas e canções, Bob transmitia o estilo de vida da religião da qual era adepto, cujos valores mais fundamentais eram: a soberania negra e valorização das raízes africanas, além do desejo de retorno à África, a terra prometida.

Na Etiópia, terra de Haile Selassie I, considerado um deus e a máxima encarnação do poder da religião rastafari, Bob é considerado herói nacional. Em 2005, Rita Marley afirmou que iria exumar os restos de Bob e enterrá-lo em um “local de descanso espiritual” na Etiópia. A declaração gerou fortes protestos na Jamaica.

6) Estupro
Um dos pontos mais controversos da história de Bob Marley veio à tona em 2004 quando Rita, que lançava o livro “No Woman No Cry: Minha Vida com Bob Marley”, deu depoimentos controversos à imprensa britânica sobre seu relacionamento com Bob. Na ocasião, tabloides ingleses deram uma ampla repercussão à declaração em que ela dizia ter sido estuprada pelo marido. Após a história ter tomado grandes proporções, Rita concedeu novas entrevistas esclarecendo que suas declarações foram retiradas do contexto e que seu marido “não era um estuprador”.

7) Morte
Durante uma partida de futebol em Londres em 1977, Bob machucou o dedão do pé direito e, como consequência do ferimento não tratado, a unha do pé caiu. Somente em 1980, quando o ídolo passou mal no palco em uma turnê nos EUA, descobriu-se que na verdade ele tinha uma espécie de câncer de pele, chamado melanoma maligno, que se desenvolveu sob sua unha. A recomendação médica foi para que amputasse o dedo, mas ele recusou o procedimento devido à crença rastafari.

O câncer se espalhou para o resto do corpo, afetando cérebro, pulmão e estômago. O músico foi se tratar na Alemanha com o médico naturalista Joseph Issels, mas após oito meses de tratamento, foi desenganado. Decidiu, então, voltar à Jamaica para morrer junto a família e amigos, mas no meio da viagem teve que ser internado às pressas em Miami, onde morreu no dia 11 de maio de 1981, na companhia da mãe, quando estava no auge da carreira, aos 36 anos de idade.

VEJA TAMBÉM: Como Bob Marley, Elvis Presley, John Lennon e outros astros estariam hoje?

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcelo Postado em 06/Feb/2015 às 12:35

    Acho que no começo ao invés de "supremacia" a palavra correta seria "soberania",...o primeiro não parece ser algo coerente com as doutrinas rastafari.

    • Gabriel Gabo Postado em 06/Feb/2015 às 13:19

      Marcelo, Supremacia é utilizável sim, os Rastafar-I são adeptos à uma Monarquia. Por exemplo, 'Ras' significa Príncipe. Talvez soe estranho pela formalidade do termo, mas há um grande respeito com os chefes e líderes propostos pela religião.

      • eu daqui Postado em 11/Feb/2015 às 10:57

        Isso aí eu não sei. Sei que escuto muito Marley desde pequena. Nasci pra ser inspirada por música e literatura, jamais por religião e política. Graças a deus.

    • Gabriel Gabo Postado em 06/Feb/2015 às 13:23

      Aliás, é uma mistura de Monarquia e Dinastia.

  2. paulo Postado em 06/Feb/2015 às 13:39

    O cara só defendia o uso da maconha e vira mais um herói da esquerda caviar

    • Elvis Oliveira Postado em 06/Feb/2015 às 14:08

      Você deveria se informar um pouco sobre música, musicos e sobre os que lutaram pela liberdade cultural da época pela qual vivieu. As músicas de Bob tem cunho político e social, não é esse lixo que a industria cultural, hoje nos empurra de goela abaixo.

      • Priscila Postado em 06/Feb/2015 às 14:50

        Falou tudo Elvis. O Paulo precisa pegar um dicionário e traduzir as obras de Bob Marley. Aí não estaria falando uma merda dessa!

    • Ane Postado em 06/Feb/2015 às 14:54

      Que besteira! Melhor ficar calado!

    • R.R.Rocha Postado em 06/Feb/2015 às 15:02

      Conheço muito coxinha que enxerga o Bob Marley como um herói da musica. Menos ódio, mais amor, Paulo!

    • Gabriel Gabo Postado em 06/Feb/2015 às 15:06

      "Eu ouço reggae mas não sei o que Bob Marley diz, e se eu soubesse, talvez não fosse tão infeliz"

    • Lucas Postado em 06/Feb/2015 às 15:12

      tá de sacanagem né? se vc não conhece a história dele fica na sua...

    • André Postado em 06/Feb/2015 às 15:33

      Que burro, dá zero pra ele!

    • poliana Postado em 06/Feb/2015 às 20:22

      qta estupidez em seu comentário!!! perdeu uma bela oportunidade de ficar calado!

    • eu daqui Postado em 11/Feb/2015 às 10:52

      Pra mim ele é herói da música.

    • Henrique Postado em 04/Mar/2015 às 19:53

      O idiotinha podeia estudar um pouco mais antes de falar de outra pessoa. alías, dobre a língua para falar de qualquer outro.

  3. Celio Jr Postado em 06/Feb/2015 às 14:11

    Na linha 02 do texto tem um erro. A data correta é (06/02)

  4. lucas Postado em 06/Feb/2015 às 14:53

    fighting against the system!!!

  5. luiz felipe Postado em 06/Feb/2015 às 15:00

    Poxa Paulo !! Tem que se informar amigão !! O conteúdo do BOB é riquíssimo !! Abs.

  6. Victor Carvalho Postado em 06/Feb/2015 às 15:39

    Corrijam pessoal 06/02

  7. Iara Postado em 06/Feb/2015 às 15:44

    Mas enxergar o Hailé Selassiê como "profeta encarnado" é dose! Desacredita quase todo o resto: era um ditador e explorador do povo!

    • eu daqui Postado em 11/Feb/2015 às 10:55

      E que promovia banhos de sangue por causa de divergecias políticas meramente teóricas. É como se uma religião fosse criada pra endeusar um Medici ou um Pinochet.

  8. Rosemery Postado em 06/Feb/2015 às 16:04

    Nunca me importei em conhecer a história dele! Sempre o taxava como "mais um cantor maconheiro". Um dia assisti ao filme que conta toda a tragetória e que mostra muita coisa da vida dele! Dai em diante comecei a enxerga-lo com outros olhos, sem ser os olhos do preconceito (pré-conceito). Dai entendi e até achei ele uma pessoa interessante e de uma visa mais interessante ainda. Com certeza vou procurar descobrir muito mais!

  9. João Bani Postado em 07/Feb/2015 às 12:17

    A obra de Marley acompanha minha vida. Ainda era um moleque quando levei pra casa o primeiro disco dele que comprei: Alive! Depois, Kaya, Survival e Uprising. Mais recentemente, um clássico que eu não conheci naquele tempo,faz parte dos meus dias: Concrete Jungle. Uma obra prima. Procurem no youtube "Bob Marley & The Wailers in Santa Bárbara.

  10. luiz Postado em 07/Feb/2015 às 15:44

    Uma grande luz que se apagou na humanidade. Ja assisti o The Wailers algumas vezes e só de vê -los executando o som ja da pra ter uma ideia da dimensão do talento dele.

    • eu daqui Postado em 11/Feb/2015 às 10:53

      Era talentoso, sim. Muito. Indepedente de corrente política ou politiqueira.