Redação Pragmatismo
Compartilhar
Humor 06/Jan/2015 às 12:19
9
Comentários

Renato Aragão: negros e gays não se ofendiam antigamente

Renato Aragão reclama do que chama de “perseguição” ao humor “politicamente incorreto”. Prestes a completar 80 anos, o global afirma que gays e negros não se ofendiam com as piadas na época de 'Os Trapalhões'

renato aragão didi globo humor
Renato Aragão (Reprodução)

Prestes a completar 80 anos, Renato Aragão reclama da perseguição ao humor politicamente incorreto, visto hoje como preconceituoso. O humorista, que aniversaria na próxima terça (13) e também comemora 55 anos do personagem Didi em 2015, relembra que na época de Os Trapalhões (1966-1995), negros e gays sabiam que as piadas eram apenas de brincadeira. “Naquela época, essas classes dos feios, dos negros e dos homossexuais, elas não se ofendiam. Elas sabiam que não era para atingir, para sacanear”, desabafa.

“Na época, a gente fazia como uma brincadeira. Era uma brincadeira de circo entre eu e o Mussum (1941-1994). Como se fôssemos duas crianças em casa brincando. A intenção não era ofender ninguém. Hoje, todas as classes sociais ganharam a sua área, a sua praia, e a gente tem que respeitar muito isso”, disse o humorista à revista Playboy de janeiro, que chega às bancas nesta terça (6).

De contrato renovado com a Globo até 2017, Renato Aragão se incomoda quando ouve críticas contra a emissora, principalmente ao programa beneficente Criança Esperança, do qual é padrinho. Mesmo sem programa fixo, o humorista revela que não tolera quando falam mal da rede.

“O programa explode e é: ‘Ah, por que a Globo, em vez de fazer aquele programa, não doa o dinheiro para o povo?’ É cruel isso. Me incomoda muito quando falam da Globo. Eu não admito que falem mal da Globo”, confessa o humorista.

Renato Aragão diz não se incomodar com as críticas ao trabalho dele como Trapalhão. Para o humorista, muitas pessoas detonavam os filmes de Didi, Dedé Santana, Mussum e Zacarias (1934-1990) sem ao menos ver o conteúdo.

“Eu nunca liguei para isso, nem vou ligar. Tinha gente que criticava meus filmes sem assistir! Foi comprovado isso. Mas, quanto mais eles me malhavam, mas crescia o bolo, mais dava bilheteria. Os pseudocineastas ficavam umas araras porque os filmes deles não encostavam. Chegava um nordestino com um rolo compressor e passava por cima”, comemorou.

Notícias da TV

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 06/Jan/2015 às 12:29

    Não se ofendiam pois não eram consultados e não tinham veículos de comunicação que proporcionavam espaço para expressar suas opiniões, sentimentos, como temos hoje com utilização da internet.

    • soda cáustica Postado em 06/Jan/2015 às 12:41

      Revista falida, editora falida, conteúdo falido...

    • eu daqui Postado em 06/Jan/2015 às 12:55

      Lembro que meu pai, apesar de não ser negro nem gay, percebia o potencial insultuoso das piadas dos Trapalhões e todo domingo tinha comentário a respeito lá em casa..

  2. julia Postado em 06/Jan/2015 às 12:35

    se ofendiam, sim!! vc q n sabia, velho gaga!!

  3. André Postado em 06/Jan/2015 às 12:37

    O próprio "Didi" era alvo constante de piada (alguém pode falar que não era com a mesma quantidades, eu não sei). Nordestino, cabeça chata, comedor de farinha, etc... Um dos problemas a meu ver é uma "coitadização" crescente. E, antes que alguém fale alguma baboseira de "meritocracia" (vou repetir para os analfabetos: baboseira de meritocracia e não "baboseira sobre a meritocracia"), quem precisa de ajuda deve ser ajudado (ponto). Mas algumas "ajudas" só servem para tornar as pessoas mais frágeis. Fico com a impressão de que alguns querem ser tão bons que tratam os "coitados" como incapazes, como se fossem filhos mimados que choram por não ganharem um brinquedo novo. ÓBVIO que não é necessário fazer humor humilhando. Lógico que o humor auto-depreciativo ainda é aceito e que o exemplo dado a partir da depreciação cometida por outro é um PÉSSIMO exemplo. Mas há educação para quê? O que precisa ser defendido é a educação e não a "coitadização" (a não ser que você queira ganhar dinheiro. Os advogados agradecem).

  4. Rodrigo Postado em 06/Jan/2015 às 13:35

    renato vc e um nada sem a globo, esse mar esta perdendo os cabelos, logo ira se afogar

  5. Jorge Postado em 06/Jan/2015 às 14:13

    senil

  6. Guidi Postado em 06/Jan/2015 às 14:49

    Sempre tem que ter um pra falar do PT né... incrível!

  7. Antonio Palhares Postado em 06/Jan/2015 às 15:02

    Ele e a globo são lixo. Nada mais que isso. Não acrescentaram nada ao País.Quem esta melhorando o Brasil é o PROUNi, PRONATEC, CIENCIA SEM FRONTEIRAS,BOLSA FAMILIA e outros programas sociais do PT que servem de modelo para a ONU. Sobre naõ tolerar que falem mal da globo, que vá se lixar.