Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 20/Jan/2015 às 10:25
34
Comentários

Indonésia pede suspensão de execução de condenada na Arábia Saudita

A mesma Indonésia que negou o pedido de Dilma Rousseff para suspender a execução do brasileiro Marco Archer está pedindo clemência à Arábia Saudita para evitar a morte de uma condenada por assassinato. País, que é "intransigente" com tráfico de drogas, defende mulher que cometeu homicídio e roubo

Indonésia Satinah Binti Jumadi Ahmad
Indonésia pede clemência pela vida de Satinah Binti Jumadi Ahmad, condenada à morte na Arábia Saudita por roubo e assassinato (JG Photo)

A Indonésia negou todos os pedidos de clemência encaminhados pelo governo brasileiro para o brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira, condenado à morte por tráfico naquele país e executado no último sábado. Somando as iniciativas do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff, foram seis pedidos no total.

Em contrapartida, a mesma Indonésia está pedindo clemência à Arábia Saudita para evitar a morte de Satinah Binti Jumadi Ahmad, uma cidadã indonésia condenada à morte por assassinar e roubar sua empregadora.

O radicalismo da Indonésia, a sua posição irredutível com relação ao cumprimento de sua legislação, não parece se repetir quando ela baixa a guarda e implora pela vida de Satinah. Ora, se o governo indonésio é tão rígido no que diz respeito às suas leis, por que se despe desta intransigência quando o que está em jogo são as leis de outro país? O que vemos é um exemplo explícito de hipocrisia. Uma hipocrisia que põe em jogo uma vida.

SAIBA MAIS: Holanda repete Brasil e chama embaixador na Indonésia após fuzilamento

O brasileiro Marco Archer foi fuzilado por ter tentado entrar naquele país com 13,4 quilos de cocaína. Ele errou, sem dúvida nenhuma. Já Satinah foi condenada por matar uma mulher. É possível colocar em níveis de gravidade iguais o tráfico e o assassinato? Qual desse crimes é mais nocivo? Pois a Indonésia acha que quem mata merece clemência, mas quem trafica droga, não.

Human Rights Watch contesta demagogia da Indonésia

De acordo com Phelim Kine, vice-diretor da Human Rights Watch (HRW) para a Ásia, a Indonésia fez apelo formal ao líder da Arábia Saudita, Rei Abdullah, para que perdoe Satinah. A família da mulher reforçou o pedido com o pagamento, à família da vítima, de uma “dívida de sangue”, legalmente reconhecida no país, equivalente a US$ 1,9 milhão, no fim de 2014, o que pode levar a Arábia Saudida a aceitar o pedido do governo indonésio.

“O apelo do governo indonésio pela clemência de Satinah Ahmad na Arábia Saudita, ao mesmo tempo que ignora seu próprio uso continuado da pena de morte, é mais do que mera hipocrisia sobre o direito à vida”, disse Phelim Kine em uma nota intitulada Pena de Morte na Indonésia, Dois Pesos e Duas Medidas.

“A legislação internacional de direitos humanos restringe o uso da pena de morte apenas aos ‘crimes mais graves’, tipicamente crimes que resultam em morte ou lesão corporal grave. O Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas e o relator especial da ONU sobre execuções extrajudiciais condenaram o uso da pena de morte em casos relacionados a drogas”, explica Kine, que considera “revoltante” a aplicação da pena de morte para condenações relacionadas a drogas, preocupação compartilhada também pelo Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos e o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime.

VEJA TAMBÉM: O Ato de Matar, o filme mais assustador da última década

com Jornal do Brasil e Agência EBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Lucas Postado em 20/Jan/2015 às 11:01

    Parabens a oposiçao que nao apresentou nenhum projeto consistente e persuasivo para que houvesse alternância.

    • edi de franca Postado em 20/Jan/2015 às 12:31

      Concordo plenamente contigo!

    • Santtos Edson. Postado em 20/Jan/2015 às 14:14

      Eu só desejo a esta oposição contraditória e anti-patriota que um dia, ainda, pensem neste país. Que sejam sérios e coerente em suas criticas.

    • Cida Palmeira Postado em 20/Jan/2015 às 15:27

      Faço de suas palavras as minhas.

  2. Igor Postado em 20/Jan/2015 às 11:16

    Para nós, brasileiros, o assassinato de uma pessoa é muito mais grave do que o tráfico de drogas. Parece bem claro para nós que nem se compara tirar a vida de uma pessoa a transportar substâncias ilícitas. Mas antes de sair julgando, precisamos analisar a situação com prudência. Será que estamos certos em condenar uma nação rotulando-a como hipócrita sem conhecermos a fundo o que de fato levou esse país a pensar dessa maneira? Não creio que devemos falar em etnocentrismo nesse caso. Porém, é inegável que os valores deles são totalmente diferentes dos nossos. Portanto, vamos com calma.

    • Luis Postado em 20/Jan/2015 às 15:10

      Indonésia é uma país que cresceu muito devido ao turismo. Os hotéis e resorts mais caros e concorridos, são ponto de encontro e destino dos consumidores de pó e e outras drogas.

      • Barbara Stefanelli Postado em 20/Jan/2015 às 17:03

        E pedófilos tb

    • Geraldo Postado em 20/Jan/2015 às 17:11

      Para mim tanto faz se é traficante, latrocida, usuário, corrupto, corruptor, ladrão ou receptor: deveriam receber a mesma pena. Se a pena do corrupto for pena de morte, o corruptor também deveria receber a mesma pena. Se latrocida é condenado a morte, o receptor também deveria ser. Sem um, não existe o outro.

  3. Sandra Postado em 20/Jan/2015 às 11:44

    O povo brasileiro gosta de uma fofoca. Temos tantos problemas a resolver aqui na terra brasilis e nos unirmos contra as medidas que aos poucos vão MATANDO a nossa dignidade, mas não, nos dispersamos em outros assuntos que em NADA melhorarão nossas vidas!

  4. Yrae Postado em 20/Jan/2015 às 12:38

    Todos tem o direito á clemência.

  5. Luciana Postado em 20/Jan/2015 às 12:59

    Eles só estão fazendo a parte deles ora. Assim como o Brasil tentou, eles estão tentando livrar os seus também.

  6. LUIS BRAS SANTOS Postado em 20/Jan/2015 às 13:14

    VAI BEBER DO PRÓPRIO VENENO NÃO DERAM CLEMÊNCIA A BRASILEIROS PQ IRÃO DÁ A SUSPENSÃO SE VCS NÃO DERAM AO BRASIL ENTÃO AGORA PAGUEM E SOFRAM AS CONSEQUÊNCIA

  7. Régis Araújo Postado em 20/Jan/2015 às 13:20

    quero ouvir a Rachel Sheherazade defender a atitude da indonésia

  8. Eduardo Postado em 20/Jan/2015 às 13:26

    obrigado companheiro, pior seria se o outro tivesse entrado.... ele de cara privadoaria a Petrobras, depois a Caixa, e se bobear mandaria cercar as praias para pobre não poder entrar....

  9. Eduardo Postado em 20/Jan/2015 às 13:30

    NO DO OUTROS É REFRESCO.... o presidente está cumprindo o dever dele enquanto presidente, pedindo por um cidadão indonésio, o que de igual forma Lula e Dilma fizeram. Em momento algum se pediu para que fosse solto e perdoado.

  10. Beatriz Postado em 20/Jan/2015 às 13:42

    Absurdo!E ainda pedem respeito a uma constituição que favoresse à assassinos.Lembrando que o Marcos cumpriu 11anos de prisão,o que para o que ele fez já era um bom castigo.Num país estranho,longe da família,sabendo que poderia ser executado imediatamente.Não sou a favor da pena de morte,mas deixem essa assassina uns 50anos no mínimo presa.

    • mani Postado em 20/Jan/2015 às 23:26

      O brasileiro viveu a agonia da morte iminente, por longos onze anos. Não sei como não enlouqueceu.

    • Reginaldo Postado em 21/Jan/2015 às 12:40

      O marcos sabia que se pego seria pena de morte , e mesmo assim se arriscou , isso prá mim soa coragem e não dar valor `a vida...

  11. Mila Rodrigues Postado em 20/Jan/2015 às 14:02

    Não consigo assimilar a pena de morte, a ponto de aceita-la, mas devo dizer que traficar drogas é uma forma de matar milhões de pessoas , lentamente, destruindo suas famílias e sonhos. O tráfico de drogas é a base da criminalidade. No meu ponto de vista tanto o tráfico de Archer como o homicídio praticado pela cidadã da Indonésia , possuem o mesmo peso. Logo chego a conclusão que a Indonésia deveria respeitar a Constituição da Arábia Saudíta , assim como a sua o é!

    • Justiceiro Postado em 24/Jan/2015 às 07:51

      Na verdade ele foi pego entrando com droga na indonésia, não tinha vendido ainda, então utilizando A mesma forma de pensar que a sua, a droga não tinha matado ninguém ainda, então não se pode comparar com o caso da mulher da indonésia que ja praticou o homicídio, que deixasse ele preso o resto da vida, mais ninguém tem direito de tirar a vida de ninguém, a não ser que estejamos voltando aos tempos de sparta, era medieval idade das pedras.

  12. Luis Postado em 20/Jan/2015 às 14:55

    Vc deve ter algum problema mental. Certeza. Vai aprender sobre como funciona um país antes de falar tanta besteira.

  13. Thiago Teixeira Postado em 20/Jan/2015 às 15:50

    O Pedido de clemência faz parte dos protocolos internacionais, é de praxe. Afinal, os embaixadores precisam de alguma atividade que justificarem suas despesas a nação.

    • Jonas Schlesinger Postado em 20/Jan/2015 às 17:30

      Só não vale para o Brasil. Pq se Conchichina pedir clemência a um país ninguém reclama, mas como é o brasil aí "taca-lhe pau"

      • mani Postado em 20/Jan/2015 às 23:34

        E se não pedissem clemência para o brasileiro, aí mesmo é que iriam criticar; talvez até com mais veemência.

    • mani Postado em 20/Jan/2015 às 23:30

      Perfeito o seu comentário. Mas, se os presidentes do Brasil não tivessem feito os pedidos de clemência, estariam sendo criticados mais ainda.

  14. raiza Postado em 20/Jan/2015 às 16:51

    Na minha opinião trafico de drogas não é pior que homicídio, os dois são graves até pq trafico de drogas indiretamente mata muita gente no Brasil!

    • Thiago Teixeira Postado em 20/Jan/2015 às 19:46

      Pra mim, o usuário é pior que o traficante, e o responsável por toda esta droga de mortes que ocorre até o baseado chegar na boca desse desocupado (a).

  15. flavia Postado em 20/Jan/2015 às 17:38

    É meio lógico que para eles matar não é um crime tão grave, afinal foi isso que fizeram com o brasileiro etc.

    • mani Postado em 20/Jan/2015 às 23:35

      É verdade.

  16. mani Postado em 20/Jan/2015 às 23:10

    A presidenta Dilma encontra um mundo mil vezes pior do que os nossos ex-presidentes. Vivemos hoje, em todo o mundo, um período de profunda instabilidade econômica e financeira.

  17. Juniperos Postado em 21/Jan/2015 às 06:55

    Simples: andamos por entre traficantes e assaltantes que a qualquer momento podem te matar, quando der na telha. Ou seja: você já vive sendo vigiado por seus assassinos em potencial e não os vê... Você se já foi assaltado, caso não é um afortunado, mas se sim, pode ter passado pelo inconveniente de ter uma arma na cabeça. Isso por que queriam comprar... cocaína

  18. Carlos Postado em 21/Jan/2015 às 10:58

    Trafico de drogas alimenta uma rede de crimes sem fim, no Brasil matam mais de 50000 por ano um Vietnã por ano indiretamente e diretamente, bandidos são bandidos se um dia o problema da droga for resolvido ou irão inventar outras drogas ou irão matar, sequestrar, roubar e por ai vai.

  19. Walter Postado em 21/Jan/2015 às 11:07

    Se existe trafico é é porque existe o usuário e de posses pois pobre não consome este tipo de droga cocaína , esctasy a droga das elites que vomita o puritanismo nas redes sociais.

  20. Tadeu Patriota Postado em 21/Jan/2015 às 15:40

    O que é que isso tem a ver com o assunto?