Redação Pragmatismo
Compartilhar
Terrorismo 07/Jan/2015 às 17:35
0
Comentários

As imagens do ataque à 'Charlie Hebdo'

Vídeos e imagens mostram tiroteio em área da publicação francesa ‘Charlie Hebdo’. Ataque deixa ao menos 12 mortos. Três estão em estado gravíssimo. Jornal satírico já havia sofrido ameaças no passado por ter publicado charges do profeta Maomé

ataque terrorismo charlie habdo frança europa

A sede do jornal satírico francês Charlie Hebdo, que já foi ameaçado no passado por ter publicado caricaturas de Maomé em charges, foi alvo nesta quarta-feira (07/01) em Paris de um ataque armado que deixou pelo menos 12 vítimas. Três estão em estado gravíssimo.

SAIBA MAIS: Publicação de Maomé sem roupa provoca fechamento de escolas na França

De acordo com as primeiras informações, dois homens armados e vestidos de preto teriam entrado no edifício e disparado contra as vítimas.

O ataque aconteceu no mesmo dia do lançamento do livro “Soumission”, de Michael Houellebecq, que conta a história de uma França que elege um presidente muçulmano e adota costumes como a poligamia, o uso do véu e dominação masculina. O livro foi muito criticado pelo teor islamofóbico partindo de um autor tão importante para os franceses.

Em entrevista à imprensa, o presidente François Hollande confirmou que 11 pessoas foram mortas na ação, 4 ainda estão em estado grave de saúde e 40 pessoas conseguiram ser resgatadas em segurança. O mandatário ainda informou que fará uma reunião emergencial com sua equipe de governo para debater o assunto, comunicando também que a capital Paris elevou o nível de segurança em seu território.

Classificando a ação como “um excepcional ato de barbárie cometido contra um jornal”, Hollande afirmou que o país “está em choque” e precisa enfrentar a questão de forma unida.

Vincent Justin, um jornalista que trabalha em um edifício próximo à sede do Charlie Hebdo, afirmou que duas pessoas entraram na redação do semanário e começaram a atirar. De acordo com Justin, os autores do ataque gritavam a frase “vamos vingar o profeta”.

A imprensa francesa reporta que parte dos responsáveis pela ação ainda está à solta em Paris. O porta-voz da polícia local, Rocco Contento, confirmou que três suspeitos entraram na redação do periódico por volta das 11h30 (8h30, horário de Brasília). “Eles abriram fogo contra todos, foi uma verdadeira carnificina”, disse o policial.

Suspeita na Espanha

Horas após o atentado no Charlie Hebdo, a sede do grupo Prisa, em Madri, onde funcionam o jornal El País e o Huffington Post, além de outros meios de comunicação, foi evacuada por uma hora e meia, devido à presença de um pacote suspeito.

O pacote, do tamanho de uma caixa de sapato, foi detectado em uma das entradas do prédio. Após análise da equipe de segurança, no entanto, foi constatado que tratava-se de um falso alarme.

Outros meios de comunicação espanhóis como El Economista, 20 Minutos e Libertad Digital também paralisaram as atividades devido à presença do suposto artefato explosivo.

Confira imagens e vídeos do atentado:

(O mapa abaixo mostra detalhes da região de Paris onde ocorreu o atentado e onde fica a revista Charlie Hebdo)

ataque1
ataque
ataque2
ataque4

Vídeo:

Opera Mundi e Agência Efe

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários