Redação Pragmatismo
Compartilhar
Política 30/Jan/2015 às 12:29
15
Comentários

Graça Foster está com prazo de validade vencido

É preciso recuperar um mínimo de credibilidade da Petrobras no mercado, com a indicação de novos responsáveis pelo seu comando, exatamente como Dilma fez ao nomear Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. Não estão em discussão a competência e a honestidade de Dilma e Graça, mas a presidente da Petrobras está visivelmente com seu prazo de validade vencido. Nem ela aguenta mais

graça foster petrobras
Graça Foster, presidente da Petrobras (Wilson Dias/ABr)

Ricardo Kotscho, em seu blog

É até maldade o que a presidente Dilma está fazendo com sua amiga Graça Foster, obrigada todos os dias a mostrar a cara para explicar o inexplicável na enxurrada de denúncias, prejuízos e lambanças na Petrobras, outrora a maior empresa brasileira.

Lealdade e teimosia deveriam ter limite quando estão em jogo os interesses da Nação. Chegamos a um ponto, após a divulgação do último balanço da empresa, na madrugada desta quarta-feira, com dois meses de atraso, em que não dá mais para adiar a troca imediata de toda a diretoria executiva e do conselho de administração da Petrobras.

Trata-se de uma questão de sobrevivência da empresa. O desafio, agora que chegamos ao fundo do poço, é saber quem aceita pegar esta bucha de canhão, com todos os processos que correm na Justiça brasileira e nos Estados Unidos.

Basta citar apenas um número sobre o que aconteceu após a divulgação do balanço: as ações da Petrobras caíram 11,2% na Bolsa e o valor de mercado da empresa desabou de R$ 129 bilhões para R$ 115 bilhões, uma perda de R$ 13,9 bilhões em apenas um dia.

De nada adianta agora Dilma fazer discursos denunciando os inimigos internos e externos interessados na privatização da empresa. Que eles existem, e são poderosos, cansamos de ver todos os dias na mídia familiar, mas isto não resolve o desafio imediato, urgente, inadiável: evitar a quebra da empresa, com o contínuo derretimento das suas ações e dos seus ativos.

Para isso, é preciso recuperar um mínimo de credibilidade no mercado, com a indicação de novos responsáveis pelo seu comando, exatamente como Dilma fez ao nomear Joaquim Levy para o Ministério da Fazenda. Vejam bem, não estão em discussão a competência e a honestidade de Dilma e Graça, mas a presidente da Petrobras está visivelmente com seu prazo de validade vencido. Nem ela aguenta mais.

Meu colega Heródoto Barbeiro já mostrou na quarta-feira (28) no telão do Jornal da Record News os números desta tragédia anunciada a cada balanço, ano a ano, trimestre a trimestre, desde o início das denúncias do esquema de corrupção pela Operação Lava Jato. O valor dos prejuízos é incalculável, como a própria empresa reconheceu, em seu comunicado oficial sobre o balanço, que omitiu este dado, e fez a Bolsa despencar.

Não tenho ações da Petrobras, nada entendo de balanços nem de economia, mas não é preciso ser nenhum especialista para saber que lucro é lucro, prejuízo é prejuízo, tanto faz se é numa instituição pública ou privada. Toda empresa tem que dar lucro ou acaba fechando. E a Petrobras não é uma entidade de benemerência.

No mesmo dia em que o balanço do terceiro trimestre, sem aval de uma auditoria externa, mostrou uma queda de 38% no lucro líquido em relação ao período anterior, enquanto o endividamento da empresa crescia 18% apenas entre o final de 2013 e setembro de 2014, atingindo estratosféricos R$ 261 bilhões, o McDonald´s, que também não é uma entidade de benemerência, anunciava a demissão do seu presidente, Dan Thompson.

Motivo: as vendas globais da empresa caíram 1% (sim, apenas um por cento) em 2014 e o lucro líquido mostrou queda de 15% no ano. A Petrobras, eu sei, não é um McDonald´s, mas acionista é acionista em qualquer lugar do mundo. E qualquer empresa, no mundo capitalista em que vivemos, depende de investimentos e financiamentos, não vive de discursos nem de ideologias.

A teimosia de Dilma em deixar tudo como está causa crescentes prejuízos não só à Petrobras e seus acionistas, mas à imagem do seu próprio governo e à do país.

Até quando?

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Gabriel Gabo Postado em 30/Jan/2015 às 13:18

    "Após o carnaval o povo vai acordar" aheuhaueh essa frase é tão engraçada que não inspira confiança nenhuma nesse seu povo que só acorda depois de descanso e baderna e muito menos em você, que os cita. Se sua intenção foi amedrontar alguém, rapaz, não deu certo.

  2. Denisbaldo Postado em 30/Jan/2015 às 13:22

    Competente mesmo eh o PSDB e sua politica do balde de agua. É mais facil o Alckmin sofrer impeachmet antes da Dilma.

  3. Gustavo Rezende Postado em 30/Jan/2015 às 15:05

    Bom artigo

  4. Mr. Torres Postado em 30/Jan/2015 às 15:08

    O pragmatismo político defendendo o neo liberal Joaquim Levy? Todas as mídias são farias do mesmo saco!

  5. Thiago Teixeira Postado em 30/Jan/2015 às 15:12

    Eu se fosse a FOSTER convocaria uma coletiva e mandava toda a mídia pra PQP.

    • Gustavo Rezende Postado em 30/Jan/2015 às 15:34

      Ai acabaria de afundar a empresa.

    • Thiago Teixeira Postado em 31/Jan/2015 às 08:26

      Ai ela viraria as costas e ia trabalhar, e o PiG iria cassar outra coisa pra fazer ou outra pessoa para difamar.

  6. João Grillo Postado em 31/Jan/2015 às 07:49

    Gabriel, os comentários já foram ambientes mais fedorentos, iguais ao ninho derrotado dos tucanos. Coitado do solitário "cesar souza", sozinho mostrando sua incontida ira de saco de pancada nas urnas. Ah, ontem a filha do ladrão Paulo Roberto mostrou ao Brasil que se aproveitou do Bradesco e embolsou...500 milhões!!! A família de ladrões, mesmo com as contas fechadas pelo Moro Barbosa, continua movimentando dinheiros roubados. A Graça vai sair e a Petrobrás continuará sendo dos brasileiros.

  7. Roberto Postado em 31/Jan/2015 às 08:40

    A mídia está querendo (e conseguindo) convencer a todos que o superfaturamento de obras por empreiteiras estaria levando a Petrobras à bancarrota. Ora, superfaturamento de obras é algo que sempre ocorreu. Trata-se, na verdade, de um ataque midiático-especulativo para inculcar nas pessoas a idéia de que a Petrobras não pode explorar sozinha o pré-sal e forçar uma mudança na lei que determina o sistema de partilha. O que o governo deveria fazer é RECOMPRAR ações da Petrobras.

    • poliana Postado em 31/Jan/2015 às 11:34

      Roberto, vc falou tudo. O q a midia aliada ao psdb quer, eh criar na população o sentimento de q a petrobras n tem mais jeito, e a solução eh privatizá-la. O sonho do psdb eh privatizar todo o brasil a preço de banana, e n dar qq retorno a população com os bilhões arrecadados. Veja o q o psdb fez com a usp em sp. Quebrou a universidade, teve seu prestígio jogado no lixo, tudo isso pra fazer as pessoas acreditarem q o estado n tem condições de lidar com a educação, e o melhor caminho eh a privatização. Lembra q fhc tentou privatizar o ensino sup no brasil e so n conseguiu pq teve muita gritaria e ele ja estava queimadíssimo no final do 2* mandato? Mas qdo a gente acha q esse fantasma ficou no passado, vem o coordenador da campanha de aecio neves, e defende a privatização das univ publicas no país. E falou isso publicamente. O msmo aconteceu com as santas casas...o psdb destrói todos os serv pub sob seu comando, propositalmente, só pra meter na kbça da população q o melhor caminho eh o das privarizações. Eh de uma má fé impressionante. Nojo define o psdb e sua corja tucana. Deus nos proteja desse partido. Q n voltem à presidência da república nunca +.

      • rafael Postado em 31/Jan/2015 às 22:37

        Poliana, eu concordo que não devemos privatizar as universidades já existentes, mas privatização não é o problema. Acho que deve haver algum tipo de taxa para alunos com renda familiar superior a um teto. Olha, vc acha injusto cobrar uma taxa de R$ 1000,00 por semestre de um aluno que chega de BMW na universidade??? Outra coisa, muitas universidades de ponta na Inglaterra e Alemanha, por exemplo, são privadas. O problema é que grande parte dos empresários brasileiros preferem usar os lucros das empresas para trocar de carro ou viajar para o exterior. Nossos empresários (a maioria deles) não enxergam seus funcionários como o patrimônio mais importante da empresa. Se os empresários brasileiros agem assim, imagina os estrangeiros??

    • leonardo Postado em 31/Jan/2015 às 18:21

      'superfaturamento de obras é algo que sempre ocorreu.' Então está tudo bem. Ne ?

    • Eduardo Postado em 02/Feb/2015 às 14:22

      "Trata-se, na verdade, de um ataque midiático-especulativo " André Vargas, é você?

  8. Deisi Postado em 31/Jan/2015 às 10:49

    Está certíssimo Roberto, concordo contigo!

  9. Zbgniew Brzezinski Postado em 03/Feb/2015 às 11:02

    Às vezes, eu acho que a Esquerda não apenas sofre de dissonância cognitiva: ela tem mesmo é transtorno bipolar! Vejam o que foi publicado aqui mesmo: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2015/02/graca-foster-e-premiada-pela-sociedade-mundial-de-engenheiros-de-petroleo.html